De ovo em pé a fenômeno do Equinócio: conheça o Monumento Marco Zero do Equador, no Amapá

Ponto turístico tem um obelisco de 30 metros de altura por onde passa a linha imaginária do Equador.

Como uma espécie de relógio do sol, o Monumento Marco Zero do Equador, é um dos principais atrativos de Macapá. O obelisco com 30 metros de altura, marca a passagem da linha imaginária do Equador, que divide a capital em hemisférios Norte e Sul.

No Marco Zero também é possível contemplar o Equinócio, quando dias e noites têm a mesma duração. O fenômeno acontece duas vezes ao ano, em março, quando é chamado de “Equinócio da Primavera”, e em setembro, quando ocorre o “Equinócio de Outuno”.

A imagem do sol se alinhando perfeitamente no círculo do topo do obelisco e a projeção do raio de luz é uma das imagens mais esperadas. Neste período, o Governo do Amapá promove uma extensa programação cultural, que atrai centenas de turistas.

No monumento, é comum ver as marabaixeiras rodando a saia ao som do batuque, a principal expressão cultural do estado. O local também recebe com frequência, eventos, atividades esportivas, clubes de astronomia para observar o céu, e os fenômenos que passam pela terra como a “Superlua Azul”.

Inaugurado em 1987, há 37 anos ele é um dos principais símbolos históricos e turísticos amapaense, e de grande relevância geográfica. Uma das curiosidades do local é que um ovo pode ficar em pé. A brincadeira atrai os visitantes, que fazem questão de fazer o teste.

Alguns especialistas em física, acreditam que tudo não passa de mito, e que deixar o ovo equilibrado na estrutura que simboliza a linha do Equador, é apenas “uma probabilidade” e uma questão de várias tentativas até dar certo.

Mas há quem acredite que a curiosidade ocorre devido ao “Coriólis”, uma força aparente devido à rotação da Terra, que depende da velocidade do movimento e da latitude na qual o movimento se realiza. Essa força é zero no Equador. Mito ou verdade, basta visitar o ponto turístico.

Serviço

O Monumento Marco Zero do Equador está localizado na rotatória da Rodovia Josmar Pinto (antiga JK), na Zona Sul de Macapá. Ao lado dele, tem ainda o Estádio Milton de Souza Corrêa, o estádio Zerão.

‘Sonho abrir uma confeitaria’, diz diarista ao conhecer linha de crédito ‘Bora, Mana!’, do Governo do Amapá

O Governo do Amapá realizou neste sábado, 6, o primeiro encontro do programa ‘Bora, Mana!’, que busca impulsionar a transformação social na vida das mulheres, que representam mais de 50% da população amapaense. A iniciativa incentiva o empreendedorismo com linha de crédito para quem já tem um pequeno negócio ou deseja iniciar uma nova fonte de renda, além de promover vários cursos.

Acolhida pelo Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram), a diarista Surama Rocha comemorou a iniciativa do Governo do Estado, e conta que sonha em abrir uma confeitaria e aperfeiçoar as técnicas de produção de bolos.

“Faço bolos há uns dois anos e apareceu essa oportunidade quando fui ao Cram, então, pra mim é importante porque sonho, não é de hoje, em abrir uma confeitaria, ter meu próprio negócio. Tenho duas filhas e quero trabalhar para mim mesma, não fazer mais faxina. Assim eu terei minha renda e cuidarei delas”, disse Surama, empolgada.

O “Bora, Mana!” integra e fortalece as políticas públicas do Plano de Governo da gestão, criadas para gerar mais oportunidades. Essa é uma estratégia para transformar o empreendedorismo em ferramenta de liberdade econômica e individual. 

O programa é realizado em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-AP), que capacita e orienta as empreendedoras no desenvolvimento dos negócios, e com a articulação de emendas pelo senador Randolfe Rodrigues.

A secretária de Assistência Social do Amapá, Aline Gurgel, reforça que o programa, além de inovador, está de acordo com os objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), e procura alcançar aquelas mulheres que estão em vulnerabilidade social.

“O Governo do Amapá está apontando o caminho de empreender, porque além da qualificação com o Sebrae, também vai investir um aporte de recursos, através da emenda do senador Randolfe Rodrigues, para que essas mulheres montem o seu próprio negócio, trilhando seu próprio caminho, da independência financeira”, concluiu a gestora.

Bora, Mana!

Lançado no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, pelo governador Clécio Luís, o programa conta com uma linha de crédito pensada para impulsionar a transformação social na vida das amapaenses. O financiamento vai contemplar mulheres que já são empreendedoras e aquelas que ainda têm somente a ideia de montar o próprio negócio.

A linha de crédito do “Bora Mana” será liberada pela Agência de Fomento do Amapá (Afap). Os valores podem chegar até R$ 20 mil, com taxa de juros de 1,2% para pessoas sem restrições de crédito, e de 1,8% para mulheres que apresentam algum tipo de restrição.

Museu Vivo: Governo do Amapá prepara programação para os 22 anos de Museu Sacaca

O Museu Sacaca é um dos pontos turísticos com maior fluxo de visitação para turistas, em Macapá

O Governo do Amapá promove nesta sexta-feira, 5, uma programação interativa voltada para toda a família no Museu Sacaca, em comemoração aos 22 anos de exposição a céu aberto. Serão realizadas atividades lúdicas, científicas, culturais e exposições ao longo do dia. A programação conta com apoio do Sebrae Amapá.

Este ano, a programação traz como tema “Macapá: eu faço parte dessa história”. Entre as atrações esperadas estão o Museu Vivo, onde as ambientações ganham vida e os visitantes podem experimentar o açaí amassado tradicionalmente na Casa do Ribeirinho, a torra da mandioca na Casa da Farinha, além de degustações.

A programação também inclui passeio no barco Regatão, feira de artesanato indígena e observação de animais na Casa de Educação Ambiental.

“Estamos nos preparando para que os nossos visitantes tenham a experiência completa do que é a exposição a céu aberto. Além do açaí amassado na hora, teremos degustação de tacacá, exposição de pesquisas científicas e atrações culturais. A ideia é que a população se identifique com o que estaremos apresentando”, explica a coordenadora do Museu, Adriana Rodrigues.História

O nome “Sacaca” é uma homenagem a Raimundo dos Santos Souza, também conhecido como “Mestre Sacaca”, um conhecedor das propriedades medicinais de plantas da região e que ajudou muitas pessoas através do seu conhecimento.

A exposição no local foi aberta ao público em 5 de abril de 2002, exibindo aos turistas e visitantes artefatos e elementos que retratam o estilo de vida na Amazônia amapaense, juntamente com os estudos conduzidos pelo Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa), que administra o museu.

“O Museu é uma celebração à cultura amapaense e aos povos originários. São 22 anos de exposição e o presente maior é da sociedade amapaense, em ter, no centro da cidade, esse espaço cultural que tanto nos lembra a origem da nossa gente”, destaca o diretor-presidente do Iepa, André Abdon.

Confira a programação

  • 8h30 – Abertura;
  • 9h – Apresentação cultural do grupo de marabaixo com homenagem a senhora Madalena da Silva Souza (esposa do Sacaca in memorian) e certificação aos “Amigos do Museu”;
  • 10h – Parabéns e corte do Bolo;
  • 10h30 – Exposição e cortejo com Ladrão de Marabaixo em homenagem ao Museu Sacaca;
  • 10h40 às 17h30 – Programação do Museu a Céu com Museu Vivo em todas as ambientações; feira de artesanato e feira de agricultura familiar;
  • 18h às 21h – Happy Hour na Praça de Alimentação com apresentação regional de Osmar Júnior.

Amapá perde o desportista e dirigente cultural, professor Savino. Veja notas das autoridades do Amapá

Nota de Pesar do Savino- senador Davi Alcolumbre 

O Amapá perde hoje um dos nomes mais importantes da nossa história: Seu Savino, fundador do maior bloco de Carnaval de rua do Norte, A Banda. O que dizer de alguém que dedicou grande parte de sua vida a levar alegria para o nosso povo? Uma grande missão cumprida com amor e dedicação em quase seis décadas de existência do bloco que inunda as ruas e avenidas da cidade.

 

Meu amigo, do qual guardarei lembranças tão felizes, que você seja recebido por Deus com a mesma felicidade que tanto trouxe a todos nós. Com profunda tristeza me despeço de você e com a certeza de que seu nome e seu legado estarão presentes para sempre na memória de todo o povo amapaense.

O Amapá perdeu hoje um símbolo da nossa cultura popular. José Figueiredo de Souza, o nosso querido Savino descansou.

A folia não será mais a mesma sem a figura dele. Aos 87 anos de idade, o professor Savino fazia questão de marcar presença na sede do bloco, para ver os foliões fantasiados saírem pelas ruas de Macapá na terça-feira gorda de carnaval.

Decretei luto oficial por três dias, pois sua jornada e contribuição para a tradicional folia de rua, em especial no contexto d’A Banda, merecem todo o nosso reconhecimento.

Savino ocupava uma cadeira no Conselho Estadual de Cultura, como um legítimo representante da “Cultura Popular”. Nada mais justo, afinal, ele mesmo sempre dizia: A Banda é do povo! E tem sido assim ao longo dos 59 anos de existência do bloco.

Agora, ele se junta ao Arizinho, Cutião, Chicona, Iracema, Anhanguera, Sacaca, e tantas outras personalidades. Que o nosso querido Savino siga cantando e vendo “a Banda passar, contando coisas de amor” lá do céu.

Toda a nossa gratidão por sua contribuição à cultura amapaense. Que Deus te receba, meu amigo!

Clécio Luis- governador do Amapá

“Pra ver a A Banda passar…”

Meu querido amigo, professor Savino, nos deixou. Eu sei que os bons precisam ir, mas é dolorido demais.

O cara da A Banda, aquele que viveu o Carnaval e que lutou tanto para que a tradição continuasse, foi descansar, deixando nossos corações tristes, com aquele vazio silencioso de quando termina o Carnaval.

Eu sinto muito! Savino foi uma inspiração, aos 87 anos ele deixa o nome cravado na história e um legado que será mantido.

Meu abraço aos amigos da A BANDA, aos familiares, em especial o filho Helder e a filha Sacha, mais os filhos Héldio e o Marcelo.

A gente vai cantar, pular e dançar, levar aquela multidão às ruas, na terça-feira de Carnaval em tua homenagem, Savino!

Que seja recebido com muita festa no céu!

Senador Randolfe Rodrigues

Vereador Dudu Tavares

 

 

 

Ciclo do Marabaixo 2024 inicia com exaltação a fé e a resistência do povo negro amapaense

Com apoio do Governo do Amapá, a programação festiva iniciou neste sábado, 30, e se estende até 2 de junho.

Com o toque ritmado das caixas e no bailado das saias floridas, as festividades do Ciclo do Marabaixo 2024, maior expressão cultural do estado, iniciaram neste Sábado de Aleluia, 30, com apoio do Governo do Amapá, nos barracões dos grupos tradicionais de Macapá. A programação integra o Plano de Governo de valorização do setor cultural e das manifestações tradicionais.

CONFIRA AQUI A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO CICLO DO MARABAIXO

Com o tema: “O rufar dos tambores para além da tradição”, as celebrações que promovem um verdadeiro encontro de gerações e reúnem a comunidade em momentos de fé e resistência, seguem até o dia 2 de junho, “Domingo do Senhor”, o primeiro após o Corpus Christi. O primeiro dia do evento foi marcado pelo encontro de gerações que seguem mantendo vivas e fortalecendo as tradições do Marabaixo.

No Barracão da Tia Gertrudes, no bairro Santa Rita, os descendentes de Gertrudes Saturnino, que dá nome ao espaço, se reuniram para festejar. A coordenadora do grupo, Valdinete Costa, celebrou o início da programação com toda família, filhos, netos e irmãos.

“É muito bom estar aqui, em mais um Ciclo do Marabaixo, com toda família reunida, cheios de fé, gratidão e amor pela nossa cultura. Ver as novas gerações engajadas, desde cedo, com o movimento do Marabaixo nos incentiva e faz com que a gente continue perpetuando a nossa tradição”, disse Valdinete.

Na avenida Mendonça Furtado, as caixas rufaram no Barracão da Dica Congó, sede do grupo Raízes da Favela, irradiando animação e alegria. Para a técnica em enfermagem Daiane Braz, de 35 anos, participar a cada ano do Ciclo do Marabaixo é uma sensação gratificante.

“É uma grande satisfação estar mais um ano participando, mais um ano festejando e manifestando a nossa cultura e tradição, que é a maior expressão cultural que o estado tem”, ressaltou a marabaxeira.

 

A abertura do Ciclo do Marabaixo 2024 também contou com celebrações nos barracões da Casa Grande, no Curiaú, e em Campina Grande. Este ano a festividade é coordenada pelos grupos Berço do Marabaixo, Raízes da Favela (Dica Congó), Marabaixo do Pavão, Raimundo Ladislau, União Folclórica de Campina Grande (UFCG) e Santíssima Trindade, da comunidade de Casa Grande.

A programação segue neste domingo, 31. Desta vez, as caixas rufam nos barracões dos grupos Marabaixo do Pavão e Raimundo Ladislau, no bairro do Laguinho, a partir das 16h.

Homenagem

Além das tradicionais celebrações, o primeiro dia do Ciclo do Marabaixo 2024 foi de homenagens, em todos os barracões, ao presidente da Associação Marabaixo da Juventude, Alan Loureiro, que faleceu neste sábado, 30.

Cantador de Marabaixo e compositor de “ladrões”, Alan Loureiro, era do Igarapé do Lago, em Santana, berço do Marabaixo, e ecoou sua voz nas rodas e festividades pelo estado, ao som dos tambores, a tradição e a história deste símbolo da cultura negra e do povo amapaense.

Presença marcante durante o Ciclo do Marabaixo, participava ativamente nas tradicionais casas de marabaixo Raízes da Favela, Dica Congó, União Devotos de Nossa Senhora da Conceição e União Folclórica Igarapé do Lago.

Ciclo do Marabaixo

A tradição traz o culto pelo Divino Espírito Santo e à Santíssima Trindade, com missas, ladainhas, cortejo da murta e o levante e corte de mastros nas matas. As rodas de marabaixo, gengibirra e o caldo de carne, conhecido como o tradicional “cozidão”, também integram essa importante manifestação cultural e religiosa.

O Ciclo do Marabaixo é realizado pelos grupos Berço do Marabaixo, Raízes da Favela (Dica Congó), Marabaixo do Pavão, Raimundo Ladislau, União Folclórica de Campina Grande (UFCG) e Santíssima Trindade, da comunidade de Casa Grande.

Patrimônio cultural

Em 2018, o marabaixo recebeu o título de patrimônio cultural brasileiro do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A certificação reconhece a presença das ancestralidades africanas na formação social e cultural do Amapá e da Amazônia. Além disso, pode assegurar condições de transmissão e reprodução dessa manifestação cultural.

Semana Santa: Governo do Amapá divulga horários de funcionamento dos pontos turísticos durante o feriado prolongado

Marco Zero, Trapiche do Santa Inês e Deck do Curiaú são opções que estarão disponíveis para visitação.

Com o feriado prolongado pela Semana Santa, neste fim de semana, alguns dos principais pontos turísticos do estado podem ser uma ótima opção de lazer e cultura. O Governo do Amapá divulga os horários de funcionamento dos espaços durante o período de sexta-feira, 28, até domingo, 31. Manter os lugares de visitação disponíveis para o público faz parte do incentivo e desenvolvimento do turismo, previsto no Plano de Governo.

Monumento Marco Zero, um dos principais pontos turísticos do estado, localizado na Zona Sul de Macapá, que marca o lugar por onde passa a Linha do Equador, ficará aberto à visitação das 8h às 19h, todos os dias do feriado e fim de semana.Trapiche do Santa Inês, localizado na orla da cidade, vai funcionar no horário normal de 6h à 0h e pode ser uma alternativa de passeio em família para contemplar a beleza do Rio Amazonas.

Quem quiser aproveitar para tomar um banho de rio e ter um contato com a natureza e a cultura histórica, o Deck do Curiaú, pode ser a escolha. O espaço, que foi inaugurado pelo Governo do Amapá em 2023, funcionará de quinta a domingo das 8h às 20h.A maior fortificação do Brasil, que completou 242 anos, no dia 19 de março, a Fortaleza de São Joséde Macapá, estará fechada para visitação nesta quinta-feira, 28, e na sexta-feira, 29, e reabre sábado, 30, e domingo, 31, das 8h às 17h.

Na sexta-feira, 29, a área externa, no Anfiteatro da Fortaleza, será palco da tradicional peça teatral “Uma Cruz Para Jesus”, às 18h30. Realizada pela Companhia Teatro de Arena, o espetáculo é considerado um dos maiores à céu aberto na Semana Santa, com encenação da vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo. A peça completa 45 anos de exibições no Amapá, em 2024.

Outra opção, para toda família e especialmente para a criançada, é o Museu Sacaca, que vai abrir de sexta-feira à domingo das 8h30 às 17h. Localizado em plena área urbana da cidade, o lugar permite o contato com a natureza e conhecer um pouco da vida das comunidades tradicionais do Amapá.

Museu Joaquim Caetano vai funcionar somente no sábado, 30, de 8h às 17h.

Casa do Artesão, localizada na Beira Rio de Macapá, funcionará em dias alternados neste feriado prolongado. O espaço, que apresenta uma vasta exposição de peças produzidas por artesãos amapaenses, estará aberto nesta quinta-feira, 28, e no sábado, 30, o funcionamento vai das 8h às 19h. Depois, o atendimento ao público retoma na segunda-feira, 1º de abril, com a comercialização de artesanato.

De planetário móvel a cicloturismo: confira a programação do Equinócio das Águas, promovida pelo Governo do Amapá

O fenômeno acontece duas vezes ao ano no Amapá, em março e em setembro

O Governo do Amapá promove nesta quarta-feira, 20, uma programação especial do Equinócio das Águas, fenômeno que marca a troca das estações nos hemisférios Norte e Sul. Durante o fenômeno, o sol incide diretamente sobre a linha do Equador, fazendo com que o dia e a noite tenham a mesma duração.

Na programação, coordenada pela Secretaria de Estado do Turismo (Setur), serão realizadas oficinas, visitas ao planetário móvel, show de física com experimentos, exposição com telescópios, rapel no Monumento do Equador, visita guiada, espaço gastronômico e o 1º Circuito de Cicloturismo do Meio do Mundo.

O equinócio acontece duas vezes ao ano no Amapá: março e setembro, sendo uma das principais atrações turísticas do estado. O evento conta tanto com a presença da comunidade amapaense como de visitantes de outros estados e países.

Confira a programação para o Equinócio das Águas 2024: 

Quarta-feira, 20  

  • 8h às 18h – Planetário móvel, coordenado pela Setec
  • 8h às 18h – Oficina interativa sobre o Equinócio, coordenada pelo Instituto Federal do Amapá
  • 8h às 19h – Exposição de telescópios, coordenada pelo Clube de Astronomia Mirzam
  • 1º Circuito de Cicloturismo no meio do mundo, coordenado pela IM Consultoria
  • 8h às 19h – Rapel no meio do mundo, coordenado pela Amazônia ao Extremo
  • 8h às 19h – Visita guiada com guias de turismo
  • 8h às 19h – Gastronomia com exposições da Sete e Abrasel
  • 17h30 às 18h30 – Show de física e experiência lúdica com o público, coordenado pelo Ifap

 

Governo do Estado celebra 242 anos da Fortaleza de São José de Macapá com valorização da cultura popular amapaense

Programação começa na segunda-feira, 18, com missa e exposições artísticas.
A Fortaleza de São José, maior fortificação do Brasil, completa 242 anos de existência nesta terça-feira, 19. Localizado às margens do Rio Amazonas, o monumento histórico é um dos cartões postais mais importantes do Amapá. Para celebrar a data, o Governo do Amapá preparou uma programação especial que valoriza a cultura popular.

O evento começa na segunda-feira, 18, com programação aberta ao público.Haverá missa, exposição de artesanatos indígenas, de plantas ornamentais e medicinais, de obras da Galeria de Artes Samaúma e do artista Keka Cantuária.”. Construída para proteger as fronteiras do ‘Cabo Norte’, como era conhecido o Amapá no período colonial, a Fortaleza de São José de Macapá é a única do seu tipo no Brasil e representa um importante símbolo da formação territorial do país.

Para a  secretária de Estado da Cultura, Clicia Vieira Di Miceli, a programação com foco na cultura popular é um reconhecimento à trajetória da miscigenação amapaense e à necessidade da manutenção de espaços culturais.

“Nesta fortificação estão gravados momentos históricos, episódios singulares que fazem parte da nossa memória e identidade. Atualmente, este patrimônio passa por um processo de requalificação que visa tanto à preservação, quanto a sua aproximação com a população. Isso contribui para o desenvolvimento da nossa cultura e para a construção de um futuro mais próspero para o Amapá, onde este espaço também se tornará abrigo seguro para a convivência e para o fazer cultural”, destaca Clicia.

A gerente do Museu da Fortaleza, Flávia Souza, explica que a programação busca dar visibilidade aos povos originários e afro-brasileiros, reconhecendo sua importância na história e na cultura do Amapá, remarcando assim a representatividade e novos significados deste patrimônio.

“Precisamos assegurar a visibilidade dos povos indígenas e afro-brasileiros em um monumento histórico, principalmente nesta data tão significativa. Reconhecemos que nossa cultura é majoritariamente composta por esses povos, que simbolizam resistência e luta. É crucial desenvolver ações de preservação da história e da cultura contextualizadas pela memória associada à formação do povo amapaense e à construção desta fortaleza. Hoje, ela também é um espaço de convivência ressignificado por novos usos e pelo pertencimento à identidade do nosso estado”, ressaltou Flávia.

Fortaleza de São José de Macapá

Inaugurada no dia 19 de março de 1782, a Fortaleza de São José ocupa uma área extensa de quase 30 mil metros quadrados, sendo um dos mais antigos pontos turísticos da capital amapaense. A fortificação foi tombada pelo Instituto de Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) em 22 de março de 1950, em um ato de reconhecimento a sua importância histórica e arquitetônica.

Em 2007, o local se tornou um museu. Nos dias atuais, a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) é o órgão público responsável pelo monumento.

Confira a programação do aniversário de 242 anos da Fortaleza de São José de Macapá:

Segunda, 18

  • Feira de Artesanato Indígena – Hora: 15h às 18h
  • Missa em celebração aos 242 anos da Fortaleza de São José de Macapá – Hora: 16h

Terça-feira, 19

  • Exposição da Galeria de Artes Samaúma e do artista Keka Cantuária – Hora: 10h às 18h
  • Feira de Artesanato Indígena – Hora: 10h às 18h
  • Exposição de plantas ornamentais e medicinais – Hora: 10h às 18h
  • Roda de capoeira – Hora: 16h
  • Apresentação do grupo Banzeiro Brilho de Fogo – Hora: a partir das 16h30

Startup20 no Amapá: dança tradicional indígena e batuque do marabaixo encantam delegações das maiores potências do mundo

Vários países puderam conhecer a riqueza da cultura amapaense

A dança e a música histórica dos povos indígenas do Parque do Tumucumaque e do marabaixo dos remanescentes quilombolas mostraram a força das raízes do Amapá ao mundo, na abertura oficial do Startup20 no estado, o único da Amazônia a receber o encontro internacional. A mistura de passado e futuro encantou e entusiasmou as delegações das maiores potências econômicas mundiais nesta sexta-feira, 23, durante as apresentações culturais.

Autoridades e representantes de várias nações puderam conhecer a riqueza da cultura amapaense com o grupo de dança Wayana Aparai e os grupos de marabaixo Raimundo Ladislau e Raízes da Favela, acompanhados pela banda Negro de Nós.

Os indígenas do Wayana Aparai encantaram o público ao entrar entre os convidados, entoando o som e fazendo os passos típicos das danças tradicionais realizadas nas aldeias. O grupo fala a língua materna de tronco linguístico Karibe.

Eles vivem na margem do Rio Paru de Leste, localizados na terra indígena do Parque do Tumucumaque, e Rio Paru d’Este, no Sul do Amapá e extremo do Norte do Pará, já na fronteira do Brasil com o Suriname.

FOTOS: confira como foi a abertura do Startup20 no Amapá, único estado da Amazônia a receber a reunião do G20

O grupo indígena apresentou as expressões e danças tradicionais respeitando seus ancestrais, mantendo a cultura de seus povos viva e sendo repassada através de gerações.

O americano e especialista em Desenvolvimento de Negócios, Arthur Martirosian, ficou encantado com os grupos indígenas e de marabaixo e planeja voltar e viajar pela Amazônia para conhecer ainda mais o Amapá, e o desenvolvimento sustentável que vem mostrando ao mundo.

“É realmente incrível como podemos alinhar a tecnologia e inovação com a cultura de diferentes países. O Brasil possui todos os tipos de pessoas, e isso é fascinante! Espero conseguir voltar aqui, e poder viajar pelo Rio Amazonas e conhecer as lindas florestas”, contou animado, Martirosian.

Os grupos de marabaixo Raimundo Ladislau e Raízes da Favela, acompanhados pela banda Negro de Nós, não deixaram ninguém ficar parado. As saias floridas e rodopiantes tomaram conta da cerimônia de abertura do Startup20 e apresentaram a expressão cultural repleta de resistência e significado ao mundo.

Músicas como “Sacode a Saia Morena” e “Rosa Branca Açucena” fizeram os estrangeiros improvisarem passos ao som das caixas de marabaixo. Além disso, delegados e convidados também puderam se afeiçoar ao ritmo contagiante.

Para o analista de Inovação que veio do estado de Rondônia, Rangel Miranda, a cultura afro-amapaense é rica demais e precisa ser preservada por gerações.

“Essa conexão que o ritmo faz com as pessoas, independentemente de qual parte do mundo é, mostra como o Amapá é rico em expressões artísticas. Hoje, este estado é o berço da inovação, e este momento singular marca a história cultural e tecnológica”, afirmou Rangel.

Confira a programação cultural do Startup20 no Amapá:

Sábado, 24

  • 10h30 – Apresentação de Cley Lunna durante o coffee break
  • 12h30 – Apresentação de Brenda Melo durante almoço
  • 15h30 – Apresentação do grupo de dança Afro Baraká e João Amorim durante o coffee break

Domingo, 25

  • 10h30 – Apresentação de Deize Pinheiro e grupo de dança Afro Baraká no coffee break
  • 12h30 – Apresentação de Ariel Moura e grupo de dança Afro Baraká no almoço
  • 15h30 – Apresentação do grupo Poetas Azuis e grupo de dança Afro Baraká e Waiana Apalai no coffee break.

Startup20 

O Amapá é sede do maior evento de inovação e tecnologia do mundo. O encontro internacional, inédito no Brasil, reúne autoridades e representantes de vários países para debater alternativas inovadoras para o planeta e é uma pré-COP30 para o estado, candidato a receber eventos da Conferência do Clima, da Organização Mundial das Nações Unidas (ONU), que será no Pará em 2025.

A iniciativa global, que teve sua primeira edição na Índia, faz parte das ações do Grupo de Engajamento Startup 20, criado pelo G20, organização das maiores economias do mundo, que conta também com outras nações da União Europeia e Africana.

A cerimônia de abertura recebeu a presença de várias autoridades, entre elas, o ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes; o senador Randolfe Rodrigues; o vice-presidente do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), desembargador Mário Mazurek; procurador-geral de Justiça do Ministério Público Estadual, Paulo Celso Ramos; a deputada estadual, Edna Auzier; a presidente da Abstartup, Ingrid Barthdo; o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-AP, Josiel Alcolumbre e a diretora-superintendente do Sebrae-AP, Alcilene Cavalcanti.

‘O Amapá é estratégico para expansão dos negócios inovadores na Amazônia’, aponta diretora-executiva da Associação Brasileira de Startups

Potencialidades ambientais do Amapá foram outro fator decisivo para a escolha do estado como sede

A partir desta sexta-feira, 23, o Amapá é sede do maior evento internacional de inovação e tecnologia, o Startup 20, realizado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups), em parceria com o Governo do Amapá e o Sebrae. O potencial de empreendedorismo e as políticas de desenvolvimento sustentável do estado amazônico foram fatores decisivos para a escolha do local do evento, que, até segunda-feira, 26, reúne 85% do Produto Interno Bruto mundial.

VEJA AQUI A PROGRAMAÇÃO DA STARTUP20

As startups são empreendimentos transformadores, com impacto social e que solucionam problemas. Até 2022, o Amapá registrou 41 empreendimentos deste tipo em atividade, com geração de 500 empregos diretos e indiretos, de acordo com a pesquisa ‘Cenários das Startups no Amapá’, realizada pelo Sebrae. A diretora-executiva da Abstartups, Mariane Takahashi, destaca a força amapaense no cenário de negócios inovadores.

‘O Amapá é estratégico para fortalecer a expansão dos negócios inovadores em toda a região amazônica e, para nós, abranger a Amazônia é muito importante’, pontua Mariane.

Mais inovação

A pesquisa aponta, ainda, que 54% das startups em atividade no estado foram iniciadas em 2022. Isso aponta para um cenário com empreendimentos novos, iniciando o processo de consolidação no mercado. De acordo com a Abstartups, Macapá é a segunda cidade com mais negócios inovadores no Norte do Brasil, atrás apenas de Manaus.

“O Amapá foi escolhido a dedo para sediar esse evento porque possui startups extremamente organizadas e engajadas por profissionais que vêm desenvolvendo um trabalho fenomenal, mostrando como o empreendedor brasileiro é brilhante”, frisou a presidente da entidade, Ingrid Barth.

Startup20 no Amapá

O Amapá é sede do maior evento de inovação e tecnologia do mundo, o Startup20, promovido pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) em parceria com o Governo do Estado e o Sebrae. O evento internacional, inédito no Brasil, reúne autoridades e representantes de vários países para debater alternativas inovadoras para o planeta. A programação contará com painéis, palestras, debates e visitas técnicas até segunda-feira, 26.

Em 2023, durante a 52ª Expofeira do Amapá, o Governo do Estado, que desenvolve políticas públicas de incentivo à inovação, empreendedorismo e a bioeconomia, assinou uma Carta de Intenção que formalizou a realização, em solo amapaense, do encontro que abre oficialmente uma série de eventos do Startup20, que ocorrerão no país, durante o ano.

A iniciativa global, que teve sua primeira edição na Índia, faz parte das ações do Grupo de Engajamento Startup 20, criado pelo G20, organização das maiores economias do mundo, que conta também com outras nações da União Europeia e Africana.

Inscrições para os editais da Lei Paulo Gustavo são prorrogadas até o dia 8 de março

Os editais foram lançados em dezembro do ano passado e visam fomentar os atores culturais do estado.


Com inscrições prorrogadas até o dia 8 de març
o, os editais da Lei Paulo Gustavo (LPG) vão contemplar iniciativas culturais com fomentos e premiações. Interessados devem se inscrever pelo site da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), no endereço https://secult.portal.ap.gov.br/.  

Produtores e agentes culturais podem se inscrever em dois editais: o “Latitude Zero”, que é voltado para produção audiovisual, e o “Maré Cheia”, que premiará aqueles que tenham prestado contribuição ao desenvolvimento artístico e cultural do Estado do Amapá.

Serão investidos na cultura do estado do Amapá, para os 16 municípios, R$ 5.675.000,00 (cinco milhões, seiscentos e setenta e cinco mil reais) no edital Maré Cheia, no qual serão beneficiadas 835 trajetórias culturais. Já no edital Latitude Zero serão investidos R$ 15.115.000,00 (quinze milhões, cento e quinze mil reais) e contemplará 334 projetos culturais. Ao todo serão mais de R$ 22 milhões para projetos e artistas amapaenses.

Para auxiliar no processo de inscrição e tirar dúvidas sobre os editais, a Secult iniciou na segunda-feira (19) a busca ativa e formação de atores culturais, com sete equipes em todo estado e uma base na capital, na Casa do Artesão – sala de Coordenação, localizada na Rua Francisco Azarias da Silva Coelho, s/n, Centro. O atendimento será das 9h às 12h e das 13h às 16h, de segunda a sexta-feira.

Estes editais são frutos das oitivas que ocorreram ano passado em diversos municípios do Estado do Amapá. Através da participação popular foi possível garantir políticas afirmativas e inclusivas com promoção de acessibilidade, onde serão destinadas 20% de vagas para cota étnico-racial, 10% de vagas para indígenas, além de bonificação para comunidade ribeirinhas, quilombolas e outras comunidades tradicionais e de áreas atingidas por situações climáticas.

Para mais informações e dúvidas, a Secretaria de Estado da Cultura está disponibilizando dois canais de comunicação: o [email protected] e o telefone (96) 98415- 1691, que é WhatsApp.  

Adryany Magalhães

Contato: (96) 991445442

Em 2024, ‘A Banda’ reforça políticas de inclusão e traz homenagem aos 80 anos de criação do Amapá

Em 2024, ‘A Banda’ reforça políticas de inclusão e traz homenagem aos 80 anos de criação do Amapá


As ruas de Macapá serão tomadas por uma maré humana nesta terça-feira, 13, em mais uma edição de ‘A Banda’, o maior bloco de carnaval de rua da região Norte . Em 2024, a manifestação cultural reforça a importância da inclusão de pessoas com deficiência e homenageia os 80 anos de criação do Amapá nos adereços de um dos tradicionais bonecos que fazem parte da tradição de 59 anos.

O Governo do Estado apoia ‘A Banda’, que espera reunir mais de 150 mil foliões para dançar e se divertir no ritmo dos tamborins com muita cor e fantasias irreverentes, espalhando alegria pelo Centro da cidade. Um dos destaques deste ano é o ‘Bloco Medida Protetiva’, promovido pela Secretaria de Estado de Políticas para Mulheres, que enfatiza o lema ‘Não é não’, contra a importunação sexual.

“Este ano, A Banda também reforça o combate a qualquer tipo de preconceito ou assédio”, afirma o secretário do bloco, Helder Savino.

Durante o trajeto, a Superintendência de Vigilância e Saúde (SVS) prevê a distribuição de mais de 20 mil preservativos masculinos por meio de dispensadores, em um incentivo à prevenção contra Infecções Sexualmente Transmissíveis.

Tradição

A Banda surgiu em 1965, criada por um grupo de amigos, em um jogo de carteado e é conhecida pelos seus tradicionais bonecos, com metros de altura. Ao todo, são nove personalidades homenageadas. Há, ainda, cinco trios elétricos e artistas locais. Antes do bloco iniciar sua passagem pelas ruas, a organização serve um caldo para garantir energia aos foliões.

A concentração começa às 8h, na Avenida Iracema Carvão Nunes, com a expectativa de término às 19h, na sede do bloco. O percurso inicia na praça Veiga Cabral, passando pelas ruas Cândido Mendes, Henrique Galúcio, Tiradentes, Avenida Feliciano Coelho, Rua Leopoldo Machado e finalizando na Avenida Ernestino Borges.

Segurança reforçada

De acordo com o Plano Operacional de Segurança para o Carnaval, A Banda contará com policiamento a pé, motorizado, aéreo e de trânsito, com barreiras em locais estratégicos e atuação da Operação Lei Seca.

No bloco, serão três ambulâncias, sendo duas de suporte avançado e uma intermediária. O Hospital de Emergências (HE) de Macapá será a unidade de retaguarda para atender os casos de urgência e emergência. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Sul ficará responsável por receber os casos de média complexidade registrados pelas equipes.

Carnaval 2024

Como incentivo para a cultura, o turismo e a economia, em dezembro, o Governo do Amapá destinou R$ 4,5 milhões para o Carnaval 2024. O recurso foi entregue diretamente às 10 agremiações em uma parcela única, por meio da Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (Liesap).

As apresentações, marcadas para os dias 9 e 10 de fevereiro, acontecem na Avenida Ivaldo Veras, no Sambódromo, que voltou a receber, em 2023, a programação carnavalesca. A estrutura foi revitalizada após oito anos para receber o tradicional desfile das escolas.

‘Mostramos a potência que é o Carnaval do Amapá’, celebra governador na abertura do desfile das escolas de samba

Governador Clécio Luís celebrou as escolas de samba na Avenida Ivaldo Veras

No Carnaval 2024 – Amapá 80 Anos, o governador Clécio Luís celebrou na pista a primeira noite de desfiles das escolas de samba do Amapá na sexta-feira, 9. Para o gestor, o investimento público reconhece e evidencia a festa por sua grandiosidade cultural, artística, econômica e histórica.

“Neste fim de semana, a Avenida Ivaldo Veras é o berço da alegria, da felicidade, de um espetáculo maravilhoso. Mostramos a potência que é o Carnaval do Amapá, que segue sendo um dos melhores do Brasil”, destacou Clécio.

O desfile no Sambódromo de Macapá é promovido pela Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (Liesap) em parceria com Governo do Estado, senador Davi Alcolumbre e Sebrae.

Uma das maiores festas do país, o Carnaval integra a economia criativa, envolvendo setores como a gastronomia, a indústria têxtil e os artistas. A cada R$ 1 investido, a expectativa é de R$ 4 a R$ 7 de retorno para o estado, em impostos, emprego e renda.

Para as festas carnavalescas em todo o estado, o Governo mobilizou as forças de segurança, com mais de 2,4 mil agentes e equipamentos tecnológicos. Também houve reforço da assistência em saúde, com mais equipes do Hospital de Emergências (HE) de Macapá e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu); além de trabalhar com ambulâncias de suporte avançado e ponto fixo de saúde.

“O Carnaval tem uma cadeia produtiva gigantesca, com muita gente empreendendo, desde a preparação do desfile até hoje, e que fomenta o comércio local. Além da felicidade, da alegria, da beleza, da geração de emprego e renda, da apoteose dessa festa, nós queremos um Carnaval de paz. Para isso nós organizamos todo um esquema de segurança, com muita tecnologia e um bom efetivo. Tudo foi preparado da melhor forma para o povo do Amapá”, pontuou o governador.

Carnaval 2024
Em 2024, o Governo do Amapá investe R$ 5,8 milhões no desfile das escolas de samba, fruto de articulação do senador Davi Alcolumbre. O investimento foi entregue diretamente às 10 agremiações em uma parcela única, por meio da Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (Liesap). A programação também conta com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Fique por dentro das notícias do Governo do Amapá no ==> Instagram e Facebook.
Tá no ZAP ==> Entre no grupo de WhatsApp e receba notícias em primeira mão aqui!

Guia do Carnaval 2024: veja escolas, enredos e serviços do Governo do Amapá no 1º dia de desfiles



Em um espetáculo de cores, brilho, criatividade e muita alegria, o Sambódromo de Macapá recebe nesta sexta-feira, 9, o desfile oficial das escolas de samba do Amapá. O primeiro dia contará com cinco agremiações: Embaixada de Samba, Império da Zona Norte, Império do Povo, Piratas Estilizados e Boêmios do Laguinho. As apresentações iniciam a partir das 22h.

A realização é da Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (Liesap) com apoio direto do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Dez agremiações vão passar pela Avenida Ivaldo Veras nos dois dias de desfiles.

Como incentivo à cultura, ao turismo e à economia, o Governo do Amapá está investindo em toda a programação do Carnaval 2024. São mais de 12 milhões do Tesouro Estadual e de emendas articuladas pelo senador Davi Alcolumbre.

Além disso, o Estado montou um forte esquema de segurança, trânsito, atendimento de saúde e outros serviços para garantir um ambiente do jeito que os amapaenses merecem. Confira:

Segurança Pública

O governador Clécio Luís apresentou o Plano Operacional para o Carnaval 2024. São cerca de 2,4 mil agentes atuando para garantir a tranquilidade da população nos eventos carnavalescos em todo o estado. O efetivo envolve as polícias Militar, Civil, e Científica; Grupo Tático Aéreo (GTA) e Corpo de Bombeiros.

O planejamento conta com policiamentos a pé, motorizado, aéreo e de trânsito, com barreiras em locais estratégicos e atuação da Operação Lei Seca. As estratégias envolvem ainda o uso de aparatos tecnológicos, como drones, câmeras para monitoramento de pessoas usando tornozeleiras eletrônicas e videomonitoramento com reconhecimento facial.

O reforço na segurança durante a folia, não reduz os serviços ordinários de patrulhamento nos bairros da capital, que seguem normalmente.

Trânsito

Para organizar o tráfego de veículos durante os desfiles, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AP) alerta para as mudanças que serão feitas no entorno do Sambódromo, a partir das 12h desta sexta-feira, 9, até às 7h de domingo, 11.

As ações de orientação e fiscalização do trânsito serão realizadas pelos agentes do Detran, Batalhão de Trânsito (BPTran) e Batalhão de Policiamento Rodoviário do Estado (BPRE) da Polícia Militar. Haverá ações específicas também da Operação Lei Seca, com intuito de coibir condutores alcoolizados no trânsito.

Saúde

Para o desfile das escolas de samba, na sexta-feira, 9, e no sábado, 10, duas ambulâncias de suporte avançado e um ponto fixo de saúde estarão disponíveis para a atender a população, no Sambódromo de Macapá. O posto fixo será equipado com macas, medicamentos e itens para acolher quem procurar o serviço médico durante o evento.

O Governo também reforçará as ações preventivas com a distribuição de 700 mil preservativos. O aporte foi repassado pelo Ministério da Saúde.

A mobilização busca prevenir as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). A distribuição dos preservativos inicia nesta sexta-feira, 9, no Sambódromo, sob a coordenação da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS).

Proteção e acolhimento

Toques não autorizados, beijos forçados e até abusos mais graves serão combatidos durante toda a programação do Carnaval 2024, em Macapá. O período é de alegria e não de violência, por isso, o Governo do Estado reforçou medidas para garantir um ambiente seguro, especialmente para as mulheres.

Nos desfiles oficiais das escolas de samba, a Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres levará orientação jurídica, atendimento psicológico e divulgação das políticas de proteção à mulher com a Carreta da Mulher. O objetivo de coibir crimes de violência, importunação sexual e oferecer acolhimento para as vítimas.

Além disso, o bloco “Medida Protetiva”, da secretaria vai abrir os dois dias de desfiles e contará com a participação da Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCCM), Ouvidoria da Mulher do Tribunal da Justiça do Amapá (Tjap) e Ministério Público do Amapá. A ideia é massificar a importância do instrumento que faz parte da Lei Maria da Penha, criada em 2006, para o enfrentamento à violência doméstica e punição ao agressor.

Confira a ordem, enredo e os horários do primeiro dia:

1 – Embaixada de Samba – 22h

O enredo “Macapá querida, cidade cheia de vida” é inspirado em uma obra de 1997, de João Silva e Ivo Canuti, a apresentação vai retratar a cidade de Macapá do ponto de vista da saudade. As alegorias remeterão à antiga estrutura arquitetônica de Macapá, com casarões, praças, bares, comércio, cultura e costumes. 

A escola vem com:

  • Brincantes: 1 mil
  • Alas: 11
  • Alegorias: 1 carro e 4 tripés

OUÇA E CANTE O SAMBA-ENREDO AQUI

2 – Império da Zona Norte – 23h35

A Independente Império da Zona Norte busca a vitória no Grupo de Acesso neste ano com o enredo “Bem-vindo a Tartarugalzinho: Terra do Mineiro, o Grande Pioneiro”, que contará a trajetória do empresário Altamir Rezende, o “Seu Mineiro”, um dos pioneiros no desenvolvimento econômico de Tartarugalzinho. A proposta é recriar mitos, lendas, belezas, festividades e personalidades tradicionais da região. 

A escola vem com:

  • Brincantes: 1,2 mil
  • Alas: 8
  • Alegorias: 2 carros e 2 tripés

OUÇA E CANTE O SAMBA-ENREDO AQUI

3 – Império do Povo – 1h10

Com o enredo “A Folia da Mãe de Deus da Piedade”, a Império do Povo vai celebrar a história de resistência da comunidade do Igarapé do Lago, localizada no limite do município de Santana com a capital, Macapá. Entre as novidade deste ano, estão as fantasias que foram doadas por meio do projeto social “Fabricando Carnaval”, realizado dentro do barracão da agremiação em 2023. São beneficiadas cerca de 300 pessoas.

A escola vem com:

  • Brincantes: 1,2 mil
  • Alas: 13
  • Alegorias: 2 carros e 2 tripés

OUÇA E CANTE O SAMBA-ENREDO AQUI

4 – Piratas Estilizados – 2h45

O enredo “Energia que conduz a paixão alaranjada” celebra os 50 anos da agremiação com um mergulho nas raízes da mitologia grega, explorando a conexão entre os deuses, as forças naturais e a espiritualidade. A apresentação tem como referências as histórias de Thor, deus pertencente a mitologia nórdica e associado aos trovões e às batalhas. 

A escola vem com:

  • Brincantes: 1,2 mil
  • Alas: 10
  • Alegorias: 2 carros e 2 tripés

OUÇA E CANTE O SAMBA-ENREDO AQUI 

5 – Boêmios do Laguinho – 4h20

O enredo “Lindo Igarapé: das mulheres, dos poetas, da cultura e da fé” busca destacar as influências marcantes da cultura marajoara do primeiro bairro da capital construído fora da região central. O desfile vai resgatar o pioneirismo feminino do igarapé, inspirado na composição de Osmar Júnior. A fé será representada pela devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que hoje dá nome ao bairro. 

A escola vem com:

  • Brincantes: 1,2 mil
  • Alas: 10
  • Alegorias: 2 carros e 2 tripés

OUÇA E CANTE O SAMBA-ENREDO AQUI 

Fique por dentro das notícias do Governo do Amapá no ==> Instagram e Facebook.
Tá no ZAP ==> Entre no grupo de WhatsApp e receba notícias em primeira mão aqui!

Governador Clécio Luís apresenta Plano Operacional de Segurança para o Carnaval; serão mais de 2,4 mil agentes envolvidos

Estratégia prevê aparato tecnológico, com uso de drones e videomonitoramento com reconhecimento facial.


O governador do Amapá, Clécio Luís, junto com representantes das Forças de Segurança do Estado, apresentou nesta quinta-feira, 8, o Plano Operacional da Segurança Pública para o Carnaval 2024. Serão mais de 2,4 mil agentes atuando para garantir a tranquilidade da população nos eventos carnavalescos em todo o estado. A apresentação aconteceu no Sambódromo de Macapá.

Para as maiores programações na região metropolitana de Macapá, como os desfiles das escolas de samba, A Banda, e o Carnaval de Santana, o plano conta com policiamento a pé, motorizado, aéreo e de trânsito, com barreiras em locais estratégicos e atuação da Operação Lei Seca.

As estratégias envolvem o uso de aparatos tecnológicos, como drones, câmeras para monitoramento de pessoas usando tornozeleiras eletrônicas e videomonitoramento com reconhecimento facial. A expectativa é que cerca de 500 mil pessoas participem dos eventos carnavalescos no Amapá, de acordo com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

“Nós estamos apresentando para a população todo o nosso aparato para que tenhamos um carnaval seguro. Está organizado o planejamento estratégico da segurança, que utiliza drones, câmeras de reconhecimento facial, um destacamento de viaturas e pessoal para garantir a segurança dos brincantes que irão participar dos maiores eventos de carnaval na Região Metropolitana de Macapá, além das festas carnavalescas em outros municípios do estado”, reforçou Clécio Luís.Folia segura

Entre as estratégias definidas pela Sejusp, haverá o chamado ‘policiamento velado’, com os agentes dos setores de Inteligência das polícias infiltrados entre a população para evitar eventuais ocorrências e identificar possíveis criminosos.

Ainda dentro do esquema de segurança, as Delegacias de Polícia Civil garantem reforço nas escalas, principalmente nas especializadas e nas equipes de perícia. A população também terá assegurado os atendimentos de primeiros socorros e pré-hospitalares.

Em municípios como Mazagão, Porto Grande, Laranjal do Jari, Vitória de Jari e Calçoene, que apresentam atrações com grande quantitativo de brincantes, a atenção da Segurança Pública foi redobrada.

Todo o planejamento conta com efetivos da Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Científica, além do Corpo de Bombeiros (CBM), Grupo Tático Aéreo (GTA) e Instituto de Administração Penitenciária (Iapen).Policiamento preventivo e ostensivo

O esquema de segurança para o período carnavalesco não irá interferir no policiamento preventivo e ostensivo, já feito normalmente nas cidades do Amapá, garantiu o secretário de Segurança Pública, José Neto. A Sejusp ressalta, ainda, que os militares envolvidos no Plano Operacional estarão trabalhando com escala remunerada extraordinária, assegurada pelo Governo do Estado.

“Mais de 500 mil pessoas devem participar dos eventos carnavalescos no Amapá. Por exemplo, em cada dia de desfiles no Sambódromo, esperamos mais de 50 mil foliões. Tudo foi pensado para garantir o bom divertimento, com segurança para a população e suas famílias. Nossa meta é proporcionar um carnaval de paz para nosso estado”, assegurou o gestor.Corpo de Bombeiros

O efetivo militar do Corpo de Bombeiros irá atuar com 390 militares, com atendimento e pré-hospitalar garantindo os primeiros socorros às pessoas que, por ventura, passem mal durante os eventos.

O efetivo também irá atuar com observadores de risco durante os eventos, ou seja, profissionais treinados para vigiarem áreas e materiais com potencial risco de incêndio, explosão, choques elétricos.

Os profissionais estarão dispostos a indicar as rotas de saída e as ações necessárias para a população deixar em segurança os locais que possam oferecer algum perigo.

Polícia Militar

A Polícia Militar irá atuar com 1.357 policiais, com apoio de 110 viaturas, incluindo a Unidade Móvel de Monitoramento, policiamento a pé e motorizado, com ações preventivas e ostensivas.
Além disso, os batalhões continuarão atendendo eventuais ocorrências registradas pelo Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes), através do 190.Polícia Civil

As Centrais de Flagrantes da Polícia Civil terão um reforço no efetivo que irá dar melhor fluxo para registros de boletins de ocorrência e lavratura de flagrante de crimes de menor potencial ofensivo. O aporte contará com mais de 150 policiais civis.

GTA

O Grupo Tático Aéreo estará com 16 profissionais operando no policiamento aéreo e terrestre, com três viaturas, incluindo o helicóptero e mais dois carros.

A ação do GTA se concentra em monitorar possíveis aglomerações atípicas entre a multidão dando suporte para as equipes do policiamento a pé, além de atuar preventiva e ostensivamente em apoio às outras forças de segurança.

Trânsito seguro

Para os eventos carnavalescos, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) contará com mais de 70 profissionais, além do apoio dos batalhões de Policiamento de Trânsito (BPTran) e Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE).

As equipes irão montar barreiras e operações com o objetivo de orientar condutores destacando a importância do cumprimento das normas de trânsito. O trabalho também terá atuação repressiva, com a atuação da Operação Lei Seca, com o intuito de evitar infrações e coibir os crimes de trânsito.

Carnaval 2024: Ensaios técnicos começam hoje no Sambódromo


Na reta final dos preparativos para os desfiles a Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (Liesap) inicia nesta segunda-feira (5), os Ensaios Técnicos na Avenida Ivaldo Veras. Serão três noites de teste da sonorização da avenida e cronometragem do tempo de desfile pelas concorrentes.

Os Ensaio Técnicos são regulamentados por Resolução da Liesap, onde constam o regramento para participação, bem como obrigatoriedades, como o tempo de avenida para cada escola de samba. Neste ano, uma inovação com acréscimo de 20min para ajustar o som e mais 60min para o ensaio dos pontos técnicos e demais componentes das agremiações fazerem, além do reconhecimento da pista, os ajustes de evolução e tempo de desfile.

Os trabalhos são coordenados pela Direção Artística dos Desfiles nomeada pelo presidente Jocildo Lemos, sob a presidência do Diretor de Carnaval, Arthur Lobo, conforme o Regulamento do Carnaval 2024. São atribuições da Direção Artística a adoção de todas as providências de ordem técnica para a execução do espetáculo até as condições apropriadas para a apuração e homologação dos resultados pelo presidente da Liga.

Arthur Lobo destaca a importância desse momento porque é quando, obrigatoriamente, as agremiações carnavalescas deverão levar todos os seus intérpretes e músicos para teste e marcações dos parâmetros técnicos e ajuste de mesa de som, ficando gravado e programado para a apresentação das participantes, dando agilidade à preparação para o início dos seus desfiles. Todas as condições e obrigatoriedades constam na Resolução dos Ensaios que está disponível do link da bio do Instagram da Liesap.

Para o presidente da Liesap, Jocildo Lemos, os preparativos estão dentro dos prazos previstos para oportunizar que as escolas possam fazer os ajustes finais, antes do grande dia. “A Liga está sempre buscando aprimorar as condições para garantir que suas filiadas possam proporcionar o melhor espetáculo à comunidade. Por isso, este ano inovamos ao acrescentar os 20 minutos para a passagem de som, e assim garantir que cada escola tenha mais tempo de ensaio dos seus pontos técnicos e contagiar suas torcidas que comparecem ao Sambódromo, dando um pouco do clima contagiante nos dias dos desfiles oficias, em 9 e 10 de fevereiro”, contou o presidente.

A comunidade carnavalesca terá acesso livre às dependências do Sambódromo para assistir ao ensaio das escolas de samba.

Confira o cronograma de Ensaio Técnico:

*Dia 05/02/2024*
1 – Associação Cultural Embaixada de Samba Cidade de Macapá – 19h as 20:20h;
2 – Grêmio Recreativo Escola de Samba Emissários da Cegonha – 20:30h as 21:50h;
3 – Escola de Samba Mocidade Independente Império da Zona Norte – 22:00h as 23:20h;
4 – Associação Recreativa Império de Samba Solidariedade – 23:30h as 00:50h.

*Dia 06/02/2024*
1 – Associação Recreativa Escola de Samba Império do Povo- 19h as 20:20h;
2- Grêmio Recreativo Escola de Samba Maracatu da Favela – 20:30h as 21:50h;
3- Grêmio Recreativo Escola de Samba Piratas Estilizados – 22:00h as 23:20h.

*Dia 07/02/2024*
1- Grêmio Recreativo Cultural Academia de Samba Unidos do Buritizal – 19h as 20:20;
2- Associação Universidade de Samba Boêmios do Laguinho – 20:30h as 21:50h;
3- Associação Recreativa e Cultural Piratas da Batucada – 22:00h as 23:20h.

Gilvana Santos
Comissão de Comunicação/ Liesap
Adryany Magalhães
Diretora de Comunicação/ Liesap
Contato: (96) 99144-5442

Carnaval do Povo terá Carlinhos Brown em comemoração aos 266 anos de Macapá

Governo do Amapá resgatou tradicional folia de rua em 2024; programação será domingo, 4 de fevereiro.


O cantor, compositor e multi-instrumentista Carlinhos Brown é a atração confirmada do Carnaval do Povo , que vai comemorar no domingo, 4 de fevereiro, os 266 anos de Macapá. O aniversário da capital será celebrado com muita tradição e memória pelo Governo do Amapá, que resgatou a folia de rua realizada na Praça da Bandeira, no Centro da cidade.

O artista foi revelado nas redes sociais na noite de quarta-feira, 31, pelo governador Clécio Luís, que contou animado a novidade. Brown é convidado da Banda Placa, fundadora do Carnaval do Povo. A programação gratuita retornou após 29 anos e está na terceira edição desta temporada 2024, reunindo famílias e gerações de foliões.

Aos 61 anos, Carlinhos Brown vai mostrar toda a energia baiana com composições como “A Namorada” e “Água Mineral”, emendando um sucesso atrás do outro, não deixando ninguém parado. Além do baiano, a programação terá ainda o grupo Chocolate com Pipoca, para animar o público infantil.

O Carnaval do Povo encerra no dia 11 de fevereiro, com uma homenagem às vozes femininas do Carnaval de rua com as cantoras Brenda Melo, Deize Pinheiro e Silmara Lobato.

Versátil

Músico, apresentador, produtor e artista plástico, Carlinhos Brown já concorreu ao Grammy Latino por dez vezes, e venceu em 2003 com o álbum ‘Tribalistas’, resultado da parceria com os amigos Marisa Monte e Arnaldo Antunes.

Nos anos 80, o baiano se tornou um dos principais percussionistas da região, mas a projeção nacional veio nos anos 90, quando comandou o Timbalada. Brown lançou-se como cantor solo em 1996 e, em 2002, participou do projeto Tribalistas.

No Rock in Rio de 2001 fez história, e chegou a ser alvo de ofensas e garrafadas pelo público. Na televisão, foi jurado dos programas ‘The Voice Brasil’ entre 2012 e 2018, e ‘The Voice Kids’.

Carlinhos Brown é pai de seis filhos: Francisco, Clara, Cecília e Leila, da relação com Helena Buarque, filha de Chico Buarque e Marieta Severo, além de Miguel e Nina, de outros relacionamentos.

Amapá celebra centenário de Alcy Araújo, ‘o poeta do cais e das borboletas’

A trajetória de Alcy Araújo teve grande impacto para a cultura, a literatura, a arte e o jornalismo amapaense

O Amapá celebra neste domingo, 7, o centenário do nascimento do escritor e jornalista Alcy Araújo, conhecido como ‘o poeta do cais, dos anjos e das borboletas’ e que dedicou parte da vida a eternizar em palavras as histórias e as memórias amapaenses, sendo o único poeta do Norte do Brasil a integrar a “Grande Enciclopédia Brasileira Portuguesa”, editada em Lisboa.

Alcy Araújo foi umas das personalidades homenageadas na 1ª Folia Literária Internacional do Amapá, realizada pelo Governo do Estado, em 2023, para celebrar a literatura e a poesia, reunindo escritores de várias partes do Brasil e do mundo, no Parque do Forte. No evento, houve um memorial dedicado a Alcy Araújo, com um acervo literário disponibilizado para que o público pudesse mergulhar na arte do poeta.

Ainda em 2020, a Prefeitura de Macapá lançou o projeto literário “Letras de Ápacam”, idealizado e coordenado pelo poeta Joãozinho Gomes e pelo sociólogo João Milhomem. A iniciativa possibilitou a edição e a reedição de obras dos poetas modernistas do Amapá, entre eles, Alcy Araújo, com os volumes ‘Autogeografia’ e ‘Ave-Ternura’.

O talento e a memória de Alcy Araújo seguem sendo perpassados por suas filhas, Alcineia e Alcilene Cavalcante, também jornalistas, que continuam a levar poesia e esperança para a sociedade e para a cultura amapaense.

Trajetória

Nascido no distrito de Peixe-Boi no Pará, em 1924, Araújo despertou cedo para o talento literário e, ainda jovem, trabalhou como repórter, articulista, redator e chefe de reportagem nos principais jornais do Pará, incluindo a Folha do Norte, O Estado do Pará e O Liberal.

Em 1953, ele se casou e mudou-se para Macapá, onde seguiu com a carreira literária e jornalística e trabalhou em diferentes jornais impressos e emissoras de rádios, inclusive a Rádio Difusora. Neste período, também atuou como redator do gabinete do governador.

Araújo também construiu um vasto acervo literário dedicado à poesia. Seus livros, como ‘Autogeografia’, ‘Poemas do Homem do Cais’ e ‘Jardim Clonal’, são testemunhos de sua maestria poética. Sua partida em 1989 não silenciou sua voz, pois deixou inéditos vários livros, incluindo ‘Ave Ternura’, ‘Histórias Tranquilas’, ‘Cartas pro Anjo’, ‘Mundo Partido’, ‘Terra Molhada’ e muitos outros.

Alcy foi o primeiro jornalista amapaense a participar de um Congresso Nacional de Jornalistas, em 1957 e fez parte da Academia Brasileira de Letras, ocupando a cadeira 25. Ao longo de sua vida, também deixou contribuições para a cultura e arte amapaense, após lutar pela criação da Escola de Artes Cândido Portinari e Teatro das Bacabeiras.

A poesia de Alcy Araújo era um reflexo de sua alma pura e cheia de esperança. Ele usou sua arte para lutar por uma sociedade mais justa e igualitária. O poeta do cais e das borboletas’ continua a inspirar e a encantar com suas palavras que devem ser conhecidas por essas e pelas futuras gerações.

A conexão com a terra e com a dor dos aflitos, estava presente em suas palavras, assim como a esperança que, muitas vezes, parece inútil para os desesperados como ele retratou nos versos de um dos seus poemas ‘Canto a terra, a dor dos aflitos e a inútil esperança dos desesperançados’.

Banzeiro do Brilho-de-fogo 10 anos: últimos preparativos para o cortejo de reveillon


O Banzeiro é uma das atrações do reveilllon que vai ser realizado pelo Governo do Estado do Amapá (GEA), dia 30 de dezembro, no balneário de Fazendinha, e a coordenação e integrantes estão nos últimos preparativos para a apresentação, que festeja os 10 anos do projeto. Ensaios, indumentárias, adereços, estão em fase final, sob a coordenação dos instrutores, artesãos e coordenação-geral, do músico Adelson Preto.

O cortejo sai na rua principal do balneário às 21:30, com os batuqueiros, Cordão das Açucenas e Jardim do Banzeiro, músicos de instrumentos de sopro, dançadeiras de marabaixo, artistas circenses, em um desfile de cores e música, que arrasta o púbico para a ruas. Mais de 200 integrantes estarão participando desta apresentação de final de ano.

Para o show, os preparativos iniciaram de dezembro, com os ensaios em frente à Casa do Artesão, quando batuqueiros que já fazem parte do projeto, e iniciantes, treinaram os ritmos e repertório com as caixas de marabaixo e chocalhos. Os adereços de mão, o estandarte e as alegorias são criações da artesã Melissa Silva, que já finalizou a confecção.

Banzeiro 10 anos

O projeto Banzeiro começou em 2013, com a finalidade de incentivar a iniciação musical, aproximar a população das tradições culturais do Amapá, e promover um desfile multicolorido, com batuqueiros de todas as idades, mulheres com saias floridas, adereços coloridos, cantando canções de compositores amapaenses, já de domínio público, e também do repertório do Banzeiro. O cortejo é a apresentação do resultado do projeto, que é fomentado com recursos públicos destinados para a cultura.

Ao chegar aos 10 anos, o Banzeiro entra em uma nova fase, e passa a ser um projeto estadual, e será levado para os demais municípios do Amapá. “Quando iniciamos, tivemos o apoio fundamental do então prefeito Clécio Luis, que antes de ser gestor, estava junto com artistas e produtores culturais, gestando o projeto, que alcançava apenas a cidade de Macapá. Por acreditar e ver os resultados, o agora governador continuou a dar suporte, e o Banzeiro passará a ser executado em outros municípios”, festeja Adelson Preto.

O projeto é gratuito, da inscrição à indumentária, e qualquer pessoa pode participar. O calendário de ensaios e cortejos de 2024 serão divulgados em janeiro pela coordenação.

Mariléia Maciel
Assessoria de Comunicação

Réveillon Beira Rio 2024: veja as mudanças no trânsito do Centro de Macapá e Rodovia do Centenário

As mudanças começam no sábado, 30, primeiro dia de evento

Para garantir a segurança no trânsito das áreas onde ocorrerá a programação do Réveillon Beira Rio 2024, o Governo do Amapá organizou intervenções em ruas e avenidas do Centro e da Zona Norte de Macapá, para garantir o fluxo de veículos e pedestres. As mudanças começam no sábado, 30, primeiro dia de evento.

As interdições serão nas áreas em que haverá grande circulação de visitantes, como a Rodovia do Centenário (antiga Norte-Sul), na Zona Norte, e no centro comercial, próximo à Fortaleza de São José de Macapá. Apenas no balneário da Fazendinha, onde também haverá programação, não serão necessárias intervenções.

A gestão do tráfego será executada pelo Departamento Estadual de Trânsito do Amapá (Detran-AP) e a Secretaria de Estado de Transportes (Setrap), com o apoio dos Batalhões de Policiamento de Trânsito (BPTran) e de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE).

Confira como fica o trânsito nos três dias de Réveillon Beira Rio 2024:

Zona Norte

No sábado, 30, a Zona Norte de Macapá recebe o show da aparelhagem “Carabao, o Furioso”, além do Trepidante e outras atrações. Neste dia, a Rodovia do Centenário terá o tráfego de veículos interditado na faixa que compreende a BR-210 até a Avenida Maria Cavalcante de Azevedo Picanço, espaço onde será montada a estrutura do evento.

Para ter acesso ao local da apresentação, o condutor que virá da Zona Norte deverá trafegar pela Avenida Carlos Lins Cortês, no bairro Infraero. A avenida também servirá de itinerário para os motoristas que seguirão para a Zona Oeste e deverão utilizar a Linha E como trajeto.

Centro comercial

No domingo, 31 de dezembro, e segunda-feira, 1º de janeiro, os condutores devem ficar atentos às interdições próximas ao anfiteatro da Fortaleza de São José, local dos shows.

As ruas Beira Rio, Cândido Mendes, Independência, Coriolano Jucá, Azarias da Costa Neto e demais ruas paralelas ficarão fechadas para o fluxo de veículos a partir das 19h. Neste perímetro, apenas a Rua São José estará livre para a circulação de carros e motos.

Transporte alternativo

Para facilitar a chegada e saída do público que participa da programação do Governo do Estado, o Detran-AP reforça a utilização do transporte alternativo, como ônibus, táxi, mototáxi e carros de aplicativo.

“É importante ressaltar que a viabilidade do transporte alternativo facilitará a locomoção das pessoas durante o Réveillon na orla de Macapá. Dessa forma, escolher táxi ou aplicativos é uma forma de evitar transtornos não só na hora de procurar estacionamento, mas também na hora de sair do local, que terá grandes pontos de conflito”, ressaltou o diretor-presidente do Detran-AP, Rorinaldo Gonçalves.

Réveillon Beira Rio 2024

A programação começa no sábado, 30, com apresentações na praia da Fazendinha e na Zona Norte de Macapá, e segue no domingo e segunda, no Anfiteatro da Fortaleza de São José. Os três dias de programação reúnem 60 atrações, sendo 10 nacionais.

O retorno do Réveillon é o estabelecimento de uma nova marca para o Amapá, que se projeta no roteiro de grandes eventos nacionais do fim de ano, movimentando a economia, o turismo, a cultura e as produções locais. Segundo a Secretaria de Estado do Turismo (Setur) a expectativa é que, a cada R$ 1 investido, retorne de R$ 5 a R$ 7 para o estado.