Com foco no sustentável, Governo do Amapá inicia projeto ‘Horta é Vida’, no residencial Macapaba

Iniciativa poderá atender até 2,5 mil famílias. Ação é promovida em parceria com associação de moradores do residencial.

O Governo do Amapá, em parceria com a Associação de Moradores do Macapaba, na Zona Norte de Macapá, deu início ao projeto “Horta é Vida”, envolvendo famílias do local na produção de alimentos mais saudáveis e acessíveis. A iniciativa busca impulsionar a formação, capacitação e a sustentabilidade dentro do habitacional.

A horta comunitária será construída em uma área de aproximadamente 2 hectares, que atualmente está abandonada e serve como lixeira dentro do residencial.

Segundo a secretária da Habitação do Amapá, Mônica Dias, a ideia surgiu a partir do levantamento social realizado pela equipe do Plantão Social do Macapaba junto aos moradores. Após a reunião das maiores economias do mundo, durante o Startup20, em fevereiro, a temática ambiental se tornou mais forte ainda, motivando o projeto. O obejtivo é envolver a comunidade nos debates e ações a favor do meio ambiente.

“São temas que trazem de volta à tona a preservação, a sustentabilidade, e é para onde todos devemos caminhar. No mundo corrido, tornou-se um verdadeiro desafio, por exemplo, o fornecimento de alimentos saudáveis. Estudos apontam que o ritmo cada vez mais acelerado do consumo nos leva perigosamente aos limites do planeta, dessa forma nasce o projeto agroecológico Horta é Vida, que será desenvolvido sem uso de defensivos agrícolas e produtos químicos. A ideia do projeto dentro do residencial Macapaba, que será o pioneiro desta edição”, explica a secretária.

Equipes do Instituto de Extensão, Assistência e Desenvolvimento Rural do Amapá (Rurap) e as Secretaria da Habitação (Sehab), Transportes (Setrap), Infraestrutura (Seinf), do Meio Ambiente (Sema) e empresa Hibryda Consultoria, realizaram uma visita técnica ao local onde será desenvolvido o projeto. Segundo o diretor-presidente do Rurap, Dorival Santos, serão ministrados cursos e oficinas sobre técnicas de plantio e manipulação de cultivos.

“São atividades que vão além de capacitação dos moradores, mas que envolve também o processo de manutenção e cuidados com a horta, o que gera a promoção da sustentabilidade e senso comunitário, além de que daqui também podem nascer novas ideias de negócios”, frisou o gestor.

No local serão cultivados inicialmente legumes e hortaliças. De acordo com a coordenadora do Plantão Social do Macapaba, Gleice Barbosa, o projeto agroecológico busca atender inicialmente em torno de 30% dos moradores.

“O projeto traz muitos benefícios coletivos, além de dar vida ao local onde será feito o cultivo, a horta proporciona bem-estar social, aproxima os moradores e eleva a qualidade de vida. Esperamos atender uma média de 2,5 mil famílias”, destacou.

Sustentabilidade e responsabilidade social: TJAP instala pontos para coleta de garrafas PET nos Fóruns de Macapá e Santana


O Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amapá (Sebrae/AP), instalou, na quarta-feira (11), mais dois EcoPontos de coleta de garrafas PET, nos Fóruns de Macapá e Santana. A iniciativa expandiu o Programa TJAP Responsável, iniciado em 2019. A sede do Poder Judiciário já possui um coletor. A parceria com o Sebrae/AP consiste em política pública de sustentabilidade. Todo o resíduo PET produzido pelas unidades judiciárias será encaminhado para a coleta seletiva deste material para associações que trabalham com reciclagem. Com isso, o Poder Judiciário promove inclusão, cidadania e auxilia a na geração de emprego e renda para a sociedade. A inauguração dos coletores contou com a presença do Presidente do TJAP, Desembargador Adão Carvalho.

A ação do TJAP conta com o trabalho da Comissão Gestora de Responsabilidade Socioambiental, coordenada pelo desembargador Gilberto Pinheiro. A iniciativa fortalece a atuação socioambiental, alinhado com o Planejamento Estratégico 2021-2026 da Justiça Estadual e atende a Resolução Nº 400/2021 do Conselho Nacional de Justiça, que orienta a execução de práticas de gestão sustentável, racionalização e consumo consciente.

O presidente da Associação de Assistência a Dependentes Químicos “Mulher Virtuosa”, Marinaldo dos Santos, agradeceu a expansão do Programa TJAP Responsável. Ele dirige uma das entidades que recebe o material coletado e produz vassouras com as garrafas PET, o que resulta em emprego, renda e reinserção social das pessoas atendidas pela instituição.

“Trabalhamos com mulheres dependentes químicas e essa parceria entre TJAP e Sebrae ajuda na aquisição de material para que elas trabalhem e fabricarem vassouras. Isso ajuda na recuperação e reintegração social, além de captação de renda, para este público. Agradecemos a ação do Poder Judiciário em expandir a coleta seletiva”, pontuou o Marinaldo dos Santos.

O presidente do Conselho Deliberativo, Josiel Alcolumbre, afirmou que a expansão do Programa ajuda a diminuir o impacto ambiental e reforça o compromisso social do órgão que ele dirige, juntamente com o Poder Judiciário.

“Parabéns ao presidente do TJAP, não somente por dar continuidade a essa política pública de sustentabilidade e responsabilidade social, mas também parabenizo o desembargador Adão Carvalho por expandir esse importante programa. Os Ecopontos diminuem o impacto do lixo do meio ambiente e ajudam os empreendedores a ter uma renda, o que melhora a qualidade de vida dessas pessoas. Estamos muito satisfeitos em fortalecer a relação com o Judiciário de poder fazer parte desse momento”, destacou Josiel Alcolumbre.

Nas duas instalações, o presidente do TJAP falou da importância da iniciativa, agradeceu ao Sebrae/AP pelo trabalho conjunto e pediu a contribuição de magistrados e serventuários do Poder Judiciário para o sucesso da coleta seletiva.

“Ficamos felizes em expandir essa coleta seletiva aos Fóruns de Macapá e Santana.Agradecemos a parceria do Sebrae/AP, pois essa cooperação promove sustentabilidade, descarte responsável de resíduos, gera renda para as associações e pessoas que trabalham na fabricação dos objetos com os resíduos. Ganha a sociedade e o meio ambiente. Faremos um ampla divulgação para que magistrados e servidores tragam suas garrafas pets de casa, além das que foram usadas no ambiente profissional, para contribuir com a arrecadação. Também peço a todos que compõem o Judiciário, que comprem os produtos feitos com os pets (vassouras, por exemplo), para ajudar os cidadãos que fazem dos objetos fabricados seu ofício para sustento”, frisou o desembargador Adão Carvalho.

Participaram das instalações o diretor do Fórum de Macapá, juiz Ernesto Collares, os magistrados que atuam no Fórum de Santana, Carline Nunes (que representou a Diretoria da unidade), Eliana Pingarilho e Diogo Sobral, além de serventuários.

Pelo Sebrae/Ap, estiverem presentes também nas instalações, a diretora-superintendente, Alcilene Cavalcante e o diretor de administração e finanças, Marcell Harb Houat, além de técnicos da instituição.

Secretaria de Comunicação do TJAP