Com investimentos do Governo do Amapá, HE oferta mais de 5 mil exames de imagem por mês

Exames de raio-x, tomografia e ressonância ultrassonografia auxiliam no diagnóstico e tratamento dos pacientes.

O Governo do Amapá investiu em novos equipamentos de imagem para o Hospital de Emergências (HE) de Macapá, proporcionando resultados mais ágeis e auxiliando no diagnóstico e tratamento dos pacientes que dão entrada na unidade. São cerca de 5 mil procedimentos mensais.

Só nos três primeiros meses de 2024, já foram realizados 17 mil exames de imagem, entre raio-x, tomografia e ultrassonografia. A automação e o sistema hospitalar moderno usado pelo HE, permitem que os resultados sejam enviados diretamente aos médicos, diminuindo o tempo de espera para o diagnóstico.

O tecnólogo em radiologia e responsável técnico do serviço de imagem do HE, Antônio Júlio, destaca que após a instalação de equipamentos mais modernos e novos, está sendo possível dar celeridade ao fluxo de atendimento dos pacientes.

“São equipamentos que dão mais resolutividade ao caso dos pacientes, principalmente aqueles que são modernos e novos. Além dos aparelhos, nós usamos um sistema completo, que permite maior agilidade também na hora da avaliação dos especialistas, onde eles recebem os resultados diretamente no consultório”, relata o responsável técnico.

O exame de imagem permite que os profissionais avaliem o paciente internamente, sem a necessidade de cirurgias ou outros métodos invasivos. Com esses procedimentos, é possível analisar todo o organismo, desde órgãos e tecidos até ossos.

Ao dar entrada no HE, o paciente é atendido pelo médico, que em caso de solicitação, o usuário é encaminhado para realizar o exame e após 1 hora e 50 minutos de espera, ele retorna com o especialista para que o laudo seja avaliado.

“Como somos uma unidade de urgência e emergência, nosso fluxo funciona de forma rápida e alinhada. Não somente os equipamentos, mas os profissionais que atuam no HE são os responsáveis por conseguir atender a alta demanda que temos diariamente aqui”, afirma o diretor do HE, Emanoel Martins.

Governo do Estado amplia oferta de eletrocardiograma para pacientes do HE, em Macapá

Número de exames saltou de 300 para 800 ao mês a partir da nova estrutura instalada no local.

Com a reestruturação do Hospital de Emergência de Macapá (HE), o Governo do Amapá garantiu a ampliação de eletrocardiogramas, com um salto de 300 para 800 exames realizados por mês, na unidade. Os avanços integram o Plano de Governo, que determina a saúde como prioridade imediata, além da melhora nos serviços ofertados à população.

O eletrocardiograma é um exame básico e inicial para avaliação da saúde cardiovascular. Ele serve para apontar anormalidades cardíacas e orientar a dispensa de medicamentos para arritmia ou marca-passos.

O Hospital teve mais de 80 espaços completamente revitalizados em menos de um ano de gestão, reforçando os atendimentos e a oferta de exames ao público. O investimento de mais de R$ 5 milhões, do Tesouro Estadual, permitiu realizar obras de intervenção, amenizando problemas crônicos na infraestrutura da unidade, garantindo mais dignidade no atendimento aos pacientes.

A responsável técnica pelo setor no HE, Jeanne Monteiro, afirma que, com a nova estrutura, é possível realizar atendimentos mais efetivos, garantindo mais agilidade nos casos de urgência e emergência.

“Hoje, em média, o paciente leva de três a cinco minutos para fazer um eletrocardiograma, com um retorno de, em média, 10 minutos com o médico para novos encaminhamentos. Conseguimos dar mais celeridade aos exames e seguir com tratamentos e acompanhamentos humanizados”, reforça Jeanne.

O local também conta com um novo fluxo de Classificação de Risco, onde é possível acolher e direcionar os pacientes para exames e segmentos adequados dentro do HE. O espaço é onde ocorre o primeiro atendimento aos pacientes, utilizando a triagem com o protocolo Manchester.

“O serviço contém dois tipos de acolhimento: um para pacientes que vêm de ambulância, vítimas de traumas e acidentes; e os que vêm de suas casas e passam pela recepção. A análise é feita por um médico que, após realizar uma pré-consulta, encaminha os casos identificados como de baixa complexidade para as Unidades Básicas de Saúde e Unidades de Pronto Atendimento”, afirma o responsável técnico do setor, Djalma Magalhães.

Atendimentos e cirurgias 

O Governo do Amapá garantiu a realização de 485 cirurgias somente no mês de fevereiro no HE. Cerca de 62% dos registros foram de cirurgias ortopédicas, que somam mais de 300 operações. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e mostram que houve um aumento de 16% nos procedimentos em relação ao mesmo período do ano anterior.

Hospital da Criança e do Adolescente utiliza brinquedoteca como método terapêutico para pacientes internados, em Macapá

O espaço tem como objetivo auxiliar na recuperação e amenizar danos psicológicos causados pela internação por meio de atividades lúdicas.

Para diminuir o impacto psicológico causado pelo ambiente hospitalar, o Governo do Amapá, estruturou dois espaços no Hospital da Criança e do Adolescente (HCA), para dar conforto e promover atividades terapêuticas para os pacientes internados. A proposta integra o Plano de Governo atual, que tem a saúde como prioridade imediata e inegociável.

A humanização da assistência hospitalar com a brinquedoteca, fez parte dos 94 novos leitos entregues pelo Governo do Estado em maio de 2023, contendo posto de enfermagem, sala de utilidades, isolamento e expurgo. O novo espaço foi responsável por ampliar e melhorar os atendimentos do hospital.

Internado desde o dia 20 de março, o pequeno Dylan Pastana, de 2 anos, brinca e explora o espaço dentro do HCA. Residentes do município de Porto Grande, a mãe do paciente, a cirurgiã-dentista, Iasmim Pastana, conta que a brinquedoteca desempenha um papel fundamental na rotina hospitalar dela e do filho.

“Nós fomos super bem acolhidos no hospital, fiquei emocionada quando o Dylan entrou aqui e começou a brincar e realizar algumas atividades. A gente sente e consegue ver que a criança muda, desestressa e fica mais à vontade. Um espaço humanizado muito importante montado pelo Governo do Estado”, reforça Iasmim.

A brinquedoteca é um espaço de alternância com o leito e possibilita que os pacientes e os responsáveis desenvolvam atividades recreativas e agradáveis, que antes só eram possíveis após a desospitalização.

O espaço é equipado com brinquedos para estimulação sensorial, pedagógicos e fisioterápicos, sendo utilizado para atividades lúdicas, de lazer e pedagógicas por profissionais como terapeuta ocupacional, psicólogos e fisioterapeutas.

A terapeuta ocupacional, Eloísa Naiff, conta que a brinquedoteca é muito importante para a continuidade do desenvolvimento neuropsicomotor e emocional das crianças internadas.

“Os pacientes saem do contexto normal de vivência familiar ou escolar quando internados e é nesse aspecto que a brinquedoteca faz a diferença, ela ajuda na manutenção da saúde emocional e psíquica da criança, evitando atraso no desenvolvimento de qualquer aspecto”, enfatiza a terapeuta.

O acesso ao espaço infantil é administrado pela equipe multiprofissional da unidade, que organiza o fluxo de interação entre as crianças, para evitar contaminação cruzada. Ao término de cada uso por grupo, a sala passa por processo de limpeza e desinfecção do material.

Centro de Referência em Doenças Tropicais oferta tratamento para mais de 20 patologias dermatológicas, em Macapá

Entre as principais estão a hanseníase, leishmaniose, dermatofitoses, acne e câncer de pele.

O Governo do Amapá oferta tratamento em diversas especialidades no Centro de Referência em Doenças Tropicais (CRDT), entre as principais, está a dermatológica, que cuida de mais de 20 patologias no ambulatório.

As principais patologias recebidas na unidade são: a hanseníase, leishmaniose, dermatofitoses, acne e diagnóstico de câncer de pele. De acordo com a dermatologista Natália Guerreiro, alguns sintomas e sinais devem ser observados com atenção.

“Qualquer anormalidade na integridade da pele, como feridas, bolhas, presença de dor, sangramento e coceira devem ser observadas de forma atenta e com a devida importância, porque podem ser um indicativo para procurar atendimento médico”, afirma a dermatologista.

Os serviços podem ser acessados através da marcação presencial de consultas, que acontecem nas terças, quintas e sextas-feiras, na própria unidade. Para marcar um atendimento é necessário que o paciente apresente cartão do SUS, CPF, encaminhamento médico, comprovante de residência e um número para contato.

O CRDT não é uma unidade de livre demanda, portanto, os usuários precisam, indispensavelmente, de um encaminhamento médico da atenção primária de saúde, para acessar os serviços ofertados pelo Centro, como explica o diretor Leonardo Pereira.

“O paciente precisa primeiro passar por uma Unidade Básica de Saúde, ter o encaminhamento e depois nos procurar. A população pode chegar aqui nos dias indicados para marcação, sem precisar se aglomerar ou antecipar. Nossos profissionais farão o direcionamento para o serviço especializado”, enfatiza.

Confira as patologias tratadas no CRDT:

  • Acne grave (graus 3 e 4), rosácea e dermatite seborréica grave;
  • Alopecias (perda de cabelo ou de pelo em qualquer parte do corpo);
  • Ceratodermias palmoplantares (doenças hereditárias raras);
  • Dermatite atópica – formas moderadas a graves;
  • Doenças cutâneas de origem genética;
  • Doenças exantemáticas da Infância;
  • Hanseníase – complicações e estados reacionais;
  • Hemangiomas (conjunto de pequenos vasos sanguíneos que se aglomeram em determinado ponto do corpo);
  • Herpes Simples; Herpes Zoster e complicações;
  • Hidradenite supurativa (aparecimento de caroços);
  • Infecções Sexualmente Transmissíveis;
  • Leishmaniose Cutânea;
  • Líquen Plano, Estriado, Nítido e Aureus (inflamação na pele ou mucosas);
  • Lúpus Eritematoso Cutâneo Crônico;
  • Esclerodermia Circunscrita (doença autoimune);
  • Dermatopolimiosite.
  • Manifestações cutâneas relacionadas às drogas medicamentosas;
  • Psoríase – Parapsoríse, Pitiríase Rósea, Pitiríase Liquenóide (escamas espessas no couro cabeludo);
  • Suspeitas de câncer de pele;
  • Tuberculose Cutânea;
  • Urticárias;
  • Vitiligo.

Serviço

O CRDT está localizado na Rua Professor Tostes, nº 2212, no bairro Santa Rita, em Macapá. O local funciona das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Amapá, médico da rede estadual de saúde alerta para os perigos da automedicação em casos de suspeita de dengue

Este ano, mais de 1,5 mil casos já foram confirmados pela Superintendência de Vigilância em Saúde.

Com mais de 1,5 mil casos positivos para dengue este ano, o Governo do Amapá segue com medidas para prevenir e combater o mosquito Aedes Aegypti, transmissor da doença. Para quem apresenta algum sintoma, a orientação é não se automedicar, pois a situação pode se agravar.

De acordo com o médico Arthur Cunha, é necessário estar atento a qualquer tipo de sintoma, e procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para mais orientações e realização de exame.

“Pacientes que apresentam sintomas leves, também devem procurar atendimento médico para acompanhamento da doença. Aqueles com sinais e sintomas de gravidade, demandam a realização de exames complementares, observação ou até mesmo internação em unidade de saúde para suporte clínico, cujo principal objetivo é a hidratação venosa”, detalha o médico.

A dengue é uma doença febril aguda, sistêmica e dinâmica, variando desde casos assintomáticos a quadros graves, incluindo óbitos. Os primeiros sintomas incluem febre alta, fortes dores de cabeça e atrás dos olhos, náusea, vômitos e vermelhidão na pele.

Sem o tratamento adequado, os sintomas podem evoluir para dor abdominal intensa, respiração ofegante, sangramento de mucosas, desidratação e sensação de boca seca, fadiga, vômito de sangue e outros sinais mais intensos.

A automedicação é um risco para pacientes com suspeita de dengue, pois a ingestão medicamentosa inadequada pode agravar o quadro clínico e dificultar a melhora do paciente.

“O paciente pode desconhecer os efeitos principais e os colaterais de um medicamento. No caso da dengue, diversas medicações podem ser prejudiciais, aumentando a probabilidade de sangramento, como é o caso dos anti-inflamatórios, dos anticoagulantes e dos antiagregantes plaquetários, propiciando a disfunção renal ou do sistema cardiovascular”, ressalta Cunha.

Um dos principais métodos de prevenção contra a doença é eliminar focos de água parada, que podem servir como criadouros do mosquito transmissor da dengue, o Aedes Aegypti. Entre os principais focos estão: vasos de plantas, pneus, garrafas plásticas, tampas de garrafas, piscinas sem uso e calhas.

Situação de emergência

Após registrar aumento no número de casos de dengue, o Governo do Amapá decretou situação de emergência em 10 municípios do estado e coordena ações integradas em diversas frentes de trabalho.

Foram intensificados os serviços de limpeza nas ruas e residências; palestras educativas nas escolas; capacitação de profissionais de saúde; ampliação de espaço para pacientes com dengue em Oiapoque; abastecimento de medicamentos para tratamento e sintomas da doença e borrifação de inseticida em ruas e residências.

Vacina contra a dengue

O Governo do Amapá recebe nesta quinta-feira, 4, as primeiras 12 mil doses de vacina contra a dengue, enviadas pelo Ministério da Saúde (MS). A medida faz parte do remanejamento do imunizante de outros estados para acelerar a vacinação.

Na última semana, o governador Clécio Luís e membros da Bancada Federal fizeram a solicitação da inclusão do Amapá no cronograma de redistribuição do MS, após reunião com a ministra Nísia Trindade. O imunizante será distribuído pela SVS.

Neste primeiro momento, o público alvo da campanha contra a dengue são crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos. O esquema de vacinação será de duas doses com intervalo de três meses entre cada.

Governo do Amapá disponibiliza fisioterapia pélvica para mulheres acolhidas na Rede de Atendimento à Mulher

Tratamento atende mulheres em situação de vulnerabilidade com o objetivo de melhorar a saúde física e psicológica de vítimas de violência sexual.

O Governo do Amapá oferta desde terça-feira, 2, o serviço de fisioterapia pélvica em 8 unidades da Rede de Atendimento à Mulher (RAM). O serviço integra o apoio às mulheres que sofrem com disfunções pélvicas, doença ocasionada pela perda da sustentação dos órgãos pélvicos por fraqueza nas estruturas de suporte do corpo.

O quadro de saúde pode ser causado por violência sexual ou trauma, podendo levar à problemas como incontinência urinária, prolapso de órgãos, frouxidão da vagina, secura vaginal e diminuição da sensibilidade sexual. O serviço integra outros cinco ofertados pela RAM, que incluem assistência social, psicológica, assessoria jurídica, fisioterapia e enfermagem.

O assunto pode ser considerado um tabu entre muitas mulheres, mas trata-se de uma questão de saúde íntima da mulher. Com a fisioterapia, é possível contribuir para o alívio da doença e melhora da qualidade de vida da paciente.

A fisioterapeuta especialista da RAM, Damaris Silva, reforça a importância do início do trabalho nos Centros de Atendimento à Mulher do Estado, pois apesar de não causar riscos de vida, as mulheres podem enfrentar problemas psicológicos por conta da vergonha e falta de informação.

“As pessoas que sofrem de incontinência urinária acabam se excluindo de suas vidas sociais, porque têm vergonha de sair e medo de passar por algum episódio vergonhoso, então muitas acabam desenvolvendo crises de ansiedade e depressão porque nem sabem que tem tratamento”, explica a fisioterapeuta.

Fisioterapia pélvica

O tratamento busca auxiliar, com apoio de uma equipe multidisciplinar, no tratamento físico e psicológico de pacientes que sofreram algum tipo de violência, principalmente a violência sexual, restaurando a saúde pélvica.

“A fisioterapia pélvica tem um papel fundamental na reabilitação pélvica de pacientes que passam por esse trauma, pois acabam desenvolvendo uma doença, vaginismo, e nos casos de violência psicológica, acabam tendo dor na região genital, sem uma causa específica, que se chama dispareunia, ambas as doenças impedem as mulheres de terem uma vida sexual ativa e saudável”, complementa Damaris.

Onde encontrar a Rede de Atendimento à Mulher

A Rede de Atendimento à Mulher funciona dentro do prédio administrativo da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres, localizado na Rua São José, nº 1570, no Centro, das 8h às 18h. O telefone para contato é (96) 98402-7649.

Outros endereços no estado

Centros de Referência em Atendimento à Mulher (Cram)

  • Unidade Mazagão, na Avenida Intendente Pinto, nº 932, no Centro
  • Unidade Porto Grande, na Avenida Amapá, s/n, bairro Malvinas
  • Unidade Laranjal do Jari, na Avenida Tiradentes, nº 882, no bairro Agreste
  • Unidade Oiapoque, na Rua Joaquim Caetano da Silva, nº 1000 (prédio do Super Fácil)

Centros de Atendimento à Mulher à Família (Camuf)

  • Unidade Macapá, na Rua São José, nº 1590, no Centro
  • Unidade Santana, na Avenida Santana, nº 1815-B, no Centro

Centro de Acolhimento às Mulheres Amapaenses Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexo (Ama LBTI)

  • Unidade Macapá, na Rua Odilardo Silva, nº 854, no bairro Julião Ramos.

 

Amapá realiza primeira cirurgia de neuroendoscopia da rede estadual de saúde

O procedimento aconteceu no Hcal e foi realizado em uma criança com 6 meses de vida.


A primeira cirurgia de neuroendoscopia do estado foi realizada nesta sexta-feira, 29, no Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (Hcal), em Macapá. O paciente, um bebê de 6 meses de vida, passou pelo procedimento que é inédito em um hospital público estadual. A cirurgia foi possível com o investimento do Governo do Amapá na locação do equipamento, que veio do Pará.

A criança tem hidrocefalia septada, que se caracteriza pelo acúmulo de líquido na cabeça, e deu entrada no Hospital da Criança e Adolescente (HCA) para tratamento. Menos invasiva, ou seja, que provoca incisões menores em comparação com a cirurgia tradicional, a neuroendoscopia é um procedimento neurocirúrgico realizado com o auxílio de um endoscópio.

O aparelho permite uma visão em alta definição do interior do corpo. O procedimento é realizado com uma incisão pequena na região frontal do crânio, por onde o cirurgião opera um endoscópio com câmeras que disponibilizam quatro canais de imagens e várias funcionalidades como a pinça cirúrgica, a tesoura, o aspirador, e o foco de luz.

Segundo o responsável pela cirurgia no Hcal, o neurocirurgião Isaías Cabral, o procedimento foi um sucesso. Ele também destacou a felicidade de ver os avanços na saúde pública do Amapá.

“A primeira neuroendoscopia realizada no estado pelo SUS [Sistema Único de Saúde], prova que aos poucos estamos tendo avanços. Viabilizando estes procedimentos aqui, diminuímos também a sobrecarga de TFD [Tratamento Fora de Domicílio]”, pontuou Cabral.

Esse tipo de cirurgia de alta complexidade tem um custo estimado em torno de R$ 20 mil nos hospitais privados. Com a realização no estado é possível diminuir a indicação de TFD, explicou a secretária de Saúde, Silvana Vedovelli.

“A realização da neuroendoscopia aqui prova que é possível se fazer bom uso da verba disponível no SUS. Com uma gestão eficiente conseguimos evitar o deslocamento que tem o custo maior do que o procedimento realizado aqui, e acredito que o maior benefício é garantir que o paciente não precise sair do seu estado natal para realizar um tratamento de saúde”, destacou a secretária.

De acordo com a gestora, a previsão é ampliar esse tipo de procedimento com a aquisição de equipamento neuroendoscópio e treinamentos multidisciplinares ainda esse ano. A neuroendoscopia é mais uma das ações de fortalecimento da saúde, que é prioridade do Governo do Amapá.

Fortes chuvas: Hospital de Emergência de Macapá segue com atendimento normal após desobstrução de calhas

A direção do HE ressaltou que não houve prejuízo no atendimento aos pacientes.


O Governo do Estado realizou reparos no Hospital de Emergências (HE) de Macapá, após uma obstrução nas calhas do prédio provocar a entrada de água das fortes chuvas registradas na madrugada desta sexta-feira, 29. O problema foi resolvido nas primeiras horas da manhã e os atendimentos seguem normais.

A atuação rápida das equipes de manutenção impediu que a água provocasse mais prejuízos. Entre os objetos que foram encontrados na calha, estavam folhas, galhos e material esponjoso utilizado na manutenção de aparelhos de ar-condicionado.

Alguns ambientes foram atingidos, mas toda a estrutura já recebeu limpeza e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) não registrou pacientes afetados pela situação. Os usuários internados permanecem recebendo os cuidados e assistência necessária.

A Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf) reforça que em 2023, todo o telhado do hospital foi completamente substituído, justamente para evitar o problema histórico de vazamento no período de chuvas.

Fortes chuvas

De acordo com dados divulgados pela Defesa Civil Estadual, em apenas 8h, choveu o esperado para as 24h do dia. O tempo e a maré alta ocasionaram alagamentos em vários pontos da capital. As equipes seguem monitorando e auxiliando a população.

Governo do Amapá inicia ação de vacinação para estudantes da rede pública de ensino

Estudantes tiveram a oportunidade de atualizar a caderneta de vacinação sem sair da escola

Teve início nesta quarta-feira, 20, a ação do Governo do Amapá para oportunizar alunos da rede pública de ensino estadual a atualizarem o cartão de vacina. A imunização dos estudantes de 9 a 19 anos, contra o sarampo, HPV e a meningite, começou pela Escola Estadual Barão do Rio Branco, no Centro de Macapá, que conta com 400 alunos. A ação estratégica está inserida no Plano de Governo que tem a saúde como prioridade absoluta.

Segundo a Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS), foram disponibilizadas 50 mil doses de vacinas para as ações nas escolas, sendo 20 mil contra o sarampo; 20 mil contra o HPV (infecção viral que provoca o câncer de útero) e 10 mil contra a meningite. O superintendente da SVS, Cássio Peterka, explica que a estratégia é percorrer o maior número de instituições educacionais para garantir a imunização de crianças e adolescentes.

“A ideia é que a gente consiga atingir as 85 escolas estaduais e avance também para as municipais e as privadas. A gente entende que é fundamental levar as vacinas até as instituições de ensino para que a gente consiga aumentar a cobertura vacinal, já que às vezes é muito difícil essa adesão voluntária”, destacou Peterka.

O Amapá recebeu mais de 316 mil reais, incentivo do Governo Federal, como aporte para custear a imunização nas escolas e reforçar a busca ativa, reduzindo o número de não vacinados. O trabalho também vai atender os alunos da rede municipal de ensino e do interior do estado. 

“Estamos com essa estratégia de levar imunização para estudantes de todo o Amapá. Essa clientela de 9 a 19 anos, não costuma mais procurar as UBSs, então a gente vem até a escola, que dá muito certo, principalmente pela parceria que temos com a Secretaria de Estado da Educação. É um trabalho desenvolvido em conjunto que tem várias fases, entre elas a sensibilização, quando são realizadas palestras informativas para uma boa adesão”, explicou a coordenadora estadual de Imunizações da SVS, Maria Angélica.

O gerente do Núcleo de Atenção à Saúde do Educando da Secretaria de Educação (Seed) Mário Costa, reforçou que as ações são desenvolvidas de forma integrada para que a assistência educacional seja mais ampla, promovendo o bem estar físico e emocional dos estudantes.

“Como a saúde é uma prioridade da atual gestão, nada melhor do que fazer essa integração juntamente com o setor educacional. Os ambientes escolares são também espaços que promovem a saúde e nós atuamos em parceria com a SVS e a Secretaria da Saúde para que os nossos alunos da rede estadual também possam ter o cartão de vacina completo, cumprindo a nossa função de ajudar os nossos educandos em todos os aspectos”, finalizou.

O estudante do sétimo ano do ensino fundamental, Kaik Vasconcelos, de 12 anos, que mora no bairro Goiabal, aproveitou para iniciar o esquema vacinal do HPV, composto por duas doses do imunizante que devem ser tomadas obedecendo um intervalo de seis meses.

“Eu acho importante essa ação porque muita gente não consegue ir até os postos para se vacinar, então trazer as vacinas para a escola é uma oportunidade pra gente atualizar a nossa caderneta, ajuda muito”, comentou o estudante.

Quem também não perdeu a oportunidade de se imunizar foi a aluna do 7º ano, Jamylly Ferreira, de 12 anos. “Eu estava com um pouco de medo, mas preferi enfrentar a agulha e me proteger para não ficar doente. É muito bom poder tomar essas vacinas aqui mesmo na escola, sem ter que sair”, reforçou a aluna.

Durante a ação, muitos aproveitaram para conferir se estavam com a cardeneta de vacinas em dia, como a estudante do 8º ano, Ana Beatriz de Paula, que mora no bairro Perpétuo Socorro. Com o esquema vacinal completo, ela enfatizou que a iniciativa é muito positiva para a comunidade escolar.

“É muito bom a gente ter esse tipo de atividade na nossa escola porque assim não precisamos ir para os postos, pegar fila, aqui é mais prático. Eu vou me vacinar para ficar bem de saúde, não pegar gripe, covid e nenhum outro vírus”, relatou a estudante.

A diretora da Escola Barão do Rio Branco, Maria de Nazaré Rodrigues, pontuou sobre o impacto de uma estratégia de levar prevenção para os alunos que muitas vezes não conseguem ir a uma unidade de atendimento hospitalar.

“Para nós é uma honra que essa mobilização tenha começado por aqui. Nossos alunos têm a chance de fazer a atualização das cadernetas de vacinação sem necessidade de deslocamento do ambiente escolar, e isso é maravilhoso, afinal prevenção é saúde”, ressaltou a diretora.

 

Governo do Amapá intensifica cirurgias ortopédicas do programa Zera Fila

Maioria dos procedimentos realizados pelo Zera Fila são ortopédicos

O Governo do Amapá segue garantindo a realização de cirurgias ortopédicas no Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (Hcal) com o Programa Zera Fila, criado para reduzir a espera por atendimentos cirúrgicos nas unidades da rede pública estadual. No sábado, 16, dez pacientes passaram por procedimento cirúrgico no hospital.

O funcionário público, Marcos Aurélio, teve um acidente doméstico e acabou fraturando o fêmur após uma queda. De início ele procurou o Hospital de Emergências (HE), onde foi atendido e encaminhado ao Hcal para uma cirurgia nas extremidades do osso fraturado.

“Estava muito ansioso para esse momento, em uma queda besta acabei fraturando a cabeça do fêmur e vi minha vida mudar completamente. Agora só quero retornar para a minha casa e minhas atividades o mais breve possível”, disse o paciente.

Além do Marcos, mais nove pacientes realizaram cirurgias ortopédicas no mesmo dia. Foram 4 cirurgias de fêmur, 3 cirurgias de tíbia, 2 cirurgias de fratura de ossos da perna, e uma cirurgia do manguito rotador por videoartroscopia, um procedimento em que o médico consegue visualizar e avaliar por vídeo, as estruturas como tendões, ossos e ligamentos dos ombros, de forma minimamente invasiva.

“Nossa prioridade é dar andamento, além das cirurgias ortopédicas, às cirurgias eletivas. Nos fins de semana vamos intensificar os procedimentos com uma equipe de cirurgiões experientes, que garantem um atendimento de qualidade aos pacientes”, explicou o diretor do Hcal, Sávio Sarquis.

Zera Fila

Em pouco mais de 1 ano e 1 mês, a iniciativa realizou cerca de 5 mil cirurgias ortopédicas, um dos principais gargalos do Hospital de Emergências (HE) e o de Especialidades Dr. Alberto Lima (Hcal).

A secretária de Saúde, Silvana Vedovelli, garante que os esforços para dar celeridade às cirurgias permanecem e fazem parte das medidas adotadas pelo Estado para oferecer aos amapaenses uma saúde pública resolutiva.

“Nós adquirimos materiais e reforçamos nossas equipes de cirurgiões para que o Zera Fila fosse bem sucedido. Após um ano de atividade, vemos que precisamos continuar investindo cada vez mais na rede pública de saúde. É um comprometimento do Governo do Amapá e todos que nele estão inseridos”, enfatiza a gestora.

A cirurgia ortopédica é o tipo de procedimento realizado para corrigir doenças e deformidades dos ossos, sejam elas fraturas ou fissuras. Dentro desta especialidade, existem diversas variáveis que vão desde a correção de problemas crônicos até o atendimento emergencial.

Investimento em equipamentos, melhorias e ampliação

Desde 2023, o Governo do Amapá já investiu R$ 1,7 bilhão na saúde pública. O Hcal recebeu investimentos em equipamentos mais modernos como raio X fixo e móvel, arco cirúrgico, equipamento de sistema de radiologia computadorizada, aparelho de ecocardiografia, ultrassonografia com doppler e mamógrafo.

O Governo do Estado também atuou na ampliação de 32 leitos com a abertura da enfermaria da Clínica Médica e reforma em três enfermarias, com cinco leitos cada. A unidade segue recebendo intervenções.

Debates sobre e diabetes encerram encontro internacional sobre obesidade no Amapá

Evento abordou avanços, inovações e os procedimentos na rede pública.

Durante dois dias, médicos de várias partes do mundo se reuniram no Amapá para discutir e apresentar a evolução dos métodos de combate à obesidade. A programação fez parte do 21º Simpósio Internacional de Cirurgia Bariátrica, que encerrou neste sábado, 16.

A programação ocorreu no Sebrae sob a coordenação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica com o apoio do Governo do Amapá. O evento reuniu médicos cirurgiões do México, Peru, Argentina, Alemanha, Portugal e Espanha. Neste sábado, o foco foi a “Diabetes e a cirurgia metabólica”.

O médico Luis Poggi, membro emérito da Academia Peruana de Medicina, palestrou sobre a doença do refluxo gastroesofágico como um problema comum que tem estabelecido uma ligação com a obesidade.

“Para melhorar a morbidade associada à obesidade, os procedimentos bariátricos tornaram-se um caminho estabelecido para realizar a perda de peso sustentada, mas é necessário considerar as formas de evitar e tratar”, concluiu Luis Poggi.

O coordenador do evento e cirurgião bariátrico, Nilton Kawahara, ressaltou que as palestras e discussões de casos proporcionaram momentos para que os especialistas pudessem debater sobre as tendências, controvérsias e novos desafios na cirurgia da obesidade e cirurgia metabólica.

“Durante o evento discutimos técnicas inovadoras, tanto tecnológicas quanto de cirurgias avançadas, além de trocar experiências com outros profissionais renomados, oportunidade única, oferecida pelo simpósio”, enfatizou Kawahara.

O médico argentino, especialista em cirurgia bariátrica, Pablo Omelanczuk, explicou que a cirurgia metabólica, como qualquer intervenção do tubo digestivo, tem como finalidade o controle do diabetes do tipo 2, com ou sem medicação através de mecanismos independentes da perda de peso, e também secundariamente por perda de peso.

“Atualizar-se é uma necessidade e acompanhar mais de perto as novas ideias e novos produtos pode fazer a diferença para o cirurgião bariátrico neste mercado tão competitivo”, disse o argentino.

Nesses dois dias, durante a programação, foram realizadas cirurgias que puderam ser acompanhadas em tempo real por vídeo, pelos pesquisadores e especialistas. Foram mais de 20 procedimentos realizados no Hospital São Camilo e São Luís, com pacientes do programa BariSus, fruto do convênio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

O médico Alcides Pingarilho, especialista em bariátrica no Amapá há mais de 20 anos, pontuou que o evento traz para os profissionais do estado uma série de experiências, atualizações na área e inovações.

“Já avançamos muito nessa área aqui no Amapá, agora estamos tendo mais essa oportunidade de aperfeiçoar conhecimento e até mesmo sugerir o procedimento por meio das políticas publicas”, destacou Pingarilho.

 

Governo do Amapá realizou mais de 480 cirurgias no Hospital de Emergência de Macapá durante o mês de fevereiro

Procedimentos ortopédicos são a maioria, representando mais de 60% das operações.

O Governo do Amapá garantiu a realização de 485 cirurgias somente no mês de fevereiro no Hospital de Emergência (HE), em Macapá. Cerca de 62% dos registros foram de cirurgias ortopédicas, que somam mais de 300 operações. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e mostram que houve um aumento de 16% nos procedimentos em relação ao mesmo período do ano anterior.

Em janeiro deste ano, o Governo do Estado entregou ao hospital dois novos carros anestésicos, além de ampliar a oferta leitos de UTI e avançar na modernização e revitalização dos espaços físicos da principal unidade de saúde de urgência e emergência do Amapá.

“Os investimentos na Saúde são permanentes e prioridade da gestão. Com eles conseguimos promover melhorias em toda a nossa rede. Em fevereiro do ano passado, o HE realizou 415 procedimentos, então tivemos um aumento de 70 cirurgias para este ano. Isso é possível porque conseguimos modernizar o centro cirúrgico com equipamentos novos como os carros de anestesia, arco cirúrgico e outras ações que permitem com que a condição de atendimento melhore tanto para os pacientes quanto para os profissionais, que conseguem dar mais resolutividade e qualidade no acompanhamento do paciente”, reforçou a secretária de Saúde do Amapá, Silvana Vedovelli.

Outros procedimentos também tiveram destaque, como as cirurgias gerais, com 123 realizações; e cirurgias vasculares, que somaram 27 intervenções médicas. Do total, 205 cirurgias foram de urgência e emergência, enquanto 280 foram eletivas, totalizando 485 operações ao todo.

“Com a chegada de novos equipamentos o paciente fica melhor assistido. Os carros de anestesia, por exemplo, têm interferência positiva nos procedimentos dando mais segurança na hora da cirurgia, o que resulta no aumento dos procedimentos realizados”, explicou o diretor do Hospital de Emergência, Emanoel Martins.

Confira os procedimentos mais realizados no HE:

  • Ortopedia – 300 (61,86%)
  • Cirurgia geral – 123 (25,36%)
  • Cirurgia vascular – 27 (4,13%)
  • Gastroenterologia – 18 (3,7%)
  • Urologia – 11 (2,27%)
  • Bucomaxilo – 03 (0,62%)
  • Cirurgia Plástica – 02 (0,40%)
  • Cirurgia Neurológica – 01 (0,21%)

 

Operação Dr. Teles

Criado pelo Governo do Amapá, no dia 11 de fevereiro de 2023, a operação Dr. Teles oferece tratamento domiciliar a pacientes do Hospital de Emergências (HE) de Macapá. A maioria dos atendidos são adultos com casos de média e baixa complexidade que são acompanhados até a recuperação definitiva.

O programa seleciona pessoas que deram entrada no HE apresentando casos com maior probabilidade de alta hospitalar. A partir da triagem feita pela equipe médica, o paciente recebe um plano terapêutico, que será executado ao longo do tratamento.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) também disponibiliza aos pacientes toda a medicação e insumos para os procedimentos, além da assistência diária através de uma equipe multiprofissional formada por médicos, técnicos em enfermagem, enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas e psicólogos.

Investimento

Priorizando a saúde pública, o Governo do Amapá revitalizou, ampliou e reformou 83 espaços do HE, desde de 2023. O investimento, de mais de R$ 5 milhões, permitiu realizar obras de intervenção, amenizando problemas crônicos na infraestrutura da unidade, garantindo mais dignidade no atendimento aos pacientes. Os recursos são do Tesouro Estadual.

No Amapá, Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe segue até quinta-feira, 29

Apenas os municípios de Itaubal e Tartarugalzinho alcançaram a meta preconizada pelo Ministério da Saúde

De acordo com o calendário estabelecido pelo Ministério da Saúde (MS), o Governo do Amapá segue até quinta-feira, 29, com as ações de mobilização para a vacinação contra a Influenza. Mesmo após esse prazo, o imunizante continuará disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s). Além disso, o Estado mantém 26 mil doses da vacina em estoque, caso os municípios necessitem de reforço.

Segundo dados da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS), dois municípios atingiram a meta preconizada pelo MS, que é de 90%. Itaubal imunizou 93,84% dos moradores e Tartarugalzinho, 91,16%. Outros seis municípios alcançaram mais de 50% de pessoas vacinadas.

Calçoene imunizou 65,24% dos moradores e Cutias 61,53%. Em Serra do Navio, 59,55% dos moradores receberam a vacina, enquanto no município de Amapá, 55% da população foi imunizada e, em Pracuúba, 54,78%.

“A campanha termina, mas as doses vão continuar disponíveis nas UBS’s. É importante que as pessoas busquem esses locais e mantenham as cadernetas atualizadas”, pontuou o  superintendente da SVS, Cássio Peterka.

Ferreira Gomes tem 29,90% da população vacinada; a capital, Macapá, 28,35%; e Santana, 26,02%. Os dados divulgados são referentes aos grupos prioritários como crianças, idosos, gestantes, profissionais de saúde, professores e pessoas que apresentam algum tipo de comorbidade. Ao todo, 34,71% da população do estado havia recebido a vacina até segunda-feira, 26.

Vacinação contra a Influenza

A vacinação contra a gripe começou de forma antecipada nos estados da região Norte para garantir a imunização da população durante o inverno amazônico. No Amapá, a mobilização iniciou no dia 13 de novembro de 2023. Em janeiro de 2024, o Governo do Estado ampliou para todos os públicos a vacinação contra a Influenza.

“O Governo estendeu a vacinação para que todos pudessem ter a oportunidade de se vacinar e se proteger contra as complicações da gripe. Lembramos, ainda, que as vacinas vão continuar disponíveis e que o estado ainda possui 26 mil doses em estoque para atender os municípios, caso seja necessário doses extras”, reforçou a coordenadora Estadual de Imunização, Maria Angélica.

Influenza

A gripe é uma doença causada por diferentes tipos de vírus como Influenza H3N2, H1N1 ou Influenza B. Esses vírus afetam as vias aéreas incluindo o nariz, boca, garganta e pulmões causando tosse, coriza e dor de garganta.

 

Brinquedoteca e cinemateca do centro de acolhimento do Governo do Amapá ajudam a amenizar impactos dos alagamentos nas crianças

Cerca de 100 crianças e adolescentes estão abrigadas em escola desde a última terça-feira, 13.
Para amenizar os efeitos provocados pelos alagamentos em Macapá, sobretudo, nas crianças e adolescentes cujas famílias ficaram desabrigadas, o Governo do Estado vem trabalhando atividades lúdicas e recreativas, além do apoio psicológico para quem está alojado no Centro de Acolhimento montado na Escola Estadual Reinaldo Damasceno, no bairro Novo Buritizal, Zona Sul da capital.

São mais de 50 famílias atendidas no local, num total de 300 pessoas, dessas cerca de 100 são crianças e adolescentes. Ao menos 40 profissionais dos mais diferentes órgãos de Governo, integram a força-tarefa de assistência.

Toda a escola foi adaptada para garantir o mínimo de conforto para os alojamentos e serviços de saúde e sociais. Nos banheiros, por exemplo, foram instalados chuveiros para a higiene dos abrigados.

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) adaptou a biblioteca da escola para uma cinemateca, onde a criançada pode assistir a vários filmes infantis. Além disso, um cantinho da quadra poliesportiva está funcionando como brinquedoteca. Profissionais também se revezam ao longo do dia, para acompanhar as atividades, estimular a criatividade e distrair o grupo.

A autônoma Diovane Oliveira, de 42 anos, moradora do bairro Novo Buritizal, contou que perdeu todos os móveis da casa. Ela e os cinco integrantes da família estão alojados em uma das salas da escola.

“Eu perdi todas as minhas coisas. Não tinha o que fazer porque foi muito rápido, encheu bastante e não teve como fazer nada mais. Esse apoio que a gente está recebendo ajuda a aliviar nossa dor, o desespero de não ter mais nada”, relatou a autônoma.

A secretária adjunta de Apoio à gestão da Seed, Francisca Oliveira, reforça que os próprios servidores estão empenhados em ajudar. A solidariedade vem se multiplicando em várias secretarias com a campanha de doação de roupas, brinquedos, material escolar, móveis e eletrodomésticos, coordenada pelo Governo do Amapá.

“A equipe da Secretaria está totalmente envolvida para que possamos garantir o mínimo de dignidade para essas famílias que perderam suas casas, perderam seus bens. Mas este recomeço terá total apoio do Estado e de cada um que se propôs a ajudar”, destacou Francisca.

‘Operação Dr. Teles’ completa um ano com mais de 390 pacientes atendidos e recuperados em casa

A “Operação Dr. Teles”, completou um ano de criação celebrando o atendimento de 396 pacientes durante esse período de atuação. Criado pelo Governo do Amapá, no dia 11 de fevereiro de 2023, o programa oferece tratamento domiciliar a pacientes do Hospital de Emergências (HE) de Macapá. A maioria dos atendidos são adultos com casos de média e baixa complexidade que são acompanhados até a recuperação definitiva.

O programa seleciona pessoas que deram entrada no HE apresentando casos com maior probabilidade de alta hospitalar. A partir da triagem feita pela equipe médica, o paciente recebe um plano terapêutico, que será executado ao longo do tratamento.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) também disponibiliza aos pacientes toda a medicação e insumos para os procedimentos, além da assistência diária através de uma equipe multiprofissional formada por médicos, técnicos em enfermagem, enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas e psicólogos.

 

O autônomo Josiel da Silva, de 54 anos, recebeu os cuidados do programa e externou toda a sua gratidão através de cartas que dedicou aos profissionais. Segundo o ex-paciente, o carinho de toda equipe foi fundamental para vencer a pneumonia.

“Eu sou muito grato a esse projeto e essa equipe maravilhosa que me deu tanto carinho e cuidado, por isso escrevi essas cartas agradecendo por tudo, desde a medicação até a conversa que tínhamos. Todo esse conjunto foi determinante para a minha melhora”, disse o paciente.

 

Em janeiro de 2024 o projeto atendeu 43 pacientes, destes, 31 já receberam alta médica e 12 seguem em acompanhamento domiciliar. “Todos esses números são reflexo do compromisso de toda a equipe em proporcionar cuidados de qualidade e promover uma transição suave para o ambiente domiciliar, garantindo o bem-estar e a recuperação completa dos pacientes”, ressaltou a médica da equipe, Ingrid Rebouças.

Entre os serviços, estão a administração de medicamentos injetáveis e de via oral; orientação sobre o horário e posologia de remédios; realização de exames laboratoriais; aferição de sinais vitais; curativos; orientações sobre hidratação oral e dieta; além de oferta de suporte nutricional, quando necessário.

“Como profissional me sinto muito grata ao ver a evolução do tratamento de cada paciente, o carinho, o agradecimento que ele tem de receber o atendimento em casa. É muito gratificante poder ajudar na cura e receber o carinho das pessoas de volta”, relatou a enfermeira Camila Dias, que faz parte da equipe que vai até a casa das pessoas.

 

Dr. Teles

O nome do programa homenageia Antônio Pinheiro Teles, médico que fundou o Serviço de Nefrologia e a Residência Médica no Amapá. O profissional era conhecido pela proximidade com os pacientes e pelo cuidado humanizado que dispensava a cada um. Dr. Teles dedicou boa parte de sua vida a cuidar da saúde da população amapaense.

Ele faleceu em 4 de janeiro de 2017, vítima de um infarto. Após seu falecimento, foi homenageado com o nome da Clínica de Nefrologia do Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal).

Governador Clécio Luís entrega novos leitos de UTI no Hospital de Emergências de Macapá

Com os novos espaços, o HE passa a ter 22 leitos intensivos, um aumento de cerca de 50%.

O governador do Amapá, Clécio Luís, entregou sete novos leitos intensivos no Hospital de Emergências de Macapá, ampliando em cerca de 50% as instalações para receber os pacientes que necessitam deste tipo de atendimento. Em janeiro de 2023, havia 15 leitos de UTI na unidade, hoje são 22.

Desde janeiro de 2023, o Governo do Amapá já revitalizou mais de 80 espaços da unidade e garantiu novos equipamentos de imagem, medicamentos e insumos, além da criação de programas assistenciais em saúde para os pacientes do hospital. Clécio Luís destacou que, mesmo com os avanços, ainda há muito trabalho a ser feito.

“São leitos novos, com todos os equipamentos que a UTI precisa, inclusive contam com o serviço de hemodiálise, se for necessário para o paciente. É um aumento de cerca de 50% e isso é muito importante. E assim, aos poucos, mas com passos firmes, nós vamos melhorando a condição da nossa saúde no estado”, destacou Clécio Luís.

Os novos leitos ficam na Sala UTI 1, que recebeu intervenções na estrutura física, com revitalização de piso, teto, forro, iluminação, fiação elétrica e hidrossanitária, além da construção de espaços inexistentes, como isolamento, copa, expurgo e banheiros.

Reforço para o Carnaval

A ampliação acontece durante o período de carnaval, um momento em que o HE costuma receber maior fluxo de pacientes. O Governo do Estado montou uma retaguarda com reforço de medicamentos e equipes no hospital para garantir que todos os grandes eventos tenham o suporte necessário.

Novos leitos

Os espaços atendem pacientes de alta complexidade e gravemente doentes, que precisam de tipos específicos de cuidados e profissionais especializados, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeuta, técnicos em enfermagem, com suporte de nutricionistas, farmacêuticos e demais especialistas, como cardiologistas e pneumologistas.

“Esses leitos vem em momento muito oportuno, já que infelizmente, durante o carnaval a quantidade de acidentes e casos graves aumentam. Ganham os pacientes e também os profissionais que vivem a rotina de uma unidade intensiva”, apontou o diretor do HE, Emanoel Martins.

Após as intervenções estruturais, a UTI 1 conta agora com equipamento de diálise, para pacientes que não estão com os rins funcionando adequadamente. A diálise é um processo artificial para remover os resíduos e excesso de líquidos do corpo.

“É de extrema importância para o atendimento da nossa população. Hoje, todos os leitos possuem pontos de hemodiálise, para quando houver a necessidade o paciente não precise fazer a mudança de leito. Então, é um grande feito no nosso Hospital de Emergência, para os servidores que aqui trabalham e para o atendimento à população”, enfatizou a secretária de saúde Silvana Vedovelli.

Em 2023, o Governo do Amapá reformou e ampliou a UTI 2 da unidade, que saiu de 4 para 10 leitos. Além das intervenções estruturais, o HE ganhou um novo fluxo de atendimento, aplicando o protocolo de Manchester, que classifica os pacientes de acordo com a gravidade do quadro clínico.

Com os investimentos na modernização de equipamentos e abastecimento de insumos, o hospital registrou mais de 5 mil cirurgias apenas em 2023, sendo 2 mil procedimentos de ortopedia.

Guia do Carnaval 2024: veja escolas, enredos e serviços do Governo do Amapá no 1º dia de desfiles



Em um espetáculo de cores, brilho, criatividade e muita alegria, o Sambódromo de Macapá recebe nesta sexta-feira, 9, o desfile oficial das escolas de samba do Amapá. O primeiro dia contará com cinco agremiações: Embaixada de Samba, Império da Zona Norte, Império do Povo, Piratas Estilizados e Boêmios do Laguinho. As apresentações iniciam a partir das 22h.

A realização é da Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (Liesap) com apoio direto do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Dez agremiações vão passar pela Avenida Ivaldo Veras nos dois dias de desfiles.

Como incentivo à cultura, ao turismo e à economia, o Governo do Amapá está investindo em toda a programação do Carnaval 2024. São mais de 12 milhões do Tesouro Estadual e de emendas articuladas pelo senador Davi Alcolumbre.

Além disso, o Estado montou um forte esquema de segurança, trânsito, atendimento de saúde e outros serviços para garantir um ambiente do jeito que os amapaenses merecem. Confira:

Segurança Pública

O governador Clécio Luís apresentou o Plano Operacional para o Carnaval 2024. São cerca de 2,4 mil agentes atuando para garantir a tranquilidade da população nos eventos carnavalescos em todo o estado. O efetivo envolve as polícias Militar, Civil, e Científica; Grupo Tático Aéreo (GTA) e Corpo de Bombeiros.

O planejamento conta com policiamentos a pé, motorizado, aéreo e de trânsito, com barreiras em locais estratégicos e atuação da Operação Lei Seca. As estratégias envolvem ainda o uso de aparatos tecnológicos, como drones, câmeras para monitoramento de pessoas usando tornozeleiras eletrônicas e videomonitoramento com reconhecimento facial.

O reforço na segurança durante a folia, não reduz os serviços ordinários de patrulhamento nos bairros da capital, que seguem normalmente.

Trânsito

Para organizar o tráfego de veículos durante os desfiles, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AP) alerta para as mudanças que serão feitas no entorno do Sambódromo, a partir das 12h desta sexta-feira, 9, até às 7h de domingo, 11.

As ações de orientação e fiscalização do trânsito serão realizadas pelos agentes do Detran, Batalhão de Trânsito (BPTran) e Batalhão de Policiamento Rodoviário do Estado (BPRE) da Polícia Militar. Haverá ações específicas também da Operação Lei Seca, com intuito de coibir condutores alcoolizados no trânsito.

Saúde

Para o desfile das escolas de samba, na sexta-feira, 9, e no sábado, 10, duas ambulâncias de suporte avançado e um ponto fixo de saúde estarão disponíveis para a atender a população, no Sambódromo de Macapá. O posto fixo será equipado com macas, medicamentos e itens para acolher quem procurar o serviço médico durante o evento.

O Governo também reforçará as ações preventivas com a distribuição de 700 mil preservativos. O aporte foi repassado pelo Ministério da Saúde.

A mobilização busca prevenir as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). A distribuição dos preservativos inicia nesta sexta-feira, 9, no Sambódromo, sob a coordenação da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS).

Proteção e acolhimento

Toques não autorizados, beijos forçados e até abusos mais graves serão combatidos durante toda a programação do Carnaval 2024, em Macapá. O período é de alegria e não de violência, por isso, o Governo do Estado reforçou medidas para garantir um ambiente seguro, especialmente para as mulheres.

Nos desfiles oficiais das escolas de samba, a Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres levará orientação jurídica, atendimento psicológico e divulgação das políticas de proteção à mulher com a Carreta da Mulher. O objetivo de coibir crimes de violência, importunação sexual e oferecer acolhimento para as vítimas.

Além disso, o bloco “Medida Protetiva”, da secretaria vai abrir os dois dias de desfiles e contará com a participação da Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCCM), Ouvidoria da Mulher do Tribunal da Justiça do Amapá (Tjap) e Ministério Público do Amapá. A ideia é massificar a importância do instrumento que faz parte da Lei Maria da Penha, criada em 2006, para o enfrentamento à violência doméstica e punição ao agressor.

Confira a ordem, enredo e os horários do primeiro dia:

1 – Embaixada de Samba – 22h

O enredo “Macapá querida, cidade cheia de vida” é inspirado em uma obra de 1997, de João Silva e Ivo Canuti, a apresentação vai retratar a cidade de Macapá do ponto de vista da saudade. As alegorias remeterão à antiga estrutura arquitetônica de Macapá, com casarões, praças, bares, comércio, cultura e costumes. 

A escola vem com:

  • Brincantes: 1 mil
  • Alas: 11
  • Alegorias: 1 carro e 4 tripés

OUÇA E CANTE O SAMBA-ENREDO AQUI

2 – Império da Zona Norte – 23h35

A Independente Império da Zona Norte busca a vitória no Grupo de Acesso neste ano com o enredo “Bem-vindo a Tartarugalzinho: Terra do Mineiro, o Grande Pioneiro”, que contará a trajetória do empresário Altamir Rezende, o “Seu Mineiro”, um dos pioneiros no desenvolvimento econômico de Tartarugalzinho. A proposta é recriar mitos, lendas, belezas, festividades e personalidades tradicionais da região. 

A escola vem com:

  • Brincantes: 1,2 mil
  • Alas: 8
  • Alegorias: 2 carros e 2 tripés

OUÇA E CANTE O SAMBA-ENREDO AQUI

3 – Império do Povo – 1h10

Com o enredo “A Folia da Mãe de Deus da Piedade”, a Império do Povo vai celebrar a história de resistência da comunidade do Igarapé do Lago, localizada no limite do município de Santana com a capital, Macapá. Entre as novidade deste ano, estão as fantasias que foram doadas por meio do projeto social “Fabricando Carnaval”, realizado dentro do barracão da agremiação em 2023. São beneficiadas cerca de 300 pessoas.

A escola vem com:

  • Brincantes: 1,2 mil
  • Alas: 13
  • Alegorias: 2 carros e 2 tripés

OUÇA E CANTE O SAMBA-ENREDO AQUI

4 – Piratas Estilizados – 2h45

O enredo “Energia que conduz a paixão alaranjada” celebra os 50 anos da agremiação com um mergulho nas raízes da mitologia grega, explorando a conexão entre os deuses, as forças naturais e a espiritualidade. A apresentação tem como referências as histórias de Thor, deus pertencente a mitologia nórdica e associado aos trovões e às batalhas. 

A escola vem com:

  • Brincantes: 1,2 mil
  • Alas: 10
  • Alegorias: 2 carros e 2 tripés

OUÇA E CANTE O SAMBA-ENREDO AQUI 

5 – Boêmios do Laguinho – 4h20

O enredo “Lindo Igarapé: das mulheres, dos poetas, da cultura e da fé” busca destacar as influências marcantes da cultura marajoara do primeiro bairro da capital construído fora da região central. O desfile vai resgatar o pioneirismo feminino do igarapé, inspirado na composição de Osmar Júnior. A fé será representada pela devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que hoje dá nome ao bairro. 

A escola vem com:

  • Brincantes: 1,2 mil
  • Alas: 10
  • Alegorias: 2 carros e 2 tripés

OUÇA E CANTE O SAMBA-ENREDO AQUI 

Fique por dentro das notícias do Governo do Amapá no ==> Instagram e Facebook.
Tá no ZAP ==> Entre no grupo de WhatsApp e receba notícias em primeira mão aqui!

Governo do Amapá disponibiliza novo medicamento do SUS que simplifica tratamento contra o HIV

Paciente poderá tomar apenas um comprimido por dia; Estado recebeu do Ministério da Saúde mais de 11 mil unidades.

O Governo do Amapá já disponibilizou para as Unidades Dispensadoras de Medicamentos (UDM), a nova combinação de antirretrovirais que simplifica o tratamento de pessoas que vivem com o vírus do HIV, causador da Aids. Agora, os pacientes passam a utilizar apenas um comprimido por dia. O Estado recebeu 11.010 comprimidos da dose fixa combinada de Dolutegravir 50mg e Lamivudina 300mg.

O remédio foi distribuído pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) para o Serviço de Assistência Especializada (SAE) e a Unidade Básica de Saúde (UBS) que funciona na Universidade Federal do Amapá (Unifap), em Macapá.

De acordo com o Sistema Nacional de Informações (Sinan) do Ministério da Saúde, em 2022 foram registrados 351 casos de HIV no Amapá. Em 2023, os números caíram para 170, e este ano, um caso foi comprovado.

“Antes, o tratamento do HIV era feito com combinações de vários medicamentos, de diferentes classes, para suprimir efetivamente o vírus e retardar a progressão da doença. Agora, os pacientes têm a possibilidade de utilizar uma única dose diária”, ressalta a superintendente da SVS, Claudia Monteiro.

A dose é ofertada como opção terapêutica eficaz, segura e coformulada, por apresentar menor toxicidade, comodidade posológica e manter a supressão viral duradoura, da mesma forma dos medicamentos antirretrovirais disponibilizados pelo Ministério da Saúde. A medida busca contribuir com a melhoria da qualidade de vida dessas pessoas.

A terapia de dois comprimidos para um será feita de forma gradual e contínua para pacientes com idade igual ou acima de 50 anos, adesão regular, carga viral menor que 50 cópias/ml no último exame e que iniciou a terapia dupla (dois comprimidos) até o dia 30 de novembro de 2023.

O tratamento inédito, é considerado um avanço para o Sistema Único de Saúde (SUS) e é feito em parceria com o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz).

O HIV é o vírus causador da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids), doença que ataca o sistema imunológico, tornando o corpo da pessoa suscetível a uma série de doenças e complicações.

Com menos de 30% do público vacinado, Governo do Amapá convoca população a se imunizar contra a Influenza

Dos 16 municípios do estado, apenas seis têm mais de 50% dos moradores imunizados contra a gripe.
A vacinação contra a gripe ainda permanece com baixa cobertura no Amapá. A adesão da população está em menos de 30%, muito distante da meta anunciada pelo Ministério da Saúde (MS) no início da campanha, que é de 90% entre os grupos prioritários. Após abastecer as salas de vacinação dos municípios, o Governo do Estado convoca a população a se imunizar contra a Influenza.

Das 16 cidades do estado, apenas seis têm mais de 50% da população vacinada. Tartarugalzinho atingiu 72,50% do público prioritário, em seguida vem Itaubal com 69,87%; Serra do Navio com 56,97%; Cutias que vacinou 55,45% dos moradores; Oiapoque com 51,30% e Calçoene que imunizou 51,07% da cidade.

Os dados são do Sistema de informações do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI) atualizados na terça-feira, 23, e divulgados pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS). O levantamento mostra ainda que apenas 28,62% dos trabalhadores da saúde estão vacinados, enquanto os idosos compreendem 27,27% e as crianças, 25,50%.

“A vacinação começou de forma antecipada nos estados da Região Norte. No Amapá, estamos vacinando desde novembro do ano passado. Precisamos que a população atenda aos chamados dos municípios e se vacine, principalmente aqueles que fazem parte dos grupos prioritários”, ressaltou Claudia Monteiro, superintendente da SVS.

Qualquer pessoa pode procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e se vacinar, porém, a campanha tem como público alvo, grupos prioritários como crianças, idosos, gestantes, profissionais de saúde, professores e pessoas que apresentam algum tipo de comorbidade.

A mobilização tem como objetivo fortalecer a imunização dos amapaenses durante o inverno amazônico, período de maior circulação viral e transmissão da gripe na região e estende-se até o dia 29 de fevereiro.

A vacinação contra a Influenza é anual e evita o agravamento da doença. A gripe é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório e possui elevada transmissibilidade e distribuição

Governo do Amapá entrega novos equipamentos que reforçam a segurança de cirurgias realizadas no HE

Unidade, agora, conta com dois carros anestésicos para monitorar dados de pacientes durante os procedimentos.

O Governo do Amapá entregou dois novos carros anestésicos para o Hospital de Emergências (HE) de Macapá. Mais modernos, os equipamentos oferecem maior segurança às cerca de 450 cirurgias realizadas mensalmente pela unidade, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa).

Os aparelhos têm a função de regular o fluxo de gases ao longo do processo cirúrgico e de fazer a vaporização de anestésicos. Os equipamentos apresentam uma série de parâmetros para monitoramentos de dados como pressão arterial, frequência cardíaca, volume de oxigênio inspirado e até o bloqueio neuromuscular de quem está sob efeito das medicações.

“Equipamentos mais modernos impactam diretamente no tratamento dos nossos pacientes. As entregas ainda continuam e vamos seguir ampliando os serviços de saúde do nosso estado”, pontua a secretária de Estado da Saúde, Silvana Vedovelli.

As novas máquinas substituem modelos antigos, que forneciam menos informações à equipe médica. Com isso, a expectativa é reduzir ainda mais o tempo de espera de cirurgias por indisponibilidade técnica, como detalha o diretor do HE, Emanoel Martins.

“A chegada dos novos equipamentos significa uma melhor assistência para o nosso paciente e fortalece as atividades do hospital. Os equipamentos novos e modernos têm interferência positiva nos procedimentos que são realizados nos pacientes”, aponta Martins.

O cirurgião Isnard Júnior compõe a equipe médica do HE e destaca a importância dos carros anestésicos para todos os tipos de cirurgias, e ressalta o aumento de segurança nos procedimentos de maior complexidade e duração.

“Para a anestesia, segurança é uma questão primordial e esses aparelhos são realmente bem completos. Essas inovações não beneficiam apenas os pacientes, mas também auxiliam os profissionais da saúde em seu trabalho diário, tornando os processos cirúrgicos mais seguros e eficazes”, avalia Isnard Júnior.

Investimentos

Priorizando a saúde pública, o Governo do Amapá revitalizou, ampliou e reformou mais de 80 espaços do HE, desde 2023. O investimento, de mais de R$5 milhões, permitiu realizar obras de intervenção, amenizando problemas crônicos na infraestrutura da unidade, garantindo mais dignidade no atendimento aos pacientes. Os recursos são do Tesouro Estadual.