Estudantes participam do projeto “Rapunzel Solidária” para doação de cabelo

O projeto é executado em parceria com o Instituto de Prevenção do Câncer Joel Magalhães e a Associação de Mulheres Ribeirinhas e Vítimas de Escalpelamento do Amapá.

Para incentivar o voluntariado e ação social entre os estudantes, a Escola de Gestão Compartilhada Militar Risalva Freitas do Amaral iniciou o projeto “Rapunzel Solidária”.

A iniciativa visa estimular os alunos na doação de cabelo para confecção de perucas, que serão destinadas às vítimas de escalpelamento e câncer.

O projeto é executado em parceria com o Instituto de Prevenção do Câncer Joel Magalhães (Ijoma) e a Associação de Mulheres Ribeirinhas e Vítimas de Escalpelamento do Amapá.

A ideia surgiu com as estudantes Maria Fernanda Figueiredo, 8º ano, e Danielly Luiza Araújo, 1º ano, elas decidiram realizar a doação e comunicaram a escola, que resolveu abraçar a causa e lançar o projeto “Rapunzel Solidária”. As alunas foram apresentadas para toda a comunidade escolar e reconhecidas publicamente pela atitude louvável.

Maria Fernanda fala da maravilhosa sensação de alegria em poder compartilhar seu longo cabelo com quem precisa.

“Me sinto muito feliz, sempre quis ajudar as pessoas de alguma maneira, e doar meu cabelo está sendo uma delas. Sei que muita gente que sofreu acidentes ou está doente precisa melhorar sua autoestima e essa atitude ajuda muito”, disse Fernanda.

Para Danielly Araújo é muito importante praticar o voluntariado nessa ação e adquirir novos hábitos para a vida.

“Decidi fazer parte do projeto, porque além de ajudar pessoas que precisam, sei que meu cabelo sempre vai crescer e vou poder continuar ajudando. Espero que ele fique grande logo para ajudar mais”, disse Danielly.

Segundo Maria Trindade, presidente da Associação De Mulheres Ribeirinhas e Vítimas de Escalpelamento do Amapá, a iniciativa é um exemplo de solidariedade e adesão à causa social.

“Esse trabalho é de extrema importância para que as crianças e jovens tenham a consciência da importância de realizar essa doação, promovendo a solidariedade dentro da escola e mudando a vida de muita gente”, completou Maria Trindade.

O projeto funciona de forma voluntária e qualquer estudante da instituição pode participar, após a autorização dos pais ou responsável, a doação é realizada na própria instituição.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/1105/estudantes-participam-do-projeto-ldquo-rapunzel-solidaria-rdquo-para-doacao-de-cabelo

Ação Social: ‘Movimento Reggae Pela Vida’ entrega alimentos para comunidade do Rio Vila Nova, no município de Santana

Através de uma ação social, o ‘Movimento Reggae Pela Vida’ (RPV) fez a entrega de alimentos no último sábado, 11 , para a comunidade do Rio Vila Nova, no município de Santana. A programação contou também com atividades lúdicas para as crianças e doação de roupas.

O idealizador da iniciativa, Victor Hugo conta que para a realização do evento e a doação dos alimentos, contou principalmente com a ajuda dos familiares e amigos que foram peças principais e que acreditaram na ajuda ao próximo como resultado.

“Essa foi apenas a primeira ação que o RPV fez a escola, ainda virão outras ações para a comunidade e a escola EMEB Foz Rio Vila nova, nossa intenção é abraçar a escola e acreditamos que podemos colaborar muito mais. Estamos planejando atividades de apresentação de vídeos, contação de história, implantação de cultura através de pinturas, além da doação de alimentos e brinquedos”, complementa Victor Hugo.


Edna Pacheco, diretora da escola, recebeu o grupo MPV e falou que se sentiu muito gratificada com a ação, pois a comunidade não recebe esse tipo de ações.

“A presença desse movimento foi fundamental! momentos de lazer, principalmente, para as crianças, pois a maioria delas são ribeirinhas e muito carentes de eventos culturais, no qual elas possam interagir. As Famílias ficaram muito felizes em receber as doações, nesse momento ainda de pandemia os alimentos foram recebidos com muita gratidão. Foi um momento único para todos aqui”, finaliza Edna.

Os alimentos doados para a comunidade, foram arrecadados como ingresso + o valor de R$10 para entrada no evento de reggae realizado pelo Movimento Reggae Pela Vida no último domingo (05), no espaço Casa Viva, localizado no centro de Macapá.

Na escola onde foi feita a entrega, o Movimento Reggae Pela Vida, encontraram o aluno destaque, que tem notas boas, dedicação, presença assídua nas aulas (mesmo durante as aulas onlines), que faz todas as atividades e bom comportamento, o RPV pretende fazer uma vaquinha para presentear o aluno destaque. O presente será uma forma para incentivar outros alunos para serem destaques nas escolas, estudando e indo sempre pelo melhor caminho, para colher bons frutos no futuro.

 

Movimento Reggae Pela Vida

Campanha da CUFA: “Natal de Afeto por Elas”

 

A Central Única das Favelas – AP convida você para participar dessa rede de afeto e cuidado com as mulheres chefes de família da periferia, fazendo a doação de brinquedos, alimentos e produtos de higiene que serão destinados às mulheres que fazem farte do Projeto ‘Mães da Favela’ atendidas nos polos da CUFA em Macapá e Santana.

Contato para mais informações Redes Sociais da CUFA AMAPÁ

CAU realiza Capacitação em Assistência Técnica em Habitação de Interesse Social – ATHIS

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Amapá (CAU/AP), promove, nesta quinta-feira (9), o curso de capacitação em ATHIS 2021. O evento tem como objetivo estimular e preparar profissionais e estudantes de Arquitetura e Urbanismo para superar as condições precárias de habitação no país e garantir o direito à cidade e à moradia digna através da universalização do acesso a serviços de Arquitetura e Urbanismo.

O evento ocorrerá no Museu Sacaca, das 9h às 17h, e contará com uma extensa programação composta por oficinas, exposições, rodas de conversa e intervenções elaboradas e coordenadas pela Associação Cultural Amazônica Boi Marronzinho.

Boi Marronzinho
É uma instituição sem fins lucrativos, dedicada a atividades socioculturais e educativas. Realiza suas atividades
em uma comunidade periférica de Belém do Pará.

De acordo com o presidente do CAU Amapá, Welton Barreiro, a instituição entende a Assistência Técnica em Habitação de Interesse Social um direito fundamental do cidadão, assim como saúde e educação.

“Trata-se da qualidade de vida da população, não apenas em sua residência, mas na cidade como um todo. O Brasil possui desde 2008 uma Lei que garante às famílias de baixa renda o acesso gratuito ao trabalho técnico de profissionais especializados, mas a legislação ainda é pouco aplicada Brasil afora. Por isso, para estimular cada vez mais ações nesta área, realizamos anualmente a Capacitação em ATHIS”, frisou o presidente.

*Serviço*
Capacitação em Assistência Técnica em Habilitação de Interesse Social

Data: 9/12/21 (quinta-feira)
Hora: 9h

Juliana Rodrigues

_Assessora de Comunicação_
Contato: 981155978

Perucas de cabelos naturais ajudam a resgatar a autoestima de mulheres vítimas de escalpelamento

“Sofri o acidente no dia 18 de agosto de 1997, no rio Corre, no município de Breves (PA) quando tinha 20 anos. Estava voltando da festa, indo para casa e perdi todo meu cabelo e quase todo meu couro cabeludo. Desde então começou a minha luta com o espelho. Ele se tornou meu principal inimigo, demorei a me aceitar. Perdi meu símbolo como mulher, o meu cabelo”, relata Rosinete Serrão, fundadora do Projeto Movimento Rosas.

Rosinete faz parte da estatística de mais de 167 mulheres vítimas de escalpelamento no Amapá. A história de trauma e dor sofrida no acidente de barco, que resultou na perda dos cabelos e parte do couro cabeludo teve um rumo diferente na vida da pedagoga. Ela incentiva mulheres da periferia do bairro Jardim Marco Zero a ganharem a sua autonomia financeira produzindo diversos artesanatos, com crochês, costuras, bordados de fitas em toalhas e bonecas.
Em 2009, começou a aprender ofício e de lá para cá, já se passaram 12 anos. Além de ser a criadora do “Movimento Rosas”, Rosinete sente-se realizada por confeccionar manualmente perucas que devolvem a autoestima de mulheres vítimas de escalpelamento e câncer no estado.

“Não conseguia sair na rua com a peruca sintética, depois que ganhei a primeira de cabelo natural, foi como se tivesse conquistado minha liberdade e autoestima novamente. Em 2009, fiz um curso pela Secretaria de Trabalho e Empreendedorismo, e hoje produzo em casa as perucas manualmente”, conta.
Mesmo não tendo máquina adequada para confeccionar as perucas, a pedagoga cobra um preço acessível na comercialização de modelos utilizando cabelos naturais. O Valor é somente para pagar o material, como linha e tela, pois os cabelos são doados.

Atualmente, Rosinete trabalha com o ‘Movimento Rosas” que é um projeto Itinerante que ajuda mulheres ribeirinhas em vulnerabilidade social.  Trata-se de uma organização não-governamental que presta apoio gratuito as mulheres que, assim como ela, viveram essa tragédia e precisam lidar com as sequelas físicas e psicológicas. Rosinete leva máquina de costuras portáteis aos  bairros e através de oficinas ensina mulheres a costurarem para que elas possam aprender um ofício e ganhar uma renda.

Escalpelamento

É um trauma que consiste na perda total ou parcial do couro cabeludo quando o mesmo é arrancado pelo motor da embarcação. Por questões culturais, sociais e ambientais, a ocorrência desse tipo de acidente é comum na região norte do Brasil, principalmente, relacionado com mulheres e o transporte fluvial por meio de barcos.

O Fotógrafo Erico Hiller mora em São Paulo e  está no Amapá para fotografar mulheres vítimas de escalpelamento.
Ele irá lançar um livro onde será mostrado a vida delas.

SOS Bailique: Prefeitura solicita apoio para atender as famílias do arquipélago

Além das medidas emergenciais adotadas, o prefeito Dr. Furlan solicitou apoio da Bancada Federal, Capitania do Portos, Exército e da Missão Diplomática de Israel.

As equipes da Prefeitura de Macapá continuam com a distribuição de água potável às comunidades do Bailique afetadas pelo avanço do oceano sobre o rio que banha o arquipélago. Além das medidas emergenciais, nesta quinta-feira (21) a gestão iniciou tratativas para conseguir apoio na aquisição de usinas de dessalinização e reforço na distribuição de água e alimentos.

A ajuda humanitária começou a ser enviada na sexta-feira (15), após o decreto municipal de situação de emergência. Uma grande força-tarefa foi montada com os servidores da Prefeitura para o carregamento das embarcações no Canal do Jandiá.


Até esta quinta-feira, mais de 300 famílias já receberam 15 fardos de água, totalizando inicialmente 115 litros por casa. Ao todo, foram enviados 13.100 fardos de água, que totalizam 117 mil litros. 12 mil fardos foram adquiridos com recursos do Fundo Municipal de Assistência Social e 1.100 são fruto de doação da campanha SOS Bailique liderada pela Secretaria Municipal de Mobilização e Participação Popular (Semmopp).

Os interessados em ajudar na campanha SOS Bailique podem entregar água mineral na Semmopp, que fica localizada no prédio da Prefeitura de Macapá, na Avenida FAB. O ponto de coleta funciona 24h.

Articulação

A rede de apoio aos moradores do Bailique que sofrem com a água salgada nas torneiras tem sido construída com investimentos da gestão municipal e a solidariedade da população. Para reforçar o trabalho e intensificar a busca por soluções permanentes, o prefeito Dr. Furlan enviou ofícios pedindo apoio externo.

A Daniel Zonshine, chefe da Missão Diplomática de Israel no Brasil, a Prefeitura manifestou interesse na aquisição de usinas de dessalinização. O pedido tem como base os avanços do país nessa tecnologia, uma vez que 80% da água potável consumida pela população israelense é proveniente do mar.

À deputada federal Aline Gurgel, coordenadora da Bancada Federal, Macapá pediu ajuda com a articulação junto ao Ministério da Cidadania para apoio com água mineral e cestas básicas. Enquanto uma solução definitiva não for encontrada para amenizar o problema, esses recursos são finitos e precisam ser constantemente enviados às comunidades.

A Prefeitura também pediu via ofício que a Capitania dos Portos e o Exército Brasileiro enviem apoio para distribuição de suprimentos às vítimas do desastre em todo Bailique.

A ajuda humanitária da Prefeitura já chegou em 35 comunidades, sendo elas Bom amigo, Igarapé Grande, Santa Luzia, São Pedro, Igassaba, Capinal 2, Papagaio, Bom Sossego, Monte Carlos, Campos do Jordão, Deus é por nós, Equador, Maranata, Boa Esperança, Salmo 91, Retiro Canaã, Retiro Moraes, Monte Belo, Raiz do Campo, Igarapé Mutá, Retiro Vitória Régia, Retiro sempre com Deus, Arraiol, Livramento, Comunidade Santo Antônio, Comunidade Porquinhos, Ilha Vitória, Retiro Santa Tereza, Retiro Novo Paraíso, Rio Araguari, Retiro Caminhando com Deus, Igarapé São Benedito, Igarapé Bacuri, Bailique Grande e Ponta da Esperança.

Para garantir a distribuição ininterruptas de suprimentos, a Prefeitura mantém uma equipe no arquipélago composta por 50 servidores das secretarias de Mobilização, Assistência Social, Comunicação Social, Zeladoria Urbana, além da Defesa Civil e Guarda Civil Municipal.

“Nossas equipes têm sido incansáveis nessa frente de trabalho pelos nossos macapaenses do Bailique. Além da ajuda que chega emergencialmente, pedimos apoio para encontrar soluções a longo prazo para esta questão”, concluiu o prefeito Dr. Furlan.

Prefeitura Municipal de Macapá

http://www.macapa.ap.gov.br/

Governo monta força-tarefa para avaliar impactos de ventania em Vitória do Jari

 

 

O governador do Amapá, Waldez Góes, destacou uma força-tarefa do Estado para dar apoio à população da cidade de Vitória do Jari que foi atingida por fortes ventanias e intensas chuvas no fim da tarde desta segunda-feira, 18. Houve danos, como destelhamento, em algumas estruturas na sede do município.

A força-tarefa, formada por equipes da Defesa Civil e da Secretaria de Inclusão e Mobilização Social (Sims), chega à localidade, que fica no sul do Amapá, nesta terça-feira, 19, para trabalhar junto à Prefeitura de Vitória do Jari na análise dos danos.

Governo do Amapá leva água potável a famílias atingidas por salinização no arquipélago do Bailique


Balsa com suprimento de água parte do município de Santana para o distrito de Bailique nesta segunda-feira, 18.

Uma balsa abastecida com cerca de 100 mil litros de água potável parte nesta segunda-feira, 18, da área portuária do município de Santana rumo ao Bailique, arquipélago pertencente ao município de Macapá. Ao longo de três dias, serão 500 mil litros de água potável enviados pelo Governo do Amapá para as cerca de 8 mil famílias atingidas pela salinização causada pelo avanço do mar na região.

SAIBA MAIS: Governo planeja ações de assistência aos distritos de Bailique e Vila Velha do Cassiporé.

“Estamos trabalhando de forma integrada entre os diversos órgãos do Estado para garantir assistência efetiva a curto, médio e longo prazo para a população”, disse o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Wagner Coelho.

Além do carregamento imediato de água potável, o Governo também envia para a localidade uma Estação de Tratamento de Água para abastecer, de forma definitiva, as famílias atingidas pela salinização. A estrutura é capaz de produzir 10 mil litros do líquido potável por hora e será instalada em uma balsa que também receberá uma bomba de captação.

A logística da operação consiste em extrair água do Rio Amazonas em pontos próximos ao Bailique que ainda não foram atingidos pela salinização. Uma equipe da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) trabalha para que a instalação esteja completa na quinta-feira, 21, e a balsa parta para o arquipélago.

Terras Caídas

O avanço do mar sobre os leitos dos rios, causa da salinização da água na região e agravado pela estiagem deste ano, é monitorado pelas equipes do Governo do Estado junto de outro fenômeno: as “terras caídas”.

O fenômeno é caracterizado pela erosão das margens dos rios, que provoca o avanço de sedimentos para os leitos de água e o desmoronamento do solo, ameaçando também a integridade das edificações.

Desde 2015 um grupo de trabalho permanente é comandado pela Defesa Civil do Amapá, que junto de pesquisadores do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas (Iepa) e outras instituições, realizam estudos e prestam assistência à população da região afetada.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/1810/governo-leva-agua-potavel-a-familias-atingidas-por-salinizacao-no-arquipelago-do-bailique

Festival do Bem reúne artistas por causa social em Macapá

Em 11 de outubro, das 17h até 01h, a 1ª edição do Festival do Bem apresentará show dos artistas Karla Karvalho, Grupo Tudo Nosso, Thiago Dantas, DJ Ivan Serrão, Silmara Lobato e Taronga para arrecadar cestas básicas para famílias com necessidades financeiras. O evento acontecerá no restaurante Cunha’s Grill.

O Festival do Bem é uma iniciativa da jornalista Alyne Kaiser com três amigos ( que querem manter anonimato) que se juntaram para realizar o evento. Segundo kaiser muitas pessoas a procuram pedindo ajuda, e por muitos anos ela participou de vários eventos onde ajuda com cestas básicas, realizando eventos e festas para pessoas carentes.

“Tive a ideia devido muitas pessoas que me procuraram pedindo ajuda, dinheiro e mantimentos, eu então pensei em fazer algo, e conversando com amigos, resolvi fazer o evento, todos que estão participando de alguma forma estão colaborando. Esse período em que estamos passando precisamos mais do que nunca uns dos outros, precisamos ajudar as pessoas, acho que a grande lição desta pandemia é essa, dar valor a vida e as pessoas”, ressalta a jornalista.

O evento está recebendo apoio das empresas Thox Brasil e Bmídia Digital e Gráfica.

Serviço:

O primeiro promocional está por R$20 +1k de alimento não perecível. Pode ser adquirido nos posto de venda: Sorveteria Santa Clara, na rua Leopoldo Machado. Informações: (96) 98114-7325 / (96) 99111-1916.

Naufrágio na fronteira: Governo do Amapá monta em Oiapoque base de apoio e informações a famílias de brasileiros

 

O governador do Amapá, Waldez Góes, determinou o deslocamento de uma equipe do Governo do Estado à região da fronteira Oiapoque/Guiana Francesa para intercâmbio de informações oficiais e o estabelecimento de uma base de apoio às famílias de brasileiros que segundo relatos, estavam em uma embarcação que naufragou em território francês no sábado, 28 de agosto. Neste domingo, 5, a comitiva reuniu com autoridades francesas e brasileiras em Oiapoque.
Um ponto de acolhimento está sendo montado no Ciosp de Oiapoque para atender familiares e vítimas do acidente. O Governo do Amapá está oficializando o Governo Federal e os organismos diplomáticos brasileiro para a integração de esforços no âmbito de informações para a abertura de um canal de comunicação com as famílias sobre o andamento das operações por parte das autoridades guianenses.

Neste domingo, 5, uma comitiva do Estado se reuniu com autoridades do Centro de Cooperação Policial Franco-Brasileiro em busca de informações sobre embarcação e brasileiros desaparecidos.

“Vamos fazer o acolhimento das famílias e vítimas. Para isso, estamos em busca de informações oficiais com as autoridades francesas e vamos provocar os órgãos federais, de acordo com a competência de cada, para que tomem providências sobre este caso”, explicou o cooronel Wagner Coelho, comandante do Corpo de Bombeiros, que coordenou a comitiva do governo.
Além do comandante, a comitiva foi composta pela secretária de Inclusão e Mobilização Social, Albanize Colares, e o diretor da Agência Amapá, Wagner Costa. A equipe do Governo já retornou à capital.

De acordo com relatos, a embarcação que naufragou teria saído de Oiapoque no sábado, 28, com destino a Cayenne , na Guiana Francesa. No barco haveriam pelo menos 24 pessoas. As informações oficiais repassadas são de que uma sobrevivente foi encontrada pelos franceses, recebeu atendimento médico, passou pelos procedimentos legais, foi encaminhada à Polícia Federal para depoimento e depois liberada.
Sobre a possibilidade de mais sobreviventes mortos e desaparecidos, o Governo do Estado aguarda o compartilhamento das informações oficias que está solicitando.

Por se tratar de um acidente ocorrido na região francesa, toda a investigação será conduzida pela Polícia Nacional Francesa e no Brasil, pela Polícia Federal.

Prefeitura de Santana libera a lista dos aprovados do programa “Alimento na Mesa”. Veja a lista aqui

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (SEMASC), após um processo de estudo social das famílias que se inscreveram no programa Alimento na Mesa, que contou com o apoio do Ministério Público Estadual na fase de revisão nominal e documental dos contemplados, publicou nesta quinta-feira, 26 de agosto, a relação final dos aprovados no auxílio alimentação do município de Santana.
Veja  à lista final aqui:  https://drive.google.com/file/d/1KI_sz_qiGv3OhEyoFqSgl2R6pVpslv_D/view


O programa conta com R$ 4 milhões de reais de emenda parlamentar do deputado federal Luiz Carlos e R$ 1,2 milhão do senador Randolfe Rodrigues, sendo administrado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (SEMASC).