Amapá notifica 1º caso suspeito de varíola dos macacos

 

O Estado do Amapá notificou nesta terça-feira, 2, o primeiro caso suspeito de monkeypox – doença conhecida popularmente como varíola dos macacos – ao Governo Federal. Trata-se de uma mulher idosa de 93 anos.

Mesmo não sendo mais um critério para identificação de caso suspeito, foi investigado que a paciente teve registro de viagens para o Maranhão e o Distrito Federal. Ela apresentou manifestação de erupções cutâneas que se encaixam dentro da definição epidemiológica atual para casos suspeitos da doença.

Atualmente, a paciente não apresenta agravo de quadro clínico, não sendo necessária a hospitalização. Ela segue isolada e monitorada pelas equipes de Vigilância em Saúde do Estado.

A paciente teve material coletado para análise devida, que será iniciada pelo Laboratório Central do Amapá e, posteriormente, enviada ao laboratório de referência para diagnóstico, o Laboratório Central de Saúde Pública de Minas Gerais.

O Amapá não possui casos confirmados da doença até o momento.

Monitoramento

Atualmente, o Governo do Estado atua no fortalecimento da rede hospitalar e básica de saúde para a identificação e notificação imediata de casos da doença. Capacitações junto aos municípios estão sendo realizadas desde o início das notificações identificadas no mundo.

Nesta terça-feira, 2, mais uma capacitação orientada pelo Governo Federal foi ofertada para a rede de atendimento hospitalar do Estado. O Laboratório Central do Amapá (Lacen/AP) também está capacitando os municípios para a coleta de amostras para análise.

Prevenção

A monkeypox se manifesta por meio de erupções cutâneas na pele que surgem juntas e podem estar presentes em diversas áreas do corpo. Para se proteger é necessário o uso de máscara facial, luvas, higienização das mãos e o cuidado para não compartilhar objetos com pessoas suspeitas da doença.

Amapá reforça vigilância na rede hospitalar para notificações e identificação de casos de varíola dos macacos

 

O Amapá está reforçando a vigilância na rede hospitalar para monitoramento de casos suspeitos de monkeypox – vírus causador da doença popularmente conhecida como varíola dos macacos. Com isso, o Estado volta a capacitar a rede hospitalar dos municípios para  identificação e notificação de casos suspeitos – as ações preventivas  são realizadas desde o início das notificações da doença no mundo.

Até o momento, não há casos de varíola dos macacos no Amapá. O reforço é preventivo e está relacionado às alterações de monitoramento realizadas pelo Ministério da Saúde: com a rápida expansão da doença pelo país, as notificações não irão mais precisar de vínculo de viagem para ser realizadas.

 

“Com o aumento de casos confirmados e a notificação do primeiro óbito no país, as alterações na nota técnica do Ministério da Saúde se dão para facilitar a identificação dos casos e obter uma resposta rápida de amparo aos pacientes”, explica a gerente do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, Solange Sacramento.

 

Nesta terça-feira, 2, a Superintendência de Vigilância em Saúde do Amapá (SVS-AP) participou de mais uma capacitação junto com a Rede Nacional de Vigilância Epidemiológica Hospitalar, trazendo as atualizações necessárias para fortalecer o monitoramento e notificações junto aos municípios.

 

“Além de fortalecer nossa rede com informações e capacitações, também orientamos a população sobre a proteção contra a doença, que se dá por meio do uso de máscara de proteção e higienização das mãos. É importante também buscar atendimento médico ao surgimento dos primeiros sintomas”, explica Solange.

 

Para a notificação de casos suspeitos, prováveis ou confirmados, serão atendidos os critérios estabelecidos pelo MS, como:

 

Caso suspeito:

 

– Início súbito de lesões nas mucosas ou erupções cutâneas sugestivas para monkeypox.

 

Caso provável:

 

– Exposição próxima ou prolongada sem proteção respiratória ou contato físico direto com parceiros (as) múltiplos ou desconhecidos nos 21 dias que antecedem os sintomas;

 

– Exposição próxima ou prolongada, sem proteção respiratória, ou com contato íntimo (incluindo sexual) com caso provável ou confirmado de monkeypox nos 21 dias anteriores ao início de sintomas;

 

– Contato com materiais contaminados, como roupas de cama, banho ou utensílios de uso comum que pertençam a caso provável ou confirmado da doença nos 21 dias anteriores ao início dos sintomas;

 

– Trabalhadores da saúde sem uso adequado de equipamentos de proteção individual com histórico de contato com caso provável ou confirmado de mokeypox nos 21 dias anteriores ao início dos sintomas.

 

Caso confirmado:

 

– Casos analisados em laboratório com resultado positivo para a presença da doença.

 

Análise laboratorial

 

O Laboratório Central do Estado (Lacen/AP) também integra a equipe de Vigilância em Saúde. Já foram estabelecidos os fluxos de recebimento de amostras para envio ao Laboratório Central de Saúde Pública de Minas Gerais, onde serão realizadas as análises do Estado.

 

O fluxo de atendimento para a população será iniciado através das unidades de saúde, onde ele poderá ser avaliado para a notificação de caso suspeito ou não. Os indivíduos em busca de atendimento podem pertencer a qualquer faixa etária, contanto que apresentem erupção cutânea sugestiva para monkeypox ou vínculo epidemiológico prévio que anteceda 21 dias antes do início dos sintomas.

 

As coletas serão realizadas pelas unidades hospitalares e encaminhadas ao Lacen/AP para serem submetidas às análises necessárias. O laboratório também prevê ciclos de capacitações para os servidores das unidades de saúde sobre a coleta adequada do material para análise.

Conheça os direitos do acompanhante da gestante na rede pública de saúde no Amapá

 

O Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML) cumpre a Lei do Acompanhante desde que ela foi implementada em território nacional, em abril de 2005. A lei determina que os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS), da rede própria ou conveniada, devem permitir à gestante o direito à presença de acompanhante durante todo o período de trabalho de parto e pós-parto.

A Maternidade Bem Nascer, inaugurada em junho de 2022, também segue a determinação. O assunto foi tema de reunião, nesta quinta-feira, 14, entre o Ministério Público do Amapá e unidades de saúde do Estado para alinhamento de execução da lei.

 

“Às mães atendidas em nossa unidade, informamos que é possível ter o acompanhante indicado pela gestante, podendo ser o pai do bebê, o parceiro atual, a mãe, um amigo ou qualquer pessoa de sua escolha. Tivemos um pequeno período em que fizemos uma alteração no acompanhante apenas durante o pico da pandemia, como forma de prevenção à covid-19, após isso, voltamos ao normal”, explicou a diretora do hospital, Cristiani Barros.

 

O envolvimento do parceiro da gestante é essencial durante todo o período de gravidez e na hora do parto e pós-parto. Veja como a presença do parceiro pode ajudar neste momento:

 

• Estimular o parto normal;

• Diminuir a duração do trabalho de parto;

• Diminuir o medo, a tensão e, consequentemente, aliviar a dor;

• Aumentar a sensação de prazer e satisfação no parto;

• Diminuir a ocorrência de depressão pós-parto;

• Favorecer o aleitamento materno;

• Fortalecer o vínculo entre você, sua parceira e o bebê.

 

Apesar disso, o acompanhante também deve seguir algumas normas do hospital, como estar vacinado, seguir os horários de troca, respeitar a vestimenta e não deitar no leito da paciente.

Governo do Amapá adquire aparelho que facilita diagnóstico de cardiopatias em bebês

Equipamento é utilizado principalmente em caso de suspeita de sopro no coração nos recém-nascidos.

O Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML) adquiriu um novo aparelho que possibilita a realização de ecocardiograma para atender a demanda dos bebês atendidos pela unidade. Este é um exame não invasivo e fundamental para diagnóstico de cardiopatia prematura nos pacientes, permitindo o tratamento antes que as crianças apresentem problemas graves de saúde.

O exame é solicitado com maior frequência pelos pediatras para avaliar suspeita de sopro cardíaco. A aquisição do instrumento também traz uma economia significativa, já que, antes, os exames eram feitos através de contratação.

A diretora do HMML,Cristiane Barros, afirma que o novo instrumento de trabalho também facilita o fluxo dos pacientes.

“Com a aquisição do aparelho, que foi feita através de uma parceria público-privada, temos um grande avanço no diagnóstico prematuro dos bebês cardiopatas”, explica a diretora.

No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, são dez casos de cardiopatia a cada mil nascidos vivos, estimado em 29 mil o número de crianças que nascem com cardiopatia congênita por ano. Cerca de 6% delas morrem antes de completar um ano de vida.
https://www.portal.ap.gov.br/noticia/2106/governo-do-amapa-adquire-aparelho-que-facilita-diagnostico-de-cardiopatias-em-bebes

Profissionais da saúde e crianças entre 5 e 10 anos já podem tomar vacina meningocócica em Macapá

Imunizante é ofertado gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde.

Profissionais da saúde e crianças entre 5 e 10 anos já podem tomar a vacina contra meningite meningocócica. O imunizante é direcionado ao público que ainda não foi vacinado e está disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Macapá. A faixa etária atendida segue recomendação do Ministério da Saúde (MS), que orientou que os municípios elevem a cobertura vacinal evitando, assim, um surto da doença.

A meningite meningocócica é uma infecção causada pela bactéria Neisseria meningitidis e atinge pessoas de qualquer faixa etária. O imunizante faz parte do calendário nacional de vacinação, devendo ser aplicado em duas doses aos 3 e 5 meses de vida, além da dose do reforço, aos 12 meses de idade.

“A vacina já está sendo ofertada diariamente nas UBSs e o MS solicitou reforço vacinal para esses públicos. O imunizante é a única forma de prevenir e evitar infecções generalizadas”, explica o subsecretário de Vigilância em Saúde, Kleverton Siqueira.

As UBSs também seguem ofertando as vacinas de rotina. O procedimento pode ser feito de segunda a sexta-feira e também aos sábados, quando eles são ofertados em pontos estratégicos.

Paralelo a isso, o município também promove a busca ativa, que acontece de porta em porta, para atualização da caderneta vacinal de crianças e adultos.

Para recebimento das doses, basta apresentar um documento oficial com foto, comprovante de residência e cartão de vacina.

ASCOM/Prefeitura Municipal de Macapá

Em Macapá, festas juninas devem se adequar à lei que proíbe queima de fogos de artifícios

 

 

As festas juninas realizadas em todo o território do Município de Macapá devem estar sujeitas à Lei nº: 2443, de abril de 2021, que “proíbe o manuseio, a utilização, a queima e a soltura de fogos de estampidos e de artifícios que causem efeitos sonoros ruidosos”.

A legislação estabelece ainda que podem ser mantidos os artefatos que tenham apenas efeitos visuais ou sons de baixa intensidade. Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente (Semam), Marcelo Oliveira, o objetivo é proteger a vida humana e animal.

 

“Todo o barulho produzido pelos fogos traz transtornos para pessoas com mais sensibilidade aos ruídos como os autistas. Além disso, gatos e cachorros também sofrem com traumas que podem acarretar em doenças cardíacas, por exemplo. Nosso objetivo não é acabar com a diversão, mas buscar adequar ela para o bem de todos”, explica Marcelo.

 

O uso dos artefatos proibidos pode ser denunciado à Semam, por meio do telefone (96) 98802-8647.O descumprimento da Lei Municipal pode acarretar na apreensão dos objetos proibidos, além da aplicação de multas que podem variar de R$ 50 a R$ 50 mil para pessoas físicas e chegar até R$ 50 milhões para pessoas jurídicas.

Superintendente do Hospital Universitário apresenta plano de funcionamento à PGJ do MP-AP


Nesta terça-feira (24), a procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Ivana Cei, reuniu-se, na Procuradoria Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco, com o superintendente do Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal do Amapá (Unifap), médico Aljerry Rego.  Durante o encontro, o gestor do HU apresentou o Plano de Funcionamento e cronograma de ações da unidade hospitalar à PGJ do MP-AP.

A reunião contou com a presença do promotor de Justiça Wueber Penafort, que atua na Promotoria de Defesa da Saúde do Ministério Público, do professor Doutor da Unifap, José Tavares, que é pesquisador da Universidade e gerente de Ensino e Pesquisa do HU, e do diretor de administração e finanças do Hospital, Rogério Freitas. Também presente, a assessora técnica do MP-AP, Alcilene Cavalcante.

O Plano de Funcionamento do HU conta com quatro fases, onde cada etapa terá duração de seis meses. Nesta primeira etapa serão entregues 25 leitos, previstos para setembro de 2022. De acordo com o superintendente do HU, a unidade atenderá conforme encaminhamentos realizados pelas unidades de porta de entrada, gerenciadas pelo Governo do Estado.

O superintendente explicou que os hospitais universitários federais são centros de formação e de pesquisa que, aliados à prática assistencial, oferecem serviços de excelência à população. O médico Aljerry Rego destacou, ainda, que o HU-Unifap é membro da rede da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

Aljerry Rego destacou que, ao final desse faseamento de quatro etapas, a previsão é que o HU terá 212 leitos e 1.800 funcionários (em sua maioria oriundos de Concurso Público) e com atendimentos de alto nível à sociedade amapaense.

Além da apresentação do plano, o gestor da casa de Saúde pediu apoio do MP-AP no acompanhamento e fiscalização da regulação de leitos do Hospital.

“O HU é um hospital de média e alta complexidade, assim, receberemos as demandas vindas das unidades que dão aquele primeiro atendimento ao cidadão. Por isso, é necessário aprimorar essa porta de entrada para dar ao cidadão as garantias de um bom acesso à saúde. O apoio do Ministério Público será essencial, pois iremos precisar muito nesse desafio gigantesco que é colocar essa estrutura para funcionar, mas temos certeza que vai dar certo”, ressaltou o superintendente.

Ao final do encontro, a PGJ do MP-AP parabenizou os representantes do HU e garantiu que o MP-AP fará seu papel institucional de acompanhamento, fiscalização e apoio ao Hospital, que será essencial para a melhoria da Saúde do Amapá.

“O Hospital Universitário é interesse de todos nós, deste modo o MP-AP está disposto a contribuir para o seu funcionamento. Acredito que o HU é uma das melhores coisas que aconteceu ao Estado do Amapá nos últimos anos”, frisou a PGJ Ivana Cei.

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá

Maio Laranja: conheça o fluxo de atendimento para crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual

No Amapá, os casos deste tipo de violência aumentaram 65,9% entre 2020 e 2021. O Estado conta com a Rede Abraça-me para dar suporte a essas crianças.

A data 18 de maio é marcada pelo Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Ao longo do mês, o Governo do Amapá realiza o Maio Laranja com ações para conscientizar a sociedade sobre a necessidade de prevenir este tipo de violência e de denunciar os casos. O Estado conta com a Rede Abraça-me, composta por vários órgãos que mantêm um fluxo de atendimentos para dar suporte às vítimas.

Na rede estadual de saúde, o Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência (Savvi) do Hospital da Criança e do Adolescente (HCA), responsável por ofertar o 1º atendimento às vítimas na faixa etária de 0 à 12 anos, registrou um aumento de 65,9% no número de atendimentos a pacientes entre os anos de 2020 e 2021.

Enquanto em 2020 foram atendidos 44 pacientes, em 2021 esse número saltou para 73, com as meninas ainda representando 80% das vítimas. Outros dados ainda revelam que 58% dos casos aconteceram dentro da casa dos pais ou responsáveis da criança.

“É importante sempre estar alerta aos sinais que as crianças e adolescentes demonstram, alguns deles são mudança brusca de comportamento, isolamento do convívio, timidez em excesso, baixa concentração na escola, regressão no comportamento, além dos sinais físicos relacionados a área genital como vermelhidão, inchaço, dor, secreção, presença de feridas, e também sintomas físicos, como hematomas nos braços e pernas”, explicou a responsável técnica pelo Savvi, Gardênia Araújo.

Rede Abraça-me

No Amapá, existe a Rede Abraça-me formada por diferentes instituições que atuam no enfrentamento ao abuso e exploração sexual infanto-juvenil. Além de ações preventivas, a rede busca agilizar e melhorar o atendimento às crianças e adolescentes vítimas de violência sexual, no município de Macapá, através da articulação e melhoria de serviços, utilizando o fluxograma de atendimento.

Esse fluxograma se apresenta como importante ferramenta que se configura em uma sequência de procedimentos inter-relacionados com o objetivo de orientar o atendimento à vítima.

A primeira coisa é observar se a violência sexual ocorreu até 72 horas antes. Nesses casos, a criança ou adolescente deve ser encaminhado imediatamente para atendimento médico de emergência, onde serão realizadas medidas de anticoncepção de emergência e profilaxia das DST, HIV, tétano e hepatites.

Crianças de 0 a 12 anos devem ser levadas, inicialmente, ao Pronto Atendimento Infantil (PAI). A partir de 13 anos, do sexo feminino, ao Hospital da Mulher Mãe Luzia e, da mesma idade, do sexo masculino, ao Hospital de Emergências. Finalizado o atendimento médico, às vítimas serão levadas ao Conselho Tutelar que a encaminhará o caso aos órgãos competentes, como a Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Praticados Contra a Criança e Adolescente (Dercca), Polícia Técnico-Científica do Amapá (Politec), Delegacia Especializada em Atos Infracionais (Deiai), até chegar ao Ministério Público para ofertar denúncia ao Judiciário.

Quando há suspeita, sem necessidade de atendimento médico emergencial, os menores de 18 anos de ambos os sexos devem ser levados de imediato ao Conselho Tutelar, e, posteriormente, às Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Dercca, Politec e Deiai – quando o autor for menor de 18 anos – e instituições voltadas ao acolhimento e proteção, como Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram). Posteriormente, serão encaminhadas ao Ministério Público do Estado (MP/AP) e Judiciário.

Em casos suspeitos de violência desse tipo, é possível fazer a denúncia por meio do canal Disque 100, canal que funciona 24h e a ligação é gratuita. A denúncia também pode ser feita na Polícia Militar e pelo número 190.

18 de maio

A data foi estabelecida em memória à menina Araceli Crespo, de 8 anos, que foi sequestrada, violentada e assassinada em 18 de maio de 1973 na cidade de Vitória, no Espírito Santo.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/1705/maio-laranja-conheca-o-fluxo-de-atendimento-para-criancas-e-adolescentes-vitimas-de-abuso-sexual

Convênio entre Governo e Unifap garante abertura e funcionamento do Hospital Universitário

HU ofertará atendimento de média e alta complexidade para pacientes da rede pública estadual.

Um convênio firmado entre o Governo do Estado e a Universidade Federal do Amapá (Unifap) vai garantir o envio de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) para custear as atividades desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), contratada para administrar o Hospital Universitário (HU).

A fonte é o Fundo Nacional de Saúde, recursos que caem na conta do Estado e agora através do convênio serão repassados à Ebserh para que o HU atenda casos de média e alta complexidade encaminhados pela Central de Regulação do Governo do Amapá.

A partir do segundo semestre de 2022, a abertura dos serviços do HU acontecerá por etapas. Em quatro fases, cada uma com duração de 6 meses, serão implementados leitos e especialidades. A expectativa é de que em 2 anos o espaço atenda com o total de 212 leitos. A abertura gradual será dividida da seguinte forma:

1ª etapa: 25 leitos
2ª etapa: 57 leitos (abertura de 32 novos leitos)
3ª etapa: 152 leitos (abertura de 95 novos leitos)
4ª etapa: 212 leitos (abertura de 60 novos leitos)
Em seu funcionamento pleno, o HU contará com atendimento clínico e cirúrgico – adulto, pediátrico e obstétrico, atendimento ambulatorial em diversas especialidades, alta complexidade em traumato-ortopedia e cardiovascular, assistência especializada em nefrologia e oftalmologia, atendimento obstétrico e serviço de apoio diagnóstico e terapêutico.

Por se tratar de um hospital universitário, também serão desenvolvidas atividades de ensino, pesquisa e extensão. As atividades serão implementadas por meio dos programas de residência médica e multiprofissional, estágios, projetos e outras ações complementares da universidade.

“O funcionamento do HU refletirá significativamente na prestação do serviço e celeridade da assistência à saúde na média e alta complexidade. Além disso, a unidade fortalecerá a pesquisa na área da saúde, contribuindo para a capacitação de profissionais e fomento da ciência”, destacou o secretário interino de saúde, Higor Ribeiro.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/0905/convenio-entre-governo-e-unifap-garante-abertura-e-funcionamento-do-hospital-universitario

Método Canguru: Hospital Mãe Luzia oferta atendimento ambulatorial de acompanhamento para prematuros

O Hospital da Mulher Mãe Luzia (Hmml), em Macapá, passa a contar com o serviço ambulatorial para acompanhar o desenvolvimento de bebês que nasceram prematuros ou com baixo peso até que completem 2 anos de idade.O acompanhamento é chamado de follow up, uma estratégia que faz parte das etapas do Método Canguru, procedimento de amparo ao recém-nascido prematuro, internado em UTI Neonatal.

O modelo de acolhimento é composto por estratégias de ação multiprofissional, com foco biopsicossocial. Podem ser atendidos pelo projeto prematuros que nasceram com idade gestacional igual ou abaixo a 33 semanas ou com peso igual ou inferior a 1,5kg. Crianças que passaram por longos processos de intubação também podem ser atendidas.

“Através do Follow Up, podemos identificar problemas cognitivos, motores, de fala ou auditivos de forma precoce para que a criança receba o acompanhamento necessário e possa se desenvolver de forma saudável”, explicou a responsável técnica do projeto, Dalva Rocha.

O atendimento envolve serviços multiprofissionais com avaliação com fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, odontólogo, pediatra, nutricionista e psicoterapeuta. A frequência dos atendimentos dependerá da avaliação do profissional e da necessidade da criança e da evolução apresentada.

Os pais ou responsáveis podem solicitar o agendamento para avaliação após a alta hospitalar da criança. É preciso ir até o Setor Interno de Regulação (NIR) do Hmml de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h tendo em mãos o encaminhamento médico, cópia da certidão de nascimento da criança, cartão do SUS, documento de identidade dos pais ou responsáveis e comprovante de residência.

Macapá lança projeto ‘Avança Coração’ com mutirão de cardiologia na zona norte

 

Avança Coração será lançado no Centro de Especialidade Dr. Papaléo Paes, na zona norte | Foto: Joyce Batista/PMM
A Prefeitura de Macapá segue desenvolvendo ações efetivas e itinerantes que buscam dar qualidade e agilidade nos serviços de saúde ofertados à população. Entre as iniciativas está o projeto piloto “Avança Coração”, que foca nos atendimentos cardíacos. O lançamento será sábado (7), no Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes, na zona norte da capital.

Um mutirão de atendimentos com cardiologistas vai marcar o início do projeto. A previsão é atender 100 pessoas que já tiveram suas consultas marcadas na Central de Regulação da unidade. A etapa seguinte é o retorno ao médico com a entrega dos exames solicitados, no dia 21 de maio.

O Avança Coração é inédito no município e o foco é cuidar das pessoas e de seus corações de forma contínua, com serviço multiprofissional formado por equipes de nutrição, fisioterapia, psicologia e acompanhamento com educador físico.

Entre as doenças cardiovasculares mais comuns, estão pressão alta, insuficiência cardíaca e arritmias.

“Após à pandemia várias pessoas foram acometidas com sequelas cardiológicas permanentes e necessitam de acompanhamento mais próximo e célere, que irá contribuir no tratamento eficaz, proporcionando qualidade de vida para essas pessoas”, destaca a secretária municipal de Saúde, Erica Aymoré.

Atualmente, o Centro Papaléo Paes oferta cerca de 60 consultas com o especialista por semana. Com a iniciativa, será possível atender as demandas reprimidas, e regularizar as filas da rede pública.

“Na rede do município, já temos alguns cardiologistas atendendo, porém a procura aumentou pós pandemia. Com início do projeto piloto, contratamos mais cinco profissionais que irão somar no trabalho já executado, e assim ampliar o número de pacientes atendidos”, concluiu a gestora.

Zera fila
A meta da Prefeitura de Macapá é zerar a fila de espera de pacientes que precisam de serviços de saúde específicos. A modalidade já vem sendo executada nas consultas de ultrassom, através do serviço itinerante, que atende demandas das unidades que não possuem o exame.

Serviço
Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes está localizado na Rua Adílson José Pinto Pereira s/n, esquina com a Avenida Manoel Torrinha, no bairro Renascer, zona norte da cidade.

Franceses conhecem Parque Laboratorial do Amapá para estreitar relações de Vigilância em Saúde na fronteira

A delegação da Agência Regional de Saúde da Guiana Francesa e do Instituto Pasteur conheceu, nesta segunda-feira, 2, o parque tecnológico laboratorial estruturado do Amapá. A visita técnica busca ampliar as relações entre pesquisadores brasileiros e franceses, com foco em desenvolver, de forma conjunta, alternativas para assuntos em comum às populações dos dois lados da fronteira, como o enfrentamento a doenças vetoriais. A visita avaliou o fluxo de informações geradas pela Diretoria Executiva de Vigilância Laboratorial (Lacen/DEVL) para o Governo Federal e a estrutura existente hoje no Estado para atendimento das demandas existentes.

A delegação francesa conheceu os Laboratórios de Parasitologia; Virologia; Bacteriologia; entre outros. Ao todo, são seis laboratórios do parque tecnológico gerenciado pelo Lacen, incluindo o futuro Laboratório de Sequenciamento Genômico, que ainda será inaugurado.

A diretora da DEVL, Lindomar dos Anjos, explica que a visita técnica está relacionada a projetos mais amplos, como a criação do Centro Binacional de Vigilância e Respostas Epidemiológicas Transfronteiriças, uma parceria internacional para ampliar a troca de conhecimento entre ambos os países.

 

“A visita tem o objetivo de estreitar relações e informações nas atividades na área de fronteira. Estamos em um processo de construção de algo muito maior, que tem a ver com a fronteira: o Centro Transfronteiriço. Atuações conjuntas para encarar os agravos nesta região, por meio de parcerias colaborativas que já vêm sendo realizadas e se aperfeiçoam a todo o momento”, explica Lindomar dos Anjos, diretora da DEVL.

 

“Estamos abertos a colaborar em diversos assuntos de interesse comum. Pudemos perceber, durante esta visita, que trabalhamos as mesmas temáticas, principalmente, na área de infectologia. Temos uma rede laboratorial com grande capacidade e queremos fazer colaborações e ter essa troca de informações com este lado da fronteira também”, contou o diretor do Instituto Pasteur da Guiana, Peyrefitte Christophe.

A visita também contou com a presença da diretora geral da Agência Regional de Saúde da Guiana Francesa, Clara de Bort.

“Estamos muito felizes em conhecer o trabalho que é realizado no território brasileiro e estamos certos que a colaboração é o meio certo para alcançar resultados e entender os problemas de fronteira. Estamos abertos a receber a equipe brasileira em Caiena para apresentar nossa realidade e compartilhar conhecimento. Hoje, somos muito dependentes de outros territórios da França e sabemos que expandir nossas parcerias nos fará alcançar mais agilidade e autonomia no monitoramento de agravos”, explica Clara de Bort.

Hemoap convoca urgentemente doadores voluntários de todas as tipagens sanguíneas

A maior necessidade é abastecer as unidades hospitalares com o tipo sanguíneo O+.

Com baixa no estoque, o Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap) convoca os doadores voluntários, em especial aqueles com tipagem sanguínea O+, para fortalecer o banco de sangue do hemocentro.

Atualmente, 89 mil amapaenses são fidelizados aos Hemoap e já doaram sangue mais de uma vez. A média diária de doadores voluntários aptos é de apenas 54 pessoas, mas o fluxo diário e constante ideal é de, no mínimo, 87 doadores voluntários aptos, de acordo com os critérios de doação de sangue.

Em geral, uma bolsa de sangue pode ajudar a salvar até 4 vidas. Isso significa que, se o voluntário doar a cada 3 meses, pode ajudar a manter até 12 pessoas vivas.

“É importante relembrar que o Hemoap é responsável pelo abastecimento de todas as unidades hospitalares públicas e particulares do Amapá, e que um voluntário pode ajudar até 4 pessoas, por isso, reforçamos que quem quiser e puder doar, é muito bem-vindo no hemocentro”, afirmou a chefe do serviço de captação e orientação social do Hemoap (SCOS), Elmira Melo.

Cuidados antes e após doação de sangue:

Não é possível doar sangue em jejum, por isso, antes de realizar a doação, é fundamental consumir alimentos leves;
A recomendação é de que alimentos gordurosos sejam evitados;
Evite esforços físicos exagerados por, no mínimo, 12 horas após a doação de sangue;
É indicado que a pessoa não fume por cerca de 2 horas e evite bebidas alcoólicas por até 12 horas após a doação de sangue;
Após doar sangue, é indicado fazer um pequeno lanche;
Antes e depois de doar sangue, hidrate-se.
Critérios básicos para realizar doação de sangue:

É necessário pesar acima de 50 kg; ter idade entre 16 e 69 anos e estar em boas condições de saúde;
É indispensável estar descansado e bem alimentado antes de realizar a doação;
Os intervalos de tempo para doação de sangue são de 2 meses para homens e 3 meses para mulheres.
Acesso ao serviço:
O Hemoap fica na avenida Raimundo Álvares da Costa, esquina com a rua Jovino Dinoá. O funcionamento é pela manhã, entre 7h30 e 12h30.
As doações de sangue podem ser realizadas por comparecimento espontâneo ou solicitadas através de agendamento via WhatsApp ((96) 98811-0200.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/2004/hemoap-convoca-urgentemente-doadores-voluntarios-de-todas-as-tipagens-sanguineas

Conheça os serviços voltados à saúde da mulher ofertados no Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes

 

Dentro da possibilidade de serviços disponíveis gratuitamente no Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes, localizado na zona norte de Macapá, estão alguns atendimentos exclusivos para as mulheres, que vão desde consultas com clínico geral até acompanhamento ao pré-natal de alto risco.


Para esse público são ofertadas as especialidades de obstetrícia, uroginecologia, ultrassonografia, mamografia e densitometria. Ainda assim, outros profissionais estão disponíveis como nutricionista, educador físico, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo, assistente social, fisioterapeuta e psicólogo, entre outros para complementar o tratamento.
“Se um dos nossos médicos identifica que a paciente precisa de outro profissional, ele encaminha internamente. Além dessas cinco especialidades exclusivas, ainda temos uma equipe de especialistas para atender aqui mesmo, sem precisar sair e buscar atendimento em outro local ou pagar por isso”, explica o diretor da Centro, Flávio Aires.


Além disso, o Centro de Especialidades desenvolve o projeto “Mulher Tucuju”, que realiza o acompanhamento médico de casos mais graves de ginecologia e obstetrícia, fornecendo o suporte em saúde desde o pré-natal até o período pós-parto, também conhecido por puerpério.

“Esse projeto tem abrangência relacionada ao pré-natal, planejamento reprodutivo e o climatério, que é a transição entre o período reprodutivo e a menopausa. Temos um ambulatório que é exclusivo para esse público, incluindo a oferta de exames ambulatoriais e de imagem”, desta a responsável técnica de Enfermagem, Carina Mendes.

Planos futuros

Está em fase de planejamento a oferta do serviço de implantação do Dispositivo Intrauterino (DIU), com acompanhamento médico antes, durante e depois do procedimento, além da neonatologia, um ramo da pediatria que acompanha a saúde dos recém-nascidos.

Como acessar esses serviços?

O Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes atende pacientes encaminhados por uma Unidade Básica de Saúde (UBS), que realiza a marcação do primeiro atendimento através do Sistema de Agendamento de Consultas Médicas (Same). Após isso, a data e horário da consulta são confirmados com o paciente por telefone. O local funciona de segunda a sexta-feira, de 8h às 12h e de 14h às 18h.

Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes oferta raio-x e densitometria óssea sem agendamentos; saiba como fazer


O Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes, localizado na zona norte da capital, passou a ofertar a realização de exames de raio-x simples e densitometria óssea sem a necessidade de agendamento. A iniciativa da Prefeitura de Macapá tem como objetivo dar celeridade aos atendimentos.

Os exames serão realizados gratuitamente no horário de funcionamento do centro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h. O paciente necessita apenas apresentar seus documentos pessoais e a solicitação médica.

“Decidimos retirar a necessidade de agendamento desses exames raio-x sem contrastes, o raio-x simples, de qualquer parte do corpo, além da densitometria óssea também. Então agora, o paciente chega lá e faz, desde que seja em horário comercial”, explicou a secretária municipal de Saúde, Érica Aymoré.

Esses exames são apenas alguns dos serviços ofertados pela unidade de saúde, que realiza consultas de diversas especialidades de forma presencial e também por meio da telemedicina, além de promover ações de saúde durante todo o ano.

Serviço

Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes, está localizado na Rua Adílson José Pinto Pereira s/n, esquina com a Avenida Manoel Torrinha, no bairro Renascer, zona norte da cidade. Os atendimentos ocorrem de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h.
Secretaria Municipal de Comunicação Social/PMM

Abril Azul: Atividades motoras ajudam o desenvolvimento de crianças autistas

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou autismo, como é comumente chamado, refere-se a condições de saúde que comprometem três áreas do desenvolvimento: interação social, comportamento e comunicação. A pessoa com autismo encontra dificuldades variáveis no domínio da linguagem, socialização e desenvolve comportamentos restritivos e repetitivos, além de dificuldade de domínio da inteligência espacial.

Não há cura para a síndrome, mas o tratamento traz qualidade de vida para o autista, melhorando a comunicação, a concentração e reduzindo os comportamentos repetitivos. O acompanhamento é feito por uma equipe multidisciplinar composta por profissionais da saúde como médicos, fonoaudiólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos e terapeutas ocupacionais.
Conquista da independência – A fisioterapia tem papel fundamental na reabilitação do paciente autista. É recomendado o tratamento com profissional fisioterapeuta desde os diagnósticos iniciais.

Um estudo realizado por acadêmicas do curso de Fisioterapia da Faculdade Anhanguera, em Campinas, analisou um grupo de crianças com autismo no período pré e pós acompanhamento fisioterapêutico. Na conclusão das pesquisadoras, foi constada a eficácia do tratamento, pois todas as crianças, mesmo aquelas classificadas com grau de autismo grave, tornaram-se menos dependentes de cuidadores após as sessões de fisioterapia.

“Geralmente o tratamento da criança com autismo é multidisciplinar e o fisioterapeuta avalia caso a caso. O papel do fisioterapeuta é avaliar as disfunções motoras e sensoriais e, caso elas existam, ajudar a criança a desenvolver ou aprimorar as funções motoras básicas, como se sentar, rolar, engatinhar, andar e executar tudo isso em diferentes contextos e níveis de dificuldade. Além disso, temos papel fundamental nos ajustes de sensibilidade, a qual costuma estar comprometida de múltiplas maneiras. É importante compreendermos que o aprendizado motor e sensitivo impacta diretamente na interação da criança com outras pessoas e com o ambiente, bem como no desenvolvimento de linguagem e outras funções superiores”, explica a fisioterapeuta e professora do curso de Fisioterapia da faculdade Anhanguera, Aline Ramos, especialista em Fisioterapia Neurofuncional e com formação em Terapia ABA para pacientes autistas e em Atendimento Terapêutico a pessoas Autistas.

A especialista esclarece que ainda que o autismo seja uma síndrome que não tem cura, a criança pode adquirir as habilidades funcionais esperadas para a idade, o que pode resultar na alta fisioterapêutica. No entanto, segundo a fisioterapeuta, um tratamento contínuo é justificado pelas “funções sociais, intelectuais e de autonomia que são positivamente influenciadas pela prática das atividades estabelecidas na fisioterapia”, pontua.

O tratamento fisioterapêutico pode ser estendido para além do consultório. “A família deve ser orientada quanto à execução de exercícios em casa, pois esse é um ambiente familiar para o paciente, o que propicia conforto e confiança. Obviamente, o profissional prescreve esses exercícios de acordo com a necessidade individual de cada paciente”, finaliza Ramos.

Prefeitura de Macapá oferta ultrassonografia em seis locais; saiba onde é possível fazer o exame

 

A Prefeitura de Macapá oferta o serviço de ultrassonografia em seis pontos. O procedimento pode ser feito nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Perpétuo Socorro, Novo horizonte, Brasil Novo e nas carretas da Mulher, que está ao lado da UBS Marcelo Cândia, e do Sesc, instalada no Distrito da Fazendinha.
Cada local é responsável pela oferta e forma de agendamento do exame, que varia de acordo com a unidade de saúde. Na UBS Brasil Novo é possível fazer ultrassom obstétrica, abdômen total, pélvica, da tireoide, mama e próstata. Neste local o agendamento acontece todos os dias a partir das 8h.


A unidade Perpétuo Socorro disponibiliza o exame transvaginal e as marcações acontecem toda segunda-feira, a partir das 8h. Já na unidade básica Novo Horizonte é possível fazer a ultrassonografia transvaginal, abdômen total, pélvica e próstata. Nesta unidade o agendamento é feito todos os dias, 8h às 12h e de 14h às 17h.Além das UBSs, o exame está disponível nas carretas da Mulher, que oferta ultrassonografia de mama, transvaginal e tireoide e do Sesc, que disponibiliza a mamografia.

A ultrassonografia também é ofertada no Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes, mas para fazer o procedimento no local, o paciente precisa de um encaminhamento do profissional de Saúde de uma UBS.

Para agendar a realização do exame, o usuário precisa apresentar a cópia de um documento oficial com foto, CPF, cartão do SUS e comprovante de endereço atualizado.

Doa Mulher: campanha do Hemoap quer ampliar número de doadoras de sangue

Durante o mês das mulheres, o Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap) intensifica a campanha Doa Mulher, criada para aumentar o percentual de doadoras voluntárias de sangue.O público feminino representa, atualmente, 38% dos 2.806 doadores aptos que passaram pelo Hemoap desde o início de 2022. Com objetivo de aumentar esse percentual para 41%, o Serviço de Captação e Orientação Social do Hemoap (SCOS) intensificou a estratégia.
“Através de levantamento sobre as doadoras voluntárias que estão em tempo hábil e sorologicamente aptas para doar, a equipe do Hemoap as aciona via ligação telefônica, SMS, redes sociais, aplicativo WhatsApp e mídias locais”, disse a chefe do SCOS, Elmira Melo.


A ação Doa Mulher conta com o incentivo do Ministério da Saúde e funciona durante o ano inteiro, nas últimas quintas e sextas-feiras de cada mês, mas devido ao Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, houve a ampliação do programa para o mês inteiro.
“Eu sempre quis doar sangue, mas após a minha filha precisar de transfusão de sangue durante internação no Hospital da Criança e do Adolescente, a vontade intensificou. Quando ela crescer e tiver idade suficiente para ser doadora, com certeza irei incentivar a doação de sangue, para que ela também ajuda a salvar vidas”, disse a fisioterapeuta Carla almeida, de 26 anos.

No processo de captação, são retirados aproximadamente 450 ml de sangue, que são repostos pelo organismo durante as 72 horas posteriores ao procedimento. O intervalo de tempo para doação de sangue é de 90 dias para mulheres, o que as permite doar sangue 3 vezes por ano.
O estoque do hemocentro está crítico para as tipagens O-, A- e B+, mas o instituto reforça a importância do comparecimento para doação espontânea de qualquer tipo sanguíneo.

Para doar sangue, é necessário pesar mais de 50 kg, ter idade entre 16 e 69 anos e apresentar boas condições de saúde. Menores de 18 anos precisam de autorização dos responsáveis e maiores de 70 anos só podem doar se houver histórico de assiduidade.

O Hemoap fica na avenida Raimundo Álvares da Costa, esquina com a rua Jovino Dinoá. O funcionamento é pela manhã, entre 7h30 e 12h30. As doações de sangue podem ser realizadas por comparecimento espontâneo ou solicitadas através de agendamento via WhatsApp: (96) 98811-0200.

Mais Visão: Estado inicia cirurgias oftalmológicas nas aldeias Kumenê e do Manga e consultas na aldeia Kumarumã, no Oiapoque

O Governo do Amapá já iniciou as cirurgias oftalmológicas do programa Mais Visão nas comunidades indígenas do município de Oiapoque, no extremo norte do estado.Triagens iniciadas em dezembro de 2021 identificaram que, aproximadamente, 300 habitantes das aldeias Manga e Kumenê necessitam realizar algum procedimento de reparação ocular. Desde 7 de março, 23 moradores da aldeia Kumenê já passaram por intervenções de catarata e pterígio em estruturas cirúrgicas montadas dentro da comunidade indígena. Já na aldeia Kumarumã, as consultas acontecerão nos dias 11, 12 e 13 de março deste ano e as cirurgias estão previstas para acontecerem logo em seguida, nos dias 15 e 16 do mesmo mês, dentro do próprio polo indígena.


“A ação reafirma o compromisso do Governo do Estado em promover a assistência oftalmológica em todo o território amapaense. O serviço agora está contemplando os povos tradicionais do extremo norte do Amapá, que geralmente enfrentam dificuldades de acesso a esse tipo de tratamento”, reforçou o coordenador geral do programa Mais Visão, Jacimone Siqueira.
A ação conta com o auxílio técnico do Núcleo de Saúde do Indígena (Nesi) da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) e do Distrito Sanitário Especial Indígena (Disei).

Programa Mais Visão
A parceria do Governo do Amapá com o Centro de Promoção Humana Frei Daniel de Samarate (Capuchinhos) conta com recursos destinados pelo senador Davi Alcolumbre e Tesouro Estadual.
Em pouco mais de 1 ano e 5 meses, o Mais Visão já realizou 299.501 mil atendimentos, entre consultas, cirurgias e acompanhamento pós-cirúrgico. Entre os procedimentos, foram 39.303 cirurgias de catarata, 20.206 de pterígio, 19 de catarata congênita e 110 vitrectomias.
O programa descentralizou os atendimentos e levou a caravana da saúde para além da capital Macapá. O Mais Visão já levou ações de saúde ao município de Santana, Mazagão, Laranjal do Jari, Vitória do Jari, Amapá, Calçoene, Oiapoque e comunidades indígenas Kumenê e Aldeia do Manga. Para realizar os atendimentos em segurança, foram aplicados mais de 122 mil testes de Covid-19.

Teleatendimento

Todos os contatos disponibilizados são para atendimento via WhatsApp:
• Cirurgias de catarata em Macapá: (96) 98116-0978
• Cirurgias de pterígio em Macapá: (96) 99195-2036
• Cirurgias de catarata e pterígio em Oiapoque: (96) 99185-7813
• Cirurgias de catarata e pterígio em Laranjal do Jari: (96) 99119-0429
A orientação do serviço de oftalmologia é que toda a documentação necessária seja enviada e o usuário aguarde a vez, pois as mensagens são respondidas por ordem de recebimento e se várias mensagens forem enviadas em dias alternados, o usuário do serviço vai parar no final da fila.
Os documentos necessários para atendimento são cartão do SUS e documento de identificação oficial com foto. Os pacientes com idade inferior a 55 anos necessitam de laudo médico e os com idade superior a 55 têm prioridade no atendimento.
Também é possível marcar os procedimentos presencialmente no setor de oftalmologia do Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal), localizado na Avenida Fab, 69, centro.

UBSs de Macapá ofertam serviços para a saúde integral da mulher

As Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e unidades móveis oferecem serviços às mulheres, independentemente da fase da vida. Além desses locais, o Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes também oferta diversos cuidados que incluem especialidades de média complexidade.
Os cuidados começam nas UBS, onde a mulher é avaliada, acompanhada e, caso necessário, encaminhada aos demais serviços da rede.
“Toda mulher deve buscar uma unidade básica de saúde de referência próximo ao endereço de moradia para ser acolhida e ter suas demandas de saúde avaliadas e atendidas”, orienta a coordenadora da Atenção Primária do município, Joelma Santos.

A Prefeitura de Macapá disponibiliza vários equipamentos públicos que prestam serviços de diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças. Com isso, as mulheres contam com ampla rede assistencial para cuidar da saúde.

Rotina de cuidados
O acompanhamento e o vínculo da mulher com a equipe de Saúde da Família permitem ações que visam melhorar a qualidade de vida, prevenir agravos de saúde, identificá-los precocemente através de exames e iniciar o tratamento no momento oportuno.
Cuidados começam nas UBSs, onde a mulher é avaliada.

Além dos exames, nas UBSs são oferecidos planejamento familiar e reprodutivo, atualização vacinal, pré-natal, orientações de alimentação, aleitamento materno e introdução alimentar para os bebês, cuidados durante o climatério – menopausa –, prevenção e acolhimento de situações de violência, entre outros.
“É essencial que as mulheres mantenham uma rotina de cuidados com a sua saúde. Elas devem procurar a sua UBS de referência e, com a equipe de Saúde da Família, prevenir ou tratar precocemente eventuais questões de saúde. Uma vez que essa mulher tenha dado entrada na rede assistencial, as equipes orientam o passo a passo dos cuidados”, pontua Joelma.

Média complexidade
A marcação de exame para o Centro de especialidades Dr. Papaléo Paes é via regulação. A paciente é encaminhada para a policlínica conforme necessidade. O encaminhamento é feito pela unidade de saúde onde a paciente efetuou os serviços primários.
Exames
As mulheres podem realizar exames laboratoriais de sangue, urina, gravidez, testes para infecções sexualmente transmissíveis e exames de imagem, como a mamografia e ultrassom.
Os exames de rastreio – preventivo ginecológico (papanicolau) – são indicados para mulheres de 25 a 64 anos com atividade sexual. A mamografia é voltada para mulheres de 50 a 69 anos.
As unidades de saúde também fornecem atendimentos de especialidades não médicas como enfermagem, nutrição e psicologia, além de disponibilizar medicamentos.
Equipes da Saúde da Família fazem acompanhamento das pacientes
Conheça as unidades de saúde e serviços ofertados:
Enfermagem com coleta de PCCU, planejamento familiar, consulta ginecológica, testagem rápida para HIV, Sífilis e Hepatites:
• UBS Marabaixo
• UBS Rosa Moita
• UBS Coração
• UBS Lélio Silva
• UBS Congós
• UBS Leozildo
• UBS Padre Raul
• UBS Raimundo Hozanan
• UBS Pedrinhas
• UBS São Pedro
• UBS Pedro Barros
• UBS Rubim Aronovitch
• UBS Perpétuo Socorro
• UBS Cidade Nova
• UBS Pacoval
• UBS Pantanal
• UBS Novo Horizonte
• UBS Curiaú
• UBS Marcelo Cândia
• UBS Brasil Novo
• UBS BR-210
• UBS Infraero 1
• UBS Macapaba
• UBS Álvaro Correa
• Centro de Espacialidades Dr. Papaléo Paes
• Carreta da Mulher

Unidades que ofertam serviço de ultrassom:
• UBS Brasil Novo: ultrassom transvaginal, obstétrica, abdômen total, pélvica, da tireoide, mama e próstata.
• UBS Novo Horizonte: ultrassom transvaginal, abdômen total, pélvica e próstata.
• UBS Perpétuo Socorro: ultrassom transvaginal.
• Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes: agendamento pela regulação.
• Carreta do Sesc: mamografia e PCCU.