Receita Federal volta a receber declarações do Imposto de Renda 2024

Realização do procedimento após o prazo está sujeita ao pagamento de multa de R$ 165,74

Foto: Marcelo Casal Jr – Agência Brasil

Desde segunda-feira (3), a Receita Federal voltou a receber as declarações do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2024. Contudo, o procedimento realizado após o término do prazo está sujeito ao pagamento de multa para que a situação com o Fisco seja regularizada.

Após a interrupção do recebimento de declarações para o processamento das informações enviadas e manutenção dos servidores, a Receita Federal também liberou a retificação das informações entregues dentro do prazo, possibilitando a atualização de dados.

Para quem não fez o procedimento dentro do prazo estabelecido pelo órgão, será cobrada uma multa de R$ 165,74, mesmo que não tenha imposto a pagar. Caso o contribuinte tenha algum débito com o Fisco, a multa é de 1% ao mês ou fração de atraso sobre o imposto devido, podendo chegar ao teto de 20%.

O contador e professor da Estácio, Thiago Freitas, explica que, além de pagar a multa, o Cadastro de Pessoa Física (CPF) de quem não entregou a declaração do Imposto de Renda fica irregular, gerando uma série de transtornos na emissão de passaporte, participação em concursos públicos, recebimento de benefícios em programas sociais, entre outros. “É importante regularizar a situação o mais rápido possível para minimizar as penalidades e garantir que o contribuinte esteja em conformidade com suas obrigações tributárias”, afirma.

O professor explica que o procedimento para a entrega continua o mesmo e, para isso, o contribuinte deve acessar o sistema da Receita Federal e inserir as informações necessárias. “O que muda é que, ao final do preenchimento e envio da declaração, o usuário receberá uma mensagem sobre o lançamento da multa. Após isso, será emitido o Documento de Arrecadação de Receitas Federais [Darf], que deverá ser quitado em até 30 dias ou descontado da restituição”, diz.

Quem precisa declarar o IRPF em 2024
– Usuários com rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 30.639,90;
– Quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 200 mil em 2023;
– Quem obteve, em qualquer mês de 2023, ganho de capital na alienação de bens ou direitos que estavam sujeitos à incidência do imposto ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas com soma superior a R$ 40 mil, ou com apuração de ganhos líquidos sujeitos à incidência do imposto;
– Contribuinte que teve isenção de imposto sobre o ganho de capital na venda de imóveis residenciais, seguido de aquisição de outro imóvel residencial no prazo de 180 dias;
– Quem teve, em 2023, receita bruta em valor superior a R$ 153.199,50 em atividade rural (contra R$ 142.798,50 em 2022);
– Aqueles que, até 31 de dezembro de 2023, possuíam a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 800 mil (contra R$ 300 mil em 2022); quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2023;
– Quem optou por fazer a declaração de bens, direitos e obrigações detidos pela entidade controlada, direta ou indireta, no exterior como se fossem detidos diretamente pela pessoa física;
– É titular de trust no exterior e
– Deseja atualizar bens no exterior.

Onde fazer a declaração
A declaração do IRPF 2024 é feita em meio digital, pelo computador, com programa baixado no site da Receita Federal e disponível para os sistemas operacionais Mac, Windows, Linux e Multi; pelo site do órgão, o que não necessita de instalação de nenhuma aplicação, no entanto, é preciso ter uma conta gov.br; e pelo celular, por meio do app Meu Imposto de Renda.

Ewerton França Pinheiro

Governo do Amapá envia bombeiros para ajudar no salvamento de vítimas no Rio do Grande do sul

Os militares especialistas do Corpo de Bombeiros do Amapá foram convocados pelo Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (Ligabom) para atuarem nas ações de resgate para ajudar nos esforços de buscas e salvamentos em razão dos temporais que atingem o Rio Grande do Sul. Os 16 bombeiros já estavam em prontidão e se deslocam nesta segunda (6), para a missão.

O Governo do Amapá está de mãos dadas com a população afetada pela tragédia causada pelas enchentes e chuvas no Sul do país.
Fazem parte da equipe amapaense, mergulhadores de resgate e salvamento aquático, além de especialistas em salvamentos terrestres, inundações e deslizamentos. Também serão enviados além de insumos, equipamentos e quatro viaturas.

Nos últimos dias, o Governo do Estado intensificou o contato com a Defesa Civil e com o Governo do Rio Grande do Sul e participa da campanha nacional de arrecadação de fundos. O governador Clécio Luís se colocou à disposição do governador Eduardo Leite e se solidarizou ao povo gaúcho neste momento tão difícil.

 

O Governador do Amapá Clécio Luísfalou que o Amapá está oferecendo solidariedade técnica e profissional do Rio Grande do Sul.

“16 bombeiros militares que são especializados nesse tipo de catástrofes, especializados em busca, em salvamento, resgate. Os mergulhadores, os nossos mergulhadores, são especializados em águas sem luminosidade, águas barrentas, águas sujas. Então, a gente vai fazer toda a diferença. Eles são profissionais testados em outros momentos, em outras tragédias, como a de Petrópolis, por exemplo, de Rondônia, do Espírito Santo, fora do Brasil. Então, vai uma equipe extremamente especializada. O Amapá está oferecendo, com solidariedade técnica e profissional, o que há de melhor”, frisou o governador.

O Comitê de Crise de Eventos Hidrológicos e Mudanças Climáticas está com diversas frentes de trabalho e estabeleceram as tratativas para prestar todo o apoio necessário durante a urgência no Rio Grande do Sul.

Em São Paulo, governador Clécio Luís apresenta iniciativas do Amapá que são exemplo de sustentabilidade para o mundo

Evento Brasil Hoje, nesta segunda-feira, 22, reúne lideranças para debater os desafios e oportunidades para o país e a COP30.

O governador do Amapá, Clécio Luís, será um dos protagonistas do seminário “Brasil Hoje – diálogos para pensar o país de agora”, que será realizado nesta segunda-feira, 22, em São Paulo. Em sua apresentação, o governador vai destacar iniciativas que dão exemplo de sustentabilidade para o mundo e como o estado tem se preparado para a COP30 que será na Amazônia, em 2025.
“O Amapá é o estado mais preservado e protegido do Brasil, com centenas de negócios que respeitam a floresta por meio da bioeconomia, e com pessoas que precisam mudar de vida. Nós queremos e precisamos mostrar ao mundo que os nossos excelentes indicadores ambientais e os nossos bons exemplos podem puxar também os nossos índices sociais e econômicos. Debates como este são importantes”, enfatiza o governador.

O seminário, promovido pela Esfera Brasil, reúne lideranças políticas e empresariais para debater desafios e oportunidades com base no contexto econômico atual, como segurança pública para gerar estabilidade econômica, concessões, parcerias público-privadas, além da integração e inovação nas cadeias produtivas do agronegócio.

Desde que o Brasil foi anunciado como sede da COP30, Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), que será em Belém, o governador do Amapá tem integrado debates sobre os temas que serão tratados no encontro mundial. Além disso, Clécio Luís tem tratado com o Governo Federal a preparação do estado para receber eventos antes e durante a COP30, traçando estratégias para garantir os investimentos necessários.

Além do governador Clécio Luís, protagonizam as discussões do painel “COP da Floresta” o presidente da Petrobras, Jean-Paul Prates; o governador do Pará, Helder Barbalho; a copresidente e CEO do Sigma Lithium, Ana Cabral; e o diretor de sustentabilidade do grupo Ambipar e executivo referência em ESG, Rafael Tello. A mediação será feita pela jornalista Thais Herédia, analista de economia da CNN Brasil.

Também participam do seminário “Brasil Hoje” palestrantes como a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF); o ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski; o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Esfera Brasil

Fundada em 2021, a Esfera Brasil é uma organização que promove debates de alto nível e propostas para o futuro do país, reunindo em eventos as principais autoridades político-econômicas, dos setores público e privado.

Startup20 Rio: governador Clécio Luís apresenta experiências sustentáveis da Amazônia para as maiores economias do mundo

O debate é uma continuidade das discussões realizadas na primeira edição do Startup20, que ocorreu em fevereiro, no Amapá

O governador do Amapá, Clécio Luís, está no Rio de Janeiro, para apresentar durante a Startup 20 e a Web Summit Rio, encontros mundiais de tecnologia e inovação, as experiências e resultados do desenvolvimento econômico sustentável no Amapá e na Amazônia para as maiores economias do planeta que compõem o G20. 

No encontro, que iniciou na noite desta segunda-feira, 15, o governador vai debater a sustentabilidade, inovação e tecnologia, baseadas nas políticas públicas para garantia de preservação ambiental. 

“A partir do encontro da Startup 20, realizado no Amapá, que foi inédito no país, fomos convidados para vir ao Rio de Janeiro mostrar que o estado virou uma vitrine de oportunidades para negócios sustentáveis, inovação e tecnologia para o mundo. E é isso que nós queremos, desenvolver o Amapá gerando emprego e renda de forma ética e sustentável”, enfatizou o governador. O debate é uma continuidade das discussões realizadas na primeira edição, que ocorreu em fevereiro, em Macapá, e teve como foco assuntos sobre o desenvolvimento verde e transições energéticas com base no potencial revolucionário da bioeconomia. 

“Ninguém mais vai discutir Amazônia, meio ambiente, desenvolvimento sustentável, proteção, inovação e crescimento, sem o Amapá, e também a própria Amazônia, nesse país e no mundo”, destacou Ingrid Barthdo, presidente da Associação Brasileira de Startups (Abstartups) e organizadora do evento no Brasil.  

Nesta terça-feira, 16, o governador Clécio Luís participa do painel “Horizontes Sustentáveis: moldando o Futuro do ESG em Startups de Tecnologia e Inovação”, para debater sobre políticas de meio ambiente, responsabilidade social e governança, que envolvem o setor.  

O Amapá é um dos estados da Amazônia e do país com maior número de startups de sucesso. A empresa do Selo Amapá, Sorveteria Santa Helena, irá integrar a programação no Rio de Janeiro, apresentando a tradição e a tecnologia como pontos fundamentais para sustentação de um empreendimento na Amazônia.  

Também participam do encontro as Secretarias de Ciência e Tecnologia, Infraestrutura, Planejamento, Habitação, Comunicação e Fundação de Amparo à Pesquisa do Amapá (Fapeap). 

Startup20 Rio 

O segundo encontro do Startup20, em 2024, no Brasil, tem como sede a cidade do Rio de Janeiro, e ocorre no período até quinta-feira, 18, dentro do Web Summit Rio, que é um dos maiores eventos de tecnologia e inovação do mundo. O evento é organizado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) e reúne delegações dos países que fazem parte do G20. 

No Amapá, o Startup20 reuniu 19 delegações dos cinco continentes para tratar de assuntos sobre o desenvolvimento verde e sustentável, transições energéticas de acordo com a compreensão do potencial revolucionário da bioeconomia.  

Web Summit Rio 

Com expectativa de reunir cerca de 30 mil participantes, a segunda edição do Web Summit no Brasil ocorre no Centro de Convenções Riocentro, no Rio de Janeiro, e terá mais de 600 palestrantes. 

Considerado um dos maiores encontros de tecnologia e inovação do mundo, o evento vai reunir nomes importantes que vão da política até o setor tecnológico. Serão realizados debates em 18 trilhas temáticas. 

 

COP-27: Governadores da Amazônia Legal pedem a Lula nova cooperação com o governo brasileiro

Bloco regional apresentou a Carta dos Governadores pela Amazônia ao presidente eleito, em busca de fortalecer as políticas de desenvolvimento sustentável.

Em busca de uma nova cooperação com o governo brasileiro, o Consórcio da Amazônia Legal apresentou ao presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, a Carta dos Governadores Pela Amazônia, nesta quarta-feira, 16.

Por delegação do presidente do consórcio, Waldez Góes, a cerimônia foi presidida pelo governador do Pará, Helder Barbalho, durante a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP-27), que acontece no Egito.

No documento, o bloco regional propõe fortalecer as políticas de desenvolvimento socioeconômico e de preservação do meio ambiente nos nove estados que compõem o Consórcio.

Os nove governadores afirmam que o modelo de desenvolvimento vigente trouxe o custo de ser ambientalmente devastador e socialmente excludente. Mudar isso, diz a Carta, requer uma nova cooperação entre a Amazônia legal e o Governo Federal, orientada pela ciência, pela estabilidade e reforço institucional e impulsionada pela determinação e pela vontade política de ambas as partes.

Barbalho detalhou que, diante do novo quadro político resultante das eleições de 2022, o Consórcio expressa disposição para construir uma relação eficaz com o Governo Federal e ampliar o diálogo com a comunidade internacional.

“A urgência colocada pela emergência climática exige, igualmente, urgência na busca de soluções. Esse imperativo requer um diálogo com a comunidade internacional, com vistas a estruturar parcerias mais eficazes, bem como a observância dos princípios e o cumprimento dos compromissos assumidos na COP e no Acordo de Paris”, apresentou Barbalho.

Em nome do Consórcio, o governador do Pará também solicitou que a COP de 2025 aconteça na Amazônia.

“O mundo precisa vivenciar as nossas riquezas e nossos saberes para que juntos possamos trabalhar para manter a floresta em pé!”, apresentou Barbalho.

LEIA A CARTA AQUI

Na sua fala, Lula disse que assinaria a carta sem reparos e se comprometeu a estabelecer o diálogo entre o governo federal, os Estados e os municípios.

“É preciso dar aos Estados e aos municípios as condições de cumprir as obrigações constitucionais”, pontuou.

Protagonismo da Amazônia

Nos últimos quatro anos, período que coincide com a formalização do Consórcio, os estados da Amazônia Legal alcançaram um nível de capacidade de relacionamento com organismos internacionais, com a sociedade civil, com instituições financeiras e até mesmo entre si. Na Carta, os governadores pedem o incentivo do governo federal a essa integração para que não haja retrocesso.

Além de Lula e Helder, participaram da solenidade os governadores Gladson Cameli (AC), Mauro Mendes (MT) e Wanderlei Barbosa (TO). Integrante da comitiva de Lula, a governadora Fátima Bezerra (RN) também esteve presente, além da futura primeira-dama, Rosângela Silva, a Janja, senadores, deputados federais e estaduais e secretários de estado.

Amapá na COP-27

O Governo do Amapá, durante a COP-27 já firmou acordo com a Emergent no valor de R$800 milhões em compensações ambientais, tornando o Amapá o 1º estado brasileiro a adotar esta iniciativa para recompensar financeiramente os esforços na redução de emissão de gases e desmatamento.

O Amapá também apresentou os resultados do projeto Amazônia +10, que fomenta a produção de pesquisas científicas, com a realização de uma chamada pública com 152 propostas e a criação do Amaparque, uma área de cerca de 6,5 mil hectares, de conservação para lazer, práticas esportivas e contemplação da natureza, tornando-se o maior parque metropolitano do mundo.

https://www.amapa.gov.br/noticia/1611/cop-27-governadores-da-amazonia-legal-pedem-a-lula-nova-cooperacao-com-o-governo-brasileiro

Uma Paulista Chamada Avenida


Republicando

Meio clichê e turistão. Mas sempre um dicão 

Em São Paulo, tire um dia inteiro pra caminhar na avenida Paulista. 

Opção para todos os gostos e bolsos. Cultura, gastronomia, compras de Shopping, artesanato, antiguidades, quinquilharias chinesas e contrabando bem na cara do capital. 

Na área tem tudo de muito. Livrarias, como a maravilhosa e imensa livraria Cultura. Teatros. Centros culturais. Vários cinemas. Feiras de antiguidade e de artesanato. 

Escolha o que mais gosta,  e entre em alguns desses lugares porque é quase impossível entrar em todos. Na bela Casa das Rosas. Na Reserva Cultural. No icônico MASP. No Novo Sesc Paulista e seu mirante . Itau Cultural, Centro Cultural FIESP e tantos outros. 

Casa das Rosas. Literatura e rosas

Tomar café, chopp ou fazer um lanche? Tem os melhores. Inclusive o estrelado pastel de feira da Maria. Um dos queridinhos de São Paulo. Que deu um passo a mais: da feira da Pacaembú para o coração da Paulista. 

Mas se quiser jantar ou almoçar muito bem, vá aos arredores, como a alameda Santos, paralela à Paulista , ou outras mil coisas na região . 

Eu e a amiga Leda, no descolado Spot

Aos domingos a Paulista é apenas sensacional. Fica fechada o dia inteiro para carros. A avenida é das pessoas. 

Música de rua. Dança. Artes de todos os tipos. De maneira organizada. (Um músico não atrapalha o outro) 

A Paulista fechada aos domingos foi obra de Fernando Haddad quando prefeito de São Paulo. Depois copiada pelo prefeito de Paris, que passou a fechar a Champs Elisès aos domingos também. 

Reka e Rafael no domingo da Paulista

 

Como diz o Premeditando o Breque em uma canção. “É tão bonito andar na cidade, de São Paulo”. 

Na Paulista então, é o melhor rolê aleatório para todas as tribos. 

Rolê com o sobrinho Marcelino Tithé

Vá. O destino é somente andar na Paulista. O resto vem! 

Teve o celular roubado? Veja como proteger acesso a apps de bancos

Especialistas em segurança mostram como evitar prejuízos no banco em caso de roubo do celular

*Por Darlan Alvarenga e Renata Baptista, g1

Quadrilhas têm conseguido acessar aplicativos de aparelhos desbloqueados para fazer transferências bancárias indevidas. Veja dicas de segurança para proteger senhas e dados pessoais e orientações sobre o que fazer se o smartphone for roubado ou furtado.

https://g1.globo.com/economia/noticia/2022/05/10/teve-o-celular-roubado-veja-como-proteger-acesso-a-apps-de-bancos.ghtml?utm_source=share-universal&utm_medium=share-bar-app&utm_campaign=materias

Davi Alcolumbre é o lider do União Brasil no senado

Davi Alcolumbre

O amapaense Davi Alcolumbre (AP) é o líder do União Brasil no Senado. O parlamentar foi escolhido pelos colegas e será o primeiro líder a representar o novo partido, que se formou após a fusão, em fevereiro, do Democratas e PSL. De perfil pacificador, Alcolumbre garante que sua gestão será pautada, como sempre, no diálogo, na conciliação e na boa convivência com os colegas. “Recebo essa nova missão com muito orgulho e ciente da responsabilidade que é representar meus colegas no Senado Federal. Como sempre, estarei aberto ao diálogo com todos para decidirmos, juntos, o que é melhor para nosso partido”, disse o senador.

O União Brasil conta, agora, com oito senadores, tornando-se a quarta maior bancada da Casa. Segundo Davi Alcolumbre, o principal desafio do Legislativo, neste momento, é focar em pautas que promovam o desenvolvimento econômico, ajudando as famílias a saírem da crise agravada pela pandemia da Covid-19. “Nosso foco na liderança será orientar, trabalhar e lutar pelas pautas que sejam fundamentais para o crescimento do Brasil. Temos vivido momentos de grave crise econômica. Estados e municípios estão passando por grandes dificuldades e é nosso papel, como parlamentares, lutarmos pela recuperação da nossa economia”, disse.

Davi Alcolumbre, que já foi presidente do Senado no biênio 2019-2020, também é presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), uma das mais importantes da Casa. Sua condução à frente do colegiado tem sido marcada pela maneira democrática ao ouvir tanto a base do governo quanto a oposição. “Meu perfil é de sempre ouvir todos os lados para tomarmos a melhor decisão e de forma democrática. Sempre. Nosso bloco está unido e com senadores fortemente compromissados com o futuro do Brasil”, destacou o líder do União.

Brasileiros que viveram no exílio no Chile, irão a posse de Boric. Capi é um deles

Com a ditadura militar, vários políticos do Brasil seguiram para Santiago, onde viveram até a queda de Salvador Allende

Do Blog do Noblat

Brasileiros que enfrentaram a ditadura a partir do golpe de 1964 e que viveram exilados no Chile, do então presidente Salvador Allende, retornarão a Santiago para acompanhar a posse de Gabriel Boric, o ex-líder estudantil de esquerda, que venceu as eleições naquele país.

O ex-senador João Capiberibe, filiado ao PSB, é um deles. Perseguido pelo regime militar, ele se exilou no Chile, onde nasceram seus filhos gêmeos, um casal. Um deles é o atual deputado federal e também ex-governador do Amapá Camilo Capiberibe.

João Capiberibe contou ao Blog do Noblat que irá comparecer à posse de Boric com sua família. Outros brasileiros se organizam para acompanhar o evento naquele país.

Quem também viveu no exílio no Chile foram Cesar Maia e José Serra, que casou com uma chilena e também teve dois filhos. Maia, como Capiberibe, tem um casal de gêmeos nascido no Chile. Um deles é o ex-deputado Rodrigo Maia, que presidiu da Câmara dos Deputados.

Crédito – Blog do Noblat

https://www.metropoles.com/blog-do-noblat/brasileiros-que-viveram-exilio-no-chile-irao-a-posse-de-boric

 

Eleições 2022: TSE e WhatsApp discutem medidas para enfrentamento da desinformação

Parceria prevê auxílio do aplicativo de mensagens na comunicação com os eleitores, além de facilitar o acesso a serviços da Justiça Eleitoral

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, reuniu-se nesta quinta-feira (27) com o chefe do WhatsApp, Will Cathcart, para debater as ações que serão implementadas pelo aplicativo de mensagens para combater notícias falsas e apoiar o processo eleitoral no Brasil para as Eleições 2022. Na ocasião, além do reconhecimento da importância da parceria e do constante diálogo com a autoridade eleitoral brasileira, foram tratados pontos específicos do programa de combate à desinformação, que conta com a colaboração do WhatsApp desde 2019.

A parceria entre TSE e WhatsApp prevê o desenvolvimento do assistente virtual (chatbot) oficial do TSE no aplicativo de mensagens, que auxiliará a instituição na comunicação com os eleitores, além de facilitar o acesso a serviços da Justiça Eleitoral, como consulta ao local de votação e acesso a informações sobre candidatos. Um canal de denúncias será criado para apontar contas de WhatsApp suspeitas de realizar disparos em massa, o que não é permitido na legislação eleitoral e nos Termos de Serviço do aplicativo.

Como parte dos esforços para a preparação das eleições, o WhatsApp também realizará sessões de diálogo e oferecerá cursos de capacitação para servidores dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) sobre o combate à desinformação na plataforma além dos canais e mecanismos de colaboração colocados à disposição da Justiça Eleitoral para facilitar o processo de comunicação com as autoridades. Na conversa, o WhatsApp também informou que não implementará novas funcionalidades no Brasil que possam impactar de forma significativa o uso da plataforma até o fim das eleições.

Após a reunião, o ministro Luís Roberto Barroso declarou: “Tive uma conversa boa e construtiva com o chefe do WhatsApp, Will Cathcart, a propósito da importância da plataforma nas eleições brasileiras e os compromissos que precisamos ter para minimizar a desinformação e os ataques antidemocráticos. Embora algum grau de regulação estatal seja inevitável, o modelo ideal deve partir de medidas concretas e políticas das próprias plataformas. Isso pode ser feito mediante regras claras e transparentes nos seus termos de uso e serviços, como também por meio de parcerias com os órgãos públicos, quando necessário. O acordo do WhatsApp com o TSE visa justamente proteger a democracia contra comportamentos inautênticos, mas sem restrição indevida ao debate público e à liberdade de expressão”.

Sobre a reunião, o chefe do WhatsApp afirmou: “O programa de enfrentamento à desinformação do TSE é reconhecido internacionalmente como um exemplo na proteção de processos eleitorais. No WhatsApp, compartilhamos desse compromisso e teremos um engajamento constante e ativo com autoridades, sociedade civil, imprensa e checadores de fatos para trabalharmos juntos no combate à desinformação. Nós acreditamos firmemente em proteger a privacidade das conversas das pessoas e acreditamos em mudanças cuidadosas como limites para o encaminhamento de mensagens, que desencorajam a desinformação ao mesmo tempo que respeitam a privacidade. Nós manteremos as medidas efetivas que tomamos e não estamos planejando nenhuma mudança significativa para o WhatsApp no Brasil durante o período eleitoral”.

A parceria entre o TSE e o WhatsApp faz parte do Programa de Enfrentamento à Desinformação do Tribunal, que se tornou permanente em agosto de 2021 para assegurar a perenidade dos esforços de enfrentamento dos desafios complexos apresentados pelo fenômeno da desinformação. Em 2020, a autoridade eleitoral e o WhatsApp já haviam firmado uma parceria inédita que apresentou resultados muito positivos para a integridade do processo eleitoral.

https://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2022/Janeiro/eleicoes-2022-tse-e-whatsapp-discutem-medidas-para-enfrentamento-da-desinformacao

BC: População pode consultar e solicitar valores ‘esquecidos’ em bancos

O Banco Central informou que está disponível a partir desta segunda-feira (24) o serviço “Valores a Receber”, sistema que permite que cidadãos e empresas consultem se têm algum dinheiro “esquecido” a receber em bancos e demais entidades do sistema financeiro.

A consulta pode ser feita na página “Minha Vida Financeira”, dentro do site do BC, apenas usando o CPF ou CNPJ da empresa. Segundo o BC, as informações disponibilizadas no novo serviço são de responsabilidade das próprias instituições, mas o órgão estima que há cerca de R$ 8 bilhões de recursos nesta condição.

O “Brasil profundo” produz, quer paz e precisa de soma em sua defesa. A AJD esteve nesse profundo esses dias

A Associação Juízes para a Democracia – AJD, esteve esses dias no estado de Rondônia, mas precisamente na terra indígena dos Suruí, de Txai, a que denunciou as tentativas de agressão  ao seu povo e sua terra, recentemente na COP-26, e no acampamento de pequenos agricultores que precisaram recorrer a justiça em busca de PAZ para produzir, vejam só, alimentos.

A AJD foi representada pelo juiz do Trabalho do Amapá, Jônatas Andrade, que recentemente esteve na aldeia Aramirã, na terra indígena Wajãpi, no meião do estado do Amapá.

A primeira parada desse justo observatório, foi no acampamento Tiago Campin, em Nova Mutum (RO).

E por causa de quê? Lá, a  AJD entrou com um HC Coletivo, pois a polícia de Rondonia  estava fazendo despejo ilegalmente na pandemia. O STF mandou suspender o despejo. O governador  do estado, por coincidência, bolsonarista, foi intimado a prestar informações e retirou a polícia. Os camponeses retornaram para a área recomeçaram a vida e o plantio.

 

Reunião em Rondonia

A segunda “parada” foi na Terra Suruí, onde o Cacique Almir Suruí agradeceu a solidariedade e acompanhamento da AJD nesse momento em que passam por ameaças

A jovem indigena Txai Suruí,  folha do cacique Almir, discursou recentemente na abertura da COP26, Conferencia do Clima  das Nações Unidas, onde denunciou a “gerência do Brasil” pelo tratamento e ameaças aos povos indígenas do país. Txai foi criticada pelo presidente Jair Bolsonaro, ameaçada e sofreu ataques digitais.

O juiz Jônatas Andrade e o cacique Almir, com uma “bebê” Samauma, de apenas 7 anos

Todo valor que os Suruí arrecadam com compensações de carbono, aplicam no reflorestamento da terra Suruí e em projetos sustentáveis.

Podemos seguir aprendendo com eles, já que chegamos até aqui por causa da resistência secular dos indígenas.

E o café, pessoal? 

Seguinte. Os brancos plantaram café quando grilaram as terras dos Suruís. Após a demarcação, quando as terras voltaram aos indígenas, eles passaram a cultivar o café. E um café PREMIADO.

Hoje eles tem uma parceria com a empresa “3 Corações”. Produzem, agregam valor (e que valor) e o café “Tribos”, projeto dos próprios indígenas, está em pontos de venda, com qualidade, Brasil à fora.

Segundo o juiz Jônatas, é o melhor café que ele já tomou. (inclusive esta que vos posta, já quer também).

 

Jôntatas Andrade, disse ao blog que:

“O povo Suruí tem uma mensagem de esperança, de conservação, de recuperação da degradação, de uso da tecnologia e da ciência para preservação de sua cultura e da vida. Estão construindo uma universidade em parceria com a Unicamp, monitorando sua terra, recuperando áreas degradadas, investindo as compensações de carbono nessas atividades, fazendo parcerias para a sustentabilidade dos seus produtivos, da sua cultura e da vida!”

A frase “Tudo Indio, Tudo Parente”, da canção do amazônida Nilson Chaves, não precisa de mais nada.

Ou precisa de tudo. Porque respeito, defesa ou combate, também é tudo! E sempre necessário!

Sobre a premiação do café leia mais aqui https://g1.globo.com/google/amp/ro/rondonia/rondonia-rural/noticia/2021/12/04/indigenas-de-ro-sao-premiados-por-produzirem-os-melhores-cafes-robustas-amazonicos.ghtml

Tecnologia para redes sociais: Facebook apresenta o Ray-Ban Stories, óculos inteligentes com câmera

O Facebook apresentou, nesta semana, o Ray-Ban Stories, óculos inteligentes que capturam fotos e vídeos, permitem ouvir música e receber ligações.

O Ray-Ban Stories custa a partir de 299 dólares (Crédito: Divulgação / Facebook)

O Ray-Ban Stories é emparelhado no aplicativo Facebook View, do iOS e Android. São 20 estilos dos óculos com alguns dos modelos Ray-Ban mais icônicos, como e Wayfarer/Wayfarer Large, Round e Meteor; cinco opções de cores e uma gama de lentes, incluindo transparente, sol, Transition e de prescrição.

O acessório custa a partir de US$ 299 e pode ser encontrado em lojas online ou de varejo dos Estados Unidos, Austrália, Canadá, Irlanda, Itália e Reino Unido.

https://www.istoedinheiro.com.br/facebook-apresenta-o-ray-ban-stories-oculos-inteligentes-com-camera/

“Conhecerás a mentira e a mentira te aprisionará”, diz Barroso a Jair Bolsonaro

Em resposta a Jair Bolsonaro, o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, criticou o uso da máquina pública para a divulgação de notícias falsas e disseminação de discursos de ódio ao longo dos últimos dois meses.

 

 

“De fato, o voto é elemento essencial da democracia representativa. Outro elemento fundamental é o debate público permanente e de qualidade, que permite que todos os cidadãos recebam informações corretas, formem a sua opinião e apresentem livremente os seus argumentos”, disse Barroso.

“Quando esse debate é contaminado por discursos de ódio, campanhas de desinformação e teorias conspiratórias infundadas, a democracia é aviltada. O slogan para o momento brasileiro, ao contrário do propalado, parece ser: ‘conhecerás a mentira e a mentira te aprisionará’”, afirmou o presidente do TSE, em referência ao trecho bíblico que é constantemente citado por Jair Bolsonaro a seus apoiadores.

“Se tentam invadir o STF, imaginem o que não fariam com as sessões eleitorais”, declarou Barroso.

https://www.oantagonista.com/brasil/conheceras-a-mentira-e-a-mentira-te-aprisionara-diz-barroso-a-jair-bolsonaro/amp/