Uma Paulista Chamada Avenida


Republicando

Meio clichê e turistão. Mas sempre um dicão 

Em São Paulo, tire um dia inteiro pra caminhar na avenida Paulista. 

Opção para todos os gostos e bolsos. Cultura, gastronomia, compras de Shopping, artesanato, antiguidades, quinquilharias chinesas e contrabando bem na cara do capital. 

Na área tem tudo de muito. Livrarias, como a maravilhosa e imensa livraria Cultura. Teatros. Centros culturais. Vários cinemas. Feiras de antiguidade e de artesanato. 

Escolha o que mais gosta,  e entre em alguns desses lugares porque é quase impossível entrar em todos. Na bela Casa das Rosas. Na Reserva Cultural. No icônico MASP. No Novo Sesc Paulista e seu mirante . Itau Cultural, Centro Cultural FIESP e tantos outros. 

Casa das Rosas. Literatura e rosas

Tomar café, chopp ou fazer um lanche? Tem os melhores. Inclusive o estrelado pastel de feira da Maria. Um dos queridinhos de São Paulo. Que deu um passo a mais: da feira da Pacaembú para o coração da Paulista. 

Mas se quiser jantar ou almoçar muito bem, vá aos arredores, como a alameda Santos, paralela à Paulista , ou outras mil coisas na região . 

Eu e a amiga Leda, no descolado Spot

Aos domingos a Paulista é apenas sensacional. Fica fechada o dia inteiro para carros. A avenida é das pessoas. 

Música de rua. Dança. Artes de todos os tipos. De maneira organizada. (Um músico não atrapalha o outro) 

A Paulista fechada aos domingos foi obra de Fernando Haddad quando prefeito de São Paulo. Depois copiada pelo prefeito de Paris, que passou a fechar a Champs Elisès aos domingos também. 

Reka e Rafael no domingo da Paulista

 

Como diz o Premeditando o Breque em uma canção. “É tão bonito andar na cidade, de São Paulo”. 

Na Paulista então, é o melhor rolê aleatório para todas as tribos. 

Rolê com o sobrinho Marcelino Tithé

Vá. O destino é somente andar na Paulista. O resto vem! 

Macapá Hotel: Governo abre chamada pública para captação de projetos e investimentos

Edital abrirá espaço para atração de investimentos, geração de renda e desenvolvimento do setor turístico.

O Governo do Amapá lançou o edital de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), que funciona como chamada pública, para grupos empresariais apresentarem planos de investimento para o Macapá Hotel.

O imóvel histórico, de 11 mil metros quadrados, construído na década de 40, está localizado em um dos melhores endereços da capital, em frente ao Rio Amazonas e próximo ao Complexo Turístico da Beira-Rio, onde o Executivo revitalizou e entregou a Casa do Artesão, a Praça de Alimentação Sabores do Amapá, o Canal da Mendonça Júnior, e onde está localizada a Fortaleza de São José, candidata a Patrimônio Histórico da Humanidade.

Acesse: PMI Macapá Hotel

Poderão participar investidores de diversos segmentos, como cultura e hotelaria. As propostas, que podem ser de parcerias público-privadas (PPP) ou concessões públicas, serão apresentadas pelo Estado em uma audiência pública para que a população possa participar do processo.

“A ideia é levantar, com empresas especializadas neste mercado e investidores em potencial, estudos para a viabilidade, dados, informações técnicas, ou pareceres para projetos de Parcerias Público-Privadas”, detalhou o secretário de Fazenda (Sefaz), Eduardo Tavares.

O processo para a retomada de investimentos e a integração do prédio à poligonal histórica se dá graças ao esforço fiscal e ao histórico de sucesso que o Governo acumula com modelagens eficientes de concessão pública.

“Saímos de um cenário de fragilidade, herdada em 2015, para sermos exemplo na execução de parcerias com o setor privado, captação de recursos e responsabilidade com as contas públicas. A experiência obtida com as concessões de energia e saneamento, a nova concessão de resíduos sólidos que está em elaboração em conjunto com BNDES e o Ministério do Meio Ambiente, a ampliação dos investimentos em todos os setores, como Segurança Pública e Infraestrutura, prepararam o Estado para novos avanços”, finalizou Tavares.

Histórico

O prédio funcionou, desde a sua construção, como empreendimento hoteleiro. Com histórico de concessões precárias, o Macapá Hotel foi repassado a uma primeira empresa em 1998 e posteriormente a outra, em 2011, de forma irregular, por não atender aos trâmites licitatórios estabelecidos na Lei 8666/1993.

Após o imbróglio judicial que travava a retomada do patrimônio, o Governo do Estado obteve, em 2019, a reintegração do Macapá Hotel, já com a necessidade de revitalização decorrente da exploração irregular durante a gestão anterior.

No mesmo ano, o prédio foi objeto de projetos e alvo de propostas, como abrigar órgãos públicos, o que era incompatível com o valor histórico e potencial econômico que o imóvel possui. Com o edital de PMI publicado, o planejamento do Estado avança em integrar o patrimônio ao plano da Nova Economia: gerar riqueza limpa, com valorização histórica e cultural, aliada à responsabilidade social.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/2206/macapa-hotel-governo-abre-chamada-publica-para-captacao-de-projetos-e-investimentos

Governo do Amapá inicia Projeto Famtour para promover turismo nos municípios

Em passeios realizados pela Setur, atrativos turísticos e culturais serão apresentados ao trade de turismo do Estado; Primeiro destino será Mazagão.

A partir deste mês, o Governo do Amapá dará início ao Projeto Famtour, uma forma de promover atrativos turísticos e artístico culturais ao trade através de passeios que serão realizados pela Secretaria de Estado do Turismo (Setur).

A iniciativa objetiva apresentar, familiarizar e encantar agências e guias de turismo locais, para que estes distribuidores ofereçam e divulguem em seus pacotes mais destinos do Estado.

De acordo com a diretora de desenvolvimento de turismo do Estado, Adriana Rodrigues, essas programações agora serão possíveis com a entrega do novo ônibus que está disponível para iniciativas como esta, promovidas pela Setur.

“Com a disponibilidade do novo transporte, agora temos a oportunidade de realizar o projeto Famtour, algo que foi muito aguardado pelo setor de turismo, e isso agora está sendo garantido pelo Governo do Amapá. É de extrema importância que roteiros como esse sejam oferecidos ao trade, porque, assim, teremos uma maior divulgação do turismo do nosso Estado, uma vez que levamos o setor e apresentamos os municípios e seus equipamentos turísticos e culturais”, reforçou a diretora.

Famtour em Mazagão

O primeiro destino será o município de Mazagão, para que o roteiro ajude, estrategicamente, a fomentar e movimentar o turismo e a economia do município durante as festividades de São Tiago deste ano, que acontecerão no próximo mês de julho.

O roteiro terá paradas em Mazagão Novo e Mazagão Velho, com visitas técnicas em pousadas e restaurantes tradicionais, prédios históricos do município, orlas e comunidades quilombolas.
O passeio, agendado para esta quarta-feira, 15, também promoverá turismo criativo, como vivência em fazer farinha d´água e produção de máscaras. O momento também contará com apresentações culturais sobre a Festa de São Tiago e grupo de música Afro.

Esse primeiro roteiro será em parceria com o Município de Mazagão e Sindicato das Empresas de Turismo do Amapá (Sindetur).

Projeto Famtour no Amapá

Realizado pela Setur, o roteiro técnico através do Famtour propicia que agências de viagem e guias de turismo conheçam mais a fundo os destinos turísticos e culturais do município a ser visitado.

Todo o roteiro é guiado, com o intuito de levar mais conhecimento ao distribuidor do produto turístico, para que ele saiba oferecer os atrativos com propriedade, além de promover parcerias com os empreendedores locais que possam fechar pacotes de turismo com o trade que está em visitação.

O Famtour busca promover potenciais turísticos do Estado como o ecoturismo e o etnoturismo.

Segundo a diretora de desenvolvimento de turismo, a longo prazo, o projeto Famtour irá percorrer com o trade por vários municípios em potencial turístico, primeiramente por cidades mais próximas à capital, como Mazagão, Porto Grande e Ferreira Gomes, que já estão com data marcada para acontecer, e futuramente percorrer por municípios mais distantes.

Ônibus turístico

O veículo ajudará a estimular o turismo no Estado, contribuindo para o desenvolvimento do turismo amapaense, oportunizando turismo pedagógico e social, como exemplo as atividades do programa Educação para o Turismo (EducaTur), que conta com roteiros turísticos para os alunos da rede pública de ensino. Além de promover visitas técnicas, fortalecendo as ações da Setur, em parceria com o trade turístico.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/1406/governo-do-amapa-inicia-projeto-famtour-para-promover-turismo-nos-municipios

Bonito, tranquilo e com infraestrutura, o Curicaca é ótima opção de turismo

Sabe aquele lugar bonito e tranquilo? pois é, não precisa ir muito longe para encontrar, basta pegar a estrada AP-70 rumo a Vila do Curicaca, distante 97 Km de Macapá, o trecho  é todo asfaltado, até o  município de Itaubal do Piririm. A viagem dura em média 1h30, tem balneários, pousadas, restaurantes, passeios de stand-up e kaiaque.

Em sintonia  com a natureza, entre as tranquilas e envolventes águas do rio Macacoari e a vegetação amazônica que envolve o local. Além disso, os  sentidos são todos instigados para o belo com um lindo passeio de barco no Macacoari.

Na Vila do Curicaca tem ainda o balneário Santa Helena. Lugar lindo, encantador, para quem gosta de silêncio e natureza.

A pousada Bom Jesus também é incrível, o número para contato: 98111-1632.

Gastronomia do Amapá: o trairão da dona Cira, no Calafate

Quem já pegou a estrada que liga os municípios de  Amapá e Calçoene provavelmente já conhece o trairão da dona Cira.

Mas se você não conhece, vá. Faça esse passeio gastronômico ao restaurante dessa simpática Cozinheira, que fica na beira da BR-156, na comunidade do Calafate.

A Dona Cira desenvolveu há muitos anos a técnica de tirar as espinhas do trairão, fazendo um filé que vc só encontra lá.

A cozinha é afetiva e pilotada por ela e suas filhas.

O peixe é sem nota de tão perfeito. Frito com óleo sempre novo. E vem acompanhado  de um feijão com gosto de interior(e espetacular) arroz quente e gostoso, farinha e aquela saladinha de repolho que é marca da região.

Para beber, suco de taperebá do terreno dela, bem gelado.

A Dona Cira diz que usa sempre a máxima de “respeite o cliente”. E pra ela o respeito é a hora que alguém chegar no Calafate querendo a sua comida, ela ir pra cozinha fazer peixe fresco e frito na hora, para servir.

Garanto a vocês, que só ir naquele restaurante, que no verão é balneário, já vale o passeio. E o preço é justo.

A vista, a noite, do Restaurante da Dona Cira

Cabo Orange: Clécio Luis estava em imersão nos ecossistemas e belezas cênicas da Unidade de Conservação

E seguindo seu projeto “Pelo Amapá Inteiro”, o ex-prefeito de Macapá, Clécio Luís, que segundo os analistas políticos é um forte candidato ao governo do estado,  fez essas dias uma imersão no Parque Nacional do Cabo Orange, que fica na foz do rio Oiapoque.
Por lá, Clécio aproveitou para mais conhecimentos sobre biodiversidade riquíssima da região, que concentra ecossistemas de grande relevância ecológica e beleza cênicas.
O parque Nacional do Cabo Orange foi a primeira unidade de conservação federal criada no Amapá.

Confira as opções de lazer para as férias de janeiro em Macapá

 

O mês de janeiro chegou e com ele o desejo de apreciar às férias de início de ano. Uma ótima pedida para passear e conhecer um pouquinho da capital amapaense. Pensando nisso, o Instituto Municipal de Turismo (MacapaTur) listou locais e atividades que a população pode ter como opção de lazer para as férias.

Confira os locais onde o lazer é garantido:

Bioparque da Amazônia

O Bioparque funciona de quarta a domingo, das 9h às 17h. A bilheteria encerra às 16h20. O local é uma ótima opção para aproveitar a natureza, pois possui 107 hectares de florestas dentro da área urbana de Macapá, onde o turismo de aventura tem ganhado cada vez mais espaço.

Para quem gosta de esportes radicais, o parque conta com o circuito de aventura que é composto por um paredão de escalada, uma trilha suspensa, tirolesa e arborismo.
O valor da entrada é R$ 10,00. Nos dias de quarta-feira todos pagam meia-entrada no valor de R$ 5,00. Para ter acesso ao circuito de aventura é necessário comprar as pulseiras na bilheteria.

Praça Floriano Peixoto
A praça possui um ambiente amplo perfeito para piquenique à tarde com a família, além de playground, espaço ‘instagramável’, lago onde é possível andar nos pedalinhos no valor de R$ 10,00.O pedalinho funciona de quarta a domingo, das 16h às 22h.

A praça também é uma ótima opção para caminhadas e possui ainda uma academia ao ar livre, que proporciona saúde e bem-estar aos amantes de atividades físicas.

Mercado Central
Pensou em tradição, a lembrança que vem na cabeça é o Mercado Central. Nele é possível encontrar serviços e uma variedade de artigos de presentes e decorações artesanais, além de restaurantes e lanchonetes que oferecem o melhor da nossa culinária regional. E se o passeio for em um dia de muito calor, uma cerveja gelada no Bar Du Pedro também é uma boa pedida.

Quem visita o mercado, não pode deixar de tirar uma bela foto no lugar ‘instagramável’, para guardar de recordação.

Museu Sacaca


Para quem ainda não conhece o jeito de ser do povo daqui, o Museu Sacaca tem um cenário real da vida ribeirinha Tucuju. O Museu possui um espaço amplo cercado de natureza, onde é possível conhecer e aprender sobre a cultura amapaense.

Quem apenas ouviu as histórias dos mais antigos, falando sobre o Regatão, poderá conhecer a réplica dele que só existe no Museu Sacaca.

E aí, ficou com vontade de conhecer sobre nossa cultura? Aproveite as férias para visitar o Museu Sacaca, que funciona de terça a domingo, das 9h às 17h, com entrada gratuita.

Balneário da Fazendinha
O maior balneário da capital oferece um banho refrescante no Rio Amazonas, com acessibilidade para cadeirantes. O local possui estacionamento, campos para vôlei, futebol de areia, quadra para basquete de trinca, pista para skate e também é cercado de restaurantes que representam nossa culinária. Uma boa opção para comer o famoso camarão no bafo.

Monumento do Marco Zero Equador


Uma visita indispensável nessas férias, é no Marco Zero onde passa a linha imaginaria do Equador, que divide o mundo no hemisfério Norte e Sul. Trata-se de um dos principais pontos turísticos de Macapá, o local abre todos os dias e as visitações são gratuitas.
Aproveite as dicas e boas férias

Imprensa paulista e maranhense redescobrindo o Amapá

Na última semana, Macapá recebeu uma press trip (missão de jornalistas com profissionais paulistas e maranhenses) para redescobrir algumas paisagens da capital e do Amapá e apresentá-las ao mundo através de seus canais e plataformas. Inclusive, é a primeira press trip a ser realizada após muitos anos sem uma coordenação uniforme das instituições do turismo amapaense.

.
Os veículos e blogs convidados foram @queroviajarmais (Guilherme Tetamanti), @vivaomundo e @JovemPan (Virginia Alzueta Falanghe); @revistaqualviagem (Eliria Buzo), site @viajaresimples (Sylvia Barreto), @sr.sirotheau (Ihssan Sirotheau). Todos ficaram no Amapá entre 07 e 12 de dezembro.

O projeto é uma iniciativa da operadora local Amapa Ecocamping e da agência Redescobrindo Ideias & Eventos, de São Paulo. As duas empresas uniram forças em 2016 durante um congresso de turismo de aventura da ABETA. O Sindetur-AP foi o co-realizador fundamental para operacionalizar o receptivo e programação.

.
Na lista de atrativos e experiências ofertadas estão: visita ao Museu Sacaca, Casa do Artesão, Complexo Turístico da Fazendinha, Fortaleza São José de Macapá, Monumento Marco Zero do Equador, passeio pela Ilha de Santana no Sitio dos Pereiras, tour pelo Rio Amazonas, pelo Bioparque da Amazônia e passagem pela comunidade quilombola da APA do Curiaú. Os guiamentos turísticos ficaram sob a expertise das guias Gilka Soares e Cátia Rola.

Outro parceiro estratégico para a realização da press trip foi a Azul Linhas Aéreas, que inaugurou um voo direto entre Campinas e Macapá e entrou com a parte aérea do projeto. Inclusive a rota segue até 31 de janeiro de 2022. “A opinião de todos os jornalistas foi unânime: o Amapá precisa de divulgação, pois existem poucos resultados na internet sobre a oferta turística para incentivar viagens dos brasileiros. Mesmo com uma malha aérea precária”, afirma Marcos Oliveira, Diretor da Redescobrindo Ideias e que organiza missões ao redor do mundo.


Localmente apoiaram a iniciativa: Fecomércio, Senac, Atalanta Hotel, Di Maria Grill, Flora Bistrô, Amazônia ao Extremo, Bar do Vila, Restaurante e hotel Macapába, Agência Marco Zero Turismo e APRI Consultoria.

Fotos: Giordano Santana

#amapaecocamping #turismonaamazonia #amapá #turismonoamapá #turismonoamapa #turismonobrasil #ondeirnoamapa #fotosamapa #amapafotos #amapáfotos #sindetur

Orla Livre: novo espaço de lazer anima macapaenses e movimenta comércio no domingo

O domingo 5 de dezembro marcou o início do projeto Orla Livre, que proporciona um trecho da principal via da orla de Macapá para uso público exclusivo em lazer e comércio. Espaço funcionou de 8h às 18h, entre a Rampa do Açaí e a rotatória da Pedro Lazarino.

A iniciativa da Prefeitura de Macapá é com base no projeto de  lei do vereador Bruno Santos (PSDB), que determina o projeto em todos os domingos de forma direcionada ao lazer da população.


Para o prefeito de Macapá, Dr. Furlan, oportunizar espaços de lazer para a população é um importante papel da prefeitura e o Orla Livre garante diversão e fomento à economia. “Hoje os macapaenses têm mais uma opção para aproveitar o domingo na cidade, mas, além disso, os ambulantes e comerciantes podem fazer uso da via para vender seus produtos, assim como artistas locais independentes podem promover seu trabalho”, disse.

Sob a coordenação da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult), a rua foi o palco de amantes do ciclismo, patins e skate. Houve ainda que foi prestigiar os esportes e comércio local. O tradicional Futlama chamou a atenção de quem circulava pelo trecho do Orla Livre, com a 4° Rodada do campeonato, promovido pela Federação Amapaense de Futlama.

“Finalmente ocorreu a tão esperada abertura do Orla Livre em favor do povo para recreação. Assim, a partir deste domingo, a Prefeitura de Macapá convida você para aproveitar a orla do nascer até o por do sol, às margens do nosso rio Amazonas”, disse o diretor-presidente da Fumcult, Olavo Almeida.

Para dançar e curtir toda a energia dos movimentos da Zumba, o dançarino e professor Marcio Black preparou aula especial para quem prestigiava a programação, que contou ainda atracoes musicais como o artista da terra, cantor e musico Francisco Vaz.

https://macapa.ap.gov.br/orla-livre-novo-espaco-de-lazer-anima-macapaenses-e-movimenta-comercio-no-domingo/

 

 

 

Depois de uma semana fechado para manutenção, Bioparque reabre na quarta-feira, 01.12, dia de meia entrada para todos

O Bioparque da Amazônia tem uma novidade para os amantes da natureza: a unidade retorna com a visitação do público nesta quarta-feira (1º), dia de meia-entrada no valor de R$ 5,00 o ingresso. O ambiente conta com 107 hectares de florestas dentro da área urbana de Macapá, ficando a menos de 15 minutos do centro, com acesso pela Rodovia Juscelino Kubitschek.

“O benefício simbólico garante a meia-entrada para todos os públicos nas quartas-feiras, sem precisar apresentar documentos comprobatórios. Além disso, estamos retornando para o mês natalino, que promete ser cheio de novidades”, destaca o diretor-presidente do Bioparque, José Aranha Neto.

Para entrar no espaço é obrigatório o uso de máscara, que deve ser usada durante todo o passeio do visitante. As programações de contemplação da natureza e ecoturismo estarão disponíveis das 9h às 17h. A bilheteria encerra às 16h20.

Atrações

As trilhas terrestres proporcionam uma experiência única de contato com a natureza. Para quem ama caminhada, a Guarda Parque é a mais indicada, pois possui 4 quilômetros de extensão. Na Pau-brasil, o visitante se encanta no Bosque do Quati, um espaço dedicado aos animais frequentes da unidade. Além disso, as trilhas Ressaca e Sacaca, de 700 metros cada, também proporcionam momentos fantásticos.

A Casa da Árvore costuma agradar as crianças. A atração foi construída a três metros do chão. Além do Jardim Sensorial, que é um espaço acessível para pessoas com dificuldade de locomoção.

Para os amantes de turismo de aventura, o parque possui trilha suspensa, arborismo, parede de escalada e tirolesa. São mais de 300 metros que possibilitam a observação de aves e outros animais que vivem na copa das árvores.

Os preços do circuito são por trecho: Arborismo R$15,00; Parede de escalada R$ 20,00; Tirolesa R$ 20,00; Trilha suspensa R$ 20,00.

— 

Prefeitura Municipal de Macapá

http://www.macapa.ap.gov.br/

Visitantes do Bioparque pagam meia-entrada no feriado da Proclamação da República

O parque conta com atividades voltadas para educação ambiental, contemplação da natureza e prática de esportes de aventura.

O Bioparque da Amazônia estará aberto para visitação no Dia da Proclamação da República, celebrado na próxima segunda-feira (15). O espaço, que é formado por ecossistemas que integram floresta de terra firme, cerrado e áreas de ressaca, funcionará das 9h às 17h. A bilheteria encerra às 16h20. Excepcionalmente no feriado nacional, a meia-entrada no valor de R$ 5,00 estará disponível para todos os públicos.

A abertura do parque no feriado deseja proporcionar um momento de lazer para a população durante o feriado nacional. Para entrar no espaço é obrigatório o uso de máscara, que deve ser usada durante todo o passeio do visitante.

“De quarta-feira a domingo, contamos com diversas atividades de promoção da preservação do meio ambiente, ecoturismo, além do circuito aventura, uma das atrações mais procuradas. Decidimos abrir no feriado da Proclamação da República pensando naqueles que não têm tempo de visitar o local nos dias normais de programação”, afirma o diretor-presidente do Bioparque, José Aranha Neto.

O feriado contará com as programações tradicionais do parque. Os visitantes poderão se encantar com o ambiente, que reflete a natureza amazônica, através dos cantos dos pássaros e da correria dos quatis, além da vegetação nativa ao redor das trilhas.

CONFIRA ABAIXO O QUE VOCÊ ENCONTRA NO BIOPARQUE:

  • Trilha Terrestre Guarda Parque (4 quilômetros);
  • Trilha Terrestre Ressaca (700 metros);
  • Trilha Terrestre Sacaca (700 metros);
  • Trilha Terrestre da Onça (30 metros);
  • Trilha Terrestre Pau-brasil (330 metros);
  • Ecótono (transição de dois ou mais ecossistemas);
  • Jardim Sensorial (espaço acessível para pessoas com deficiência física e locomoção reduzida);
  • Memorial das Orquídeas de Teresa Leite Chaves;
  • Casa da Árvore (Construída a 3 metros do chão e pode ser utilizado por crianças);
  • Jardim Amazônico (Cascata e Poço da Mãe D’água);
  • Jardim dos Poetas.

Circuito Aventura:

  • Arborismo: R$ 15,00
  • Parede de escalada: R$ 20,00
  • Tirolesa: R$ 20,00
  • Trilha suspensa: R$ 20,00

http://www.macapa.ap.gov.br/

 

Bar em Bar: 4ª edição do festival de gastronomia de boteco de Macapá começa na quinta-feira (11)

Com abertura programada para quinta-feira (11), o maior festival de gastronomia de boteco, o Festival Bar em Bar, terá como palco de abertura o Bar Du Pedro, no histórico Mercado Central e, nesta 4ª edição o tema ‘Saúde, vamos brindar a vida!’, alusivo ao enfrentamento à pandemia de Covid-19.

Na edição de 2021, o festival acontecerá de 11 a 21 de novembro e tem como um dos critérios a criação de uma receita nova entre frituras, carnes, frios, hambúrgueres, defumados e petiscos deliciosos diferentes do que já é oferecido no cardápio.

Este ano o Bar em Bar traz uma novidade, o prêmio ‘Papudinho 2021’, para o primeiro cliente que completar o circuito com fotos degustando os 25 petiscos. Uma categoria para que os clientes possam participar do festival de forma mais integrada.

Além disso, os estabelecimentos participantes receberão a visita dos críticos gastronômicos oficiais dos concursos gastronômicos no estado. Ao final, as avaliações serão computadas e destacados os vencedores.

O evento é realizado no Amapá pela Abrasel, Prefeitura de Macapá por meio do Instituto Municipal de Turismo (Macapatur) e Sebrae, com o apoio do Sicred, 99Food e patrocínio da Devassa.

http://www.macapa.ap.gov.br/

5 curiosidades sobre o turismo de Macapá (AP)

A única capital do Norte banhada pelo Rio Amazonas é uma ótima opção para quem quer redescobrir novos destinos pelo Brasil, encontrar bons pacotes turísticos e atrativos que ofereçam contato direto com uma Amazônia ainda intocada

Conhecida como a “Capital do Meio do Mundo” – por ser a única cidade brasileira cortada pela linha do Equador -, Macapá também não possui conexão por rodovia com nenhuma outra capital, sendo o acesso direto somente possível por via aérea ou marítima. Por lá pode-se observar o equinócio da primavera (março) e do outono (setembro), quando os dias e as noites têm a mesma duração. Favorecida pela localização estratégica, com sua costa banhada pelo rio Amazonas, boa parte do turismo macapaense é dedicado à rica história e cultura, desde a formação e desenvolvimento do município aos costumes e tradições de seus habitantes. Outra parte está focada em seus amplos recursos naturais, em seu conhecimento e na luta pela sua manutenção. 


O clima na cidade é quente e úmido. As máximas temperaturas estão entre 31°C e 33°C, mas a temperatura máxima durante um dia pode chegar a 40°C. Entre agosto e outubro acontecem as mais altas temperaturas do ano. Por isso é bom planejar em qual temporada vale a visita neste novo normal. São muitos os atrativos culturais e naturais que a capital do Amapá oferece e, por isso, vale a pena contratar os serviços de uma operadora local para personalizar os roteiros e atrativos que conectam o visitante à natureza. A seguir são apresentados 5 curiosidades sobre atrativos para conhecer um pouco da realidade da oferta turística amapaense, além de dicas de hospedagem e gastronomia.

APA do Rio Curiaú

Localizada a 18km do centro de Macapá, a APA do Rio Curiaú é um atrativo que permite ao turista compreender melhor o turismo de base comunitária, ou seja, uma oferta de experiências que estão no cotidiano dos moradores, mas que é algo novo para quem a visita pela primeira vez. A comunidade é acessada por estradas e por via fluvial. A área tem paisagens marcantes e é muito procurada pelas águas e a flora do rio Curiaú. O sistema de drenagem é interligado, com lagos temporários e permanentes, influenciados por regimes pluviais e de marés. Na estiagem, as áreas inundadas se contraem. No período chuvoso, elas se ampliam e formam um belo cenário natural ideal para passeio de canoa, visualizar pássaros e uma vegetação aquática de rara beleza cênica, além de conhecer o estilo de vida da população tradicional, o movimento da extração de madeira, do açaí e de látex da seringueira.

O

Operadora: Cupuaçu TurismoRoteiro: APA do Curiaú

Telefone: (96) 99134-4942 – Whatsapp

Mais informações: www.instagram.com/_trilhaserios/

Passeio pelo Rio Amazonas

Correndo o risco de ser confundido com o mar, o rio Amazonas é bastante impressionante na região. Passando pela capital ou dando voltas pelas ilhas próximas, os tours pelo rio são muito populares. Seja por quaisquer motivos: para apreciar o mar e a orla recheada de árvores, para conhecer a flora e fauna, terrestre e marinha, ou para curtir o passeio ou nadar com os botos, é algo que ficará na memória. Um dos passeios mais procurados por lá é a observação de botos, especialmente os vermelhos ou botos cor de rosa, muito conhecido no folclore brasileiro. Esses parentes próximos dos golfinhos nadam exclusivamente em água doce, ao contrário de seus primos de água salgada. Esses simpáticos mamíferos aquáticos são interessantes e muito divertidos de ver bem de perto, além de serem protegidos e muitos estudados pela comunidade científica. Nada melhor que ser somente um apreciador e incentivar sua preservação.

Operadora: Amapá EcocampingRoteiro: Passeio de barco no rio Amazonas

Telefone: (96) 98141-0316 – Whatsapp

Mais informações: https://amapaecocamping.com.br/rio-amazonas-passeio-de-barco/

Trilha das Samaúmas na Ilha de Santana 

Outro passeio bem interessante é a Trilha da Samaúma (maior árvore amazônica), dentro da Ilha de Santana, próxima de Macapá. Cercada pelo Rio Amazonas, reúne uma floresta conservada por uma fauna e flora milenar (com árvores de grande porte, açaizais e plantas raras e coloridas), muitos riachos e igarapés como o famoso igarapé da Várzea. Percorrer a trilha é conectar-se com a Amazônia intocada. São muitas Samaúmas centenárias, algumas com mais de 400 anos. No trajeto é possível tomar banho de rio e, se tiver sorte, apreciar uma revoada de pássaros. A gastronomia local traz um aroma delicioso carregado de muitas histórias e curiosidades sobre a ilha de Santana. Por isso, deliciar-se com um almoço bem tucuju (nome de quem nasce na região) com direito a peixe assado na hora, açaí com farinha e sucos com frutas da região (como de taperebá, de Cupuaçu) é outra experiência única por lá. De quebra, as sobremesas caseiras com o creme de cupuaçu completam a viagem. 

Operadora: Amapá EcocampingRoteiro: Ilha de Santana / Rio Amazonas

Telefone: (96) 98141-0316 – Whatsapp

Mais informações: https://amapaecocamping.com.br/ilha-de-santana/

Fortaleza de São José

Erguida entre 1764 e 1782, a Fortaleza São José de Macapá foi estrategicamente construída por mão de obra escrava de negros e índios na foz do Rio Amazonas. Levantada durante a colonização portuguesa para proteger a região da invasão de estrangeiros, hoje o monumento histórico é tombado pelo Instituto Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e oferece uma experiência inesquecível. No passeio é possível ver a estrutura de quatro baluartes, canhões da época, os antigos armazéns, capela, casa de oficiais e do comandante, casamatas, paiol e hospital. Além dos elementos externos como revelim, redente, fosso seco e baterias baixas. Próximo à fortaleza alguns outros locais marcantes completam a visita por lá como a Casa do Artesão, o Trapiche Eliezer Levy e o Parque do Forte.

Operadora: Cunani TurismoRoteiro: City Tour Macapá

Telefone: (96) 98100-8940 – Whatsapp

Mais informações:  www.cunaniturismo.com

Monumento Marco Zero do Equador 

O Monumento Marco Zero do Equador é considerado um dos mais importantes atrativos de Macapá. Construído sobre a linha imaginária do Equador – que divide a Terra em dois hemisférios -, o empreendimento conta com um obelisco de 30 metros de altura com uma abertura circular no centro. Ali o sol incide na época do equinócio – fenômeno que acontece somente nos meses de março e setembro. O complexo contempla ainda um terraço, espaço para shows, além de salão para exposições, restaurante e loja de produtos artesanais. Muitos turistas e moradores que visitam o Marco Zero se surpreendem com um fenômeno inusitado. Quando um ovo é colocado exatamente sobre a linha do Equador, ele fica parado em pé, sem cair. Algo que não tem explicação física, mas que atrai curiosos que chegam para produzir vídeos e fotos e garantir que conseguiram fazer a mágica. 

Operadora: Cupuaçu TurismoRoteiro: City Tour Macapá

Telefone: (96) 99134-4942 – Whatsapp

Mais informações: www.instagram.com/_trilhaserios/

Onde ficar?

Hotel Atalanta

End:  Av. Coaracy Nunes, 1148, Centro, Macapá – AP

Telefone: (96) 3223-1612

Mais informações: www.instagram.com/atalanta_hotel/

Hotel do Forte

End: Rua Beira Rio, 248, Santa Inês, Macapá – AP

Telefone: (96) 3223-2855

Mais informações: www.instagram.com/hoteldoforte/

Sobre a Amapá Eco Camping:

Amapá Ecocamping é uma empresa especializada em passeios turísticos em contato com a natureza e a cultura local e fundada pelo empresário e operador de turismo Victor Hugo Mendonça de Araújo. Tem como objetivo desenvolver o turismo sustentável e responsável. Em atividade desde 2012, dedicando-se a conhecer lugares do Amapá região que possibilitam o contato a natureza, assim como acomodações e hospedagens, sempre agregando a gastronomia. Dedica-se a formar parcerias em toda a cadeia do turistica. Em 2014 deu início às atividades da agência, lançando pacotes de passeios pelo Rio amazonas, City tour em Macapá, Ilha de Santana, Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque e RPPN Revecom. O Instagram é @amapaecocamping. Endereço: Rua Odilardo Silva, 1584, Centro, Macapá. E-mail:[email protected] / Celular : 55 (96) 98100-3928 (whatsapp)

 

 

Equinócio da Primavera 2021 terá programação científica e cultural no Marco Zero

Na próxima quarta-feira, 22, o Governo do Amapá dá início à programação do Equinócio da Primavera 2021. O evento – que marca a chegada da primavera no hemisfério sul – será totalmente transmitido pelas redes sociais da Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e terá visitações guiadas ao monumento Marco Zero do Equador, na zona sul de Macapá, durante todo o dia.

Quem visitar o monumento deverá usar máscara e manter o distanciamento social.

O número de visitantes será limitado devido à pandemia de covid-19. Todos os presentes devem usar máscara e manter o uso de álcool em gel.

Quem visitar o ponto turístico receberá explicações sobre o fenômeno. Na programação, haverá experimentos científicos e observação da movimentação e inclinação da Terra em relação ao Sol. Um dos convidados é o professor Carlos Santos, da Universidade de São Paulo (USP), que vai fazer o 1º Experimento de Eratóstenes, demonstrando que a Terra não é plana.

Uma live das 10h às 14h vai apresentar a evolução da sombra no obeslico e, pela parte da tarde, haverá programações culturais musicais com bandas locais, grupo Kazumba Akelê e também do DJ 008.

Equinócio

As estações são determinadas pelo movimento de translação da Terra. Enquanto a rotação é o movimento em torno de seu próprio eixo, a translação é a volta que ela dá ao redor do Sol. Durante o período do fenômeno, o dia fica com a mesma duração da noite (12 horas cada).
O Equinócio acostuma atrair turistas ao Amapá. Com a reabertura gradual das atividades turísticas, a intenção é retomar a promoção do Monumento Marco Zero do Equador consolidado do Amapá, para geração de emprego e renda no setor de turismo.

Novo Trapiche Eliezer Levy terá 4 pontos de contemplação para o rio Amazonas

O novo Trapiche Eliezer Levy foi projetado com o objetivo de valorizar um dos pontos turísticos mais conhecidos da capital. A nova arquitetura do local foi inspirada nos baluartes da Fortaleza de São José, que além de embelezar, vão proporcionar uma contemplação do majestoso rio Amazonas em quatro pontos diferentes.A obra será de reforma de toda estrutura de base já existente, e a ampliação contará com deck para eventos regionais de economia criativa, iluminação de led, píer para atracação de pequenas embarcações e revitalização do restaurante.

Projeto arquitetônico foi aprovado pelo Ministério da Defesa e agora segue para processo licitatório. A previsão é que a ordem de serviço para início da obra seja dada ainda em 2021. A obra vai ser executada pela Semob e custará pouco mais de R$ 4,3 milhões.

O projeto foi criado pela equipe da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana (Semob), que ganhará uma cobertura vazada, que será instalada no deck e irá permitir um espaço moderno e confortável para quem for visitar o local. A intenção busca incentivar o turismo e o empreendedorismo na capital.
“Nós fizemos uma ampliação que é uma homenagem à nossa história e estamos ressignificando o local trazendo a economia criativa para ser inserida. Será um espaço livre para feiras, eventos culturais, essa é a nossa meta com essa obra ”, disse o subsecretário de Obras, Ivy Vasconcelos.


Obra

A previsão é que a ordem de serviço para início da obra seja dada ainda em 2021. A obra vai ser executada pela Semob e custará pouco mais de R$ 4,3 milhões. Os recursos foram enviados pelo senador Davi Alcolumbre. O projeto já foi aprovado pelo Ministério da Defesa e agora segue para instrução do processo licitatório.


Concessão

O ponto turístico agora é de responsabilidade da Prefeitura de Macapá. A concessão foi concedida à prefeitura no dia 27 de julho deste ano, com a autorização para o uso do espaço por 20 anos. A partir da assinatura do Termo de Cessão de Uso de Imóvel, o local passará a compor o projeto Orla Viva, que busca a revitalização e transformação da orla de Macapá

Símbolo de Macapá, Mercado Central completa 68 anos de história nesta segunda , 13

 

O Mercado Central, um dos símbolos da cultura amapaense, economia e cartão postal da cidade de Macapá, completa 68 anos de muita história e tradição nesta segunda , 13 de Setembro. O espaço foi inaugurado dia 13 de setembro de 1953 pelo então governador Janary Nunes e o prefeito Claudomiro de Moraes. O espaço era uma obra gigantesca para a época e tinha como finalidade comercializar produtos da roça, que eram desembarcados no Trapiche Eliezer Levy.

Foto: Lilian Monteiro

O centro histórico foi considerado espaço de compras de alimentos e de encontros das famílias amapaenses por muito tempo. No local, diversas histórias trazem a memória desse sexagenário monumento, composto de nativos e imigrantes que deram início à expansão da atividade comercial no estado.

Foto: Max Renê

Entre as lembranças dos primeiros empreendimentos estão os famosos Bar Du Pedro, Clip Bar, Banca de Revistas Cinelândia, Mercearia do Chaquib, Sapataria do Irmão, Sapataria Chic, Ervanaria Amazônia, o Salão Latino Americano, Farmácia Droga Norte, entre tantos outros.

Luiz Gonzaga Nery, o segundo proprietário do famoso Bar Du Pedro, point etílico tradicional da cidade. “Sou nascido e criado neste bar”.

Falar de mercado é contar a história de quem o viu e o ajudou a nascer, como relata Luiz Gonzaga Nery, o segundo proprietário do famoso Bar Du Pedro, point etílico tradicional da cidade. “Sou nascido e criado neste bar. Vi a cidade inteira crescer, e a memória mais viva que tenho é do Mercado Central lotado e meu pai conversando com os clientes. Essa tradição tem passado de pai para filho. Hoje meu filho Pedro Nery da Cruz Neto toma a frente do bar”, disse.

Em 2019, o mercado foi totalmente revitalizado e ampliado, mas foi mantida a sua arquitetura. Em 2020 o novo espaço foi entregue. Além disso, ganhou obras em tons vibrantes que retratam alguns dos símbolos da cultura local, como o Marabaixo e o batuque.

Painéis expostos nas áreas interna e externa do novo Mercado Central abrilhantaram ainda mais um dos pontos mais bonitos da cidade. O artista amapaense Ralfe Braga é reconhecido internacionalmente e assinou toda identidade do local. Suas artes são cheias de energia e tonalidades exuberantes. Segundo ele, as obras dentro e fora são inspirações que refletem exatamente as questões históricas e estéticas do local, que trazem as cores vivas da Amazônia.

 

Curiosidades


A escultura que está bem em frente ao mercado tem as cores da bandeira do município de Macapá e também foi criada por Ralfe. Como o artista frisa, a primeira coisa que se busca na concepção de uma obra artística são símbolos, marcas, objetos que tenham uma simbologia para o projeto. “Eu, visitando certa vez aqui e estudando a concepção do projeto, olhei para cima e percebi que havia uma roseta na fachada, e essa roseta me chamou atenção desde criança. Quem criou ela usou esse símbolo que se usava muito na arquitetura da época, pois sua criação foi em 1953. É uma marca registrada da própria arquitetura, nada mais justo, óbvio e mais natural do que usar essa roseta como marca e símbolo do mercado, que está representado na escultura”, explicou o artista.


68 anos do Mercado Central

Os 68 anos de Mercado Central será celebrado na segunda-feira (13), data também dos 78 anos de fundação do Território Federal. A programação inicia com Alvorada no Mercado Central, com a banda da Guarda Municipal, plantação do pé de Amapazeiro e de uma cápsula do tempo com os sonhos de crianças amapaenses. Haverá ainda o anúncio, pelas autoridades da segunda fase de revitalização do Mercado Central.

Em seguida, na Assembleia Legislativa do Amapá, acontecerá sessão solene, com a participação da Orquestra Florescer, Batuque Raízes do Cunani e a entrega das Medalhas Notável Edificador do Amapá a 14 personalidades amapaenses, além da presença de 24 amapaenses ilustres que serão homenageados ocupando as cadeiras do parlamento estadual.

Belezas do Amapá: Cachoeira da dona Antônia e Lagoa Azul no município de Serra do Navio

 

O Amapá têm muitos encantos e belezas naturais espalhados pelos 16 municípios. São pequenos paraísos no estado. A Serra do Navio, apesar da ainda pouca estrutura como destino turístico, os locais fazem valer a pena. Suas paisagens de extrema beleza em plena Floresta Amazônica, fazem do lugar uma experiência de lazer apaixonante.

Cachoeira da Dona Antônia, localizada na Vila do Cachaço na Serra do Navio. Foto: Lilian Monteiro

Entre as cachoeiras e lagoas, não deixe de conhecer a cachoeira da Dona Antônia, localizada na Vila do Cachaço. Fica dentro da comunidade, encanta pelo cenário mesmo sem ter uma queda grande, é cercada de pedras, árvores e com água transparente e gelada.

Já a Lagoa Azul, com profundidade de até 80 metros, é perfeita para um mergulho. De carro ou com uma pequena caminhada, é possível chegar a uma grande lagoa, que chama atenção por sua coloração. A Lagoa Azul é uma das atrações mais visitadas na Serra do Navio. A cor azul anil é dada por conta dos minérios da região, segundo os entendidos.

A Lagoa Azul é uma das atrações mais visitadas na Serra do Navio. Foto: Lilian Monteiro

Serra do Navio

A Serra do Navio, no estado do Amapá, foi fundada em 1950 para abrigar os engenheiros, administradores e operários da grande mineradora Icomi que trabalhava na extração de manganês que firmou contrato de exploração do manganês amapaense por 50 anos, e ficou no município até 2003. Em 2010, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) tombou a cidade como Patrimônio Cultural. Entretanto, como esgotou a reserva antes do tempo previsto, a empresa deixou o local. Enquanto a sede estava sendo administrada pela Icomi, a vila era modelo de organização e eficiência em todos os setores. Representava a rede de maior projeto privado do estado do Amapá.

Curiosidade sobre o nome do município

Uma curiosidade que pode explicar o nome da cidade é, segundo os moradores, que o rio Amapari que passa em frente à cidade, se observado via área, possui a forma de um navio.

Como chegar

A Serra está localizada a 210 quilômetros da capital e o acesso é pela BR-210 (Perimetral Norte), são cerca de quatro horas de viagem, parte da estrada é de difícil acesso.

Praça Jaci Barata: local terá área de contemplação e prática de esportes

 

O novo espaço de lazer que irá embelezar a orla de Macapá terá ambientes desenvolvidos para a prática de esportes e contemplação com jardins. A reconstrução da Praça Jaci Barata faz parte do programa Orla Viva, que tem o objetivo de valorizar e desenvolver o turismo local.
A nova praça Jaci Barata tem uma área de pouco mais 96 mil m² e foi projetada pela renomada arquiteta Rosa Grena Kliass, 88 anos, especialista em paisagismo. Um dos projetos de maior destaque da arquiteta é a Avenida Paulista. No estado do Amapá, Kliass desenvolveu o projeto do Parque do Forte.

São executados agora serviços de concretagem e terraplanagem. O projeto arquitetônico foi desenvolvido pela arquiteta Rosa Grena Kliass, especialista em paisagismo. Previsão de conclusão é no mês de dezembro.

Com previsão de conclusão para dezembro, a obra é executada pela Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana (Semob). São executados os serviços de demolição da estrutura antiga para receber a terraplanagem que é a preparação do solo para a construção dos novos espaços.
De acordo com o subsecretário de Obras, Ivy Vasconcelos, a execução da base é uma das etapas mais importantes da obra, porque começa a formar a identidade planejada durante o projeto.


“Paralelo a isso iremos iniciar a concretagem para construção das calçadas e logo vamos começar os serviços da nova iluminação em LED. Vamos construir uma praça que vai ficar marcada na história de Macapá por ter a assinatura de uma das arquitetas brasileiras da atualidade mais influentes no cenário internacional”, disse o subsecretário.

A praça contará com deck de madeira, três quadras poliesportivas, redário, bicicletário, estacionamento, campo gramado, campo de areia e espaço de convivência com um lago e jardins. O local de recreação custará pouco mais de R$ 9.4 milhões, sendo R$ 6,9 oriundos de emenda parlamentar destinada pelo então senador José Sarney (2011) e R$ 2,5 milhões de contrapartida municipal.
Mudanças

Para dar apoio à movimentação das máquinas e zelar pela segurança da população, a Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana (Semob) ampliou o acesso da extensão da avenida Fab, que já existia, para dar uma opção de saída ou entrada para o Igarapé das mulheres. Essa medida foi tomada porque foi necessário fechar a rua que passa em frente à obra da praça.
Outra mudança é a nova organização dos comerciantes que ocupavam o espaço, que agora estão alocados no estacionamento da Praça do Coco. São 24 empreendedores que atuam com infláveis, cama elástica, comercialização de pipoca, doces e venda de brinquedos, que agora contam com uma estrutura coberta e com grades.

“As mudanças foram necessárias para adequar o espaço para a construção da praça. Todos esses transtornos são temporários, à medida que os trabalhos avançarem iremos fazendo novas alterações. Nosso objetivo é dar à população um espaço novo, moderno e com qualidade para empreendedores e visitantes”, finalizou o secretário de obras Cássio Cruz.

Promotoria de Urbanismo reúne para tratar de reforma e organização do píer do Santa Inês

 

A Promotoria de Justiça de Urbanismo, Habitação, Saneamento, Mobilidade Urbana, Eventos Esportivos e Culturais de Macapá reuniu-se na data de hoje (5), com a Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinf) e com a Secretaria Municipal de Habitação e Ordenamento Urbano e a Procuradoria-Geral do Município de Macapá para tratar da reforma e organização dos píeres localizados na orla da cidade de Macapá, no bairro Santa Inês.

O secretário de Infraestrutura, Alcir Matos, esclareceu que será necessária uma nova licitação para conclusão das obras, abandonadas pela empresa que ganhou a licitação anterior, deixando inacabadas. Imagem do site do Seles Nafes.

Na ocasião, foram esclarecidos pela SEINF os motivos da paralisação da obra e os projetos para o piér que está sendo construído pelo Estado há, aproximadamente, 10 anos.

O secretário de Infraestrutura, Alcir Matos, esclareceu que será necessária uma nova licitação para conclusão das obras, abandonadas pela empresa que ganhou a licitação anterior, deixando inacabadas.

O secretário de Ordem Urbanística de Macapá, Rafael Martins, disse que a área atualmente é de responsabilidade do Estado, mas que a Prefeitura pode intervir, se necessário, para organizar a venda de passagens e os ambulantes que ocupam o local, atualmente sem qualquer fiscalização ou permissão.

A Progem também reforçou que o Município, pode, ser for do interesse do Estado, passar a organizar o espaço, regulamentando seu uso.

Para o promotor André Araújo, titular da Promotoria do Urbanismo, “é inadmissível que um local com tanto valor turístico e paisagístico seja atualmente ocupado de forma tão desordenada, sem qualquer fiscalização, contribuindo negativamente para o visual de parte tão nobre da cidade”.

O promotor ressaltou ainda, que a tendência é que o Ministério Público recomende que o local seja utilizado somente para transporte de passageiros com fins turísticos, removendo-se de lá embarcações de carga e de outras finalidades que em nada contribuem para a valorização do local.

Ficou acordado que será agendada uma nova reunião para que a Seinf apresente o projeto atual para o novo píer, com a presença da Secretaria Estadual de Transporte (Setrap) e da Capitania dos Portos, visando traçar um plano de ação para as futuras intervenções no local.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá

Trapiche Elizer Levy passa a ser administrado pela Prefeitura de Macapá


A partir desde terça-feira (27) o Trapiche Eliezer Levy, localizado na região central da capital, passa a ser mais um ponto turístico administrado pela Prefeitura de Macapá. O local é de responsabilidade do Governo do Estado do Amapá e a transferência para o Executivo Municipal foi feita após uma solicitação do prefeito de Macapá, Dr. Furlan.

“Desde o início do ano estamos mantendo esse diálogo a fim de promover melhorias na vida da população de Macapá e a ideia de trazer o Trapiche Eliezer Levy para a Prefeitura não foi diferente. Fizemos a solicitação do espaço à Secretaria de Estado da Administração para que ele fosse cedido ao Município e o nosso pedido foi aceito. A partir de agora temos a autorização para o uso do espaço por 20 anos”, disse o prefeito de Macapá.

Com a assinatura do Termo de Cessão de Uso de Imóvel, a Prefeitura de Macapá revitalizará o trapiche, que ganhará uma nova área de circulação e estrutura moderna. Junto de outros equipamentos turísticos, o local passará a compor o projeto Orla Viva, que busca a revitalização e transformação da orla de Macapá. A iniciativa tem o objetivo de valorizar e incentivar o turismo e o empreendedorismo na capital.

“Acreditamos que o turismo será um dos vetores de desenvolvimento da nossa cidade. Com mais esse equipamento vamos ampliar a capacidade de atendimento aos turistas e entregar aos munícipes um espaço totalmente revitalizado e pronto para uso”, completou o chefe do Executivo municipal.

Durante a assinatura do documento, o governador do Amapá, Waldez Góes, destacou que a cessão do espaço consolida a boa relação entre o Estado e o Município. “A orla da cidade tem um potencial muito grande e através dessa iniciativa visamos aumentar ainda mais o desenvolvimento do turismo em Macapá”, frisou.

A revitalização do espaço já tem verba alocada através de emenda parlamentar do senador Davi Alcolumbre no valor de R$ 4,3 milhões, que já está empenhada. “Essa é uma obra que vai promover o desenvolvimento econômico. Tanto o Governo quanto a Prefeitura têm intervenções importantes para fomentar a economia local. Sem dúvida nenhuma esse será um vetor do desenvolvido do turismo e do empreendedorismo na nossa orla”, declarou o senador.

De acordo com a Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura (Semob), o projeto está em fase de aprovação pelo Ministério da Defesa e, após essa etapa, a Prefeitura de Macapá fará a licitação da empresa responsável pela execução da obra. A previsão é que a ordem de serviço seja dada no início do último trimestre de 2021.

Por Ewerton França – Secretaria Municipal de Comunicação Social