Linha de crédito lançada pelo Governo do Estado impulsiona startup da construção civil no Amapá

Cerca de R$ 4 milhões foram repassados para programa que vai financiar startups do estado

Impulsionando a inovação na construção civil, o Governo do Estado liberou crédito para a startup amapaense Mazodan, que utiliza sedimentos do Rio Amazonas e rejeitos de mineração na composição de argamassa polimérica. A ação faz parte do Inovacred, financiamento lançado durante o Startup20 no Amapá, que integra o Plano de Governo da gestão para fortalecer as atividades econômicas na produção de bens e serviços pela iniciativa privada.

Para o CEO da startup, Michael Carvalho o recurso concedido pela Agência de Fomento do Amapá (Afap) vai permitir a aquisição de equipamentos e máquinas para os processos laboratoriais que comprovam a qualidade do produto para o cliente e reduz os impactos no meio ambiente.

“Ao invés de trazer material de outros lugares, estamos desenvolvendo uma indústria local, com recursos próprios. Dessa forma, o Estado economiza bastante, pois não depende de tecnologias e matérias-primas de outras regiões. Usamos o que existe no nosso próprio bioma e criamos um processo de industrialização inovadora”, destacou o CEO.

Inovacred

Em fevereiro deste ano, durante o Startup20 no Amapá, evento internacional de inovação e tecnologia, o Governo do Estado lançou a linha de crédito destinada a empresas inovadoras, como parte da política de fortalecimento do empreendedorismo criativo e sustentável.

Cerca de R$ 4 milhões foram repassados para o Inovacred, programa que vai financiar recursos por meio da Afap e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Startups

As startups são empreendimentos com modelo de negócios inovador, com impacto social e que solucionam problemas.

Presentes no dia a dia de todos, são empreendimentos com modelo de negócios escalável, repetível e guiadas por uma ideia transformadora, com impacto social, seja um produto ou serviço e que soluciona problemas. Em 2023, a média de faturamento de cada startup no Brasil foi de R$ 876 mil, de acordo com a Associação Brasileira de Startups.

As startups também se caracterizam pela necessidade de tornar o empreendimento sustentável dentro do mercado econômico, sendo consideradas empresas de alto potencial e risco, principalmente no seu início, sendo modelos de negócio perfeitos para quem possui perfil empreendedor.

Governo do Amapá adquire nova mesa cirúrgica para realizar procedimentos ortopédicos de alta complexidade no HE

Depois de instalada, mesa irá possibilitar aumento de cirurgias ortopédicas no HE

Para ampliar a realização de procedimentos cirúrgicos no Hospital de Emergência (HE), em Macapá, o Governo do Amapá investiu em uma nova mesa cirúrgica utilizada para operações ortópedicas de grande porte como as cirurgias de fêmur, tíbia e fíbula que até então eram realizadas somente pelo Hospital das Clínicas Alberto Lima (Hcal). O equipamento foi adquirido com recursos no valor de R$ 170 mil, do Tesouro Estadual.

Em fase de instalação, a mesa tracionada é considerada um dos equipamentos centrais para o sucesso de intervenções de alta complexidade. Nas próximas etapas, a equipe médica vai realizar testes e treinamento para o uso adequado da ferramenta, que irá aumentar a eficácia nas cirurgias e o número de especialidades atendidas pelo HE. 

“É um equipamento que amplia nossa capacidade de procedimentos e de especialidades, já que essas cirurgias consideradas de grande porte, como fêmur, tíbia, precisavam ser realizadas no centro cirúrgico do Hcal. Depois que a nova mesa for instalada e testada, esperamos diminuir essas transferências de pacientes, aumentando nossa resolutividade desses casos no hospital”, explicou o diretor do HE, Emanoel Martins.Com alta estabilidade e a capacidade de ajustes precisos, o equipamento também permite que a equipe médica trabalhe com mais confiança, segurança e ergonomia, como reforça o cirurgião ortopédico e coordenador do Centro Cirúrgico do HE, Isnard Junior.  

“Além dos benefícios técnicos, a utilização adequada da mesa cirúrgica contribui para a redução de lesões causadas por esforços repetitivos e posturas inadequadas na equipe cirúrgica, garantindo também o bem-estar dos profissionais de saúde envolvidos na cirurgia”, comenta Isnard.  

Procedimentos cirúrgicos 

No HE, são realizadas cerca de 500 cirurgias por mês, estimativa que representa o dobro do número alcançado há dois anos. Por dia, no Centro Cirúrgico, são cerca de 25 procedimentos, dos quais 12 são ortopédicos. 

Com a construção de mais uma sala cirúrgica e a disponibilização de mais dois carrinhos de anestesia com materiais especializados, são realizadas até quatro cirurgias simultâneas, uma em cada sala.   

Com investimentos do Governo do Amapá, HE oferta mais de 5 mil exames de imagem por mês

Exames de raio-x, tomografia e ressonância ultrassonografia auxiliam no diagnóstico e tratamento dos pacientes.

O Governo do Amapá investiu em novos equipamentos de imagem para o Hospital de Emergências (HE) de Macapá, proporcionando resultados mais ágeis e auxiliando no diagnóstico e tratamento dos pacientes que dão entrada na unidade. São cerca de 5 mil procedimentos mensais.

Só nos três primeiros meses de 2024, já foram realizados 17 mil exames de imagem, entre raio-x, tomografia e ultrassonografia. A automação e o sistema hospitalar moderno usado pelo HE, permitem que os resultados sejam enviados diretamente aos médicos, diminuindo o tempo de espera para o diagnóstico.

O tecnólogo em radiologia e responsável técnico do serviço de imagem do HE, Antônio Júlio, destaca que após a instalação de equipamentos mais modernos e novos, está sendo possível dar celeridade ao fluxo de atendimento dos pacientes.

“São equipamentos que dão mais resolutividade ao caso dos pacientes, principalmente aqueles que são modernos e novos. Além dos aparelhos, nós usamos um sistema completo, que permite maior agilidade também na hora da avaliação dos especialistas, onde eles recebem os resultados diretamente no consultório”, relata o responsável técnico.

O exame de imagem permite que os profissionais avaliem o paciente internamente, sem a necessidade de cirurgias ou outros métodos invasivos. Com esses procedimentos, é possível analisar todo o organismo, desde órgãos e tecidos até ossos.

Ao dar entrada no HE, o paciente é atendido pelo médico, que em caso de solicitação, o usuário é encaminhado para realizar o exame e após 1 hora e 50 minutos de espera, ele retorna com o especialista para que o laudo seja avaliado.

“Como somos uma unidade de urgência e emergência, nosso fluxo funciona de forma rápida e alinhada. Não somente os equipamentos, mas os profissionais que atuam no HE são os responsáveis por conseguir atender a alta demanda que temos diariamente aqui”, afirma o diretor do HE, Emanoel Martins.

Governador Clécio Luís reúne com executivos de empresa chinesa automobilística interessados em investir no Amapá

Governador Clécio Luís recebeu o grupo empresarial neste sábado, 16

O governador Clécio Luís se reuniu na manhã deste sábado, 16, no Palácio do Setentrião, com empresários chineses para discutir futuros investimentos para o Amapá, que podem resultar na instalação de uma fábrica de automóveis, fortalecendo a política econômica proposta no Plano de Governo da gestão, para a geração de emprego e renda no estado.

Com uma visão de futuro, um dos atrativos para o grupo empresarial é a localização estratégica do Amapá em relação ao deslocamento hidroviário, além do estado ser o mais preservado do país, que vai de encontro com a natureza dos investimentos da empresa, que é a fabricação de carros elétricos.

“Nós temos o interesse em ter empresas investindo no Amapá, nosso objetivo é construir um ecossistema que gere emprego e renda para a nossa população. Sabemos das nossas potencialidades e agora vamos criar as alternativas para que o grupo empresarial possa investir no estado. Com o capital externo, vem junto uma cadeia de serviços e oportunidades para a comunidade”, destacou o governador.

Os investidores apresentaram a dinâmica da empresa, os possíveis ativos econômicos e ainda conversaram sobre como o Estado pode criar alternativas para atrair a parceria internacional. A reunião também teve a participação da Assembleia Legislativa, que foi representada pelo deputado estadual, Júnior Favacho.

A montadora chinesa ainda não entrou no mercado brasileiro mas tem a intenção de iniciar os investimentos ainda este ano. Um dos pontos da empresa é mostrar qualidade e provar que os modelos podem atender qualquer mercado.

“O Brasil é um dos mercados que nos atrai muito por ser grande e diversificado. Já o Amapá em específico, nos coloca como uma empresa que atenderá as demandas globais, como investir em áreas com economia verde, alinhando desenvolvimento e preservação ambiental”, disse o executivo sênior da empresa GAC Motor, Alex Zhou.

No encontro também ficou definido que será criada uma equipe do Governo do Amapá, que irá tratar dos detalhes administrativos para um possível investimento da empresa no Estado.

COP 28: governador do Amapá celebra com presidente do BID financiamentos para os estados da Amazônia Legal

Governador Clécio Luís e demais chefes de Estado da região se encontraram como o presidente do BID na COP28

O governador do Amapá, Clécio Luís, e os governadores do Pará, Amazonas e Rondônia, se reuniram no domingo, 3, com o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Ilan Goldfajn, durante a 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 28), em Dubai. O chefe do executivo celebrou os investimentos feitos pela organização na Amazônia, em especial com os celebrados em prol do Amapá.

O Amapá conquistou a aprovação no Senado Federal para que o Estado contrate uma operação de crédito externo com o BID, no valor de até 30 milhões de dólares, para financiar o “Projeto de Modernização da Gestão Fiscal do Estado do Amapá – Profisco II”.

“Hoje foi um dia muito produtivo, de reuniões importantes com organismos que financiam o desenvolvimento sustentável da Amazônia. A operação de crédito vai fazer toda a diferença ao funcionamento da nossa máquina pública no Amapá. E eu vejo que, além dessa parceria, abre-se outra oportunidade: o que a gente está a bancar hoje vai ser realizada para comunicar que a COP 30 vai ser a COP da Amazônia, falando da região através de várias perspectivas, muito especialmente sobre a perspectiva dos amazônidas”, destacou o governador do Amapá.

A celebração de acordos que investem na região podem proporcionar uma nova perspectiva para as cidades da Amazônia, impulsionada pela realização da COP na capital do Pará, no ano de 2025.

“É muito importante para nós estarmos juntos. E aqui a presença de vocês todos nos mostra que, de fato, é algo muito relevante. Então eu queria só brindar. Normalmente a gente brinda quando a gente começa o projeto, depois que sai o resultado, e agora a gente está brindando uma parceria, que eu espero que comece agora e que fique pra sempre como a Amazônia merece”, afirmou o presidente do BID.

Amapá na COP 28

Para fortalecer a imagem do Amapá como referência em práticas ambientais responsáveis e inovadoras, o Governo do Estado destaca a mais de 190 países, na COP 28, iniciativas de uso sustentável das riquezas naturais do meio ambiente.

Com mais de 90% das florestas preservadas e 72% do território dedicado a unidades de conservação e povos originários, o Amapá possui um modelo global e exemplar de preservação baseado na bioeconomia sustentável, que alia a floresta em pé e o desenvolvimento da economia e renda para a comunidade.

O governador propõe o debate do papel da bioeconomia no desenvolvimento econômico da região amazônica, o enfrentamento do aquecimento global, a redução no uso de combustíveis fósseis e sistemas agroalimentares.

Ao longo da conferência, o Estado apresenta, ainda, projetos de sucesso como o Selo Amapá e o manejo florestal sustentável, método eficaz na gestão de florestas. Com isso, um dos objetivos é obter apoio internacional para desenvolver programas sustentáveis e modelos de referência no desenvolvimento econômico.

A delegação amapaense é composta ainda por representantes do Tribunal de Justiça do Amapá, Assembleia Legislativa e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-AP).

COP 28

A conferência é uma reunião anual entre os países-membros da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima. Nele, chefes de estados e outras autoridades governamentais debatem soluções para conter o aquecimento global e criar alternativas sustentáveis para a vida no planeta.

A 28ª edição da conferência ocorre em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, até o dia 12 de dezembro. Mais de 138 chefes de Estado e Governo são esperados para a conferência.

O encontro acontece após o sexto ciclo de avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que reforçou o senso de urgência e a gravidade da mudança do clima, bem como consequências perturbadoras para sistemas ecológicos e socioeconômicos.

Governo do Amapá inicia instalação de equipamentos de imagens na rede hospitalar do Estado

São 42 aparelhos destinados a unidades de saúde de 11 municípios. Instalação começa por hospitais de Macapá e Santana.

O Governo do Amapá iniciou pelo Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (HCAL), na capital, e pelo Hospital Estadual de Santana (HES) o processo de instalação dos equipamentos de imagem que foram destinados a unidades de saúde de 11 municípios.

O objetivo é ampliar a capacidade da realização de exames na rede hospitalar do estado. O Governo do Estado investe R$ 17 milhões nos equipamentos para garantir mais dignidade no atendimento à população.

Os exames de imagem são procedimentos essenciais para observar partes internas do organismo, ajudando a prevenir e identificar doenças para, assim, planejar tratamentos clínicos e cirúrgicos.

A capital, Macapá, recebe aparelhos novos nos quatro hospitais estaduais, que concentram a maior parte das demandas de atendimento de saúde do estado. Para o Hcal, foi destinado um aparelho de ultrassonografia da marca Canon, de última geração.

“Todo aparelho que chega novo para gente caracteriza um serviço mais rápido, já que as funções dos equipamentos vão ficando melhores, e, se a imagem é de um aparelho bom, o diagnóstico é mais preciso e confiável”, explicou o médico ultrassonografista do Hcal, Adriano Bastos.

Ainda estão previstos a entrega e instalação de mais aparelhos como arcos cirúrgicos, de ecocardiografia, ultrassonografia com doppler, tomógrafo e equipamento de ressonância magnética.

Santana

Já o Hospital Estadual de Santana, que atende o segundo município mais populoso do estado, recebeu um tomógrafo e também foi contemplado com dois aparelhos de raio-x portáteis, que serão utilizados para as demandas dos pacientes internados na UTI e na unidade de Neonatologia do hospital.

O diretor do hospital, Ismael Cardoso, explica que os equipamentos irão atender a demanda dos dois setores, sem ter que ficar deslocando os aparelhos de um lugar para o outro.

“Nós conseguiremos atender esses dois públicos sem precisar deslocar o equipamento entre setores. Como fomos contemplados com dois aparelhos, cada um desses locais terá um equipamento disponível sempre que os médicos necessitarem, melhorando assim o tempo de espera para realizar os exames. Como só tínhamos um aparelho era comum o paciente ter que aguardar o término de um procedimento para o outro”, explicou Ismael.

Após a instalação, as próximas etapas são montagem e testes de funcionamento. As unidades que recebem os itens são:

  • Hospital de Emergências de Macapá (HE);
  • Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (Hcal);
  • Hospital da Criança e do Adolescente (HCA);
  • Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML);
  • Hospital Estadual de Santana;
  • Hospital Estadual de Laranjal do Jari;
  • Hospital de Oiapoque;
  • Unidade Mista de Saúde de Calçoene;
  • Unidade Mista de Saúde de Serra do Navio;
  • Unidade Mista de Saúde de Tartarugalzinho;
  • Unidade Mista de Saúde de Mazagão

Novo PAC: terminais hidroviários vão fortalecer economia e mobilidade no Amapá

Com investimentos de R$ 140 milhões, estruturas serão erguidas nos municípios de Mazagão, Oiapoque, Laranjal do Jari e Calçoene.

Os rios do Amapá são essenciais para os setores da economia e da mobilidade, já que são verdadeiras estradas por onde navios e pequenas embarcações transportam, todos os dias, passageiros e cargas. É para garantir mais conforto e segurança a quem usa esse serviço que o Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) direciona R$ 140 milhões para a construção de quatro terminais hidroviários no interior do Amapá.

Os projetos fazem parte de um pacote de medidas reivindicadas pelo Governo do Estado junto à bancada parlamentar amapaense em Brasília-DF. Os terminais rodoviários serão erguidos nos municípios de Mazagão, Oiapoque, Laranjal do Jari e Calçoene.

“São estruturas que vão levar dignidade aos usuários do transporte fluvial, pois, em nosso estado, os rios formam importantes vias de acesso. Esse investimento beneficia também o setor econômico, já que os terminais poderão ser usados como ponto de entrada e saída da produção agrícola dos municípios”, destacou o governador, Clécio Luís.

O Novo PAC também garante recursos para obras e ações como limpeza, derrocamento (retirada de material do fundo do rio) e sinalização em hidrovias que permitam a navegabilidade ao longo de todo o ano. O investimento total no Amapá na área de Transporte Eficiente e Sustentável será de R$ 2,2 bilhões.

Além de atender o interior amapaense, o programa do Governo Federal destina recursos para a construção de terminais hidroviários em Macapá e Santana, impulsionando a economia da Região Metropolitana de Macapá e Santana.

NOVO PAC E O AMAPÁ

Ao todo, o Novo PAC, anunciado na última sexta-feira, 11, presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, destina R$ 28,6 bilhões em obras estruturantes no Amapá nos próximos quatro anos, com investimentos para as áreas de transporte, assistência social, saúde e educação, mais geração de renda e emprego. Confira como ficou a distribuição dos investimentos para o estado.

Inclusão digital e conectividade

O programa incluiu o eixo para levar internet de alta velocidade a todas as escolas públicas e unidades de saúde. Além de expandir o 5G, vai levar rede 4G a rodovias e regiões remotas. Investimento: R$ 1,2 bilhão.

Saúde

Serão construídas novas unidades básicas de saúde, policlínicas, maternidades e compra de mais ambulâncias para melhorar o acesso ao tratamento especializado. O complexo industrial de saúde, também receberá investimentos, fortalecendo a oferta de vacinas, hemoderivados e na telessaúde para aumentar a eficiência em todos os níveis de atendimento à população. Investimento: R$ 1,3 bilhão.

Educação, ciência e tecnologia

A construção de creches, escolas de tempo integral e a modernização e expansão de Institutos e Universidades Federais são prioridades. O programa vai impulsionar a permanência dos estudantes nas escolas, a alfabetização na idade certa e a produção científica no Brasil. Investimento: R$ 14,6 bilhões.

Infraestrutura social e inclusiva

Às ações de Educação se somam às do eixo que garantirá o acesso da população a espaços de cultura, esporte e lazer, apostando no convívio social e na redução da violência. Investimento: R$ 300 milhões.

Cidades sustentáveis e resilientes

Para que as cidades se adaptem às mudanças climáticas e ofereçam melhor qualidade de vida para a população, o eixo vai construir novas moradias e financiar a aquisição de imóveis. O Novo PAC investirá também na modernização da mobilidade urbana de forma sustentável, em urbanização de favelas, esgotamento sanitário, gestão de resíduos sólidos e contenção de encostas e combate a enchentes. Investimento: R$ 1,5 bilhão.

Água para todos

O eixo garantirá água de qualidade e em quantidade para a população, chegando até as áreas mais remotas do país. Os investimentos em recursos hídricos fortalecem as comunidades frente aos desafios hídricos e climáticos. O Novo PAC investe na revitalização das bacias hidrográficas, e ações integradas de preservação, conservação e recuperação. Investimento: R$2,1 bilhões.

Transporte eficiente e sustentável

O eixo reúne os investimentos em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias em todos os estados do Brasil a fim de reduzir os custos da produção nacional para o mercado interno e elevar a competitividade do Brasil no exterior. Investimento: R$ 2,2 bilhões.

Transição e segurança energética

E para atender ao desafio da transição e segurança energética, 80% do acréscimo da capacidade de energia elétrica virá de fontes renováveis. Por meio do programa Luz para Todos, o Novo PAC vai antecipar a universalização de comunidades isoladas na Amazônia Legal. O eixo garante a diversidade da matriz energética, a soberania brasileira, a segurança e eficiência energética para o país crescer de forma acelerada, gerando emprego, renda e inclusão social. Investimento: R$ 800 milhões.

Inovação para a indústria da defesa

Os investimentos no eixo permitirão equipar o país com tecnologias de ponta e aumento da capacidade de defesa nacional. Investimento: R$ 4,5 bilhões.

Novo PAC: governador Clécio Luís celebra recursos para a conclusão da BR-156 e mais obras estruturantes para o Amapá

Novo PAC destinou R$ 28,6 bilhões para obras estruturantes no Amapá


Um importante passo para o desenvolvimento do Amapá foi dado nesta sexta-feira, 11, com o anúncio dos investimentos do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC), do Governo Federal. Foram destinados R$ 28,6 bilhões ao Estado, que significam além de obras estruturantes nas áreas de transporte, assistência social, saúde e educação, mais geração de renda, emprego, e sobretudo, dignidade à população.

Esse reconhecimento vem sendo construído desde janeiro deste ano, quando à convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o governador Clécio Luís apresentou uma pauta com três projetos estruturantes do Estado e três propostas de obras públicas de integração regional que beneficiam o Amapá, que somam cerca de R$ 2 bilhões em recursos do PAC. O Estado articula ainda com o Governo Federal, a construção de novo Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (Hcal) e Centro de Convenções Macapá, além da ampliação do Porto de Santana e a elaboração dos estudos para criação da Hidrovia do Marajó, para beneficiar a população da região.

Durante o lançamento do Novo PAC, realizado no Rio de Janeiro, Clécio Luís destacou que esse é o reconhecimento do Governo Federal sobre a importância do Amapá no cenário nacional, como um estado com diversas potencialidades.

“Essa é uma conquista coletiva, construída por todos, como a bancada federal. Estamos aqui unidos no lançamento, com o deputado estadual Jory Oeiras, representando nossa Assembleia Legislativa, os senadores Davi Alcolumbre, Randolfe Rodrigues, e com o ministro Waldez Góes [Integração e Desenvolvimento Regional], celebrando este momento de reconhecimento do Amapá pelo Governo Federal. Mas, não é só em obras que o nosso estado está sendo contemplado pelo Novo PAC. Temos investimentos em setores que vão garantir mais dignidade, e fazer a diferença no bem-estar da nossa população”, enfatizou Clécio Luís.

Os recursos adquiridos serão destinados, inicialmente, para seis projetos prioritários na nova gestão, que irão garantir a pavimentação de estradas como a BR-156, nos trechos Norte e Sul, uma rodovia fundamental para o escoamento de produção agrícola, que leva até o extremo norte do estado, em Oiapoque, onde há a fronteira do Brasil com a Guiana Francesa.

Entre as outras frentes de trabalho estão ainda a construção da ponte sobre o Rio Jari, no Sul do Amapá; e a construção dos Terminais Hidroviários de Macapá, Santana, Mazagão, Oiapoque, Laranjal do Jari e Calçoene.

O vice-governador, Teles Júnior, ressalta que todas essas obras são de grande impacto para o desenvolvimento do Amapá. Mas a conclusão da BR-156, e da ponte sobre o Rio Jari, além de ser um sonho antigo dos amapaenses, será de grande importância para o crescimento do estado.

“A gente fica muito feliz em ver que está dentro do eixo prioritário do Governo Federal a obra da BR-156, que é a espinha dorsal do nosso processo de desenvolvimento. Todas as zonas produtivas, nosso cerrado, a zona florestal na Região Sul, dependem da rodovia para escoamento de produção”, ressaltou.

A construção da ponte sobre o Rio Jari, que ligará o município de Laranjal do Jari, no Sul do estado, ao distrito de Monte Dourado, em Almeirim, no Pará, será a primeira ligação terrestre do Amapá com o restante do Brasil. O que deve representar uma importante porta para escoamento de produtos e mercadorias para outros estados e países.

Rodovia BR 156

Com 83 anos, a Rodovia BR-156 tem a obra inacabada mais antiga do estado, iniciada em 1932. De lá até 1945, foram construídos apenas nove quilômetros de estrada. Os primeiros 100 quilômetros de pavimentação foram realizados entre 1985 e 1990. A estrada se inicia no Rio Jari, extremo Sul, e vai até Oiapoque, no extremo Norte do Amapá.

Ao todo, a estrada tem cerca de 823 quilômetros de extensão. Faltam pouco mais de 100 quilômetros para a ligação entre a capital e o município de Oiapoque, ao norte, possa ser feita com segurança. A pavimentação da rodovia vai atender um anseio da população e mudar a dinâmica econômica do Estado.

Ponte sobre o Rio Jari

Iniciada há 23 anos, a obra da ponte sobre o Rio Jarí receberá investimento de R$ 10 milhões que irá contemplar a fase de projeto executivo. A estrutura que atualmente se resume em enormes pilares instalados no rio, três deles danificados, após a colisão de um barco, terá 406 metros de extensão.

Responsável por ligar o Amapá ao Pará, a execução da obra foi toda da prefeitura de Laranjal do Jari à época. O projeto chegou a receber apoio posterior do Estado, mas em 2019 passou a ser de competência do Governo Federal. Por ter ficado muito tempo parada, a obra passará por um estudo para saber se as estruturas existentes poderão ser aproveitadas.

Todas as obras são de investimento do próprio Governo Federal, com contrapartida do Governo do Amapá. Esta é a terceira edição do PAC, com obras de infraestrutura que promovem a sustentabilidade nos setores da econômica, social e urbana, melhoram a competitividade e geram emprego de qualidade.

Confira a divisão dos primeiros projetos e recursos

  • Pavimentação do trecho Norte da Rodovia BR-156, com investimento R$ 560 milhões;
  • Pavimentação do trecho Sul da Rodovia BR-156, com investimento R$ 1,1 bilhão;
  • Construção da Ponte sobre o Rio Jari. Investimento R$ 10 milhões;
  • Construção do Terminal Hidroviário de Macapá. Investimento R$ 63 milhões;
  • Construção dos Terminais Hidroviários de Mazagão, Oiapoque, Laranjal do Jari e Calçoene. Investimento R$ 40 milhões;
  • Construção do Terminal Hidroviário de Passageiros de Santana – Porte 04. Investimento R$ 25,4 milhões (obra já em andamento).

Festa de São Tiago: Governo garante Centro de Atendimento ao Turista em Mazagão e prepara moradores para receber visitantes

Os investimentos buscam impulsionar o turismo na vila histórica de Mazagão Velho durante os festejos, que seguem até 28 de julho.

Com 246 anos de história, a Festa de São Tiago faz parte do calendário nacional de eventos do Ministério do Turismo e é uma das maiores manifestações culturais do Amapá. Para impulsionar o turismo durante os festejos, que seguem até 28 de julho, o Governo do Estado garante um Centro de Atendimento ao Turista (CAT) na vila histórica de Mazagão Velho e capacita moradores para receber os visitantes.

Ao longo de 13 dias, a festividade mistura as cerimônias religiosas com cavalaria e teatro a céu aberto, encenado pelos próprios residentes da cidade histórica. Confira aqui a programação.

Centro de Atendimento ao Turista

O Governo do Amapá inaugurou uma unidade do CAT em Mazagão Velho. O local tem o objetivo de garantir um acolhimento de qualidade aos visitantes.

Os Centros de Atendimento ao Turista são idealizados como um espaço seguro e ideal para que a população e o turista busquem informações de forma gratuita sobre os roteiros e atrativos turísticos da cidade, como museus, igrejas, restaurantes, teatros entre outros. No local, também é possível adquirir mapas e folhetos da cidade e dos roteiros que ajudam na hora de escolher seu passeio.

O prédio em que funciona o CAT foi cedido pelo Governo do Amapá à Prefeitura de Mazagão. A estrutura foi destinada à Fundação de Cultura e Turismo do município, a partir da festividade deste ano.

Antes de ser entregue, a estrutura foi revitalizada pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf) com investimentos de, aproximadamente, R$ 233 mil, do Governo do Amapá.

Turismo receptivo

Para preparar os profissionais que irão atuar na festividade, a Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e a Secretaria de Estado de Trabalho e Empreendedorismo (Sete), em parceria com o Sebrae, promoveram no sábado, 15, uma oficina de turismo receptivo e atendimento ao turista.

De acordo com a turismóloga, Lara Santos, a oficina teve como foco orientar os empreendedores quanto ao atendimento e na apresentação de suas atividades como forma de atrair o turista.

“A apresentação no atendimento desperta grande interesse na hora de escolher o lugar onde aquele turista vai se hospedar, onde vai comer, onde irá fazer seu passeio ou se alimentar. Tudo conta uma história, o nome do lugar, seu artesanato, um prato típico, que chama e prende a atenção do turista, isso tudo como um bom combo de atendimento fideliza o turista”, explicou Lara.

A empreendedora, Fabiane da Silva, vai atuar pela primeira vez na festividade. Para ela, a oficina é uma oportunidade para divulgar seus produtos, na área de alimentos.

“Aprendi muitas técnicas que quero colocar em prática para atender com muito carinho todos clientes, uma delas foi inserir nosso cantinho nas plataformas digitais de avaliação turística”, disse Fabiane.

Com investimento de R$ 1,2 milhão do Governo do Amapá, Festa de São Tiago inicia neste domingo, 16

Ponto alto da festividade ocorre no dia 25 de julho, com o tradicional Círio em Mazagão Velho


Com incentivos do Governo do Amapá, a programação oficial da Festa de São Tiago inicia neste domingo, 16, no distrito de Mazagão Velho. A festividade, que este ano completa 246 anos, teve repasse de mais de R$ 1,2 milhão oficializado pelo governador Clécio Luís no sábado, 8, para incentivar o turismo, a cultura tradicional e o empreendedorismo criativo na região.

Tradição vinda da África ainda no século 18, a Festa de São Tiago retrata a história de um soldado anônimo que lutou ao lado dos cristãos e garantiu a vitória na Guerra Santa contra os mouros. A festividade mistura as cerimônias religiosas com cavalaria e teatro a céu aberto, encenado pelos próprios residentes da cidade histórica, durante os 13 dias ininterruptos de programação.

Este ano, por meio de articulação do Governo do Estado, o tradicional festejo foi incluído no Calendário Nacional de Ministério do Turismo,  uma ferramenta on-line que reúne os principais eventos de todo o país.

“No mês de julho, a vila de Mazagão Velho se transforma de um lugar habitualmente pacato em um verdadeiro palco para o grande público, que vem conhecer a festa que preparamos com muita dedicação e respeito para quem vem nos visitar e prestigiar”, explica o presidente do Instituto, Alexandre Queiroz.

No domingo,16, a celebração inicia com alvorada festiva e a primeira transladação das imagens de São Tiago e São Jorge para a capela. Em seguida, ocorrem as novenas e cerimônias na igreja de Nossa Senhora da Assunção, além dos arraiais com bingos e leilões no barracão de São Tiago.

O ponto alto da festa ocorre nos dias 24 e 25 de julho, quando são encenados os capítulos das batalhas entre mouros e cristãos, relembrando a África antiga. No dia 25, dia de São Tiago, acontece missa campal e o tradicional Círio pelas ruas de Mazagão Velho pela manhã; à tarde, as encenações teatrais continuam, feitas pelos cavaleiros vestidos a caráter.

Nos dias 27 e 28, as crianças têm uma festa exclusiva, onde repetem os rituais e encenações que os adultos fizeram dois dias antes, garantindo participação e perpetuação da tradição mazaganense. Este ano, pela primeira vez, a Festa de São Tiago das Crianças terá apoio específico do Governo para a realização.

Investimento em cultura e turismo

Para estimular a economia e preservar a história e a memória do povo mazaganense, o Governo do Amapá fez o repasse de R$ 1,2 milhão do tesouro estadual para a Festa de São Tiago e entregou, para o município, a Central de Atendimento ao Turista (CAT).

Além do investimento financeiro, o Estado reforça o apoio com esquema de segurança pública envolvendo a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros; incentivos ao empreendedorismo por meio da Secretaria de Trabalho e Empreendedorismo (Sete), além do  apoio das secretarias de Cultura (Secult) e Turismo (Setur).

Confira a programação completa da Festa de São Tiago 2023

Domingo, 16

  • 4h – Alvorada Festiva;
  • 18h – Primeiro traslado das imagens de São Tiago e São Jorge para a Capela;
  • 19h – Procissão;
  • 20h – Missa;
  • 21h – Arraial das comunidades, grupos folclóricos, igrejas, comerciantes;
  • 23h30 – Baile Dançante.

Segunda-feira, 17

  • 18h30 – Novena;
  • 20h – Arraial do Sebrae;
  • 23h30 – Baile Dançante.

 Terça-feira, 18

  • 19h – Missa;
  • 20h30 – Arraial;
  • 23h30 – Baile Dançante.

Quarta-feira, 19

  • 18h30 – Novena;
  • 20h – Arraial;
  • 23h30 – Baile Dançante.

Quinta-feira, 20

  • 19h – Missa;
  • 20h – Arraial do Instituto Cultural da Festa de São Tiago;
  • 23h30 – Baile Dançante.

Sexta-feira, 21

  • 19h – Missa;
  • 20h30 – Arraial da Assembleia Legislativa;
  • 23h30 – Baile Dançante.

Sábado, 22

  • 18h30 – Novena;
  • 20h – Arraial do Governo do Estado;
  • 23h30 – Baile Dançante.

Domingo, 23

  • 18h30 – Celebração da Palavra;
  • 20h – Arraial da Prefeitura de Mazagão e Câmara de Vereadores;
  • 23h30 – Baile Dançante.

Segunda-feira, 24

  • 4h – Alvorada Festiva;
  • 16h – Entrega dos Presentes;
  • 19h – Missa;
  • 21h30 – Baile de Máscaras.

Terça-feira, 25

  • 7h – Saída do Arauto convidando as figuras para o Círio;
  • 8h – Missa solene em frente à Capela de São Tiago (grupo de Liturgia);
  • 9h – Início do Círio;
  • 11h – Dança do Vominê para convidados e em residências locais;
  • 12h – Passagem do “Bobo Velho”;
  • 15h – Saída do Arauto anunciando o início da batalha, com os seguintes episódios:
    – Descoberta do Atalaia;
    – Morte do Atalaia;
    – Armadilha (Emboscada feita pelos cristãos);
    – Captura e venda das crianças cristãs e partilha do dinheiro;
    – Troca do corpo do Atalaia pela bandeira moura;
    – Batalha entre mouros e cristãos, tomada do estandarte mouro e batalha final;
    – “Vominê” (dança da vitória dos cristãos);
  • 20h – Recírio;
  • 20h30 – Ladainha;
  • 23h30 – Baile Dançante.

Quarta-feira, 26

  • 8h – Salve rainha em louvor a Santa Ana (procissão);
  • 9h – Baile da melhor idade.

Quinta-feira, 27

  • 5h – Alvorada festiva e início da festa de São Tiago das crianças;
  • 16h – Entrega dos Presentes;
  • 19h – Transladação do Santo e a novena;
  • 21h – Baile de Máscaras.

Sexta-feira, 28

  • 8h – Missa e o Círio das Crianças;
  • 11h – Visitas nas residências locais;
  • 12h – Passagem do Bobo Velho;
  • 16h – Batalha das Crianças;
  • 20h – Recírio;
  • 23h30 – Baile Dançante.

Prefeitura de Santana investe em novos equipamentos para Unidades de Saúde Especializadas


A Prefeitura de Santana realiza investimentos na aquisição de equipamentos para fortalecer a infraestrutura das unidades de saúde do município. A proposta é garantir conforto para pacientes e acompanhantes. Na última sexta-feira, 23, o prefeito Sebastião Bala Rocha, acompanhado da secretária municipal de Saúde, Ithiara Madureira, visitou o Patrimônio da Secretaria de Saúde para receber os equipamentos.

Na ocasião, o prefeito Sebastião Bala Rocha, pontuou a importância de promover um atendimento de qualidade para a população: “Estes equipamentos irão qualificar ainda mais o atendimento prestado à população e dar melhores condições de trabalho aos nossos profissionais.”

Ele aproveitou a palavra para agradecer aos deputados e senadores que destinaram emendas parlamentares: “Cabe aqui nosso agradecimento aos deputados Acácio Favacho, Leda Sadala, professora Marcivânia, Janete Capiberibe, João Capiberibe, Vinicius Gurgel, além do senador Randolfe Rodrigues, por sempre darem uma atenção especial para a Saúde do Município, sempre destinando recursos para nos ajudar. E olha só, ainda teve recurso meu, da minha época de parlamentar”, ressaltou.

O investimento gira em torno de R$ 837 mil, e entre os equipamentos que chegaram, estão; articulador odontológico, cadeira de roda pediátrica, cadeira de roda obeso, equipo Cart odontológico, lanterna clínica, microscópio laboratorial, cadeira de rodas adulto, centrifuga laboratorial, contador de células, micropipeta monocanal, micropipeta multicanal, nebulizador portátil, cadeira para massagem, mesa ginecológica elétrica, ultrassom com aplicação transesofágica, ultrassom sem aplicação transesofágica e bebedouro.

“Nosso objetivo é proporcionar qualidade no atendimento à população. Para isso, o município investe na saúde especializada, garantindo um atendimento adequado e mais humanizado”, destacou a secretária de Saúde, Ithiara Madureira.

Comunicação/SEMSA/PMS

Governo do Amapá lança o ‘Arraiá do Povo’ e fomenta a quadra junina com repasse de R$ 2 milhões

Investimento beneficia 75 grupos juninos que se apresentam em todo o estado.

Como investimento na cultura e na economia criativa, o Amapá terá a partir de 2023 o “Arraiá do Povo”, uma festa que reúne quadrilheiros e outras atrações da quadra junina. A festa, que vai durar oito noites, foi lançada pelo Governo do Estado na noite desta sexta-feira, 2, com o maior repasse já feito em fomento para os grupos juninos amapaenses, no valor de R$ 2 milhões.

O lançamento ocorreu com uma celebração em frente à Casa do Artesão, com apresentações de grupos tradicionais e estilizados, de forró, e contou ainda com praça de alimentação comercializando pratos tradicionais da época e feira de artesanato.

O governador Clécio Luís, que foi autor da lei que criou o Dia Municipal do Quadrilheiro Junino, celebrado em 27 de junho, quando era vereador de Macapá, em 2012, celebrou a oportunidade de fazer o repasse.

“É um fomento que é distribuído entre 75 quadrilhas juninas do Amapá inteiro. Quem vive e toca a quadra junina é, especialmente, a nossa juventude e isso significa inclusão social através do lúdico. Trata-se de uma economia criativa que envolve a juventude e cujo recurso vai parar na costureira, no estilista, na pessoa que puxa a quadrilha, no transporte. Além da alegria, do resgate e da tradição, gera renda”, disse Clécio.

Os recursos repassados são frutos de emendas articuladas pelos senadores Davi Alcolumbre e Randolfe Rodrigues, e têm contrapartida do Estado.

“Agora, quando o Amapá completa 80 anos, é importante celebrar nossa mistura com traço multicultural, presente também nas celebrações juninas. O Governo do Amapá está de parabéns por fazer a melhor quadra junina dos últimos anos”, falou o senador Randolfe Rodrigues.

O Arraiá do Povo é organizado pelo Governo, em parceria com a Liga Junina de Macapá (Ligajum), a Federação das Entidades Juninas e Folclóricas do Amapá (Fejufap), e o Instituto Sociocultural Junino Arraiá no Meio do Mundo (ISCJAMM).

“Nós abrangemos 54 entidades juninas em todo o estado. As entidades estão lutando unidas esse ano em prol da quadra junina do Amapá, dos quadrilheiros e do grupo. As articulações tornam esse o maior repasse dos últimos anos. A quadra junina agradece e esse ano o espetáculo está sendo preparado com ainda mais dedicação”, comentou o presidente do ISCJAMM, Urielson Duarte.

Economia criativa
Mais do que uma tradição, as festas juninas movimentam toda uma cadeia econômica, gerando empregos diretos e indiretos em todo o Brasil. A festa no Amapá terá participação de 75 grupos quadrilheiros e inicia na segunda quinzena de junho.

“Estamos iniciando nossa quadra junina. Dessa vez o investimento vai diretamente para o quadrilheiro. Os grupos juninos de todos os municípios do Amapá receberão recursos para se preparar para a grande festa, que conta com apresentações nos próprios municípios e também na nossa Cidade Junina do Arraiá do Povo”, afirmou a secretária de Cultura, Clícia Di Micelli.

O valor, repassado aos quadrilheiros, será utilizado para custear as estruturas dos eventos juninos na capital e no interior, além de financiar as roupas, costureiros, maquiadores, motoristas e tudo o que envolve as apresentações dos grupos.

“Os municípios recebem investimento dentro dos seus forrozões, assim como as competições das entidades dentro da Cidade Junina que terá arquibancada liberada para o público. É esse compromisso que, cumprido, valoriza e dá apoio à quadra junina. Todo esse investimento retorna como benefício, porque fomenta a economia local”, ressaltou o presidente da Ligajum, Cláudio Vaz.

O investimento chega a grupos como o Explosão do Tempo, de Macapá. A jovem Ingrid Dias, de 18 anos, estreia como miss simpatia da organização em 2023 e conta que, com o recurso repassado, o grupo pode investir melhor nas apresentações.

“Faço parte da quadra junina há 3 anos e faço minha estreia como miss caipira esse ano. Ficamos muito felizes em receber esse investimento, porque podemos custear desde a confecção das nossas roupas até garantir o transporte dos quadrilheiros”, disse a jovem.

Programação
Para realizar o Arraiá do Povo, o Governo vai construir no anfiteatro da Fortaleza de São José, na orla de Macapá, a Cidade Junina. A estrutura será composta por palco, arena de apresentações, praça de alimentação, arquibancadas, espaço para exposição de artesanato, barraca do beijo, cadeia, barraca do correio do amor, pau de sebo, entre outras atrações.

No local, o público poderá assistir gratuitamente a apresentações de 75 grupos folclóricos de 24 de junho a 1º de julho.

FOTOS: confira como foi o lançamento do Arraiá do Povo
https://www.amapa.gov.br/noticia/0306/fotos-confira-como-foi-o-lancamento-do-arraia-do-povo

Lei Paulo Gustavo: Amapá terá mais de R$30 milhões para investimentos no setor cultural

Regulamentação da lei garante a destinação de recursos do Fundo Nacional de Cultura para estados, municípios e Distrito Federal.

O Amapá terá mais de R$30 milhões para investimentos na cultura com os recursos garantidos pela Lei Paulo Gustavo (LPG), regulamentada oficialmente pelo Governo Federal na quinta-feira, 11, com grandes impactos para o setor em todo o Brasil. O dispositivo homenageia o ator e humorista Paulo Gustavo, que faleceu em decorrência da Covid-19, em maio de 2021.

A lei foi criada para apoiar fazedores de cultura, diante das dificuldades causadas pela pandemia do novo coronavírus. Ela prevê o repasse de R$3,8 bilhões para estados, municípios e Distrito Federal investirem em ações culturais. O Governo do Amapá receberá mais de R$ 22,6 milhões, enquanto R$ 7,5 milhões serão distribuídos aos 16 municípios.

A gestora da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), Clícia Vieira Di Miceli, aponta que os recursos representam um novo momento para o setor e que a lei é uma forma de alcançar todos os territórios onde o fazedor de cultura estiver.

“Um dos nossos maiores desafios é fazer com que os benefícios desta lei possam alcançar os agentes culturais, desde as áreas urbanas até as Terras Indígenas, comunidades quilombolas e ribeirinhas, que deverão participar nesse processo por meio de buscas ativas de informação e inclusão. Teremos, agora, muito trabalho pela frente e contamos com a participação dos gestores públicos dos municípios e da sociedade civil, uma vez que uma das etapas obrigatórias são as oitivas com a população”, explica.

Os recursos são do superávit financeiro do Fundo Nacional da Cultura (FNC). Apesar de ter caráter emergencial, a há dispositivos permanentes, como o impedimento da utilização do superávit financeiro do FNC para redução da dívida pública. A LPG também possui ações afirmativas voltadas às mulheres, indígenas, quilombolas, nômades, entre outros. Uma delas é a previsão de 10% a mais do valor original para projetos que incluam ações de acessibilidade para pessoas com deficiência.

Próximos passos

Com a regulamentação da lei, os gestores têm até o final do ano para definir os projetos que receberão a verba. Nos próximos dias, a Secult abrirá um espaço para ouvir a sociedade, no site secult.portal.ap.gov.br. A ideia é garantir que os editais e chamamentos públicos atendam às necessidades dos produtores culturais locais, de acordo com a realidade da região.

O Amapá também se prepara para garantir ações junto às comunidades cultural e civil, como o fortalecimento do Sistema Estadual de Cultura, através dos Conselho, Plano e Fundo estaduais.