Centro de Referência em Doenças Tropicais oferta tratamento para mais de 20 patologias dermatológicas, em Macapá

Entre as principais estão a hanseníase, leishmaniose, dermatofitoses, acne e câncer de pele.

O Governo do Amapá oferta tratamento em diversas especialidades no Centro de Referência em Doenças Tropicais (CRDT), entre as principais, está a dermatológica, que cuida de mais de 20 patologias no ambulatório.

As principais patologias recebidas na unidade são: a hanseníase, leishmaniose, dermatofitoses, acne e diagnóstico de câncer de pele. De acordo com a dermatologista Natália Guerreiro, alguns sintomas e sinais devem ser observados com atenção.

“Qualquer anormalidade na integridade da pele, como feridas, bolhas, presença de dor, sangramento e coceira devem ser observadas de forma atenta e com a devida importância, porque podem ser um indicativo para procurar atendimento médico”, afirma a dermatologista.

Os serviços podem ser acessados através da marcação presencial de consultas, que acontecem nas terças, quintas e sextas-feiras, na própria unidade. Para marcar um atendimento é necessário que o paciente apresente cartão do SUS, CPF, encaminhamento médico, comprovante de residência e um número para contato.

O CRDT não é uma unidade de livre demanda, portanto, os usuários precisam, indispensavelmente, de um encaminhamento médico da atenção primária de saúde, para acessar os serviços ofertados pelo Centro, como explica o diretor Leonardo Pereira.

“O paciente precisa primeiro passar por uma Unidade Básica de Saúde, ter o encaminhamento e depois nos procurar. A população pode chegar aqui nos dias indicados para marcação, sem precisar se aglomerar ou antecipar. Nossos profissionais farão o direcionamento para o serviço especializado”, enfatiza.

Confira as patologias tratadas no CRDT:

  • Acne grave (graus 3 e 4), rosácea e dermatite seborréica grave;
  • Alopecias (perda de cabelo ou de pelo em qualquer parte do corpo);
  • Ceratodermias palmoplantares (doenças hereditárias raras);
  • Dermatite atópica – formas moderadas a graves;
  • Doenças cutâneas de origem genética;
  • Doenças exantemáticas da Infância;
  • Hanseníase – complicações e estados reacionais;
  • Hemangiomas (conjunto de pequenos vasos sanguíneos que se aglomeram em determinado ponto do corpo);
  • Herpes Simples; Herpes Zoster e complicações;
  • Hidradenite supurativa (aparecimento de caroços);
  • Infecções Sexualmente Transmissíveis;
  • Leishmaniose Cutânea;
  • Líquen Plano, Estriado, Nítido e Aureus (inflamação na pele ou mucosas);
  • Lúpus Eritematoso Cutâneo Crônico;
  • Esclerodermia Circunscrita (doença autoimune);
  • Dermatopolimiosite.
  • Manifestações cutâneas relacionadas às drogas medicamentosas;
  • Psoríase – Parapsoríse, Pitiríase Rósea, Pitiríase Liquenóide (escamas espessas no couro cabeludo);
  • Suspeitas de câncer de pele;
  • Tuberculose Cutânea;
  • Urticárias;
  • Vitiligo.

Serviço

O CRDT está localizado na Rua Professor Tostes, nº 2212, no bairro Santa Rita, em Macapá. O local funciona das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Projeto do Governo do Amapá recebe aprovação para integrar Década Oceânica da Unesco

O programa Observatório Popular do Mar promove a interação das comunidades costeiras com as pesquisas científicas e ciência cidadã.

O Governo do Amapá recebeu aprovação para integrar o programa Década de Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável da Unesco, que foi declarado para o período de 2021 a 2030. O projeto Observatório Popular do Mar (Omara) do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa) foi selecionado para o participar das atividades.

A conquista internacional é fruto do trabalho colaborativo, que envolve pesquisadores, cientistas e a comunidade. O projeto Omara é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e executado pelo Governo do Amapá. Segundo a coordenadora da iniciativa, Valdenira Santos, a aprovação é uma oportunidade de visibilidade para o trabalho feito pelos pesquisadores amapaenses na costa amazônica.

“Temos uma série de desafios a cumprir a partir dessa integração. Um deles é ter as comunidades costeiras mais fortes, com informações sobreos riscos costeiros e oceânicos, além de outros desafios que a gente tem nessa década da ciência oceânica”, destaca Valdenira.

Com a aprovação, o Observatório Popular do Mar passa a integrar uma rede mundial de ações. O reconhecimento fortalece o compromisso do Governo do Estado com os avanços na área da pesquisa científica, na promoção da ciência cidadã e na preservação dos oceanos para as gerações futuras.

“A Unesco reconhece projetos que contribuem significativamente para os desafios da Década Oceânica e para o IEPA é algo muito importante, porque a coordenação desse observatório está no Núcleo de Pesquisas Aquáticas, é um reconhecimento para a instituição e com a participação das comunidades, que têm se envolvido nesse processo, que objetiva a proteção dos nossos recursos marinhos”, destaca a pesquisadora.

Década da Ciência Oceânica

O programa foi iniciado pelas Nações Unidas com o objetivo de conscientizar sobre a importância da preservação dos oceanos. A ideia busca unir esforços de entidades públicas, privadas e da sociedade civil para promover a saúde e sustentabilidade dos mares, impulsionando ações em benefício da saúde oceânica.

A iniciativa, baseada na cooperação internacional, busca fomentar pesquisas científicas e inovações tecnológicas que trabalham pela limpeza, segurança e sustentabilidade dos Oceanos.

 

Governo do Amapá reúne com organizações internacionais para construir planejamento de investimento sustentável

Com o REDD+, é possível ter acesso a recursos financeiros por meio da conservação ambiental.

O Governo do Amapá reuniu representantes de instituições nacionais e internacionais aliadas à preservação ambiental para construir o planejamento da política de Redução das Emissões Provenientes do Desmatamento e da Degradação Florestal (REDD+). Trata-se de uma iniciativa que incentiva os investimentos sustentáveis, recompensando comunidades tradicionais que preservam a floresta. A ação faz parte do Plano de Governo para promover a inserção do Amapá no mercado de carbono.

O REDD+  foi criado em 2005, com a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima, compensando financeiramente países em desenvolvimento com grande quantidade de florestas. Trata-se de um mecanismo que permite a remuneração daqueles que mantêm as florestas em pé, sem desmatar, e com isso, evitam as emissões de gases de efeito estufa associadas ao desmatamento e degradação florestal.

Participaram do encontro representantes da Secretaria Estado do Meio Ambiente (Sema); Secretaria Colegiada de Povos Indígenas do Amapá (Sepi); da Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ); da Conservação Internacional (CI-Brasil); do Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento (PNUD), e do Instituto de Pesquisa e Formação Indígena (Iepé).

Próximas ações

Para que o sistema funcione, é necessário ter uma estrutura de governança transparente e participativa, que atue ativamente desde o planejamento jurisdicional do sistema de REDD+, até a repartição dos recursos recebidos.

A coordenadora de Clima e Serviços Ambientais da Sema, Mariane Nardi, afirma que o conceito parte da ideia de incluir na contabilidade as emissões de gases de efeito estufa, aquelas que são evitadas pela redução do desmatamento e da degradação florestal.

“Através do planejamento de REDD+, podemos nos habilitar em um padrão de emissão de carbono internacional, transformando nossos índices altíssimos de conservação florestal em recursos ativos, e assim, criando políticas públicas e benefícios para a população”, afirma Mariane.

Inclusão das comunidades tradicionais 

Para a secretária de Povos Indígenas, Sônia Jeanjacque, a participação efetiva de comunidades tradicionais do Amapá é fundamental, construindo políticas públicas voltadas para benefícios obtidos pela preservação ambiental realizada por estes povos.

“O Amapá é um estado que possui todas as suas terras indígenas demarcadas e homologadas, com altos índices de preservação. Com o REDD+, os direitos de povos indígenas, quilombolas, extrativistas e ribeirinhos são reforçados através de políticas efetivas”, reforça Sônia.

De acordo com a representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Sâmia Milena, é necessário recompensar povos e comunidades tradicionais por seus esforços em combater as mudanças climáticas.

“Para que o Amapá tenha acesso à recursos provenientes do REDD+, é necessário cumprir uma série de requisitos e padrões internacionais, e para isso, a Sema e seus parceiros, como a PNUD, vem trabalhando para que, o mais rápido possível, possamos direcionar recursos a quem mais precisa”, aponta Milena.

‘Estamos no coração da Amazônia, usamos a biotecnologia como pilar inovador’, diz executiva no Startup Day 2024

Evento realizado pelo Sebrae, com apoio do Governo do Amapá, destacou investimentos em pesquisa baseados na bioeconomia.

“Estamos no coração da Amazônia e, com isso utilizamos a biotecnologia como um pilar inovador”, destacou Ericka Bezerra, executiva da Associação Amapaense de Tecnologia (Amapatec), ao palestrar durante o  Startup Day 2024, realizado neste sábado, 16, em Macapá.

A programação, promovida pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) com o apoio do Governo do Estado, ocorreu simultaneamente em todo o Brasil. No Amapá, o encontro proporcionou debates sobre o desenvolvimento sustentável na Região Amazônica, alinhado ao desenvolvimento sustentável.

A empreendedora relembrou que o Amapá é um dos estados mais preservados do país, o que contribui para a produção com matéria-prima natural, unindo sustentabilidade e economia.

“Discutir esse assunto fortalece ainda mais o debate, pois conecta e integra atores fundamentais da nossa área. Essa oportunidade de falar de tecnologia é um momento de transformar e criar novos negócios que, posteriormente, viram uma startup”, afirmou Ericka.

Especialistas do setor compartilharam diferentes visões sobre o tema, destacando incentivos e investimentos em pesquisa e empreendedorismo baseado na bioeconomia. Além disso, foram discutidas estratégias para promover a inserção de comunidades locais em pesquisas inovadoras.

“Pesquisas para essa área geram, além de emprego e renda para a população, novos horizontes para um futuro socialmente econômico no Amapá. Discutir sobre hubs de inovação, que fazem parte do Plano de Governo, é uma oportunidade em que várias instituições de ensino terão para mostrar seus projetos e perspectivas no setor tecnológico”, destacou o secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Edvan Andrade.

Startup Day

No Amapá, mais de 800 pessoas participaram do evento que reuniu palestrantes de diversos estados, como Rio de Janeiro, São Paulo, Pará, Amazonas e Rio Grande do Sul, para discutir investimentos, políticas sociais e ambientais na região Amazônica e ideias inovadoras na área da tecnologia.

Os temas voltam a ser debatidos após o Startup20, realizado em fevereiro, que tratou o cenário econômico das startups com representantes das maiores economias do mundo, realizado pela Associação Brasileira de Startups em parceria com o Governo do Estado e o Sebrae.

Startup Day 2024 traz oportunidade de inovação e negócios para impulsionar o empreendedorismo criativo no Amapá

Evento realizado pelo Sebrae, com apoio do Governo do Estado, neste sábado, 16, tem objetivo de estimular o mercado de inovação.


Com objetivo de promover negócios, inovação e viabilizar novas oportunidades no mercado criativo, o Startup Day, realizado anualmente pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae) do Amapá, com apoio do Governo do Estado, acontece neste sábado, 16, na sede dos Magistrados, em Macapá, tendo como meta o engajamento do público para o surgimento e desenvolvimento de negócios promissores no estado e na região.

Este ano, o encontro tem a proposta de capacitar mais de 600 pessoas e aumentar o número de empreendimentos. Em fevereiro, o Amapá debateu o setor econômico das startups com as maiores economias do planeta, que se reuniram na capital para trocar experiências e abrir oportunidades em bioeconomia, inovação, tecnologia e desenvolvimento sustentável durante o Startup20, realizado pela Associação Brasileira de Startups em parceria com o Governo do Estado e Sebrae.

Agora o tema volta a ser debatido, reforçando a importância do Amapá como pólo emergente de empreendedores no setor. Além disso, o Startup Day se consolida com uma dinâmica de acessibilidade e um espaço para novas conexões no mundo dos negócios.

“O evento é de fundamental importância para alavancar o desenvolvimento de novos negócios de base tecnológica no estado, além de gerar conexões entre o ecossistema local com palestrantes que são referência em inovação no cenário nacional. O Governo do Estado participa de forma ativa junto ao ecossistema local de inovação no movimento de se fazer do Amapá o estado mais inovador da Amazônia, de maneira que se tenha impacto direto desde a educação básica até o setor produtivo, agregando valor aos serviços e produtos desenvolvidos aqui”, destacou Marceli Coimbra, secretária em exercício de Ciência e Tecnologia do Amapá.

Na programação deste ano do Startup Day, o estado recebe palestrantes nacionais e especialistas que buscam difundir conhecimento e novas práticas para alavancar negócios na Região Amazônica.

Startups

As startups são empreendimentos com modelo de negócios inovador, com impacto social e que solucionam problemas.

Presentes no dia a dia de todos, as startups são empreendimentos com modelo de negócios escalável, repetível e guiadas por uma ideia transformadora, com impacto social, seja um produto ou serviço, e que soluciona problemas. Em 2023, a média de faturamento de cada startup no Brasil foi de R$ 876 mil, de acordo com a Associação Brasileira de Startups.

As startups também se caracterizam pela necessidade de tornar o empreendimento sustentável dentro do mercado econômico, sendo consideradas empresas de alto potencial e risco, principalmente no seu início, sendo modelos de negócio perfeitos para quem possui perfil empreendedor.

Confira a programação:

Sábado, 16

Local: sede dos Magistrados

  • 8h – Credenciamento
  • 8h30 – Café de conexão
  • 9h30 – Palestra “Startup boa é Startup que Vende’, ministrada por Theo Orosco, CEO da Exact Sales.
  • 10h05 – Painel ‘O poder das CEO’s na Bioeconomia’, com a mestra em Gestão Pública do Desenvolvimento Regional, Juliana Porto; a CEO da Yara Couro, Bruna Freitas; CEO da Engenho Café de Açaí, Valda Gonçalves; e CEO da Amazon Bioprotein, Antonia Bezerra.
  • 10h40 – Palestra ‘Como escalar sua Startup com a nuvem’, ministrada pelo representante da Cloud Manager, Will Sousa.
  • 11h15 – Painel ‘Como os Parques e Hubs alavancam o Ecossistema de Inovação na Amazônia?’, com a CEO da Amapatec, Erika Bezerra; CEO da Ai3 – Inovação Integrada, Agliberto Chagas; presidente da Amapatec, Lindomar Ferreira; e o secretário da Ciência e Tecnologia do Amapá, Edvan Andrade.
  • 11h50 – Palestra ‘Crimes cibernéticos, o ambiente digital está protegido?’, com a delegada Aurea Uchôa, da Delegacia Crimes Cibernéticos.
  • 14h10 – Painel ‘Microbiota – O tesouro no Ecossistema da Amazônia’, com o CEO da Bactolac, Antonio Carlos; a CEO da Blue-Green Nutrição, Elane Cunha; e o pesquisador da Embrapa, Gilvan Silva.
  • 14h45 – Painel ‘Principais tecnologias de Inteligência Artificial e como aplicá-las na sua empresa’, com o CEO da Assinadoc, Felipe Ladislau; Co-Founder e CTO da Tributei, Wanderson Elias; CEO da Amaztrace, Victor Costa; e o Head de produto de dados e A.I S3 Tecnologia, Luiz Gaudencio.
  • 15h20 – Caso de Sucesso ‘Rede Amazônica: Uma senhora ou uma jovem de 50 anos e o poder da Inovação’, com o CEO da SouRev, Frank Portela; e CEO do Grupo Rede Amazônica, Phelippe Daou Júnior e participação de Phelippe Daou Neto.
  • 16h55 – Palestra ‘Investimento do Amazônia para a Amazônia’, com o palestrante diretor-presidente da Bemol e co-fundador da FAZ e MUSA, Denis Minev; e o CEO da SouRev, Frank Portela.
  • 17h30 – Painel ‘O poder da Inclusão gera a Inovação’, com a CEO e Founder da Onfluu Comunicação, Mayara Pereira; e com a presidente da CUFA Amapá, Alzira Nogueira; a líder de cultura da empresa SouRev, Fleur Duarte; e a CEO da NOUN, Úrsula Ariel.

Amapá participa de encontro da ONU sobre a situação da mulher no mundo

O encontro reúne lideranças mundiais, organizações não governamentais, empresas e ativistas de todo o mundo

O Amapá compõe a delegação brasileira presente na 68ª Sessão da Comissão Sobre a Situação da Mulher. O encontro é coordenado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e reúne lideranças mundiais, entidades não governamentais, empresas e ativistas de todo o mundo na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, para debater sobre temas como direitos humanos da população feminina, equidade de gênero e empoderamento.

O evento acontece anualmente, no mês de março, e em 2024 tem como tema: “Acelerar a conquista de igualdade de gênero e o empoderamento de todas as mulheres e meninas, enfrentando a pobreza e fortalecendo as instituições e o financiamento com a perspectiva de gênero”.

Presente no encontro, a secretária de Estado de Políticas para Mulheres, Adrianna Ramos, detalha a importância de apresentar a realidade das mulheres da Amazônia para o mundo.

“Será um momento de troca de experiências e informações a respeito dos direitos das mulheres de todo o mundo, porque estão presentes lideranças femininas históricas, que debatem sobre a situação de mulheres em cada uma de suas regiões”, avalia Adrianna.

A delegação brasileira é coordenada pelo Ministério da Mulher, e inclui a socióloga e primeira-dama Janja Lula da Silva e a ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, além de secretarias estaduais das mulheres. A vice-governadora do Ceará e secretária da mulher, Jade Romero, falou das expectativas para o encontro na ONU.

“Esse é o segundo maior evento da ONU no mundo, temos mulheres de vários países fazendo as negociações diplomáticas, trazendo essa perspectiva dos mais diversos pontos do mundo sobre a política de mulher. Será um momento muito proveitoso de muito debate e tenho certeza que vamos construir muitas pontes entre nossos estados”, pontuou a vice-governadora.

Outra representante é a secretária da Mulher do Acre, Márdhia El-Sawwa, que destacou a importância dos estados da região Norte participarem encontro.

‘O Norte tem suas peculiaridades, estamos ansiosas e empolgadas com esse encontro. Estamos aqui para mostrar mais uma vez o poder das mulheres!”, destacou Márdhia.

Governo do Amapá leva estudantes de escolas estaduais para Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, em SP

Foram selecionados projetos das escolas estaduais Mário Quirino, Afonso Arinos e Risalva Freitas do Amaral, em Macapá.


Projetos de três escolas estaduais do Amapá foram selecionados para participar do maior evento científico escolar do país, a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que acontece em São Paulo (SP), de 18 a 22 de março. O Governo do Estado custeia a viagem dos estudantes, em um incentivo à pesquisa e à ciência na educação básica.

Cinco alunos das escolas estaduais Mário Quirino, Afonso Arinos e Risalva Freitas do Amaral, participarão da viagem, acompanhados de três orientadores. Todos os trabalhos foram apresentados pela primeira vez na Feira de Ciências e Engenharia do Amapá (Feceap) 2023, promovida pela Secretaria de Estado da Educação (Seed).

De acordo com a secretária adjunta de Gestão da Seed, Francisca Oliveira, a participação em feiras é uma das principais estratégias do Governo do Amapá para incentivar a iniciação científica na educação básica.

“Fazemos questão de auxiliar os estudantes nessa viagem, porque a produção de ciência nessa idade deve ser encorajada. Ficamos muito felizes que a nossa Feceap tenha sido, nos últimos anos, um trampolim para projetos tão bem-sucedidos como esses”, ressaltou a gestora.

Ciência nas escolas

Na Febrace, os jovens poderão apresentar trabalhos para pessoas de todos os estados do Brasil, em uma demonstração das oportunidades abertas pela educação.

O grupo da Escola Mário Quirino estuda como as plantas se comportam sob condições desfavoráveis de solo e clima. Para a pesquisa, foram plantados nove pés de maracujá dentro da escola, que são regados e analisados pelos três estudantes que compõem o projeto.

O jovem Wallace Cortez, de 19 anos, é um destes estudantes e conta como o objetivo do grupo é ajudar agricultores familiares a se prepararem em casos de variações climáticas, como secas ou fortes chuvas.

“O nosso objetivo inicial era apresentar só na Feceap, nunca imaginamos que o projeto chegaria tão longe. A ciência pode ajudar muito o nosso dia a dia, como o nosso trabalho que ajuda agricultores a administrar e expandir o seu trabalho”, ressaltou, animado.

 

Governo do Amapá participa da construção do Plano Tático Integrado de Segurança Pública para Amazônia

A construção do planejamento está sendo feita em conjunto pelos órgãos de defesa do estado

O Governo do Amapá, iniciou nesta segunda-feira, 11, os debates para elaboração do Plano Tático Integrado de Segurança Pública para Amazônia (PTI/AP). O planejamento, que reúne órgãos de defesa social do estado, tem objetivo de definir as diretrizes, em nível tático, das ações específicas e responsabilidades de cada entidade para a criação do “plano final”, que irá englobar as estratégias dos estados da Amazônia Legal.

O encontro de uma semana, está sendo coordenado pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), juntamente com a Diretoria da Amazônia e Meio Ambiente (Damaz), entidade de repressão aos crimes ambientais do Governo Federal, no âmbito da Polícia Federal (PF), e pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

De acordo com o diretor da Damaz, Humberto Freire, a meta combater e reduzir o desmatamento na Região Amazônica ao menor índice possível até o final de 2026, além de estreitar as relações de trabalho entre as instituições, intensificando as operações integradas de segurança, focando em medidas preventivas e respostas rápidas.

“O foco deste novo processo, é, efetivamente, mudarmos o sistema de segurança na Amazônia Legal. Primeiro porque a Amazônia é o foco de atenção do mundo inteiro e, segundo porque nos últimos anos houve um enfraquecimento na defesa da região. A Amazônia tem 6,5 milhões de quilômetros quadrados, onde 65% está no Brasil e precisamos defender”, explicou Freire.

O PTI faz parte do Plano Amazônia: Segurança e Soberania (Plano Amas), do Governo Federal e envolve os nove estados que compõem a Amazônia Legal: Amapá, Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Roraima, Rondônia e Tocantins.

Planejamento

O Amapá é o quarto estado visitado pela Damaz para debater os melhores direcionamentos financeiros e operacionais para a proteção da região Amazônica, combate aos crimes ambientais, além da consciência dos direitos humanos e sociais de quem habita na floresta.

No estado, a comissão da Segurança Pública para a elaboração do plano será presidida pelo setor de Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras (Enafron/Sejusp) e terá como membros integrantes da Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Penal, Polícia Científica, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal.

“Este é um aporte muito importante de recursos do Plano Amas trazendo para a nossa realidade. Então, a discussão do Plano Tático Integrado para o Amapá deve estar atento às nossas demandas, para podermos atender e proporcionar de forma muito mais eficiente e segura e proteção ambiental”, disse José Neto, secretário de Segurança Pública do Amapá.

O secretário acrescentou que a gestão integrada será o diferencial para o sucesso do PTI no Amapá: “Essa integração entre todas as forças, não só estadual nesse momento, mas também as forças federais, será responsável, para que consigamos alcançar o objetivo, que é impedir qualquer desmatamento ilegal em nosso estado”, explicou o gestor.

Peculiaridades da Amazônia

Durante os debates dois pontos levantados pelo Ministério da Justiça, além do desmatamento, quando se fala em Amazônia, foram destacados, os garimpos ilegais e o narcotráfico, ou seja, duas situações que acabam gerando lucros para os grupos criminosos que veem a oportunidade de expandir a criminalidade por meio dos pontos estratégicos que a Amazônia brasileira tem com outros países.

De acordo com trabalho de inteligência da Senasp, em muitos casos, uma rede de criminosos relacionados tanto ao narcotráfico quanto a crimes ambientais, controlam e disputam rotas importantes do tráfico, além de adentrar em territórios indígenas e ribeirinhos.

No Amapá, os exemplos são o Porto de Santana e as duas fronteiras internacionais, com a Guiana Francesa, ao norte, e com o Suriname, ao noroeste. O estado também faz fronteira com o Oceano Atlântico ficando geograficamente mais próximo de grandes mercados consumidores, como Estados Unidos e Europa, além do Platô das Guianas e Caribe.

“A cada dia que passa, os grupos criminosos estão voltando a atenção para o crime ambiental, que é muito lucrativo nos garimpos ilegais e também para o desmatamento ilegal. Então, através do PTI, iremos, de fato, atuar com um plano que visa não só combater os crimes ambientais propriamente ditos, mas a criminalidade de uma forma geral. E aqui no nosso estado, impedir o crescimento dos grupos criminosos”, garantiu José Neto.

Plano Amas

Lançado em março de 2023 pelo MJSP, o Plano Amas será financiado pelo Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O valor total do investimento é de mais de R$ 2 bilhões, dos quais cerca de 80% devem ir para a implantação de estruturas e compra dos equipamentos para os estados.

Startup Day 2024 reúne palestrantes nacionais e especialistas para fomentar ecossistema de inovação no Amapá

Evento é referência no setor do empreendedorismo tecnológico e tem como público-alvo entusiastas, empreendedores e startups em todos os níveis de maturidade


O Startup Day é um evento realizado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae) em parceria com o Governo do Estado (GEA), Comunidade Tucuju Valley, Rede Amazônica, Amapatec, Serviço Social da Indústria (Sesi) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Prefeitura Municipal de Santana (PMS) e o Instituto Federal do Amapá (IFAP). O evento promove negócios inovadores em nível internacional, viabiliza networking com especialistas do ecossistema de inovação e estimula o surgimento de mais startups no Amapá. O Startup Day 2024 acontece na Sede dos Magistrados, no dia 16 de março, das 9h às 17h.

Segundo a analista da Unidade de Soluções Inovadoras e Competitivas do Sebrae (Unic), Josseli Pantoja, o evento busca engajar o público para o surgimento e desenvolvimento de negócios promissores, com destaque para as demandas e necessidades das startups de cada estado e região do Brasil.
É um evento que se destaca por ser único no panorama da inovação no Brasil. O Startup Day acontece como um marco anual que reúne a comunidade empreendedora do estado do Amapá, sendo um evento técnico que oportuniza diversas palestras e painéis que se classifica como um movimento precursor do ecossistema de Startup, disse a analista, Josseli Pantoja

Público

O evento tem como público-alvo, empreendedores, estudantes e startups em fase de curiosidade, ideação, validação, tração, crescimento e escala.

A fase de curiosidade tem como perfil pessoas que demonstram curiosidade pela atividade empresarial, mas ainda não têm um negócio e a ideação trata-se de um empreendedor em potencial trabalhando em uma ideia de negócio. Na fase de validação, a startup está em direção ao encaixe entre Problema e Solução e validação de MVPs.

Na etapa de tração, a empresa já possui um portfólio de clientes pagantes, deve estar consistentemente melhorando sua operação em direção à previsibilidade de receita e o encaixe entre Produto e Mercado. O momento de crescimento vem após o encaixe entre Produto e Mercado, otimizando a gestão para acelerar vendas e escalar o negócio e na última etapa, o momento de escala significa que a empresa está crescendo 100% ou mais durante o ano.

Resultados

Em 2023, o Startup Day no Brasil atingiu quase 16 mil pessoas participantes, com uma programação ampla e diversificada em todos os 26 estados e o Distrito Federal. Em escala municipal, o evento atingiu a marca de 110 municípios participantes, número que superou as edições dos últimos quatro anos. No Amapá, mais de 300 participantes durante um dia de imersão no universo de Startups. Em 2024, a proposta do evento é capacitar mais de 600 pessoas e aumentar ainda mais a densidade de startups no Amapá.

Coordenação

A 10ª Edição do Startup Day, é coordenada pelo gerente da Unidade de Soluções Inovadoras e Competitivas do Sebrae no Amapá (Unic), Bruno Castro; e pela gestora do Projeto Startup Amapá, Josseli Pantoja.

Programação

Data: 16 de março de 2024 – Sábado

Local: Sede dos Magistrados

Hora: 9h30 às 10h05 – Palestra ‘Startup boa é Startup que Vende’, ministrada por Theo Orosco, CEO da Exact Sales

Hora: 10h05 às 10h40 – Painel ‘O poder das CEO’s na Bioeconomia’, com a moderadora Juliana Porto, mestre em Gestão Pública do Desenvolvimento Regional e as painelistas Bruna Freitas, CEO da Yara Couro; Valda Gonçalves, CEO da Engenho Café de Açaí; e Antonia Bezerra, CEO da Amazon Bioprotein

Hora: 10h40 às 11h15 – Palestra ‘Como escalar sua Startup com a nuvem’, ministrada por Will Sousa, Cloud Manager

Hora: 11h15 às 11h50 – Painel ‘Como os Parques e Hubs alavancam o Ecossistema de Inovação na Amazônia?’, com Erika Bezerra, CEO da Amapatec; Agliberto Chagas, CEO da Ai3 – Inovação Integrada; Lindomar Ferreira, Presidente da Amapatec; e Edvan Andrade, Secretário da Ciência e Tecnologia – SETEC

Hora: 11h50 às 12h50 – Palestra ‘Crimes cibernéticos, o ambiente digital está protegido?’, com Aurea Uchôa, Delegada da Polícia Civil – Crimes Cibernéticos DR CCIBER

Hora: 14h10 às 14h45 – Painel ‘Microbiota – O tesouro no Ecossistema da Amazônia’, com o moderador Antonio Carlos, CEO da Bactolac e os painelistas Elane Cunha, CEO da Blue-Green Nutrição e Gilvan Silva, Pesquisador da EMBRAPA

Hora: 14h45 às 15h20 – Painel ‘Principais tecnologias de Inteligência Artificial e como aplicá-las na sua empresa’, com o moderador Felipe Ladislau, CEO da Assinadoc e os painelistas Wanderson Elias, Co Founder e CTO da Tributei; Victor Costa, CEO da Amaztrace; e Luiz Gaudencio, Head de produto de dados e A.I S3 Tecnologia

Hora: 15h20 às 16h55 – Caso de Sucesso ‘Rede Amazônica: Uma senhora ou uma jovem de 50 anos e o poder da Inovação’, com o moderador Frank Portela, CEO da SouRev e os painelistas Phelippe Daou Júnior, CEO do Grupo Rede Amazônica e Phelippe Daou Neto

Hora: 16h55 às 17h30 – Palestra ‘Investimento do Amazônia para a Amazônia’, com o palestrante Denis Minev, Diretor-presidente da Bemol e co-fundador da FAZ e MUSA; e Frank Portela, CEO da SouRev

Hora: 17h30 às 18h05 – Painel ‘O poder da Inclusão gera a Inovação’, com a moderadora Mayara Pereira, CEO e Founder da Onfluu Comunicação, e com as painelistas Alzira Nogueira, Presidente da CUFA Amapá; Fleur Duarte, Líder de cultura da empresa SouRev; e Úrsula Ariel, CEO da NOUN.

Sebrae no Amapá/Unidade de Marketing e Comunicação

Conselho do Rio Oiapoque: Governo do Amapá debate gestão integrada de recursos hídricos e sólidos na fronteira com a França

Entres os acordos, está a continuidade do projeto Bio-Plateux com um observatório dos rios transfronteiriços e um plano de reciclagem sustentável.

Durante a 6ª Reunião do Conselho do Rio Oiapoque, representantes do Governo do Amapá e da Guiana Francesa debateram propostas de cooperação para diversos setores, entre eles, o meio ambiente. Entre os acordos, está a construção de um plano de reciclagem sustentável com a coleta e tratamento de resíduos sólidos.

No evento, também foi assinado o acordo que dá continuidade ao projeto Bio-Plateux. A segunda fase prevê a implementação de um observatório operacional para a gestão dos recursos hídricos dos rios Oiapoque e Maroni, que separam a Guiana Francesa, respectivamente, do Brasil e do Suriname.

Na ocasião, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) apresentou as principais iniciativas de educação ambiental e comunicação a serem realizadas na região. Também foram compartilhadas informações sobre o Plano Estadual de Recursos Hídricos e o diagnóstico dos recursos hídricos do Amapá, com ênfase na bacia do Rio Oiapoque.

Além de demandas de meio ambiente, foram debatidas junto com a sociedade civil sugestões para saúde e economia, que serão submetidas à avaliação dos governos brasileiro e francês ainda em 2024, na 13ª Reunião da Comissão Mista de Cooperação Transfronteiriça (CMT), que será realizada em Macapá.  Conselho do Rio Oiapoque

Instituído pela Declaração de Intenção assinada na cidade de Paris, em 14 de dezembro de 2012, reúne 28 membros, sendo 14 do lado brasileiro e 14 do lado francês. Entre os representantes, estão os prefeitos de Saint Georges e Oiapoque. As reuniões acontecem, no mínimo, duas vezes por ano, de forma alternada entre os territórios.

O conselho visa atender às reivindicações da população, visando consolidar ações para melhorar a qualidade de vida em ambos os lados da fronteira.

Relações diplomáticas

Na fronteira entre o Amapá e a Guiana Francesa vivem aproximadamente 32 mil pessoas, com a maioria, cerca de 26,6 mil habitantes, residindo em Oiapoque, no extremo norte do estado, e cerca de 3 mil em Saint Georges.

A Guiana Francesa, um departamento ultramarino da França, tem uma população estimada em 294 mil pessoas. A agricultura, o turismo e a pesca são as principais atividades econômicas da região.

Para tratar as relações transfronteiriças e diplomáticas, foi estabelecida a Comissão Mista Transfronteiriça (CMT) como parte do Acordo de Cooperação Mista, assinado em maio de 1996 e ratificado juntamente com o Plano de Ação da Parceria Estratégica, registrado e divulgado em fevereiro de 2008.

Economia Sustentável: Clécio Luís recebe empresa portuguesa que vai produzir baterias de lítio no Amapá

Clécio Luís assinou como testemunha o pré-contrato firmado entre o grupo português e a empresa Minasol, que já atua no Amapá

O governador Clécio Luís recebeu, na terça-feira, 5, os representantes da empresa portuguesa MeterBooster que está se instalando no Amapá para fabricar baterias de lítio, uma alternativa moderna e sustentável utilizada em sistemas de energia solar. A instalação da fábrica vai estimular a geração de emprego e renda no estado, fomentando a economia local.

O chefe do Executivo estadual assinou como testemunha o pré-contrato firmado entre o grupo português e a empresa Minasol, que já atua no Amapá há seis anos no ramo de energia solar.

“Hoje é um dia muito especial e importante para a economia do Amapá. Eu estou tendo a honra de receber aqui o representante da Minasol e da Meterbooster, uma empresa que fabrica as baterias de lítio, um material mais moderno em termos de armazenamento de energia. É uma empresa portuguesa que está vindo para o Amapá à convite da Minasol para se somar a esses projetos de desenvolvimento econômico com parâmetros sustentáveis”, destacou Clécio Luís.Mais economia e sustentabilidade

A Meterboost é pioneira na produção de baterias de lítio que, além de mais sustentáveis, são cinco vezes mais econômicas do que as soluções tradicionais. O diretor-presidente da Minasol, Abdias Pontes, explica que a instalação de painéis solares pode garantir um ganho de 25% ao ano na fatura energética de uma família. Com a associação das baterias para assegurar o armazenamento para autoconsumo, é possível elevar essa economia no orçamento para, no mínimo, 50%, dependendo do investimento e do consumo.

“Novas tecnologias, desenvolvimento sustentável e, principalmente, geração de emprego e renda. É isso que vai fazer o estado melhorar e crescer!”, ressalta Pontes.

Parcerias Bilaterais

Com foco em parcerias de desenvolvimento sustentável, o Governo do Amapá tem ampliado os diálogos internacionais. Durante o Startup20, evento que tornou o estado amazônico a sede mundial da inovação e da tecnologia, Clécio Luís apresentou as potencialidades locais a representantes de startups e de órgãos públicos da África do Sul, Estados Unidos e Alemanha.

Startup20 no Amapá debate a diversidade de gênero no empreendedorismo e o desenvolvimento econômico na Amazônia

Especialistas das maiores potências mundiais compartilharam visões e experiências sobre o mercado de trabalho

Além de falar de ideias inovadoras e tecnologia, o Startup20, encontro que reúne as maiores potências mundiais, também debate a diversidade de gênero no empreendedorismo e o desenvolvimento econômico na Amazônia. A reunião oportuniza discussões com o objetivo de identificar soluções para promover a pluralidade.

Especialistas de vários de cinco continentes compartilharam visões e experiências, destacando a importância de promover um ambiente inclusivo e equitativo no mercado de trabalho. Uma das representantes do país árabe Omã, Ayaman Al Harasi, foi uma das anfitriãs da palestra. Para ela, ao incluir novas vozes, há o reconhecimento de cada qualidade profissional.

“A diversidade é sempre importante, porque se você bloquear um grupo, vai reduzir a capacidade que essa equipe teria, segregando ideias. Debates como esse trazem à tona o poder das sociedades marginalizadas. Isso nos lembra que cada indivíduo traz consigo uma perspectiva única, enriquecendo o diálogo e impulsionando a inovação”, afirmou a CEO da empresa de tecnologia DataBridge.

Desenvolvimento socioeconômico

Por outro lado, o mercado financeiro e o desenvolvimento econômico foram tema do encontro que reuniu pequenos e grandes empreendedores no sábado, 24. A discussão teve trocas de conhecimento e experiência, que podem acelerar a criação de novas tecnologias e soluções no setor.

Além disso, foram debatidas estratégias que visam impulsionar o investimento em empresas pequenas, o chamado de capital de risco. A professora de Engenharia Civil, Cristina Baddini, participou da plenária e afirmou que o debate proporciona uma nova visão sobre o assunto.

“É fundamental reconhecer o papel das startups e pequenas empresas no setor econômico. Isso impulsiona a inovação e a criação de empregos, além de contribuir com a sociedade. Quando um investidor olha para um empreendedor com essa visão, ele está contribuindo para o crescimento da economia”, afirmou a professora.

Inovação no Amapá

O Amapá é sede do maior evento de inovação e tecnologia do mundo, o Startup20, promovido pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) em parceria com o Governo do Estado e o Sebrae. O evento internacional, inédito no Brasil, reúne autoridades e representantes de vários países para debater alternativas inovadoras para o planeta. A programação contará com painéis, palestras, debates e visitas técnicas até segunda-feira, 26.

Em 2023, durante a 52ª Expofeira do Amapá, o Governo do Estado, que desenvolve políticas públicas de incentivo à inovação, empreendedorismo e a bioeconomia, assinou uma Carta de Intenção que formalizou a realização, em solo amapaense, do encontro que abre oficialmente uma série de eventos do Startup20, que ocorrerão no país, durante o ano.

A iniciativa global, que teve sua primeira edição na Índia, faz parte das ações do Grupo de Engajamento Startup 20, criado pelo G20, organização das maiores economias do mundo, que conta também com outras nações da União Europeia e Africana.

Startup20: Governo do Amapá lança edital com R$ 250 mil em fomentos para aliar ciência e empreendedorismo

Lançamento do edital aconteceu durante o segundo dia de Startup20, maior evento internacional de inovação e tecnologia

O Governo do Estado lançou neste sábado, 24, o edital “Doutor Empreendedor”, que destina R$ 250 mil para fortalecer o desenvolvimento de negócios inovadores através da ciência. O lançamento aconteceu durante o segundo dia de Startup20, maior evento internacional de inovação e tecnologia.

A programação reúne ao menos 85% do PIB (Produto Interno Bruto) mundial no estado, que estão conhecendo as potencialidades do Amapá. O Startup20 é organizado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups), em parceria com o Governo do Estado e o Sebrae.

Desenvolvido pela Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeap), vinculada à Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec), o ‘Doutor Empreendedor’ é voltado para pessoas com doutorado que atuam em instituições de ciência e tecnologia do Amapá. O objetivo é facilitar a transferência de conhecimentos para o setor produtivo.

“No segundo dia do Startup20, assinamos editais importantíssimos para o campo da inovação e da tecnologia no Amapá. Um deles é o Doutor Empreendedor, para pessoas que possuem doutorado, e quererm desenvolver pesquisas aplicadas ao desenvolvimento de negócios e produtos no estado. São recursos para estimular esse tipo de empreendedorismo”, destacou o governador Clécio Luís.

O secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Edivan Andrade, explica que a proposta busca incentivar que os profissionais ajudem a desenvolver ou aprimorar produtos ou serviços que tragam soluções inovadoras para o empreendedorismo amapaense.

“A intenção é que esses pesquisadores possam empreender e gerar empregos em nosso estado, fortalecendo o desenvolvimento socioeconômico”, pontuou Andrade. O edital vai estar disponível no site da Fapeap, a partir de segunda-feira, 26. Acesse aqui!

Tecnova e Hub de Inovação

Durante a abertura do Startup20, foi apresentada a prévia do edital do programa “Tecnova 3”, resultado da parceria entre o Governo do Estado e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) do Ministério da Ciência e Tecnologia. O objetivo do programa é auxiliar empresas amapaenses no desenvolvimento de produtos ou processos inovadores em setores importantes da economia.

A programação também incluiu a assinatura de uma Carta de Compromisso entre o Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional com o Governo do Estado, para o investimento em recursos que possam viabilizar a criação do Hub de Inovação do Amapá. Os espaços consistem em ambientes físicos ou on-line para conexão e desenvolvimento de soluções inovadoras.

“Queremos incentivar rotas de integração nacional, que é a organização de toda a cadeia produtiva local. No Amapá, já está sendo estruturado o açaí, o pescado, estamos partindo para o mel e laticínio, por isso a importância do Hub de Inovação. Quero dizer que o ministério só está esperando o projeto, chegando a gente inicia os trabalhos”, declarou o ministro da Integração, Waldez Góes.

Edital Startup Indústria

Na programação, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) lançou o edital “Startup Indústria”, que vai selecionar empresas novas no setor industrial que apresentem projetos inovadores para o mercado. A iniciativa contemplará 10 startups do estado que receberão mentorias, além de concorrerem a prêmios em dinheiro para auxiliar no custeio do projeto.

Startup20 no Amapá

O Amapá é sede do maior evento de inovação e tecnologia do mundo, o Startup20, promovido pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) em parceria com o Governo do Estado e o Sebrae. O evento internacional, inédito no Brasil, reúne autoridades e representantes de vários países para debater alternativas inovadoras para o planeta.

Em 2023, durante a 52ª Expofeira do Amapá, o Governo do Estado, que desenvolve políticas públicas de incentivo à inovação, empreendedorismo e a bioeconomia, assinou uma Carta de Intenção que formalizou a realização, em solo amapaense, do encontro que abre oficialmente uma série de eventos do Startup20, que ocorrerão no país, durante o ano.

A iniciativa global, que teve sua primeira edição na Índia, faz parte das ações do Grupo de Engajamento Startup 20, criado pelo G20, organização das maiores economias do mundo, que conta também com outras nações da União Europeia e Africana.

‘Viemos compartilhar tecnologias financeiras’, conta empreendedora de Omã, país árabe que participa do Startup20 no Amapá

Ayaman Al Harasi veio do oriente médio para apresentar inteligência artificial que podem ser implementadas por outras startups.


A empreendedora do país árabe Omã, Ayaman Al Harasi, faz parte de uma das 19 delegações estrangeiras que estão no Amapá para o Startup20, maior evento internacional de inovação e tecnologia. Até segunda-feira, 26, o encontro reúne 85% do Produto Interno Bruto mundial no coração da Amazônia.

O evento, que apresenta as potencialidades do Amapá para o mundo, é realizado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups), em parceria com o Governo do Estado e o Sebrae-AP.

Ayaman é presidente da Data Bridge, uma empresa de tecnologia em Omã, no oriente médio, que trabalha com pesquisa, inovação e tecnologias financeira e economicamente viáveis. Neste sábado, 24, a empreendedora vai apresentar ferramentas que podem auxiliar outros empreendimentos.

“Quero compartilhar conhecimento sobre inteligência artificial, consumo de redes sociais e realidade virtual. Vamos apresentar uma ferramenta que poderá ser utilizada nas startups, inclusive do Amapá”, aponta Ayaman.

Além de Omã, também estão presentes representantes da Índia, Alemanha, Arábia Saudita, Bangladesh, Canadá, Espanha, Estados Unidos, França, Indonésia, Portugal, Suíça, Rússia, Turquia, União Africana, Austrália, Itália, Japão e África do Sul.

O evento também conta com o Pavilhão da Bioeconomia, com 93 estandes de startups, artesãos e empreendedores. O local reúne produtos alimentícios, como biscoito, acaí, artesanato e até painéis solares. São empresas certificadas pelo “Selo Amapá”, iniciativa do Governo que identifica e fortalece a produção do estado e negócios selecionados pelo Sebrae-AP.

Destaque em inovação

O Amapá foi escolhido para sediar o evento pelo destaque na expansão das startups. Até 2022, o estado registrou 41 empreendimentos deste tipo em atividade, com geração de 500 empregos diretos e indiretos, de acordo com a pesquisa ‘Cenários das Startups no Amapá’, realizada pelo Sebrae.

O estudo mostra, ainda, que 54% das startups em atividade no estado foram iniciadas em 2022. Isso aponta para um cenário com empreendimentos novos, iniciando o processo de consolidação no mercado. De acordo com a Abstartups, Macapá é a segunda cidade com mais negócios inovadores no Norte do Brasil, atrás apenas de Manaus.

VEJA AQUI A PROGRAMAÇÃO DA STARTUP20 NO AMAPÁ

Startup20 no Amapá: dança tradicional indígena e batuque do marabaixo encantam delegações das maiores potências do mundo

Vários países puderam conhecer a riqueza da cultura amapaense

A dança e a música histórica dos povos indígenas do Parque do Tumucumaque e do marabaixo dos remanescentes quilombolas mostraram a força das raízes do Amapá ao mundo, na abertura oficial do Startup20 no estado, o único da Amazônia a receber o encontro internacional. A mistura de passado e futuro encantou e entusiasmou as delegações das maiores potências econômicas mundiais nesta sexta-feira, 23, durante as apresentações culturais.

Autoridades e representantes de várias nações puderam conhecer a riqueza da cultura amapaense com o grupo de dança Wayana Aparai e os grupos de marabaixo Raimundo Ladislau e Raízes da Favela, acompanhados pela banda Negro de Nós.

Os indígenas do Wayana Aparai encantaram o público ao entrar entre os convidados, entoando o som e fazendo os passos típicos das danças tradicionais realizadas nas aldeias. O grupo fala a língua materna de tronco linguístico Karibe.

Eles vivem na margem do Rio Paru de Leste, localizados na terra indígena do Parque do Tumucumaque, e Rio Paru d’Este, no Sul do Amapá e extremo do Norte do Pará, já na fronteira do Brasil com o Suriname.

FOTOS: confira como foi a abertura do Startup20 no Amapá, único estado da Amazônia a receber a reunião do G20

O grupo indígena apresentou as expressões e danças tradicionais respeitando seus ancestrais, mantendo a cultura de seus povos viva e sendo repassada através de gerações.

O americano e especialista em Desenvolvimento de Negócios, Arthur Martirosian, ficou encantado com os grupos indígenas e de marabaixo e planeja voltar e viajar pela Amazônia para conhecer ainda mais o Amapá, e o desenvolvimento sustentável que vem mostrando ao mundo.

“É realmente incrível como podemos alinhar a tecnologia e inovação com a cultura de diferentes países. O Brasil possui todos os tipos de pessoas, e isso é fascinante! Espero conseguir voltar aqui, e poder viajar pelo Rio Amazonas e conhecer as lindas florestas”, contou animado, Martirosian.

Os grupos de marabaixo Raimundo Ladislau e Raízes da Favela, acompanhados pela banda Negro de Nós, não deixaram ninguém ficar parado. As saias floridas e rodopiantes tomaram conta da cerimônia de abertura do Startup20 e apresentaram a expressão cultural repleta de resistência e significado ao mundo.

Músicas como “Sacode a Saia Morena” e “Rosa Branca Açucena” fizeram os estrangeiros improvisarem passos ao som das caixas de marabaixo. Além disso, delegados e convidados também puderam se afeiçoar ao ritmo contagiante.

Para o analista de Inovação que veio do estado de Rondônia, Rangel Miranda, a cultura afro-amapaense é rica demais e precisa ser preservada por gerações.

“Essa conexão que o ritmo faz com as pessoas, independentemente de qual parte do mundo é, mostra como o Amapá é rico em expressões artísticas. Hoje, este estado é o berço da inovação, e este momento singular marca a história cultural e tecnológica”, afirmou Rangel.

Confira a programação cultural do Startup20 no Amapá:

Sábado, 24

  • 10h30 – Apresentação de Cley Lunna durante o coffee break
  • 12h30 – Apresentação de Brenda Melo durante almoço
  • 15h30 – Apresentação do grupo de dança Afro Baraká e João Amorim durante o coffee break

Domingo, 25

  • 10h30 – Apresentação de Deize Pinheiro e grupo de dança Afro Baraká no coffee break
  • 12h30 – Apresentação de Ariel Moura e grupo de dança Afro Baraká no almoço
  • 15h30 – Apresentação do grupo Poetas Azuis e grupo de dança Afro Baraká e Waiana Apalai no coffee break.

Startup20 

O Amapá é sede do maior evento de inovação e tecnologia do mundo. O encontro internacional, inédito no Brasil, reúne autoridades e representantes de vários países para debater alternativas inovadoras para o planeta e é uma pré-COP30 para o estado, candidato a receber eventos da Conferência do Clima, da Organização Mundial das Nações Unidas (ONU), que será no Pará em 2025.

A iniciativa global, que teve sua primeira edição na Índia, faz parte das ações do Grupo de Engajamento Startup 20, criado pelo G20, organização das maiores economias do mundo, que conta também com outras nações da União Europeia e Africana.

A cerimônia de abertura recebeu a presença de várias autoridades, entre elas, o ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes; o senador Randolfe Rodrigues; o vice-presidente do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), desembargador Mário Mazurek; procurador-geral de Justiça do Ministério Público Estadual, Paulo Celso Ramos; a deputada estadual, Edna Auzier; a presidente da Abstartup, Ingrid Barthdo; o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-AP, Josiel Alcolumbre e a diretora-superintendente do Sebrae-AP, Alcilene Cavalcanti.

‘O Amapá é estratégico para expansão dos negócios inovadores na Amazônia’, aponta diretora-executiva da Associação Brasileira de Startups

Potencialidades ambientais do Amapá foram outro fator decisivo para a escolha do estado como sede

A partir desta sexta-feira, 23, o Amapá é sede do maior evento internacional de inovação e tecnologia, o Startup 20, realizado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups), em parceria com o Governo do Amapá e o Sebrae. O potencial de empreendedorismo e as políticas de desenvolvimento sustentável do estado amazônico foram fatores decisivos para a escolha do local do evento, que, até segunda-feira, 26, reúne 85% do Produto Interno Bruto mundial.

VEJA AQUI A PROGRAMAÇÃO DA STARTUP20

As startups são empreendimentos transformadores, com impacto social e que solucionam problemas. Até 2022, o Amapá registrou 41 empreendimentos deste tipo em atividade, com geração de 500 empregos diretos e indiretos, de acordo com a pesquisa ‘Cenários das Startups no Amapá’, realizada pelo Sebrae. A diretora-executiva da Abstartups, Mariane Takahashi, destaca a força amapaense no cenário de negócios inovadores.

‘O Amapá é estratégico para fortalecer a expansão dos negócios inovadores em toda a região amazônica e, para nós, abranger a Amazônia é muito importante’, pontua Mariane.

Mais inovação

A pesquisa aponta, ainda, que 54% das startups em atividade no estado foram iniciadas em 2022. Isso aponta para um cenário com empreendimentos novos, iniciando o processo de consolidação no mercado. De acordo com a Abstartups, Macapá é a segunda cidade com mais negócios inovadores no Norte do Brasil, atrás apenas de Manaus.

“O Amapá foi escolhido a dedo para sediar esse evento porque possui startups extremamente organizadas e engajadas por profissionais que vêm desenvolvendo um trabalho fenomenal, mostrando como o empreendedor brasileiro é brilhante”, frisou a presidente da entidade, Ingrid Barth.

Startup20 no Amapá

O Amapá é sede do maior evento de inovação e tecnologia do mundo, o Startup20, promovido pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) em parceria com o Governo do Estado e o Sebrae. O evento internacional, inédito no Brasil, reúne autoridades e representantes de vários países para debater alternativas inovadoras para o planeta. A programação contará com painéis, palestras, debates e visitas técnicas até segunda-feira, 26.

Em 2023, durante a 52ª Expofeira do Amapá, o Governo do Estado, que desenvolve políticas públicas de incentivo à inovação, empreendedorismo e a bioeconomia, assinou uma Carta de Intenção que formalizou a realização, em solo amapaense, do encontro que abre oficialmente uma série de eventos do Startup20, que ocorrerão no país, durante o ano.

A iniciativa global, que teve sua primeira edição na Índia, faz parte das ações do Grupo de Engajamento Startup 20, criado pelo G20, organização das maiores economias do mundo, que conta também com outras nações da União Europeia e Africana.

Sebrae e Apex firmam parceria para fomentar exportação de pequenos negócios do Amapá em 2024

O Exporta Mais Brasil é um programa itinerante com foco em capacitar empresas para exportação de produtos e conectar empresários com possíveis compradores


O Serviço de Apoio às Micro Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), firmam parceria para a realização da primeira edição do Exporta Mais Brasil no estado do Amapá. O objetivo é fortalecer o atendimento e promover capacitação de pequenos negócios para inserção no mercado internacional. A reunião técnica sobre o programa aconteceu nesta quinta-feira (22), na sala de Reunião do Conselho Deliberativo do Sebrae, das 10h às 11h30.

Para a diretora superintendente do Sebrae no Amapá, Alcilene Cavalcante, o programa é uma oportunidade para que empreendedores amapaenses consigam crescer em larga escala.

“A edição que irá ocorrer no Amapá vai ser focada em frutas e derivados, então é um setor no qual somos bem desenvolvidos e possuímos diversas empresas de destaque. Será um evento com oportunidades de rodadas de negócios, para apresentar marcas, fazer networking, capacitar empreendedores para exportar produtos e criar relação com compradores internacionais”, relatou a superintendente Alcilene Cavalcante.

O assessor da presidência da ApexBrasil, Pablo Lira, explica mais sobre o evento e destaca a importância de atrair olhares para o norte e o Amapá. “O Exporta Mais 2024 visa contemplar todos os estados do Brasil que não participaram da edição de 2023. Nosso foco com essa visita é mostrar que o Norte e o Nordeste estão tendo um olhar diferenciado por parte da Apex, nós queremos criar e viabilizar estratégias de exportação para essas regiões e aumentar o saldo da balança comercial dos estados contemplados. Para o Amapá, o objetivo é também promover a valorização dos produtos naturais, de frutas e derivados”, contou o assessor Pablo Lira.

Programa

O Exporta Mais é um programa criado pela ApexBrasil, com o objetivo de conectar o comércio exterior a empreendedores de todo o país. O Exporta Mais busca uma aproximação ativa com todas as regiões do Brasil, para potencializar atividades de exportação. Através do programa, empresas de diferentes setores produtivos participam e realizam reuniões com compradores internacionais, que vêm ao Brasil em busca de produtos e serviços ligados a setores de nicho.

Na edição de 2023, a Apex contou com o apoio de entidades setoriais, incluindo o Sebrae Nacional. Os resultados da edição impactaram positivamente no crescimento de diversas áreas empresariais, ao longo das 13 rodadas do Exporta Mais Brasil, o programa arrecadou R$ 275 milhões em negócios gerados a partir de 3.496 reuniões e contou com a presença de 143 compradores nacionais e internacionais de 44 países.

Rodadas

Confira os setores e os estados que devem receber as rodadas do Exporta Mais Brasil em 2024, com datas a confirmar. Para mais informações acesse o site oficial do programa no link https://apexbrasil.com.br/content/apexbrasil_landingpages/en/exporta-mais-brasil.html.

Setores: Frutas e derivados (Amapá/AP); Couros e curtumes (Maranhão/MA); Alimentos e bebidas/saúde e bem-estar (Alagoas/AL); Moda (Ceará/CE); Materiais de Construção (Santa Catarina/SC); Bebidas (Tocantins/TO); Mel e conservas (Piauí/PI); Manejo Florestal Sustentável (Mato Grosso/MT); Ingredientes para Cosméticos (Amazonas/AM); Insumos Agropecuários (Mato Grosso do Sul/MS); Chocolate (Bahia/BA); Moda Praia (Rio Grande do Norte/RN); Moda, Higiene e Cosméticos (Sergipe/SE); Cereais, Oleaginosas e derivados (Roraima/RR); e Exporta Mais Amazônia (Pará/PA).

Reunião

A reunião técnica sobre o Exporta Mais Brasil 2024 contou com a presença da diretora superintendente do Sebrae no Amapá, Alcilene Cavalcante; diretor do escritório da região Norte da Apex, Essio Lanfredi; assessor da presidência da ApexBrasil, Pablo Lira; gerente da Unidade de Soluções Inovadoras e Competitivas do Sebrae no Amapá (Unic), Bruno Castro; assessora técnica da diretoria do Sebrae no Amapá, Isana Alencar; e Fabrício Penafort, Larissa Diniz e Fabrício de Carvalho, da Secretaria de Estado de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Secricomex).

Sebrae no Amapá-Unidade de Marketing e Comunicação

Inscrições para os editais da Lei Paulo Gustavo são prorrogadas até o dia 8 de março

Os editais foram lançados em dezembro do ano passado e visam fomentar os atores culturais do estado.


Com inscrições prorrogadas até o dia 8 de març
o, os editais da Lei Paulo Gustavo (LPG) vão contemplar iniciativas culturais com fomentos e premiações. Interessados devem se inscrever pelo site da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), no endereço https://secult.portal.ap.gov.br/.  

Produtores e agentes culturais podem se inscrever em dois editais: o “Latitude Zero”, que é voltado para produção audiovisual, e o “Maré Cheia”, que premiará aqueles que tenham prestado contribuição ao desenvolvimento artístico e cultural do Estado do Amapá.

Serão investidos na cultura do estado do Amapá, para os 16 municípios, R$ 5.675.000,00 (cinco milhões, seiscentos e setenta e cinco mil reais) no edital Maré Cheia, no qual serão beneficiadas 835 trajetórias culturais. Já no edital Latitude Zero serão investidos R$ 15.115.000,00 (quinze milhões, cento e quinze mil reais) e contemplará 334 projetos culturais. Ao todo serão mais de R$ 22 milhões para projetos e artistas amapaenses.

Para auxiliar no processo de inscrição e tirar dúvidas sobre os editais, a Secult iniciou na segunda-feira (19) a busca ativa e formação de atores culturais, com sete equipes em todo estado e uma base na capital, na Casa do Artesão – sala de Coordenação, localizada na Rua Francisco Azarias da Silva Coelho, s/n, Centro. O atendimento será das 9h às 12h e das 13h às 16h, de segunda a sexta-feira.

Estes editais são frutos das oitivas que ocorreram ano passado em diversos municípios do Estado do Amapá. Através da participação popular foi possível garantir políticas afirmativas e inclusivas com promoção de acessibilidade, onde serão destinadas 20% de vagas para cota étnico-racial, 10% de vagas para indígenas, além de bonificação para comunidade ribeirinhas, quilombolas e outras comunidades tradicionais e de áreas atingidas por situações climáticas.

Para mais informações e dúvidas, a Secretaria de Estado da Cultura está disponibilizando dois canais de comunicação: o [email protected] e o telefone (96) 98415- 1691, que é WhatsApp.  

Adryany Magalhães

Contato: (96) 991445442

Startup20: ‘É o Amapá sendo exemplo para o mundo’, exalta governador Clécio Luís sobre evento mundial de tecnologia e inovação

Na programação, o governador vai destacar o que o Amapá tem feito em prol do desenvolvimento econômico com sustentabilidade.

A realização do Startup20 no Amapá é considerada pelo governador do Estado, Clécio Luís, uma vitrine para as políticas de incentivo à bioeconomia . O evento mundial de tecnologia e inovação, que inicia nesta sexta-feira, 23, vai evidenciar as  iniciativas do Amapá em prol do desenvolvimento econômico com sustentabilidade< span style=”font-family:fregular;font-size:15px”>.

“Vão ser quatro dias para apontar os rumos da tecnologia e da inovação, aliados à conservação ambiental, mostrando iniciativas amapaenses que fazem a diferença. O nosso estado foi escolhido exatamente por seu potencial bioeconômico. Queremos elevar os nossos indicadores econômicos e sociais, equiparando-se aos nossos excelentes indicadores ambientais. É o Amapá sendo exemplo para o mundo”, destacou Clécio Luís.

Promovido pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) em parceria com o Governo do Estado e o Sebrae, o maior evento de inovação e tecnologia do mundo acontece pela primeira vez no Brasil, e reúne autoridades, representantes e empresários de vários países para debater alternativas para o planeta.

Os temas a serem tratados no encontro ressaltam, sobretudo, um compromisso com a preservação do planeta. O evento mundial faz parte das ações do Grupo de Engajamento criado pelo G20, organização que reúne as maiores economias do planeta, mais outras nações da União Européia e Africana. As discussões da Startup20, que serão levadas à cúpula do G20, também são consideradas preparatórias para a Conferência da ONU pelas Mudanças Climáticas, a COP30.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DO STARTUP20 NO AMAPÁ

Amapá: sede da inovação e tecnologia

Em 2023, durante a 52ª Expofeira do Amapá, o Governo do Estado, que desenvolve políticas públicas de incentivo à inovação, empreendedorismo e a bioeconomia, assinou uma Carta de Intenção que formalizou a realização em solo amapaense do encontro, que abre oficialmente uma série de eventos do Startup20, que ocorrerão no país ao longo do ano.

destaque do Amapá no desenvolvimento das startups aliado à preservação ambiental foi um dos fatores decisivos para que o estado amazônico se tornasse sede do Startup20. De acordo com a Associação Brasileira de Startups, Macapá é a segunda cidade com mais negócios inovadores no Norte do Brasil, atrás apenas de Manaus.

O Governo do Amapá é um dos principais parceiros no fomento do setor no estado, com destaque ao fortalecimento de políticas públicas de ampliação da transformação digital dentro da gestão, assim como à iniciação científica, programa de premiações e bolsas de estudo. O apoio na realização de grandes eventos integra esse processo de transformação no Amapá.

Esta será a única edição de 2024 da Startup20 na região, diretamente da capital do Meio do Mundo, no estado mais preservado do Brasil, uma oportunidade de diminuir a desigualdade regional por meio da economia verde e da tecnologia.

“O Amapá foi escolhido pelo G20 para sediar o primeiro evento internacional de startups no Brasil, começando as discussões pela Amazônia. Isso é muito importante. Esse é mais um evento com investimentos que geram emprego e renda por meio do turismo de eventos, além de criar um futuro para o nosso estado”, pontuou o governador.

A programação terá plenárias com discussões temáticas para abordar ecossistemas de startups com palestras de especialistas, painéis de discussão e workshops interativos.

A primeira edição do Startup20 no Brasil promete ser um marco histórico na geração de oportunidades e de divulgação das riquezas inigualáveis da Amazônia. As delegações dos 5 continentes, além de tratar de assuntos sobre o desenvolvimento verde e sustentável, também irão debater sobre transições energéticas de acordo com a compreensão do potencial revolucionário da bioeconomia.

Startup20: no Amapá, delegação dos Estados Unidos busca colaboração internacional para incentivar negócios inovadores

Norte-americanos estão entre os 19 grupos de estrangeiros que irão participar do encontro, a partir de sexta-feira, 23, em Macapá.


Os Estados Unidos estão entre as 19 delegações estrangeiras que se reúnem no Amapá, a partir de sexta-feira, 23, no Startup20, maior evento internacional sobre inovação, sustentabilidade e tecnologia. Já em solo amapaense, a equipe norte-americana busca compartilhar informações que fortaleçam a expansão de negócios inovadores. O encontro é realizado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups), em parceria com o Governo do Estado e o Sebrae.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DO STARTUP 20 NO AMAPÁ

A delegação norte-americana é composta por funcionários do Departamento de Comércio dos Estados Unidos, setor voltado ao desenvolvimento de empresas para aumentar a competitividade global dos empreendimentos. O órgão é equivalente ao Ministério de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços do governo brasileiro.

O diplomata Chris Rachel atua no desenvolvimento de negócios e já participou de outros encontros do Grupo dos 20 (que reúne as maiores economias do planeta). Ele conta que estar em um dos estados mais preservados do Brasil representa a realização de um sonho e que pretende compartilhar o conhecimento adquirido ao longo da carreira com os demais participantes.

“Eu sempre tive vontade de conhecer a Amazônia, desde que eu era pequeno. Estar aqui representa a realização de um sonho e, agora, quero ver o Rio Amazonas. Esse evento nos permite trabalhar em colaboração com os 20 países, com economias diversas, para entender os pontos fortes e fracos de cada um e, assim, poder contribuir com a área econômica a partir do aprendizado adquirido. Nós estamos nos juntando para ajudar uma ao outro”, pontuou Rachel.O  norte-americano também pontua que vê no Brasil uma alta capacidade de engajar ideias de sucesso, um fator importante para a expansão das startups, como são chamados os negócios inovadores e criados para solucionar problemas. O Amapá é uma referência no desenvolvimento deste tipo de empresa.

“Nós sabemos o potencial do Brasil e que esse país tem muito a oferecer como contribuição para o surgimento de empresas que impulsionem o segmento econômico”, finalizou o diplomata.

A relações públicas da Abstartups, Bárbara Furiati, afirma que o compartilhamento de experiências entre economias diferentes permite a compreensão e o surgimento de alternativas para avançar na cooperação entre os países.

“Seguindo recomendação da cúpula do G20, a gente quer entender também como é que a gente pode promover esse intercâmbio entre o Brasil, com características únicas, como as que ocorrem, especialmente na Amazônia e no Amapá, e Estados Unidos. É uma grande oportunidade de buscar a valorização da nossa moeda”, ressaltou Bárbara.

Desenvolvimento sustentável

A integração entre o empreendedorismo tecnológico e a bioeconomia são frentes de atuação que geram riqueza, emprego e renda com garantia de floresta em pé. O desenvolvimento sustentável alinhado à pauta ambiental é um dos pilares das discussões a serem desenvolvidas no Startup20 nos próximos dias, sendo um momento de diálogo importante com a reunião de 85% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial em solo amapaense para construção de um futuro atrelado à economia verde.

Startup20 no Amapá

O Amapá é sede do maior evento de inovação e tecnologia do mundo, o Startup20, promovido pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) em parceria com o Governo do Estado e o Sebrae. O evento internacional, inédito no Brasil, reúne autoridades e representantes de vários países para debater alternativas inovadoras para o planeta. A programação contará com painéis, palestras, debates e visitas técnicas até segunda-feira, 26.

Em 2023, durante a 52ª Expofeira do Amapá, o Governo do Estado, que desenvolve políticas públicas de incentivo à inovação, empreendedorismo e a bioeconomia, assinou uma Carta de Intenção que formalizou a realização, em solo amapaense, do encontro que abre oficialmente uma série de eventos do Startup20, que ocorrerão no país, durante o ano.

A iniciativa global, que teve sua primeira edição na Índia, faz parte das ações do Grupo de Engajamento Startup 20, criado pelo G20, organização das maiores economias do mundo, que conta também com outras nações da União Europeia e Africana.