Sebrae e Governo apresentam Pavilhão de Bioeconomia do Startup20

Expositores conhecem estrutura física e as oportunidades de negócios do Pavilhão da Bioeconomia do maior evento de inovação e tecnologia do mundo

A superintendente do Sebrae, Alcilene Cavalcante, a diretora técnica, Suelem Amoras, e equipe da Unidade de Soluções Inovadoras (Unic), acompanhados da equipe do Governo do Estado (GEA) e da Associação Brasileira de Startups (ABStartup) apresentaram, na sede do Sebrae, nesta terça-feira (20), às 16h, o Pavilhão da Bioeconomia, aos expositores de produtos, serviços e startups do Amapá que participarão do Startup20. O evento acontece no período de 23 a 26 de fevereiro, na sede do Sebrae, com a presença de delegações de 19 países dos cinco continentes.

“A partir de sexta-feira, o Amapá irá sediar o encontro de Startups do G20. Vamos receber aproximadamente 400 representantes de diversos cantos do mundo, empresas nacionais, internacionais, autoridades com influência global e nacional, que estarão participando de debates sobre startup, inteligência artificial, ecossistemas e tecnologia”, declarou a superintendente Alcilene Cavalcante.

Pavilhão

Os expositores receberam informações sobre o evento e tiveram acesso a orientações para uso dos espaços. No Pavilhão, haverá 93 estandes para startups, empresas certificadas pelo Selo Amapá, empreendedores do ramo de artesanatos, empresas de manejo florestal e batedeiras de açaí.

Na ocasião, os expositores realizaram visita técnica à estrutura do Pavilhão de Bioeconomia instalada na sede do Sebrae. Entre os expositores, está Mapige Gemaque, grupo que reúne 18 artesãos que vão apresentar produções indígenas e quilombolas dos municípios de Oiapoque, Macapá e Mazagão.

BactoLac

A empresa BactoLac será uma das expositoras no evento, o empreendimento surgiu com a proposta de isolar e desenvolver probióticos a partir de microrganismos autóctones que promovem a melhoria da imunidade, da resistência contra patógenos, melhor absorção de nutrientes e redução da taxa de conversão alimentar na produção de peixes nativos como o tambaqui. O CEO da BactoLac, Antônio Carlos Freitas, relata as expectativas sobre o evento.

“Esse evento traz uma grande visibilidade para o estado do Amapá, para a Amazônia e principalmente para as startups amapaenses. A BactoLac vai estar com um estande em parceria com o Sebrae e a ABStartup. Nosso objetivo é demonstrar o que estamos produzindo de tecnologia para novos investidores, e destacar a tecnologia de ponta desenvolvida na região norte do Brasil”, contou o CEO Antônio Carlos Freitas.

AmazTrace

A AmazTrace é uma AgTech que fornece todo o espectro de ferramentas e soluções para permitir que cadeias de suprimentos completas rastreiem produtos, com o objetivo de agregar valor nas produções da Amazônia, por meio da garantia de certificação de origem rastreável. O CEO da AmazTrace, Victor Monteiro, destaca o evento como uma grande oportunidade para a empresa e para o setor de inovação sustentável no Amapá.

“É um evento de grande importância pois oportuniza visibilidade a todas as empresas do norte e mostra que conseguimos fazer tecnologia de forma sustentável, com bioeconomia e com valor agregado. A nossa expectativa é alavancar a empresa, através das oportunidades de investimento internacional e tornar a AmazTrace uma startup referência tanto no estado do Amapá quanto no aspecto global”, contou o CEO Victor Monteiro.

Sebrae no Amapá
Unidade de Marketing e Comunicação:

Luau da Samaúma celebra 80 anos da histórica árvore com atrações culturais, valorização do artesanato e gastronomia diversificada

A beleza da samaumeira foi evidenciada pela ornamentação, repleta de luzes coloridas

A celebração da música amapaense, do artesanato local e da gastronomia marcaram mais uma edição de sucesso do Luau da Samaúma, na sexta-feira, 1º. Com apoio do Governo do Amapá e do Sebrae, o evento homenageou os 80 anos da samaumeira, histórica árvore localizada em frente à Procuradoria-Geral de Justiça, no bairro Araxá, na Zona Sul da capital.

O Luau da Samaúma é realizado pelo Ministério Público do Amapá e, desde outubro de 2023, está de volta, com uma programação artística, cultural e diversa, totalmente gratuita para o público.

A árvore, conhecida como Rainha da Amazônia e Árvore da Vida, foi homenageada com uma salva de palmas. Além disso, o público acompanhou e celebrou com parabéns sua nova iluminação especial, que também será alterada para as festividades de final de ano. Ao longo de sua existência, a samaumeira tornou-se objeto de estudos que ajudaram a definir a idade da árvore.A programação cultural iniciou voltada para o público infantil. No palco montado pela organização do evento, a escritora e contadora de histórias Ângela Carvalho, conhecida como Angelita, embalou os pequenos com histórias e contos infantis de “A Menina de Cabelos Brancos”, que traz imaginação e criatividade. Em seguida, um cortejo artístico fez as crianças presentes dançarem e pularem, celebrando a alegria da infância.

A secretária de Estado de Cultura em exercício, Marina Beckman, destacou a importância de uma programação cultural diversificada e que atraia todos os públicos.

“Através desses eventos culturais, podemos fortalecer a economia criativa e engrandecer o trabalho feito por nossos artistas”, afirmou Marina.Em seguida, o grupo de samba Entre Amigos não deixou ninguém ficar parado. Iniciando sua apresentação com ‘Final Feliz’, de Jorge Vercillo, o público acompanhou em coro enquanto improvisava passos de samba. ‘Me Apaixonei Pela Pessoa Errada’, do grupo Exaltasamba, ‘Caça e Caçador’, de Fábio Jr, e ‘É Tarde Demais’ , do grupo Raça Negra,  também fizeram parte da coletânea de sucessos cantados e estilizados, celebrando o poder do samba brasileiro.

Paulo Celso Ramos, procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá, também reforçou a importância da celebração.

“No Luau da Samaúma, encontramos programações direcionadas para todos os públicos. Desde a criança, até pessoas idosas, todos vão se identificar com alguma atração musical, e assim, podemos ver toda a população feliz”, reforçou o procurador.

Celebrando as raízes do estado e o poder de transformar música em poesia, Zé Miguel e Mauro Cotta subiram ao palco montado em frente a árvore para cantar sucessos da Música Popular Amapaense.

O artista amapaense Zé Miguel embalou o público com sucessos que são consagrados. Em coro e em frente a samaumeira iluminada, o público cantou emocionado o refrão “eu amo você, terra minha amada, minha oca, meu iglu, minha casa”, da canção ‘Pérola Azulada’. Além disso, ‘Meu Endereço’ e ‘Jeito Tucujú’, canção de Joãozinho Gomes e Val Milhomem, também marcaram o show cultural do cantor.

“Eu sou um homem muito romântico, e poder estar aqui, tocando e celebrando com vocês a história e o nosso Amapá, é lindo demais”, disse o cantor emocionado.

Logo depois, Mauro Cotta subiu ao palco para cantar as marcantes. Ao som de ‘Evidências’, canção da dupla Chitãozinho & Xororó, ele abriu seu show e fez mais uma vez todos os presentes cantarem e dançarem, celebrando sucessos brasileiros, a história amapaense e os apaixonados.

Músicas como ‘Foi Assim’ e ‘Não Vou Mudar’, de Mauro, e  ‘Por Não Ter o Seu Olhar’, do cantor Teddy Max, trouxeram a nostalgia do gênero brega e fizeram os casais presentes improvisarem duetos de dança.

Henrick Santos, de 30 anos, conta que trouxe a família para um momento de lazer e amou a programação.

“Meu filho se divertiu muito com as atrações para a criançada, e também pudemos relaxar e comer algumas comidas típicas. Nos sentimos durante todo o evento, e são momentos assim que marcam a gente”, afirmou Henrick animado.

Durante o evento, o Gabinete Militar do MP-AP, com 22 policiais militares e um bombeiro, e as equipes da Companhia de Trânsito de Macapá, do Batalhão de Trânsito e do Corpo de Bombeiros estiveram presentes e garantiram a segurança da população.

Economia criativa e gastronomia

Com 19 estandes de alimentação e 20 para economia criativa, o fortalecimento do empreendedorismo foi uma marca registrada do Luau da Samaúma. Diversas comidas foram expostas e colocadas à venda, como hambúrgueres, doces artesanais, salgados, comidas típicas e bebidas.

Além disso, ao redor da samaumeira, itens de artesanato fabricados por artistas amapaenses também podiam ser encontrados e adquiridos. A ‘Oficina Mini Chefe’, realizada pelo Sebrae, orientada pela instrutora Cibele Iglesias e equipe de colaboradores, fez crianças de 5 a 12 anos aprenderem a confeccionar bolo de pote, estimulando sua criatividade.

COP 28: Amapá vai apresentar a mais de 190 países os avanços na bioeconomia e o uso sustentável dos produtos da floresta

Programas como o Selo Amapá, do Governo do Estado, incentivam o uso de matérias-primas regionais na criação de produtos amapaenses.


O Governo do Amapá vai apresentar a mais de 190 países, durante a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP 28) que inicia na quinta-feira, 30, o potencial bioeconômico do estado, com foco nas iniciativas de uso sustentável das riquezas naturais e seu papel fundamental no cenário ambiental global.

Em um ano marcado pelas altas temperaturas em diferentes partes do mundo, a conferência vai tratar das ações de cada país sobre a preservação do meio ambiente e do combate aos gases do efeito estufa na atmosfera. Outros temas, como a segurança alimentar e a preservação dos ecossistemas, também fazem parte das discussões.

Nesse cenário, o Governo do Amapá vai mostrar como o estado amazônico vem se tornando uma referência na fabricação de produtos bioeconômicos. Programas já existentes, como o Selo Amapá, certificam a origem dos bens produzidos e comercializados no estado. O projeto agrega valor aos produtos genuinamente amapaenses, levando o nome do estado para o mercado nacional e internacional.

“A fabricação desses produtos é feita de maneira consciente e sustentável, gerando impactos positivos na nossa economia. Mais de 900 produtos são reconhecidos pelo Selo Amapá e estão sendo comercializados no mercado. Essa marca simboliza nosso estado, que representa a área florestal mais preservada do país. É a principal frente de apresentação dos produtos amapaenses para o Brasil e o mundo”, ressalta o diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Amapá, Jurandil Juarez.

Bioeconomia no Amapá

Também conhecida como economia sustentável, a bioeconomia tem como foco o consumo consciente e equilíbrio com os recursos naturais. Ela está presente na produção de alimentos, artesanatos, cosméticos, vacinas, biocombustíveis, entre outros itens. O Amapá é um dos estados mais preservados do país, o que contribui para a fabricação de produtos e serviços inovadores, alinhando sustentabilidade e economia.

Esse tipo de mercado desempenha um papel fundamental no desenvolvimento econômico, pois busca utilizar de forma sustentável os recursos naturais, unindo as atividades econômicas essenciais à conservação ambiental. Isso inclui a agricultura sustentável, desenvolvimento de produtos biodegradáveis e a valorização da cultura local.

Oportunidades

Durante a pandemia de coronavírus, o casal Kátia Sarmento e Max Góes fundaram um pequeno empreendimento: o Chocolates Cunani. A empresa nasceu dentro de casa, com vendas sob encomenda. Com toque regional, os doces possuem sabores que passam pela castanha, cumaru e o açaí, valorizando o cultivo amapaense.

A empresária conta que, há pouco mais de um ano, soube do Selo Amapá e ficou empolgada com a oportunidade de expandir seu negócio.

“Quando eu fiquei por dentro do que se tratava, eu fiquei animada. Foi uma oportunidade enorme de divulgar o nosso trabalho não só pelo estado, mas pelo Brasil e o mundo”, afirmou a empreendedora.

Com o selo de origem, Kátia pôde levar seu empreendimento para o festival Salon du Chocolat, em Paris, na França. A oportunidade lhe trouxe inúmeras propostas para exportar seu produto.

Selo Amapá

O Selo Amapá é uma das estratégias do Governo do Estado para promover o uso de matérias-primas da Amazônia na criação de produtos fabricados em terras tucujus, um fator que gera reconhecimento no mercado.

É um certificado que atesta a origem e unifica o valor econômico e ambiental aos produtos amapaenses de origem animal, vegetal e mineral, além de possibilitar a comercialização de bens produzidos por empreendedores locais, tornando-os mais competitivos no mercado.

Desde a implantação do programa, em 2017, já são mais de 150 empresas amapaenses com itens certificados, que, no total, somam mais 900 produtos com o selo.

Amapá na COP 30

O governador do Amapá, Clécio Luís, se reuniu no dia 23 de novembro, com o presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, para tratar de pautas prioritárias, como a participação do estado nas discussões do clima durante a COP 30, que será realizada em 2025 no Brasil. O encontro foi articulado pelo senador Davi Alcolumbre.

Antes da cúpula, representantes dos países signatários reúnem-se em diversos eventos para discutir posicionamentos, e aproximam representantes da sociedade civil, empresas e os tomadores de decisão, dando uma ideia do que esperar do evento.

O governador pleiteia que esses pré-eventos também aconteçam no Amapá, que fica a apenas 40 minutos de Belém, tomando como exemplo o município paraense Santarém, que também vai sediar esses encontros, e fica a 2h da capital paraense.

COP 28

A COP é uma reunião anual entre os países membros da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima. Nele, chefes de estados e outras autoridades governamentais debatem soluções para conter o aquecimento global e criar alternativas sustentáveis para a vida no planeta.

O encontro ocorre após o sexto ciclo de avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que reforçou o senso de urgência e a gravidade da mudança do clima, bem como consequências perturbadoras para sistemas ecológicos e socioeconômicos.

A partir de 30 de novembro, a 28ª edição da COP ocorrerá em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Mais de 138 chefes de Estado e Governo são esperados para a conferência.

Sabores de Santana: Festival gastronômico começa nesta sexta-feira, (1)


O Sabores de Santana acontece de 01 a 03 de dezembro, na Praça do Fórum, no bairro Vila Amazonas, a partir das 18h. O festival realiza a sua 3ª edição e conta com a participação de 17 estabelecimentos, entre eles, churrascarias, restaurantes, lanchonetes, bares e docerias.

O Sabores de Santana compõe a programação do 36° aniversário do município e visa explorar as potencialidades da culinária santanense, em construções autênticas e saborosas, pelo custo de R$20 cada degustação.

A realização é da Prefeitura Municipal de Santana, Governo do Amapá e Sebrae, além de contar com a parceria da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e Senac.

Além da originalidade de pratos típicos da terra, o evento promete o melhor da música santanense e feira de artesanato.

Estabelecimentos Participantes

1. B2 Urban Food
2. Frutmix
3. Sicak
4. Lawê Doces Artesanais
5. Titos
6. Rei do Sorvete
7. Brasília Churrascaria
8. Estação da pizza
9. Degust Buffet
10. Bistrô Pai D’Égua
11. Amazon Beach
12. Suely Buffet
13. Flora Restaurante
14. Dona Tê Bistrô
15. Sabor Paraense
16. A Paulista
17. Bar do Urso

Serviço

Sabores de Santana

Data: 01 a 03 de dezembro

Local: Praça do Fórum. Bairro Vila Amazonas

Hora: A partir das 18h

Entrada gratuita

Exposição ‘Sankofa – Amapá 80 anos’ celebra herança e cultura afro do Amapá no 28º Encontro dos Tambores

Exposição segue até o próximo domingo, 26, como uma das principais atrações do evento, em Macapá

Histórias de personalidades, legados, tradição e cultura, são alguns dos elementos que estão na exposição: “Sankofa – Amapá 80 anos” uma das atrações do 28º Encontro dos Tambores, promovido pelo Governo do Estado e parceiros, para celebrar a diversidade cultural afro-amapaense, em 10 dias de evento no Centro de Cultura Negra do Amapá Raimunda Ramos, no bairro do Laguinho, em Macapá.

O legado e a ancestralidade dos pioneiros que deixaram marcas na história das comunidades tradicionais estão expostos em 40 imagens, de 10 artistas, e podem ser apreciadas durante todas as noites. Quem visita o local, tem a oportunidade de conhecer um pouco das contribuições artísticas e culturais deixadas pelos que trilharam a história de lutas pelo Amapá.Como Raimundinha Ramos, um ícone do movimento negro, descendente dos primeiros que habitaram o estado. Funcionária pública federal, atuou em lutas nacionais contra o preconceito, o racismo e a intolerância religiosa.

Outra personalidade, nascida em Macapá e criada no Quilombo do Curiaú, que completou 107 anos em 2023, Josefa Lina da Silva, a “tia Zefa”, tem um pouco de sua trajetória apresentada na exposição. Considerada um dos maiores símbolos de resistência da cultura do batuque e do marabaixo, dentro do Amapá, é referência como cantadeira e mulher de personalidade forte do Laguinho.

O “Doutor da Floresta”, Raimundo dos Santos Souza, o ” Mestre Sacaca”, considerado um dos maiores amapaenses de todos os tempos, com talento e história reconhecidos internacionalmente, faz parte dos homenageados. O mestre da cultura e das plantas medicinais, tem contribuição inestimável para a região amazônica.O casal de militares do corpo de bombeiros, Kilsiane Rocha, de 37 anos e Irridenio Souza, de 41, vieram com o filho, o pequeno Benício Castro, de apenas 4 anos, prestigiar a segunda noite do Encontro dos Tambores. Eles moram no bairro do Laguinho e aproveitaram para dar uma parada na exposição Sankofa e conferir um pouco da história da tradição amapaense.

“Essa é uma forma de apresentar um pouco da história amapaense e da minha própria história, para o meu filho. Eu tive a oportunidade de ver meu avô preparar as famosas garrafadas que foram a salvação da saúde de muita gente. Para mim, é uma honra ver um pouco da trajetória dele contada aqui”, finalizou Irridenio Souza.A exposição é coordenada pela Fundação Estadual de Políticas de Igualdade Racial (Fundação Marabaixo) e pelas Secretarias de Estado da Cultura (Secult), do Turismo (Setur) e dos Povos Indígenas (Sepi).

A diretora-presidente da Fundação Marabaixo, Josilana Santos, explicou que essa é uma forma de reforçar e manter viva a memória dos pioneiros que foram tão fundamentais para a construção da nossa identidade cultural.

“Isso aqui é a reunião de muitas histórias de pessoas que contribuíram para a permanência dessas comunidades tradicionais. Aqui a gente revisita a nossa história e apresenta um pouco dela para a sociedade amapaense”, enfatizou a secretária.No espaço da exposição há também imagens religiosas de Santos das comunidades ribeirinhas, quilombolas e tradicionais do Amapá e também tambores originais usados em festejos de batuque e marabaixo.

O estudante do segundo ano do ensino médio da rede estadual de ensino, Caio Azevedo, de 17 anos, morador do bairro Morada das Palmeiras, esteve presente no evento e falou que os retratos históricos, chamaram a atenção.

“O que mais me chamou a atenção foram as imagens dos santos e a história das religiões de matriz africana. É muito importante ter as histórias expostas para as pessoas lerem e conhecerem as histórias da cultura negra, pois são incríveis. O tema das religiões africanas foi a primeira coisa que olhei, li e amei, pois acho fundamental conhecer mais sobre o tema”, disse o estudante.

Sankofa

Sankofa é um termo da língua akan, de Gana, que significa “voltar e pegar” ou “voltar e buscar”. É simbolizado por um pássaro olhando para trás enquanto segura um ovo com o bico, representando a ideia de que para seguir em frente, é necessário compreender e resgatar elementos importantes do passado. É um símbolo africano que enfatiza a importância do aprendizado com a história para avançar em conhecimento e sabedoria.

‘Chocolate com cumaru traz notas florais e picantes, eu adorei’, diz especialista francesa ao experimentar produto amapaense, em Paris

Produção amapaense foi destaque em análise sensorial promovida pela Embaixada do Brasil na França.

Uma das maiores especialistas em chocolate da França, a jornalista e escritora Valentine Tibère, ficou encantada com as notas de sabor apresentadas pelas empresas amapaenses Chocolates Cassiporé e Cunani Cacau em uma análise sensorial promovida pela Embaixada do Brasil no país europeu.

Valentine, que é autora de livros como ‘101 Chocolats a Découvrir’, apreciou as notas de sabor variadas dos chocolates amapaenses, como frutado, amadeirado e a mistura de cacau com cumaru, fruto conhecido como a ‘baunilha amazônica’.

“É sutil, é uma pura maravilha, eu me apaixonei! Adorei o chocolate, sua textura é muito fina, suave, os aromas são delicados e o chocolate com cumaru traz notas florais e picantes. É realmente um grande prazer!”, pontuou Valentine sobre o produto fabricado pela Chocolates Cassiporé.

O evento trouxe os destaques brasileiros no Salon du Chocolat, que reuniu produtores de cacau, fabricantes de chocolates e apreciadores do produto de vários países de 26 de outubro a 2 de novembro, no Paris Expo Porte Versailles, na capital francesa.

A análise sensorial detalhada dos produtos avaliou se atendiam aos requisitos essenciais de um chocolate de qualidade superior. As características avaliadas incluíram brilho, granulometria, dureza e notas de sabor variadas, como frutado, amadeirado e floral.

O evento reforçou a capacidade do Amapá em produzir chocolates que possam competir em igualdade com os melhores do mundo, conquistando os paladares mais exigentes.

As empresas participantes foram selecionadas pela Secretaria de Estado de Relações Internacionais e Comércio Exterior em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) e a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicap), com o apoio do senador Randolfe Rodrigues, que articulou a destinação de emendas para custeio das passagens e hospedagens.

“Foi mais uma oportunidade de mostrar aquilo que os povos da floresta podem produzir. Foram dias de muito aprendizado e compartilhamento de experiências, em que nossos empreendedores puderam aprender mais e mostrar ao mundo o potencial do Amapá nesse segmento”, avaliou o secretário.

Sabores tucujus

O chocolate apresentado pela Cunani Cacau chamou a atenção, com 70% de cacau, notas novas e sabor diferenciado. O produto demonstrado pela Chocolates Cassiporé, que apresentou em sua composição 60% de cacau, foi destaque pelo gosto suave devido à mistura com o fruto cumaru, conhecido como a ‘baunilha amazônica’.

Para o chocolatier Danrlei Nogueira, da Chocolates Cassiporé, o momento representa a chance de expandir e tornar o chocolate amapaense mundialmente conhecido.

“Com essa avaliação, tivemos a segurança de que nosso objetivo, que era levar o Chocolate Cassiporé para o mundo, está sendo alcançado”, ressaltou Danrley.

Salon do Chocolat

Durante sete dias, os empreendedores tiveram acesso a exposições, degustações e puderam compartilhar experiências com especialistas do mundo todo. A partir da participação, a expectativa é aumentar as oportunidades de exportação para as empresas amapaenses.

Para a empreendedora Kátia Sarmento, proprietária da empresa Cunani Cacau, a seleção dos chocolates para a análise sensorial reforça a qualidade e a inovação dos produtos regionais, abrindo portas para uma presença potencial marcante no cenário internacional.

“O evento mostrou a capacidade do Amapá em produzir chocolates que possam competir em igualdade com os melhores do mundo, conquistando os paladares mais exigentes. Tivemos a chance de comercializar nossos produtos e conseguimos vender tudo o que levamos”, pontuou Kátia.

Produção artesanal

Tanto a Chocolates Cassiporé quanto a Cunani Cacau realizam todos os processos de produção no estado, desde o cultivo do cacau até o beneficiamento, gerando empregos e promovendo o desenvolvimento sustentável da região.

‘É uma honra estar aqui’, celebra empreendedora amapaense no Salon du Chocolat, em Paris

Kátia Barbosa produz chocolates artesanais desde 2020. Pela primeira vez, estado tem representantes na maior feira internacional de chocolate do mundo.

A empreendedora Kátia Sarmento, proprietária da empresa Cunani Cacau, celebra a oportunidade de apresentar uma produção genuinamente amapaense na maior feira internacional de chocolates do mundo, o Salon du Chocolat, no Paris Expo Porte Versailles, na França. 

O evento segue até quinta-feira, 2, reunindo produtores de cacau, fabricantes de chocolates e apreciadores do produto de vários países.

“É fantástico. Isso aqui é um mundo, a gente encontra marcas renomadas, maravilhosas, super posicionadas no mercado. Para a gente, do Amapá, é uma honra e uma alegria imensa estar aqui”, conta Kátia, que produz chocolate artesanal desde 2020.

Além da Cunani Cacau, a empresa amapaense Chocolates Cassiporé está presente no evento europeu. Os empreendimentos contam com o apoio do Governo do Estado, a partir da iniciativa “Selo Amapá”, uma certificação que atesta que o produto foi elaborado com matéria-prima local, respeitando os padrões de controle de qualidade, leis ambientais e trabalhistas

Durante sete dias, os empreendedores têm acesso a exposições, degustações e podem compartilhar experiências com especialistas do mundo todo. A partir da participação, a expectativa é aumentar as oportunidades de exportação para as empresas amapaenses.

A Secretaria de Estado de Relações Internacionais e Comércio Exterior selecionou as empresas em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) e a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicap), com o apoio do senador Randolfe Rodrigues, que articulou a destinação de emendas para custeio das passagens e hospedagens.

O secretário de Relações Internacionais, Lucas Abrahao, comentou sobre a oportunidade de apresentar os chocolates amapaenses para o mercado externo.

São duas empresas amapaenses mostrando para o mundo aquilo que os povos da floresta podem produzir. Essa é uma, dentre várias ações de promoção internacional do estado, com foco na atração de investimentos, geração de emprego e renda, gerando riqueza para o nosso estado”, avaliou o secretário.

O chocolatier Danrlei Nogueira, da Chocolates Cassiporé, relatou que essa expansão da visibilidade do produto local amplia as oportunidades de oferta de empregos para quem vive na região.

“A gente emprega e vai empregar muita gente, principalmente na comunidade onde a gente faz o processo de colheita, fermentação e secagem. Assim a gente ajuda várias pessoas que trabalham com a gente, aproximadamente 70 famílias ribeirinhas e aqui estamos vivendo dias cheios de emoção”, pontuou Nogueira.

Produção artesanal

Tanto a Chocolates Cassiporé quanto a Cunani Cacau realizam todos os processos de produção no estado, desde o cultivo do cacau até o beneficiamento, gerando empregos e promovendo o desenvolvimento sustentável da região. Esta conquista no Salon du Chocolat em Paris promete abrir portas para mais empresas amapaenses exporem seus produtos para o mundo, fortalecendo a economia local e dando destaque ao Amapá no cenário internacional.

Parcerias

A Apex Brasil, que atua em diversas formas para promover a competitividade das empresas brasileiras em seus processos de internacionalização, em colaboração com a Abicap, vai fornecer o suporte financeiro necessário para a participação das empresas no evento, incluindo os custos de feira e exposição.

Com parceria do Governo do Amapá e Sebrae, Luau da Samaúma volta a reunir música, artesanato e gastronomia em Macapá

Programação gratuita foi marcada por empreendedorismo e apresentações musicais que evidenciam o estado.


Evento que reúne música boa, artesanato e gastronomia, o Luau da Samaúma voltou a ser realizado em Macapá, na noite desta sexta-feira, 27, em mais uma edição de sucesso. A retomada só foi possível por meio de uma parceria entre o Governo do Amapá, o Ministério Público do Amapá e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae).

Uma das principais atrações foi o show da formação original do Movimento Costa Norte, composto pelos músicos Amadeu Cavalcante, Zé Miguel, Osmar Júnior e Val Milhomem. Completaram o line-up o mestre Nonato Leal, a Associação Literária do Estado do Amapá (Alieap), Movimento Poesia da Boca da Noite e As Juremas, a banda musical do Corpo de Bombeiros Militar e o grupo de batuque Raízes do Bolão.

A programação foi suspensa em função da pandemia de Covid-19 e voltou a ser realizada após 3 anos, quando o Governo do Amapá passou a integrar o time da parceria, firmando a cooperação entre as entidades.

O Luau fez parte nesta sexta-feira da Folia Literária Internacional do Amapá, que integra as celebrações do aniversário de 80 anos do Amapá, comemorado com intervenções artísticas, culturais e diversas totalmente gratuitas para a população.

“Tivemos a felicidade e a honra de termos sido chamados pelo Ministério Público para, mais uma vez, fazer essa parceria e trazer o Luau da Samaúma de volta. Esse é luau do retorno e que agrega a nossa Folia Literária, reunindo a música, a poesia, o empreendedorismo, a lua e a samaumeira. Essa é a ocupação dos espaços urbanos que trazem geração de emprego, renda, aguçando a nossa sensibilidade, fazendo a gente amar ainda mais o nosso lugar”, celebrou o governador Clécio Luís.

Esta já é a quarta temporada do evento. A próxima edição será no dia 1º de dezembro, em homenagem aos 80 anos da samaumeira que é o símbolo do evento e que é imponente na praça em frente à Procuradoria-Geral do MP-AP.

“Nós estamos super felizes com a presença de todos vocês. Esse evento foi pensado com todo amor e carinho. Para nós é um momento de muito orgulho e satisfação poder trazer de volta este evento neste momento. Estamos ansiosos para celebrar os 80 anos desta samaúma em mais um grande evento”, comentou o procurador-geral do MP-AP, Paulo Celso Ramos.

Oportunidade de alcançar novos públicos e movimentar economicamente os negócios, o luau também contou com uma praça de alimentação e artesanato que demonstrou a variedade de empreendimentos amapaenses.

“Aqui os nossos empreendedores estão gerando renda estimulando a economia criativa. A gente, como amapaense, merece eventos lindos como este”, completou a diretora-superintendente do Sebrae Amapá, Alcilene Cavalcante.

Iniciado em 2017 como parte do projeto de ocupação de espaços públicos da Prefeitura da capital, ‘Macapá eu cuido de você’, o Luau na Samaúma passou a integrar o calendário cultural do estado com destaque para apresentações culturais, oficinas e empreendedorismo.

Confira como foi o “Luau na Samaúma – Amapá 80 anos”:

Luau na Samaúma está de volta com duas edições especiais em 2023

O Sebrae realiza no Luau a Exposição de Economia Criativa com 20 empreendedores, instalados ao redor da Samaúma; a Exposição Gastronômica com oito estandes personalizados e três oficinas diárias de mini chefe com 20 participantes por turma


O Luau na Samaúma está de volta após três anos em razão da pandemia de 2020 a 2022. A tradicional festividade que reúne diferentes linguagens artísticas e culturais, terá duas edições neste ano – dia 27 de outubro e 1º de dezembro, das 17h às 23h. O Ministério Público do Amapá (MP-AP), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Governo do Estado do Amapá (GEA), realizadores do evento, preparam uma programação diversificada para todas as idades.

O endereço é conhecido, ao redor da majestosa árvore Samaúma que dá nome à praça da Procuradoria Geral de Justiça. O Luau, idealizado pelo MP-AP, é um evento que busca a aproximação e conexão do órgão ministerial com a população, que é recebida para fazer do local um espaço de convivência e de alegria, sempre em noite de lua cheia.

Entretenimento acessível, aberto a quem quiser participar e além disso, movimenta a economia criativa com oportunidades para empreendedores da área de alimentação, segmentos de manualidades, vendas diversas e artistas amapaenses.

Tema

A primeira Edição de 2023 terá como tema ‘Luau na Samaúma – Amapá 80 anos’, dando continuidade às celebrações pela criação do Território Federal do Amapá.

A segunda edição, abre a temporada natalina na cidade e comemora os mais de 80 Anos da samaumeira, localizada na praça em frente ao prédio da Procuradoria Geral de Justiça do MP-AP. A árvore tem valor imensurável para o Amapá e sobretudo para a comunidade do entorno.

Luau

O Luau na Samaúma – Amapá 80 Anos, será na próxima sexta (27). O Sebrae vai instalar e coordenar a praça de alimentação com opções que vão de hamburguerias a comidas típicas, além de doces e bebidas.

Ao redor da Samaúma ficarão os expositores de economia criativa e artesanato. Serão 20 artesãos e empreendedores amapaenses comercializando peças e coleções produzidas com diferentes técnicas e matérias-primas.

Para o público infantil haverá as Oficinas de Mini Chefs que vai ensinar a fazer bolo de pote. As inscrições serão feitas antecipadamente e também na hora (se houver vaga). Serão três turmas e cada uma com 20 vagas, e podem participar crianças entre 3 e 12 anos.

O Luau está sendo organizado para mais uma vez ser um sucesso, garantindo empreendedorismo cultural, lazer e geração de negócios aos empreendedores do nosso Estado.

Sebrae no Amapá/Unidade de Marketing e Comunicação

‘52ª Expofeira do Amapá vai movimentar cerca de R$ 100 milhões na economia local’, diz governador, Clécio Luís

Realizado pela última vez em 2015, o evento volta acontecer como uma grande vitrine de produção e inovação do setor primário do Amapá


O governador, Clécio Luís, e o vice-governador, Teles Júnior, apresentaram nesta quinta-feira, 28, a estrutura montada para a 52ª Expofeira do Amapá. De acordo com as projeções, os dez dias de evento vão movimentar cerca de R$ 100 milhões na economia amapaense a partir desta sexta-feira, 29.

De volta após quase dez anos, a Expofeira do Amapá segue até 8 de outubro. Realizado pela última vez em 2015, o evento volta acontecer como uma grande vitrine de produção e inovação do setor primário do Amapá, com serviços voltados para o empreendedorismo, esporte e lazer.

“Nós estamos estimando que, para cada R$ 1 investido na Expofeira, vamos gerar mais de R$ 5, em forma de impostos que retornam para a sociedade em serviços públicos. E vamos chegar a algo em torno de R$ 100 milhões durante esses dez dias. Fora os negócios que serão fechados durante a Expofeira, mas que terão resultados após o evento”, destacou o governador.

Para a realização da feira, foram investidos R$ 34 milhões. Sendo R$ 15 milhões para realização do evento e R$ 17 milhões em investimentos em mobilidade urbana, dentro e no entorno do Parque de Exposições, além de obras na Rodovia Josmar Pinto (antiga JK). São esperados 1 milhão de visitantes ao longo de todo o evento.

Geração de emprego

Desde o anúncio do retorno da Expofeira, em junho de 2023, o Governo do Estado oportunizou a geração de mais de 600 empregos diretos, a partir da mão de obra necessária para a montagem da estrutura, no Parque de Exposições da Fazendinha, e por empresas participantes da feira. Foi priorizada a contratação de moradores do entorno para a limpeza do espaço. O serviço será mantido durante e após o evento.

“É uma Expofeira que vem com um diferencial muito grande porque contempla inúmeros setores da economia, desde o setor imobiliário, passando pela agricultura, energia renovável até a agropecuária. A Expofeira vai mostrar um estado que muitos não conhecem, um Amapá que empreende, um Amapá que gera renda”, reforçou Teles Júnior.Inovação

A 52ª Expofeira traz algumas novidades, entre elas está a área de acessibilidade para pessoas com deficiência na arena de shows e o Aquário da Inovação, que reúne produtos e serviços voltados para a ciência, educação e tecnologia.

O Parque de Exposições também vai apresentar ao público 30 startups, que são empresas recém-criadas, com propostas inovadores. Haverá, ainda, o Planetário Digital Móvel; empresa de gestão de resíduos sólidos gerados na Expofeira; projetos de pesquisa e desenvolvimento de ciência e tecnologia; e esportes eletrônicos.

Outra novidade é o ‘Açaiódromo’, um espaço onde o público vai encontrar açaí batido na hora, com acompanhamentos tradicionais na mesa do amapaense, como farinha d’água, farinha de tapioca, camarão no bafo, charque, peixe frito e outros.

Cultura

Cerca de 600 atrações amapaenses e 12 artistas nacionais passarão pelos palcos da 52ª Expofeira do Amapá. O público vai prestigiar as apresentações em 10 áreas, valorizando profissionais de diversos segmentos da cultura, como música, teatro e capoeira.

Este ano também haverá espaço para o Festival Esportivo Sedel, com competições em 12 modalidades, como basquete, MMA e breaking.

“É uma programação genuinamente amapaense, envolvendo segmentos como música, teatro, audiovisual e literatura. São várias linguagens artísticas ocupando esses espaços. Tem programação infantil, tem programação no Palco da Rainha e noites temáticas. É uma programação realmente diversificada para todos os públicos”, explicou a secretária de Cultura, Clicia Vieira Di Miceli.

O evento de apresentação da estrutura da feira, no Parque de Exposições da Fazendinha, reuniu veículos de comunicação e representantes de órgãos, como o Ministério Público.

“Acredito na Expofeira e no que ela pode gerar para a economia para o Amapá”, pontuou o subprocurador Geral de Justiça, Nicolau Crispino.

‘Cores Brasileiras, Sabores do Meio do Mundo’: Festival Brasil Sabor inicia com muitas novidades gastronômicas e produtos do Amapá

A 17ª Edição do Festival Brasil Sabor, apresenta o tema ‘Cores Brasileiras, Sabores do Meio do Mundo’ e traz inovações gastronômicas para o evento coordenado pelo erviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Amapá (Abrasel/AP), com o apoio do Governo do Estado do Amapá (GEA), Crítica Gastronômica Tucuju e Associação Brasileira de Chefs de Cozinha (Abrachefs).

O festival é aberto ao público e acontece no estacionamento da Sede do Sebrae em Macapá, no período de 18 a 21 de maio, das 18 às 23h. Os pratos destaques têm preços únicos de R$ 25 reais.

Premiados

Na Categoria Chef Pizzaiolo, vence a Chef Monique Valente com o prato ‘Pororoca’ – Pizza fina e crocante recheada com pipocas empanadas de camarão rosa com tapioca granulada, cama de muçarela, creme de queijos e geleia agridoce levemente picante.

Na Categoria Chef Patisserie, Cássio Balieiro, com o prato ‘Ararajuba’: Sorbet de manga, espuma de hortelã e cumble de castanha do Pará.

Abertura

A abertura oficial do Brasil Sabor, contou com a participação do presidente do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae (CDE), Josiel Alcolumbre; diretora-superintendente do Sebrae no Amapá, Alcilene Cavalcante; diretora técnica do Sebrae no Amapá, Suelem Amoras; diretor de administração e finanças do Sebrae, Marcell Harb; vice-governador do estado do Amapá, Antonio Teles Junior; presidente da Abrasel no Amapá, Yukio Nagano; procuradora do estado, Ivana Cei.

O Palco Tucupi contou com a programação cultural com a cantora amapaense Deize Pinheiro; a Feirinha de Artesanato Gastronômico apresentou as Louças do Maruanum, artesanato em madeira, gastronomia artesanal, e de cerâmica; além do sucesso das oficinas de culinárias com didáticas para crianças com os ‘Mini Chefs’.

A coordenação da 17ª Edição Festival Brasil Sabor no Amapá, é da gerente da Unidade de Atendimento Coletivo do Sebrae – Comércio e Serviço (UAC-CS), Vânia Chermont; e do diretor-executivo da Abrasel, Sandro Belo.

Parceiros

O Festival Brasil Sabor – Cores Brasileiras, Sabores do Meio do Mundo, é uma realização do Sebrae e da Abrasel/AP e conta com o apoio da Abrachefs, Crítica Gastronômica Tucuju e Governo do Estado do Amapá; são parceiros e patrocinadores as empresas Primix, Agência 3 Ângulos, Concessionária THAI Toyota, Ética Turismo e Receptivo, Setor Norte Seguros, Supermercados Santa Lúcia, e Space-X Telecom.

Com o tema “Cores Brasileiras” é lançado o edital do Brasil Sabor 2023

Pelo 18º ano consecutivo (com a edição 100% delivery em 2020), a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) lança edital com pré-requisitos para participação no maior festival gastronômico do planeta, o BRASIL SABOR, que acontece simultaneamente em todo país.

 

Interessados devem ser inscrever no período de 06 a 10 de março. A edição especial de 18 anos do Festival Brasil Sabor dispõe de apenas 25 vagas para expositores na feira gastronômica.

Em Macapá, de 18 a 21 de maio, ocorre uma das maiores feiras gastronômicas do país, na sede do Sebrae Amapá, com a degustação de 25 receitas totalmente inovadoras, lançamento do livro “Segredo dos Chefs”, oficinas de mini chefs, aulas show com chefs da gastronomia nacional, apresentações de música, teatro e poesia, feira de artesanato voltado para culinária e feira de produtos do campo e flores ornamentais, concursos de chefs de cozinha (chef profissional, chef pizzaiolo, chef burger, chef confeiteiro, panificação e coquetelaria) homenagens, network e todo roll de fornecedores, instituições, empresas e profissionais que incrementam os negócios no setor de alimentação fora do lar (AFL) no Amapá que responde por 2,3% do PIB amapaense.

Este ano o tema representará a variedade, a diversidade e a riqueza cultural presente na gastronomia brasileira. Seguindo o conceito adotado das outras campanhas, com a frase: “Cores Brasileiras”, em alusão ao combate das desigualdades sociais. Os organizadores propõem que as empresas do setor participantes utilizem o festival como um espaço de reflexão sobre o “Brasil de todas as cores”, testando junto ao público final o sucesso dessas criações, oferecidas a preços promocionais (R$ 20,00). Sendo uma oportunidade também, para inovar o cardápio e melhorar a visibilidade e o faturamento das empresas participantes. O projeto é desenvolvido a várias mãos e conta com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e do Governo do Estado do Amapá por meio das Secretarias de Turismo e de Cultura.

Segundo o presidente da entidade no Amapá, Yukio Nagano, a edição especial de 18 anos do Festival Brasil Sabor representa a consolidação das estratégias de desenvolvimento do setor, “é um evento divisor de águas da gastronomia, proporciona inovação, criatividade e desenvolvimento da cadeia produtiva, gera inúmeras possibilidades de novos negócios e serviços. É a maior vitrine da gastronomia Brasileira, expõem da maneira mais deliciosa a diversidade cultural de um país com dimensões continentais. Venham escrever também junto conosco essa grande e deliciosa história repleta de cores do Brasil”.

Prato: Arroz Caboclo do Buffet Pastrami da Chef de Cozinha Clara Gato – edição 2022

Os interessados devem acessar o link https://forms.gle/hffgQGghyRFBNGFL8 com as informações necessárias para inscrição e participação de 06/03 a 10/03. Um ponto a se destacar no festival é a interatividade com o público. Os clientes dos restaurantes poderão mostrar que estão saboreando os pratos do Brasil Sabor utilizando a hashtag #Brasilsabor2023 no Instagram.

Serviço:

17ª edição nacional do Brasil Sabor

Realização: Abrasel

Apoio: Sebrae e Governo do Amapá

Mais informações em: brasilsabor.com.br e ap.abrasel.com.br

Instagram: @brasilsabor @abrasel_ap

Governo do Amapá, Abrasel e Sebrae oferecem 300 vagas gratuitas para oficinas gastronômicas

O treinamento ocorre de 23 de janeiro a 1º de fevereiro, na Casa do Artesão. São 15 oficinas demandadas pelo mercado, com 20 vagas por turma. As inscrições são online.

O Governo do Estado e a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Amapá (Abrasel/AP) iniciam nesta sexta-feira, 13, as incrições para um ciclo de oficinas gastronômicas. São 300 vagas gratuitas, distribuídas em 15 oficinas, com 20 candidatos por curso.

Para se inscrever, preencha o formulário disponível AQUI, até 19 de janeiro, com informações pessoais e seleção do curso que deseja participar.

As oficinas acontecem de 23 de janeiro a 1º de fevereiro, nos altos da Casa do Artesão. O evento busca despertar o interesse da população para trabalhar no setor e criar mão de obra qualificada para o mercado local.

O evento vai atender estudantes maiores de 16 anos, profissionais da gastronomia e pessoas interessadas no setor.

As capacitações são resultado de um Termo de Fomento assinado em 2022 entre o Governo do Amapá, por meio da Secretaria de Trabalho e Empreendedorismo (Sete), e a Abrasel.

“Estamos muito ansiosos por esse evento que é o primeiro do ano e permite, em curto prazo, gerar mão de obra qualificada para o setor de alimentação fora do lar. A ideia é que após estas oficinas, os participantes possam atuar no preparo de pratos, sobremesas, drinks e outros alimentos com excelência”, frisou Sandro Belo, vice-presidente da Abrasel.

Conheça as ofinas

Serão cursos de drinks e coquetéis com ingredientes regionais; os segredos dos salgados assados e fritos; cortes de carnes, aves e peixes; redes sociais para negócios gastronômicos; sobremesas com ingredientes regionais; molhos, fundos e bases e suas aplicações; hambúrguer: do blend aos molhos; saladas criativas com insumos regionais; harmonização de vinhos com pratos regionais; fotografias de alimentos; pizza: da massa ao sabor; boas práticas em manipulação de alimentos; oficina show: preparo e degustação de cafés; antepastos e culinária típica: cozinha de difusão na Amazônia.

As oficinas foram escolhidas por demanda de mercado por meio de pesquisas e serão realizadas pela manhã, das 9h às 12h e à tarde, das 14h às 17h, nos altos da Casa do Artesão, na praça Beira-Rio. Todos os participantes vão receber certificados.

O evento conta com a parceria do Serviço Brasileiro das Micros e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae/AP), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e da Secretaria de Estado do Turismo (Setur).

Comissão aprova inclusão da gastronomia brasileira como beneficiária da Lei Rouanet

“A medida contempla festividades religiosas tradicionais e eventos relativos à gastronomia tradicional brasileira, ao mesmo tempo em que elimina a sobreposição de casos já tratados pela legislação”, afirma Luiz Lima, relator da matéria

A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados aprovou proposta que altera a Lei Rouanet para incluir a gastronomia brasileira e cultura alimentar entre os beneficiários da política de incentivo fiscal. A Lei Rouanet criou o Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), e oferece benefícios fiscais para incentivar a captação de recursos para o setor cultural brasileiro.

Relator da matéria, o deputado Luiz Lima (PL-RJ) recomendou a aprovação da matéria pela compatibilidade e adequação financeira e orçamentária na forma do substitutivo adotado pela Comissão de Cultura ao Projeto de Lei 305/19 e dos apensados 4940/19 e 216/21. A proposta original é de autoria do deputado Rubens Otoni (PT-GO).

“É acertada a solução proposta pela Comissão de Cultura, ao sugerir a inclusão de uma única nova linha à Lei Rouanet para incentivar as manifestações populares tradicionais brasileiras de baixo potencial lucrativo”, observa o relator. “A medida contempla festividades religiosas tradicionais e eventos relativos à gastronomia tradicional brasileira, ao mesmo tempo em que elimina a sobreposição de casos já tratados pela legislação”, afirma Luiz Lima.

Na prática, a inclusão na Lei Rouanet permite que pessoas e empresas façam doações ou patrocinem, com dedução no Imposto de Renda, projetos de formação, eventos de gastronomia brasileira, projetos para transmissão de conhecimento e memória viva por meio de oralidades, além de pesquisas, publicações, acervos relativos à cultura gastronômica.

“A dedução das contribuições para os referidos segmentos culturais está dentro dos limites e condições estabelecidos na legislação do Imposto de Renda. O substitutivo, portanto, está adequado do ponto de vista financeiro e orçamentário”, completou Lima.

O substitutivo será ainda analisado, caráter conclusivo, pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Patrocínio Brasil

https://abrasel.com.br/noticias/noticias/comissao-aprova-inclusao-da-gastronomia-brasileira-como-beneficiaria-da-lei-rouanet/

Festival “Sabores de Santana começa nesta sexta-feira (25)

Começa nesta sexta-feira (25) a 2ª edição do festival gastronômico Sabores de Santana, sob o tema “A melhor gastronomia do Brasil é de Santana”. O evento acontecerá nos dias 25 a 27 de novembro das 17h às 23h, na Praça do Fórum, situada no bairro Vila Amazonas.

 

O evento pretende enaltecer e valorizar a gastronomia local, e promete apresentar aos visitantes a diversidade e autenticidade de pratos elaborados por grandes chefs santanenses.

O festival está sob a organização da Prefeitura e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), com apoio do Governo do Amapá e Sebrae – AP.

A programação do evento contará com uma feira de produtos do campo; pratos inéditos de chefs santanenses; comercialização de artesanato; aulas show de culinária e apresentações musicais. As 15 empresas integrantes do evento, dentre elas pizzarias, hamburguerias, restaurantes e docerias montaram um menu dedicado ao Sabores de Santana, pelo preço de R$20 a degustação.

 

A diretora-presidente da Fundação Municipal de Cultura (SANCULT), Elaine Araújo, estendeu o convite para toda a sociedade:

 

‘A Prefeitura e a ABRASEL executam o festival gastronômico Sabores de Santana, que promete ser ainda melhor do que no ano passado. Famílias, venham para a Praça do Fórum nos dias 25, 26 e 27 aproveitar o melhor da culinária santanense’, expressou.

 

Participações Especiais

 

O festival contará com a presença de três chefs consagrados quando o assunto é comida de qualidade. Entre eles, a amapaense Floraci Dias, eleita a melhor chef do Brasil pelo Prêmio Nacional Dólmã de Gastronomia de 2022. E não para por aí, o estimado chef paraense Leo Modesto também estará presente, o convidado foi integrante da 3ª temporada do reality gastronômico Mestre do Sabor, apresentado pela TV Globo e demonstrará aos visitantes as raízes da culinária de seu estado.

 

Aulas Shows

 

Durante as aulas, o público terá contato com os chefs, que por sua vez demonstrarão o preparo de pratos selecionados para o evento. Além de contemplar a produção gastronômica cara a cara, os visitantes também poderão experimentar a criação do chef.

 

Luana Silveira | Assessora de Comunicação, Prefeitura de Santana.

Sabores de Santana promete apresentar a melhor gastronomia do país


A Prefeitura de Santana em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e o Governo do Amapá, se unem e prepararam um evento para apresentar a melhor gastronomia do Brasil para a sociedade amapaense e visitantes.

O festival gastronômico Sabores de Santana está chegando à sua segunda edição e com o tema “A melhor gastronomia do Brasil é de Santana” o festival apresenta 15 receitas inéditas com ingredientes que remetem a cidade-porto do Amapá e fazem alusão também ao trabalho talentoso da Chef Flora, empreendedora e moradora do município, que ganhou o disputado Prêmio Nacional Dólmã – categoria nacional, considerado o Oscar da gastronomia brasileira.

O festival busca criar e fortalecer a identidade gastronômica de Santana, promovendo todo o setor local. O evento está previsto para o período de 25 a 27 de novembro, na Praça do Fórum, das 17h às 23h, no bairro Vila Amazonas e reúne 15 empresas do setor gastronômico, entre restaurantes, pizzarias, docerias e outros, que servirão ao público, menus criados especialmente para o evento, ao preço de R$ 20,00 a degustação. Além dos sabores da terra, haverá também o melhor da música, no Palco Puraquê, haverá a Feira de Artesanato e também as Aulas Shows de Culinária, com os melhores profissionais.

Os organizadores acreditam que haverá aproximadamente 20 mil pessoas nos 03 dias de festival e um movimento pra economia local de mais de R $500 mil reais. Mas fiquem atentos, as inscrições para as empresas de gastronomia se encerram na próxima quarta-feira 16/11 pelo link https://forms.gle/kWDMUhYjG5XdkSHt8   duvidas podem ser dirimidas no (96) 98135-7900

Comunicação Prefeitura de Santana e Abrasel

Festival Bar em Bar traz novas receitas em petiscos

 

A 6ª edição do Festival Bar em Bar pretende reunir milhares de clientes em estabelecimentos gastronômicos em Macapá. Promovido pela Abrasel em parceria com o Sebrae, o evento acontece de 11 a 26 de novembro no circuito com 14 estabelecimentos como bares, pubs, winer bar, hamburguerias, restaurantes e até delivery.

O Bar em Bar celebra a pluralidade gastronômica brasileira e do Amapá, destacada pela criatividade dos chefs nas porções criadas especialmente para o evento ao preço fixo se R$ 25,00. Além de caprichar na receita, cada bar ou restaurante preparou também sugestões de harmonizações incríveis para os clientes.

Ganho para clientes e donos de estabelecimentos

 

O festival também tem gerado bons resultados para os donos dos bares participantes, como o Thiago Santiago, proprietário da Rustic Burger Beer, localizada no centro de Macapá. “O Bar em Bar tem sido uma boa oportunidade para receber clientes novos e antigos. A divulgação do evento traz pessoas que chegam querendo conhecer o petisco que criamos especialmente para o festival. Sem falar na qualificação e o posicionamento de marca que o evento proporciona aos bares”, disse.

Receita de sucesso

Cada bar participante oferece uma nova receita para conquistar o gosto do consumidor, inspirada no tema desta edição: A Melhor Porção do Amapá. As novidades nos petiscos acompanham o uso de insumos locais e preços acessíveis, com sabores inigualáveis que fazem jus ao tema.

O festival é o cenário perfeito para confraternizações entre amigos, familiares e casais num período muito festivo. A gastronomia é bem variada, levando características de cada empresa e chef participante, satisfazendo até os paladares mais difíceis de agradar.

Reconhecimento
Os estabelecimentos receberão a visita de críticos gastronômicos que farão as avaliações técnicas dos petiscos para seleção do grande vencedor. O consumir por sua vez, pode visitar os estabelecimentos do circuito, fazer o pedido do petisco da casa ao garçon, fazer uma foto e postar no Instagram com a hashtag #barembarap2022 e ao final, o consumidor que conseguir cumprir primeiramente o circuito receberá o título de “Papudinho 2022”, por valorizar a gastronomia de Bar.

Confira o menu do festival Bar em Bar 2022

Bar do Vila
Bar
Chefs Aline, Cissa e Soninha
Brasileirinho: 02 mini pasteis Romeu e Julieta, 02 dadinhos de Tapioca com Geleia de Pimenta e 02 camarões Rosa empanados na Panko.
Harmoniza com cerveja

Dom Cheff
Gastronomia Brasileira
Chef Manoel
Território Tucuju: porção de 06 mini papéis de camarão rosa, banana da terra, jambu e molho de tucupi.
Harmoniza com cerveja ou cachaça de jambu.

Brods Burger
Hamburgueria
Chef Burger João Neto
Tábua de Maré: porção de 06 bolinhos nos sabores de maniçoba, pato no tucupi, tacacá, muçarela de búfala, charque na manteiga de garrafa e peixe, acompanhado de maionese de tucupi.
Harmoniza com cerveja.

Recanto do Loro
Restaurante
Chef Fabiana de Azevedo
Loroca: bolinhos com massa de tapioca e queijo coalho, com recheios de camarão ou caranguejo. Serve com geleia de pimenta.
Harmoniza com cerveja.

Confraria Semblano
Culinária Italiana
Chef Josiane Ferreira
Croquetas de pernil suino: croquetas com massa bechamel, recheado com pernil suino desfiado e empanado na farinha panko. Serve com goiabada picante.
Harmoniza com cerveja ou vinho.

Delícias da Oci
Restaurante delivery
Chefs Ocineia e Alessandra Bastos
Tira gosto da Oci: 03 bolinhos de carne seca com queijo moçarela, tiras de carne, acompanhados de molho especial da casa e farofa.
Harmoniza com cerveja.

Rustic Burger Beer
Pub
Chef Thiago Santiago
Pastéis Rustic: mini pastéis de carne seca desfiada, queijo manteiga e banana da terra, acompanhado de geleia de pimenta.
Harmoniza com chopp.

Homemade
Hamburgueria
Chefs Marcelo Souza e Sirlane Viana
American Chicken: Sobrecoxas de frango marinadas no buttermilk e cerveja. Acompanha picles de pepino artesanal e molho spicy.
Harmoniza com as cervejas de estilo Pilsen ou Amber Ale.

Sinner
Hamburgueria
Chefs Lucas Uchôa e Thomas Átila
Pork Belly Sinner: Canapés de Barriga de porco defumada, molho BBQ com laranja e mel selvagem, servido sobre pão australiano tostado
Harmoniza com cerveja.

Norte das Águas
Bar e Restaurante
Chefs Cleide, Cláudio e Karine
Bolinho das Águas: porção de 03 bolinhos com massa batata; recheio de camarão regional, jambu e catupiri.
Harmoniza com cerveja.

Reserva da Lagoa
Gastronomia contemporânea e casual
Chefs Yago Amorim e Adriano Sena
Barca Ribeirinha: creme de pirarucu, alho poró e queijo regional em Crispy de papel de arroz, com redução de tucupi, castanha do Brasil e picles de semente de mostarda.
Harmonização com drink Green Gin, vinho branco ou rosa, espumantes Brut, cerveja Colorado Ribeirão e Heineken.

Japan by Nagano
Restaurante de culinária oriental
Izakaya: releitura do Onigiri, tradicional bolinho de arroz japonês crocante, empanado na farinha panko e recheado com tartar de salmão, kani e cream cheese.
Harmoniza com saqué.

Forneria Bella Ciao
Forneria
Chef Monique Valente
Croqueta Brasileira: Porção de 04 croquetas feitas com carnes suínas, massa de feijão preto e finas tiras de couve refogadas ao bacon. Servidas com molho forte de pimenta habanero e farofinha acebolada.
Harmoniza com cerveja puro malte.

Vinhos & Co.
Wine Bar
Chef Rose Farias
Nachos Caseiros: com molho de Iogurte, tomates, cebolas e pepinos confitados.
Harmoniza com vinhos levas brancos, rosés e tintos.

Serviço:
Bar em Bar
11 a 26 de novembro
Realização: Abrasel
Apoio: Sebrae

Chef Flora Dias é a vencedora do prêmio Dólmã

A chef amapaense Flora Dias, foi a vencedora do prêmio Dolmã Nacional, final que aconteceu no Amapá na Semana Nacional da Gastronomia. Ele é um dos maiores eventos da gastronomia brasileira.

O Prêmio

O objetivo do Prêmio Nacional DÓLMÃ é reafirmar, reconhecer e valorizar a dedicação dos profissionais que se destacam na área gastronômica. O  Prêmio Dólmã Estadual ganhou a Chef Geane Gomes E o nacional a chef Flora Dias.

Conheça os vencedores do 7° Prêmio “Melhores da Gastronomia-Alcilene Cavalcante”

7° Prêmio Melhores da Gastronômia – Alcilene Cavalcante

1. Melhor restaurante
313 Restaurante

2. Melhor cafeteria
Confraria Café

3. Melhor doceria
Tatay Doces Gourmet

4. Melhor lanchonete
Benoliel pratos e lanches

5. Melhor hamburgueria
Sinner

6. Melhor sorveteira
Santa Clara

7. Melhor culinária amapaense
Amazonas Peixaria

8. Melhor açaí
Açaí do Barbosa

9. Melhor comida a quilo;
Sagrada Família

10. Melhor gastronomia internacional
Casa Lisboa

11. Melhor pizzaria
Bizzum da Pizza

12. Melhor gastronomia saudável
Varanda Bistrô

13. Melhor gastronomia oriental
Restaurante Japan
by Nagano

14. Melhor delivery
Mayumi Sushi

15. Melhor bar
Bar do Vila

16. Melhor panificadora/padaria
Bom Preço Padaria

17. Melhor buffet de eventos
Suely Buffet

 

7ª Edição do prêmio “Melhores da Gastronomia Alcilene Cavalcante” e final Nacional do prêmio Dólmã, o Oscar da gastronomia, acontecem esta noite em Macapá

Nesta sexta-feira ( 12) de agosto, profissionais e empresas destacados da gastronomia amapaense e brasileira serão reconhecidos
com o Prêmio Melhores da Gastronomia – Alcilene Cavalcante e Prêmio Nacional Dólmã, fechando a Semana Nacional da Gastronomia. O evento acontecerá na casa “Nuance Eventos”, às 19h, com jantar regional e show de Val Milhomem e banda Negro de Nós.

Pelo sétimo ano consecutivo, o “Prêmio Melhores da Gastronomia – Alcilene Cavalcante”, que tem esse nome em homenagem à dedicada jornalista, que há anos busca apoiar e informar das inovações, das boas práticas e da valorização da gastronomia local , ocorre no Amapá. Concurso organizado pelo mestre e turismólogo, Sandro Belo, executivo da Abrasel, junto com o grupo de “críticos gastronômicos ” em um “trabalho” que ocorre ao longo de 12 meses, analisando sabores, aromas, misturas, inovação, atendimento, estrutura, segurança e o resgate gastronômico do meio do mundo e da Amazônia.

O prêmio vai para  17 categorias, cujos melhores foram votados pela crítica, que são:

Melhor restaurante
Melhor cafeteria
Melhor doceria
Melhor lanchonete
Melhor hamburgueria
Melhor sorveteira
Melhor culinária amapaense
Melhor açaí
Melhor comida a quilo
Melhor gastronomia internacional
Melhor pizzaria
Melhor gastronomia saudável
Melhor gastronomia oriental
Melhor delivery
Melhor bar
Melhor panificadora/padaria
Melhor buffet de eventos

Prêmio Nacional Dólmã

São 81 chefs de cozinha de todos os estados brasileiros, finalistas nas categorias estaduais e 27 homenageados. Além de
15 chefs de cozinha finalistas nas categorias regionais e 5 homenageados.