Canal da Mendonça Júnior passa por revitalização

 

As obras de revitalização do Canal da Mendonça Júnior, no Centro de Macapá continuam. Os serviços já atingiram a implantação de postes de iluminação e calçamento.


O projeto elaborado pela Secretaria Estado da Infraestrutura, prevê ainda a implantação de rampas de acesso, sinalização, lixeiras, arborização e bancos de concreto.

O Governo do Amapá está investindo o valor de R$6 milhões na modernização do Canal da Mendonça Júnior.

Pavimentação da AP-070 avança 8 quilômetros através de obras do Plano Rodoviário

Neste sábado, 2, o Governador do Amapá, Waldez Góes, e o senador Davi Alcolumbre acompanharam o avanço da pavimentação na Rodovia AP-070, que liga a capital aos municípios de Itaubal do Piririm e Cutias do Araguari, além de comunidades e distritos como São Joaquim do Pacuí e Carmo do Macacoari.

Frente de serviço foi visitada neste sábado, 2, pelo governador Waldez Góes, senador Davi Alcolumbre, comitiva e equipe técnica.

A obra faz parte do Plano Rodoviário Estadual, que entregará uma nova estrutura desde o entroncamento da AP-070 com a AP-340 (entroncamento do Paulo) até o Distrito de São Joaquim do Pacuí, beneficiando 36,5 quilômetros com serviços de drenagem, terraplenagem, pavimentação, sinalização e construção de meio-fio.

Até o momento, a obra já alcançou 8 quilômetros de pavimentação. Ainda nesta rodovia, está em andamento a construção de quatro pontes e duas galerias em concreto, além de outras frentes de trabalho em atividade nos municípios de Itaubal e Amapá, que também são voltadas para a construção de pontes definitivas.

Waldez Góes destacou que esse pacote de obras traz desenvolvimento para a região leste. O governador também anunciou que está trabalhando em parceria com o senador Davi Alcolumbre no planejamento de uma nova frente de trabalho, vindo do município de Cutias até São Joaquim do Pacuí.

“Estamos construindo a estrada até São Joaquim do Pacuí e depois vamos abrir a frente vindo de Cutias até São Joaquim. É desenvolvimento, geração de empregos e melhoria da qualidade de vida do povo amapaense”, afirmou

Os investimentos nas obras do Plano Rodoviário Estadual somam R$ 156 milhões, dos quais R$ 58 milhões foram articulados pelo senador Davi, junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). Durante a visita, Alcolumbre ressaltou o importante papel de cada agente dentro das esferas públicas.

“Esse esforço para fazer uma obra estruturante como essa ele só é possível graças à nossa união e esforço coletivo. É o trabalho de muitos servidores públicos do nosso estado, liderados pelo governador Waldez e lógico, reforçados pela nossa bancada federal”, o senador.

Para o agricultor Itamar Sales Rodrigues, 56 anos, a obra na AP-070 é importante para que o escoamento da produção ocorra com menos dificuldade, conforme a melhoria na qualidade da estrada e consequentemente a redução no tempo de deslocamento até a capital. Ele trabalha com a produção de abacaxi, hortaliças e açaí na comunidade Sagrado Coração de Maria, em Cutias.

“O que está acontecendo para a gente é muita benção. Junto com outras ações do governo, estamos progredindo com a agricultura familiar porque essa obra aqui é essencial para o bom escoamento da produção. Nesse meio que está sendo pavimentado aqui, formava grandes atoleiros. É um grande benefício para a gente”, disse.

A visita foi realizada em comitiva formada também pelo secretário de Estado de Transporte, Benedito Conceição, la deputados federais Aline Gurgel e Pedro da Lua, deputado estadual Jesus Pontes, além dos prefeitos de Itaubal e Cutias, José Serafim e Raimundo Amanajás, respectivamente.

Plano Rodoviário Estadual

As obras são executadas pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Transporte do Amapá (Setrap) e fazem parte da segunda etapa do Plano Rodoviário Estadual, lançada em outubro de 2020.

Em outras etapas, o plano também prevê a conclusão da Rodovia AP-110, no trecho entre São Joaquim do Pacuí e o município de Cutias do Araguari, totalizando 21,3 quilômetros, além da construção de pontes em concreto armado sobre o Igarapé do Garimpo e o Rio Gurupora.

Ponte da Lagoa dos Índios: Governo do Amapá faz alteração no trânsito para continuidade da obra

Fluxo de veículos será transferido para a via recém concluída, com o objetivo de realizar a recuperação do solo e aplicação de asfalto e sinalização definitiva no outro lado da pista.

Serão mantidas as atuais três faixas e seus horários de funcionamento

A partir da próxima terça-feira, 14, os usuários da Rodovia Duca Serra (AP-020) utilizarão a pista recém concluída na Ponte da Lagoa dos Índios, zona oeste de Macapá. A alteração vai permitir que o Governo do Estado inicie de forma imediata a recuperação do solo e aplicação de asfalto e sinalização definitiva no outro lado da ponte, que recebe o fluxo de trânsito atualmente.

 

De acordo com a Secretaria de Estado de Transporte do Amapá (Setrap), o trânsito no local continuará funcionando com as três pistas e inversão de fluxos em determinados horários. Confira:

  • Das 6h às 12h, uma pista será utilizada para o sentido Macapá/Santana e as outras duas abrigarão o sentido Santana/Macapá;
  • Das 12h às 6h a dinâmica muda: duas pistas passam a ser utilizadas pelo fluxo de Macapá em direção à Santana e a terceira pista recebe o contrafluxo.

 

Para que a população esteja ciente da mudança, o Governo do Estado está iniciando uma intensa campanha de comunicação em TVs, rádios e redes sociais. Além disso, o trecho da Lagoa dos Índios contará com a devida sinalização e o acompanhamento de equipes do Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE) durante a primeira semana.

Ainda na terça-feira o perímetro que deixará de receber o fluxo será fechado para o início da retirada do asfalto provisório e terraplenagem, para posteriormente receber pavimentação e sinalização definitivas.

Temos que fazer uso dessas estratégias para que os serviços e o trânsito aconteçam paralelamente. Ano passado liberamos aquele lado de forma provisória para iniciar a construção no lado oposto. Agora, caminhamos para a fase final da obra, melhorando de forma significativa a mobilidade urbana nessa região”, explicou o secretário de Estado de Transporte, Benedito Conceição.

 

Obra

A nova Ponte da Lagoa dos Índios faz parte do projeto de duplicação da Duca Serra e terá 50 metros de comprimento e 26 metros de largura, com quatro pistas de rolamento em dois sentidos, além de acostamento e ciclovia. A obra está orçada em R$ 8 milhões.
https://www.amapa.gov.br/noticia/0909/ponte-da-lagoa-dos-indios-governo-do-amapa-faz-alteracao-no-transito-para-continuidade-da-obra

Trabalho de pavimentação em vias às margens do Beirol amplia rotas de trânsito

 

A Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana (Semob) finalizou os trabalhos de pavimentação e recuperação de alguns trechos em vias que contornam o canal do bairro Beirol. Ao todo foram revitalizados três quarteirões que vão possibilitar uma nova rota de acesso para outros bairros.

Etapas seguintes dos trabalhos transformarão trechos de vias em binário, ou seja, de mão única. O objetivo é melhorar a segurança e a mobilidade dos pedestres e moradores.

Receberam os serviços de terraplanagem, pavimentação e requalificação asfáltica os cruzamentos das vias 13 de Setembro com Pedro Lazarino e com Felipe Camarão; 1° de Maio com Desidério Antônio Coelho; e Pedro Lazarino até a Xavantes.

A obra foi executada pela Semob com recursos do Tesouro Municipal. De acordo com o secretário da pasta, Cássio Cruz, a pavimentação dessas vias permitirá a abertura de uma nova rota para bairros, principalmente em horários com mais movimentação. 

 

“Como algumas dessas ruas não eram asfaltadas, não ofereciam segurança e agilidade para os motoristas e pedestres. Agora vamos ofertar mais uma alternativa para locomoção com mais mobilidade”, finalizou. 

 

Com a obra de infraestrutura finalizada, agora a Companhia de Trânsito de Macapá (CTMac) realiza a sinalização horizontal. Posteriormente, serão instaladas as placas que completam o pacote com a sinalização e ordenamento do trânsito. 

 

“Queremos evitar o fluxo perigoso que é a mão dupla em uma rua tão estreita. Futuramente, a intenção é transformar esse perímetro em binário, vias de mão única, até o trecho da avenida Tupis. Isso ainda vai levar um tempo para organização e educação dos motoristas”, finalizou o diretor-presidente da CTMac, Marcilio Dantas.

 

MP-AP delibera a respeito da execução do projeto Igarapé Sustentável para que recursos não sejam devolvidos à União

Como encaminhamento de procedimentos solicitados ao Ministério Público do Amapá (MP-AP), referente ao acompanhamento da execução do projeto Igarapé Sustentável, nesta segunda-feira (16), uma Audiência Pública foi realizada na Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), presidida pelo promotor de Justiça de Meio Ambiente, Marcelo Moreira, representando a procuradora-geral, Ivana Cei. A audiência cumpre o acordo da última reunião sobre o assunto, de iniciativa do deputado federal Camilo Capiberibe, que solicitou a intervenção do MP-AP para que os recursos de aproximadamente R$16 milhões, de emendas parlamentares, não sejam devolvidos caso a obra não seja concluída no prazo estipulado.

O prazo para conclusão do projeto foi prorrogado até 31 de março de 2022.

Moradores da comunidade Igarapé da Fortaleza; o prefeito de Santana, Bala Rocha; o representante da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA), Luiz Takiyama; do Instituto Forte Cumaú, Nerivan Costa; e de órgãos da administração estadual, além do deputado Camilo Capiberibe, estiveram presentes. Os principais entraves para o andamento da obra são a regularização fundiária, licenciamento, plano de manejo, desapropriação da área para construção do píer e a readequação do projeto. O prazo para conclusão do projeto foi prorrogado até 31 de março de 2022.

Para execução do Igarapé Sustentável no distrito Igarapé da fortaleza foram garantidos recursos junto ao Ministério da Integração Nacional. A área é fronteira entre os municípios de Macapá e Santana, protegida constitucionalmente por se tratar de uma Unidade de Conservação (UC) administrada pelo Governo do Estado. Como contrapartida, o Estado assumiu a responsabilidade pela obra.

Voltado para inclusão produtiva e desenvolvimento regional, consta no projeto a construção de uma fábrica de beneficiamento de camarão e frutas regionais; espaço para produção de vegetais; porto de embarque e desembarque de produtos e turistas; centro de atendimento ao turista; e mercado para comercialização de produtos agroextrativistas. Prevê ainda, a pavimentação de ramais do CD Rural e Hortifrutigranjeiro.

O objetivo dos solicitantes é que o MP-AP interceda perante os órgãos estaduais e federais com responsabilidade na execução da obra. O parlamentar explicou que a construção avançou na fábrica, mas parou por falta de adequação do projeto para atender as obrigações legais que impedem o andamento; e que a pavimentação foi retomada, mas o plano de manejo não foi concluído. O prefeito Bala Rocha afirma a importância do projeto para desenvolver economicamente Santana, que será afetada pelos impactos, uma vez que a estrutura comercial da área está nos limites do município.

Luiz Takiyama relatou que da parte da SEMA os entraves esbarram no licenciamento e que o plano de manejo está em discussão para adequação às novas tecnologias. Antônio Chucre, da Secretaria de Transportes do Estado (Setrap) confirmou que estão acontecendo diligências na área e que a previsão é que a pavimentação seja concluída até dezembro deste ano. Morena Borges, da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinf), disse que o convênio é complexo e que há impedimento administrativo para a continuação da execução porque algumas etapas dependem do cumprimento de outras, principalmente referente à indenização de um proprietário de área para obra do projeto, por não haver consenso sobre valores.

Como encaminhamento, o promotor Marcelo Moreira deliberou que irá solicitar à Seinf a relação de obras e serviços relacionados ao projeto Igarapé Sustentável, valor previsto e empenhado, entraves e soluções; irá Recomendar ao Estado do Amapá que adote medidas para que o recurso não seja devolvido à União; designar uma reunião com a Procuradoria Geral do Estado (PGE), Ministério Público Federal (MPF) e Secretaria do Patrimônio da União (SPU) sobre a concessão de área federal para um empreendedor; solicitar à SEMA informações a respeito da fiscalização de obras do referido empreendedor; e realizar visita nas obras do CD Rural e Pólo da Fazendinha, com técnicos da Setrap.

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá