MP-AP, Governo do AP e Sebrae preparam 2ª edição do Luau da Samaúma

A 2ª edição do Luau na Samaúma de 2023 será no dia 1º de dezembro, em homenagem à samaumeira símbolo do Ministério Público do Amapá (MP-AP), por seus 80 anos de existência. A reunião para alinhamento aconteceu nesta quarta-feira (22), na sala de reuniões da Procuradoria-Geral de Justiça, com a presença do procurador-geral, Paulo Celso Ramos, da diretora do Serviço de Apoio às Pequenas e Microempresas (Sebrae-AP), Alcilene Cavalcante, assessores e técnicos das duas instituições.

Realizado pelo Ministério Público do Amapá (MP-AP), Sebrae-AP e Governo do Estado (GEA), o evento acontece na Praça da Samaúma e apresenta uma variada programação para incentivar o empreendedorismo e promover entretenimento, com atrações musicais, exposições, comercialização de alimentos, artesanatos, literatura, cortejo artístico e oficina Mini Chefe.

Nesta edição, a exposição de economia criativa e a praça de alimentação serão ampliadas, com mais oportunidades para o empreendedor: serão 19 estandes de alimentação e 20 para economia criativa. A samaúma terá uma iluminação especial, para a celebração de suas oito décadas. As atrações musicais serão divulgadas nos próximos dias.

A segurança também está garantida, com o suporte das unidades policiais, de trânsito e ambiental parceiras. O objetivo dos realizadores é repetir o sucesso da primeira edição, mas ainda muito melhor. Para isso, todos os técnicos e profissionais envolvidos terão mais uma reunião para últimas providências, no próximo dia 28.

Samaúma 80 anos

A samaumeira tornou-se objeto de estudo da disciplina do curso de dendrocronologia que a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa-AP) ofereceu, ministrado pela pós-doutoranda Daniela Granato de Souza, para estudantes de Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado. O resultado da pesquisa mostrou que a árvore tem 80 anos de vida.

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá

Governo do Amapá visita quilombo do Cunani para traçar estratégias de fomento das produções de cacau e açaí

Localizada a 413 quilômetros da capital amapaense, a comunidade se destaca pela qualidade dos frutos

O Governo do Amapá enviou uma comitiva ao quilombo do Cunani, no município de Calçoene, junto com órgãos federais e cooperativas para analisar como é feito, principalmente, o manejo de açaí e cacau na região. A visita da equipe técnica teve como objetivo iniciar um planejamento para encontrar formas de fomentar e potencializar as cadeias produtivas dos frutos na comunidade.

A ida de secretários e técnicos ao quilombo faz parte do pacote prioritário de ações do Governo do Estado, que visa interiorizar a administração estadual para que políticas públicas também alcancem populações distantes da região metropolitana de Macapá.Localizada a 413 quilômetros da capital amapaense, a comunidade do Cunani tem em seu DNA a tradição da agricultura familiar, que se destaca pela alta qualidade da produção de açaí e cacau. A fama faz com que o quilombo tenha uma alta procura pelos frutos todos os anos, mas os moradores entendem que esse potencial pode ser melhorado.

“Nós queremos que os nossos agricultores familiares possam ter acesso a capacitações e linhas de crédito para expandir a produção que temos hoje e poder atender mais e mais mercados. Com a vinda do Governo do Amapá e demais órgão até aqui, acreditamos que podemos tirar essa ideal do papel”, pontuou Rosany Ramos Macedo, moradora do Cunani.Para atender esta demanda da população local, a equipe técnica do Estado visitou toda vila quilombola, durante os dias 16 e 17 de novembro, e foi até as áreas de plantação, que se estendem ao longo das margens do rio Cunani.

Durante o trabalho de campo, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) no Amapá constatou que a alta qualidade dos frutos é resultado de um excelente manejo tanto do açaí quanto do cacau.

“Me impressionei, o sistema de cultivo de açaí e cacau que existe aqui é o melhor que já vi no Amapá e na Amazônia. Os produtores fizeram um arranjo impressionante dos dois frutos nas áreas de plantação, com uma densidade perfeita que proporciona um grande vigor das produções”, destacou Antonio Claudio Almeida de Carvalho, chefe-geral da Embrapa Amapá.Após a verificação do processo de cultivo realizado no Cunani, a comitiva se reuniu com os moradores para apresentar soluções que podem ser implementadas na região para fortalecer as cadeias produtivas do açaí e cacau. Uma das propostas sugeridas foi a inserção do programa Amapá Cacau, coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural (SDR), na comunidade.

“Para ser comercializado no mercado nacional e internacional, o cacau precisa de uma série de intervenções técnicas nos processos de colheita, fermentação, secagem e armazenamento e, por meio, do programa Amapá Cacau podemos fornecer essa capacitação aos produtores aqui da região, que vão poder ter um melhor aproveitamento do fruto nativo que existe em grande quantidade”, explicou Luiz Cabral, coordenador do programa Amapá Cacau.De acordo com a Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec), que coordenou toda missão no Cunani, após a etapa de apresentação de propostas e diálogo com a comunidade, o trabalho deve continuar para promover o fortalecimento das atividades produtivas desenvolvidas no quilombo.

“A partir da apresentação das propostas de fomento e fortalecimento das cadeias produtivas do açaí e cacau, o próximo passo é monitorar o que foi planejado para que tudo seja executado, beneficiando social e economicamente não só a comunidade quilombola, mas também toda sociedade amapaense”, disse Edivan Andrade, secretário da Setec.Para a Associação de Moradores do Cunani, a iniciativa do Governo do Estado e demais órgãos em levar todo um grupo de profissionais e gestores para dentro da comunidade foi muito positiva e importante para o desenvolvimento da agricultura familiar na região.

“Essa visita é um divisor de águas, pois vai nos ajudar muito a agregar valores ao nosso açaí, ao nosso cacau, e proporcionar melhor qualidade de vida aos quilombolas, ribeirinhos e pessoas que moram no entorno do quilombo”, ressaltou Meire Ramos, presidente da Associação de Moradores do Cunani.

Comitiva

Além da Setec, SDR e Embrapa, participaram da missão Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amap (Iepa), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amapá (Fapeap), Instituto de Extensão, Assistência e Desenvolvimento Rural do Amapá (Rurap), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Fundação Marabaixo, Prefeitura de Calçoene, Câmara de Vereadores de Calçoene, Universidade Federal do Amapá (Unifap), Cunani Cacau, Amazonly e Amazonbai.

Missão Amapá-Itália ganha destaque em veículos de comunicação italianos

Agenzia ANSA e Correire Adriatico noticiam a importância do Acordo de Cooperação para a criação de novos mercados e intercâmbio entre a Região de Marche e o Amapá

O presidente do Sebrae no Amapá, Josiel Alcolumbre, a superintendente do Sebrae, Alcilene Cavalcante; o vice-governador do Estado, Antônio Teles Júnior; o deputado federal Dorinaldo Malafaia, representante oficial do parlamento brasileiro; e a diretora de operações do Senai, Alyne Vieira, lideraram a Missão Amapá-Itália, no período de 3 a 11 de novembro, e assinaram um Acordo de Cooperação de cinco anos com a Região de Marche.

A delegação, coordenada pelo Sebrae e composta por representantes do Governo do Estado do Amapá (GEA), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e do parlamento brasileiro, foi recebida na Região de Marche, pelo presidente Francesco Acquaroli, que oficializou a parceria com o Centro Tecnológico para o setor de Madeira e Móveis (Cosmob), que concederá ao Sebrae meios para a transferência tecnológica e capacitação das empresas amapaenses, fornecerá serviços tecnológicos nas áreas de qualidade, inovação, design, melhoria do processo produtivo e das competências técnicas e profissionais.

O presidente da Região de Marche, Francesco Acquaroli, qualificou o Acordo de Cooperação como um meio de promover desenvolvimento econômico das duas regiões.

“Estamos contentes por ter feito o acordo, pois conhecemos uma realidade similar que pode abrir um mercado para as nossas empresas, mas principalmente, queremos crescer uma economia baseada no intercâmbio, no crescimento, desenvolvimento e na sustentabilidade. No âmbito comercial, nós queremos garantir acesso para que as empresas possam se conhecer e entender quais estratégias devem estudar e aplicar”, relatou o presidente Francesco Acquaroli.

O Conselheiro de Desenvolvimento Econômico na Itália, Andréa Maria Antonini, em declaração para a Agenzia ANSA, ressaltou a satisfação da cooperação e das diversas possibilidades de negócio com o estado do Amapá.

“Estou muito satisfeito por assinar este acordo, pois significa criar condições para a abertura de novos mercados, trocando experiências com o nosso tecido produtivo e educativo e, portanto, desenvolvendo relações culturais e comerciais através de intituições de alta competência com o Cosmob, Câmara de Comércio de Marche, e a Universidade. Nosso sistema produtivo é conhecido mundialmente pela grande qualidade que consegue expressar, seja no mobiliário, no Design, na manufatura, na mecânica, na área da moda com os grandes nomes do cenário mundial ou na alimentação e excelência em vinhos. Com este acordo será possível chegar a muitos outros, será possível dialogar sobre estratégias precisas de formação, inovação e investigação com o benefício mútuo dos dois sistemas produtivos”, declarou oconselheiro, Andrea Maria Antonini.

Sebrae

O Sebrae e outras entidades como universidades, institutos tecnológicos e os governos formarão uma rede de parceiros na Itália e no Brasil para ajudar a desenvolver as cadeias produtivas e as micro e pequenas empresas, que a princípio serão as do setor de madeira-móveis e posteriormente, do setor de alimentos.

Além do Acordo de Cooperação, outros desdobramentos foram articulados com a Embaixada do Brasil na Itália, que irá impulsionar o estado do Amapá e seus produtos no cenário internacional em eventos institucionais estratégicos como a Noite do Chocolate Brasileiro, a mostra Casa Brasil, a arte indígena na Bienal de Veneza, uma mostra gastronômica e principalmente, uma mostra de produtos amapaenses que valorizem a biodiversidade, a sustentabilidade, a cultura e a história do estado do Amapá.

Sebrae no Amapá/Unidade de Marketing e Comunicação

Exposição ‘Sankofa – Amapá 80 anos’ celebra herança e cultura afro do Amapá no 28º Encontro dos Tambores

Exposição segue até o próximo domingo, 26, como uma das principais atrações do evento, em Macapá

Histórias de personalidades, legados, tradição e cultura, são alguns dos elementos que estão na exposição: “Sankofa – Amapá 80 anos” uma das atrações do 28º Encontro dos Tambores, promovido pelo Governo do Estado e parceiros, para celebrar a diversidade cultural afro-amapaense, em 10 dias de evento no Centro de Cultura Negra do Amapá Raimunda Ramos, no bairro do Laguinho, em Macapá.

O legado e a ancestralidade dos pioneiros que deixaram marcas na história das comunidades tradicionais estão expostos em 40 imagens, de 10 artistas, e podem ser apreciadas durante todas as noites. Quem visita o local, tem a oportunidade de conhecer um pouco das contribuições artísticas e culturais deixadas pelos que trilharam a história de lutas pelo Amapá.Como Raimundinha Ramos, um ícone do movimento negro, descendente dos primeiros que habitaram o estado. Funcionária pública federal, atuou em lutas nacionais contra o preconceito, o racismo e a intolerância religiosa.

Outra personalidade, nascida em Macapá e criada no Quilombo do Curiaú, que completou 107 anos em 2023, Josefa Lina da Silva, a “tia Zefa”, tem um pouco de sua trajetória apresentada na exposição. Considerada um dos maiores símbolos de resistência da cultura do batuque e do marabaixo, dentro do Amapá, é referência como cantadeira e mulher de personalidade forte do Laguinho.

O “Doutor da Floresta”, Raimundo dos Santos Souza, o ” Mestre Sacaca”, considerado um dos maiores amapaenses de todos os tempos, com talento e história reconhecidos internacionalmente, faz parte dos homenageados. O mestre da cultura e das plantas medicinais, tem contribuição inestimável para a região amazônica.O casal de militares do corpo de bombeiros, Kilsiane Rocha, de 37 anos e Irridenio Souza, de 41, vieram com o filho, o pequeno Benício Castro, de apenas 4 anos, prestigiar a segunda noite do Encontro dos Tambores. Eles moram no bairro do Laguinho e aproveitaram para dar uma parada na exposição Sankofa e conferir um pouco da história da tradição amapaense.

“Essa é uma forma de apresentar um pouco da história amapaense e da minha própria história, para o meu filho. Eu tive a oportunidade de ver meu avô preparar as famosas garrafadas que foram a salvação da saúde de muita gente. Para mim, é uma honra ver um pouco da trajetória dele contada aqui”, finalizou Irridenio Souza.A exposição é coordenada pela Fundação Estadual de Políticas de Igualdade Racial (Fundação Marabaixo) e pelas Secretarias de Estado da Cultura (Secult), do Turismo (Setur) e dos Povos Indígenas (Sepi).

A diretora-presidente da Fundação Marabaixo, Josilana Santos, explicou que essa é uma forma de reforçar e manter viva a memória dos pioneiros que foram tão fundamentais para a construção da nossa identidade cultural.

“Isso aqui é a reunião de muitas histórias de pessoas que contribuíram para a permanência dessas comunidades tradicionais. Aqui a gente revisita a nossa história e apresenta um pouco dela para a sociedade amapaense”, enfatizou a secretária.No espaço da exposição há também imagens religiosas de Santos das comunidades ribeirinhas, quilombolas e tradicionais do Amapá e também tambores originais usados em festejos de batuque e marabaixo.

O estudante do segundo ano do ensino médio da rede estadual de ensino, Caio Azevedo, de 17 anos, morador do bairro Morada das Palmeiras, esteve presente no evento e falou que os retratos históricos, chamaram a atenção.

“O que mais me chamou a atenção foram as imagens dos santos e a história das religiões de matriz africana. É muito importante ter as histórias expostas para as pessoas lerem e conhecerem as histórias da cultura negra, pois são incríveis. O tema das religiões africanas foi a primeira coisa que olhei, li e amei, pois acho fundamental conhecer mais sobre o tema”, disse o estudante.

Sankofa

Sankofa é um termo da língua akan, de Gana, que significa “voltar e pegar” ou “voltar e buscar”. É simbolizado por um pássaro olhando para trás enquanto segura um ovo com o bico, representando a ideia de que para seguir em frente, é necessário compreender e resgatar elementos importantes do passado. É um símbolo africano que enfatiza a importância do aprendizado com a história para avançar em conhecimento e sabedoria.

“Nosso modelo de negócio e base econômica é similar à italiana que privilegia os pequenos negócios. Teremos um avanço significativo no mercado internacional”, destaca o presidente Josiel Alcolumbre, sobre Missão Amapá-Itália

O principal encaminhamento das agendas na Missão Amapá-Itália foi a assinatura do Acordo de Cooperação com a Região de Marche, com o objetivo de trabalhar com o Centro Tecnológico para o setor de Madeira e Móveis (Cosmob), para a transferência tecnológica e capacitação das empresas amapaenses


O presidente do Conselho, Josiel Alcolumbre e a superintendente do Sebrae, Alcilene Cavalcante; o vice-governador do Estado, Antônio Teles Júnior; o deputado federal Dorinaldo Malafaia, que representou oficialmente o parlamento brasileiro; a diretora de operações do Senai, Alyne Vieira; e o secretário de estado de Relações Internacionais e Comércio Exterior, Lucas Abrahão, lideraram a missão que percorreu as principais regiões produtivas e de negócios formadas por micro e pequenas empresas na Itália, no período de 3 a 11 de novembro.

De acordo com o presidente Josiel Alcolumbre, o Sebrae, Senai e o Governo do Estado, desenvolverão cadeias produtivas prioritárias para que os produtos possam entrar no mercado internacional. “Agora entraremos numa etapa de planejamento e atendimento as empresas, fazendo consultoria em design de inovação de produto, processo, transferência de tecnologia com as pequenas indústrias e pequenas empresas da Itália, e também com os institutos tecnológicos de lá”, disse o presidente do Sebrae, Josiel Alcolumbre.

Negócios

Segundo ele, o modelo de negócio e a base econômica amapaense é similar à base econômica italiana que privilegia os pequenos negócios; e que o trabalho é pela industrialização, pelo Amapá que vai desenvolver negócios e fazer negócios com outros estados e outros países, respeitando a biodiversidade, cuidando do meio ambiente, mostrando a cultura, a educação e a inventividade do amapaense.

“Na cadeia produtiva da madeira, queremos incentivar os pequenos negócios a produzir partes, peças e componentes de alto valor agregado para compor os móveis italianos, referência mundial de qualidade, a partir da madeira certificada e com informação de design para que não tenhamos mais que mandar nossa madeira bruta para outros países que a beneficiam e comercializam por até cem vezes mais que o valor original. Queremos que o amapaense consiga fazer esses negócios, aprenda a aplicar design, criatividade e acabamento. É essa a relação que teremos com a academia italiana”, declara o presidente Josiel Alcolumbre.

Acordo

A partir da assinatura do Acordo de Cooperação com a Região de Marche, a parceria com o Centro Tecnológico para o setor de Madeira e Móveis (Cosmob) permitirá ao Sebrae promover a transferência tecnológica e capacitação das empresas amapaenses, fornecendo serviços tecnológicos nas áreas de qualidade, inovação, design, melhoria do processo produtivo e das competências técnicas e profissionais. A expectativa é viabilizar uma exposição de produtos no Salão do Móvel de Milão em abril de 2024 e já demonstrar para o mercado internacional todo o potencial e oportunidades de negócios das empresas amapaenses.

Outros desdobramentos da missão foram articulados com a Embaixada do Brasil na Itália que irá impulsionar o estado do Amapá e seus produtos no cenário internacional em eventos institucionais estratégicos como a Noite do Chocolate Brasileiro, a mostra Casa Brasil, a arte indígena na mostra de Veneza, uma mostra gastronômica e principalmente, uma mostra de produtos amapaenses que valorizem a biodiversidade, a sustentabilidade, a cultura e a história do estado do Amapá.

O Sebrae e outras entidades como universidades, institutos tecnológicos e os governos formarão uma rede de parceiros na Itália e no Brasil para ajudar a desenvolver as cadeias produtivas e as micro e pequenas empresas que a princípio serão as do setor de madeira-móveis e posteriormente, a de alimentos.

Conselho

O presidente Josiel Alcolumbre destaca os membros representantes das 15 entidades que compõem o Conselho do Sebrae, que confiaram na Missão Amapá-Itália e que farão com que o estado tenha um avanço significativo no mercado internacional, junto com o governo e com a bancada federal.

“Os componentes do Conselho do Sebrae nos delegaram a missão de buscar alternativas de crescimento, conhecimento, inovação e tecnologia. Teremos a oportunidade de mostrar para a Europa e para o mundo, em abril do ano que vem, móveis feitos com resíduo de madeira e de reflorestamento, agregados com Design, qualidade e acabamento. Foi isso que fomos buscar na Itália, na Região de Marche, no Centro Tecnológico Cosmob, na academia italiana, na Universidade Católica de Milão e na Embaixada do Brasil. Agradecemos a recepção, pois acompanharam essa missão junto com o Itamaraty para realizar as ações que convenhamos seja com a academia ou com o governo regional de Marche”, finaliza o presidente Josiel Alcolumbre.

Sebrae no Amapá/Unidade de Marketing e Comunicação

Governo do Amapá firma parceria na Itália para fortalecer o setor madeireiro sustentável no estado

O estado busca inspiração no modelo de sucesso de Marche, na Itália, que se tornou referência mundial em manufatura de móveis

Para fortalecer o setor madeireiro sustentável no estado, o Governo do Amapá assinou nesta quinta-feira, 9, um acordo de cooperação técnica e comercial com o Governo da Região de Marche, na cidade de Ancona, na Itália. O objetivo é impulsionar o desenvolvimento das cadeias produtivas, com destaque para o segmento de móveis de madeira.

O Amapá, conhecido por sua diversidade natural, busca novos caminhos para sua economia, desta vez, concentrando esforços na expansão da indústria de móveis de madeira. Essa união não quer apenas impulsionar a produção local, mas também gerar empregos e promover o desenvolvimento social.Durante a ratificação do acordo, o vice-governador Teles Júnior destacou que a iniciativa, que engloba também o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa (Sebrae) e o Serviço Nacional da Indústria (Senai) do Amapá, faz parte da política do Governo do Estado que busca o desenvolvimento econômico aliado à preservação ambiental.

“Essa é uma estratégia que tem condições de gerar muitas oportunidades para a nossa população e o Governo do Amapá aposta no desenvolvimento econômico como a principal ferramenta de promoção de bem estar social. Fizemos um pacto de acelerar essa agenda para que possa se traduzir em resultados até a próxima COP, onde já possamos apresentar uma política pública sustentável capaz de preservar o meio ambiente e ao mesmo tempo que gere emprego e renda para quem reside na Amazônia”, explicou o vice-governadorA colaboração dessas instituições vai proporcionar o suporte técnico essencial para o fortalecimento do setor produtivo. Marche, conhecido por abrigar a maior quantidade de indústrias móveis na Itália, é um ponto estratégico para essa conexão com o potencial das empresas do Amapá.

O presidente do Sebrae no Amapá, Josiel Alcolumbre reforçou que através deste acordo de relação comercial com a Itália será possível a transferência de tecnologia, inovação e conhecimento que vão possibilitar que os produtos feitos no Amapá, sejam conhecidos no mundo inteiro.

“Isso nos dá oportunidade de mostrar para os europeus e para o mundo inteiro, os produtos fabricados no estado. É mais uma alternativa de desenvolvimento para o Amapá, respeitando as nossas florestas e a nossa biodiversidade”, destacou Alcolumbre.

A comitiva amapaense, que também contou com a superintendente do Sebrae, Alcilene Cavalcante, a diretora do Senai, Alyne Vieira e com o deputado federal Dorinaldo Malafaia, foi recebida, na sede do Governo de Marche, pelo governador da região, Francesco Acquaroli.

Caminho em desenvolvimento

Ao longo de 2023, o Governo do Amapá intensificou os esforços para ampliar a oferta de madeira certificada, que não agride o meio ambiente, marcando avanços em sustentabilidade, como as autorizações para o maior projeto de manejo florestal comunitário do país entregues para Associação dos Trabalhadores do Assentamento Agroextrativista do Maracá (Atexma).

Economia sustentável

Ao estabelecer essa colaboração, o governo amapaense sela a cooperação internacional para o desenvolvimento dos arranjos produtivos locais, buscando inspiração no modelo de sucesso de Marche, na Itália, que se tornou referência mundial em manufatura de móveis.

O Amapá pretende aprender e aplicar as melhores práticas para impulsionar o setor. O Acordo contará com o suporte técnico do Centro Tecnológico para o Setor de Madeira e Móveis (Cosmob), referência no segmento em toda a União Europeia.

A cooperação não apenas abre portas para a troca de conhecimento, mas também fortalece laços globais, contribuindo para um desenvolvimento econômico mais sólido e sustentável. Com o investimento em parcerias estratégicas, o estado busca construir bases sólidas e inovadoras que tragam avanços e crescimento para toda a sociedade.

Sebrae apresenta 11 finalistas do Programa Acelera Startup 2023, nesta quarta (8)

Evento conta com a apresentação de startups com ideias de negócios inovadores e sustentáveis, investidores e especialistas do mercado empresarial


O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae) promove evento intitulado Demo Day (Dia de Demonstração), com o objetivo de apresentar os resultados das 11 soluções de negócios que mais se destacaram durante o Programa Acelera Startup 2023. O evento ocorre na sede da instituição, no Salão de Eventos Macapá, nesta quarta-feira (8), das 17h30 às 21h.  As inscrições são gratuitas e limitadas.

Para a gestora do Programa Acelera Startup do Sebrae no Amapá, Josseli Pantoja, o Demo Day qualifica uma oportunidade única para as equipes, pois proporciona conexão com o mercado e com potenciais investidores convidados.

“O Acelera Startup é um programa que iniciou com 113 equipes e terminou com 29 projetos pré-acelerados. Desta forma, dos 29 da etapa de Ideação, 11 negócios atingiram o requisito de 70% de participação em mentorias, desenvolveram soluções transformadoras e viáveis e foram selecionadas para a programação de encerramento para concorreram aos prêmios. Nós acreditamos que esses modelos de negócios farão a diferença no Amapá e torcemos para que façam a diferença em outros estados, que cresçam, exportem e sejam reconhecidos como ideias desenvolvidas no Norte do Brasil”, destaca a gestora Josseli Pantoja.

Premiação

As premiações do Demo Day 2023, concedem ao primeiro lugar, a participação de um (1) representante da startup na Missão Startup Summit 2024 + um ingresso para o Fórum do Conhecimento; ao segundo lugar, a participação de um representante da startup na Missão Amazônia Summit 2024 + um ingresso para o Fórum do Conhecimento; e ao terceiro lugar, uma consultoria Sebraetec + um ingresso para o Fórum do Conhecimento.

Público

Podem se inscrever empresários, empreendedores, estudantes, professores e demais interessados em conhecer sobre empreendedorismo inovador e soluções tecnológicas. Na programação do evento Demo Day – Acelera Startup Amapá, estão previstos a apresentação de 11 startups destaques, painel com a banca de jurados, investidores convidados, palestras e painéis com diversos temas, como gestão de comunidades de inovação, o cenário das startups de bioeconomia, investimentos e tecnologia.

Convidados

O Demo Day também terá participantes convidados, e neste ano, contará com a presença de Gabriel Fernando, analista em Cultura de Inovação da empresa LATAM, Comunidades da Natura&Co e Felipe Lopes, Head de Portfólio na Bossa Invest.

Programa

O Programa Acelera Startup, tem como principal intenção, fazer com que os empreendedores avancem etapas, se fortaleçam e evitem cometer erros que podem ser cruciais às empresas. Um programa liderado pelo Sebrae Amapá com a parceria do ecossistema de inovação local e nacional, por meio de networking, workshops e mentorias com instrutores reconhecidos em todo o país.

Os participantes são contemplados com mais de 35 horas de treinamentos online e presenciais, com referências em inovação e empreendedorismo; acesso à uma plataforma de mais de 500 mentores em todo o país; desafios práticos para tirar uma ideia do papel e transformá-la em negócios; e oportunidades de apresentar soluções para decisores do mercado de inovação.

Coordenação

O Programa Acelera Startup Amapá é coordenado pelo gerente da Unidade de Soluções Inovadoras e Competitivas do Sebrae no Amapá (Unic), Bruno Castro e pela gestora Programa Acelera Startup do Sebrae no Amapá, Josseli Pantoja.

Sebrae no Amapá/Unidade de Marketing e Comunicação

‘Chocolate com cumaru traz notas florais e picantes, eu adorei’, diz especialista francesa ao experimentar produto amapaense, em Paris

Produção amapaense foi destaque em análise sensorial promovida pela Embaixada do Brasil na França.

Uma das maiores especialistas em chocolate da França, a jornalista e escritora Valentine Tibère, ficou encantada com as notas de sabor apresentadas pelas empresas amapaenses Chocolates Cassiporé e Cunani Cacau em uma análise sensorial promovida pela Embaixada do Brasil no país europeu.

Valentine, que é autora de livros como ‘101 Chocolats a Découvrir’, apreciou as notas de sabor variadas dos chocolates amapaenses, como frutado, amadeirado e a mistura de cacau com cumaru, fruto conhecido como a ‘baunilha amazônica’.

“É sutil, é uma pura maravilha, eu me apaixonei! Adorei o chocolate, sua textura é muito fina, suave, os aromas são delicados e o chocolate com cumaru traz notas florais e picantes. É realmente um grande prazer!”, pontuou Valentine sobre o produto fabricado pela Chocolates Cassiporé.

O evento trouxe os destaques brasileiros no Salon du Chocolat, que reuniu produtores de cacau, fabricantes de chocolates e apreciadores do produto de vários países de 26 de outubro a 2 de novembro, no Paris Expo Porte Versailles, na capital francesa.

A análise sensorial detalhada dos produtos avaliou se atendiam aos requisitos essenciais de um chocolate de qualidade superior. As características avaliadas incluíram brilho, granulometria, dureza e notas de sabor variadas, como frutado, amadeirado e floral.

O evento reforçou a capacidade do Amapá em produzir chocolates que possam competir em igualdade com os melhores do mundo, conquistando os paladares mais exigentes.

As empresas participantes foram selecionadas pela Secretaria de Estado de Relações Internacionais e Comércio Exterior em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) e a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicap), com o apoio do senador Randolfe Rodrigues, que articulou a destinação de emendas para custeio das passagens e hospedagens.

“Foi mais uma oportunidade de mostrar aquilo que os povos da floresta podem produzir. Foram dias de muito aprendizado e compartilhamento de experiências, em que nossos empreendedores puderam aprender mais e mostrar ao mundo o potencial do Amapá nesse segmento”, avaliou o secretário.

Sabores tucujus

O chocolate apresentado pela Cunani Cacau chamou a atenção, com 70% de cacau, notas novas e sabor diferenciado. O produto demonstrado pela Chocolates Cassiporé, que apresentou em sua composição 60% de cacau, foi destaque pelo gosto suave devido à mistura com o fruto cumaru, conhecido como a ‘baunilha amazônica’.

Para o chocolatier Danrlei Nogueira, da Chocolates Cassiporé, o momento representa a chance de expandir e tornar o chocolate amapaense mundialmente conhecido.

“Com essa avaliação, tivemos a segurança de que nosso objetivo, que era levar o Chocolate Cassiporé para o mundo, está sendo alcançado”, ressaltou Danrley.

Salon do Chocolat

Durante sete dias, os empreendedores tiveram acesso a exposições, degustações e puderam compartilhar experiências com especialistas do mundo todo. A partir da participação, a expectativa é aumentar as oportunidades de exportação para as empresas amapaenses.

Para a empreendedora Kátia Sarmento, proprietária da empresa Cunani Cacau, a seleção dos chocolates para a análise sensorial reforça a qualidade e a inovação dos produtos regionais, abrindo portas para uma presença potencial marcante no cenário internacional.

“O evento mostrou a capacidade do Amapá em produzir chocolates que possam competir em igualdade com os melhores do mundo, conquistando os paladares mais exigentes. Tivemos a chance de comercializar nossos produtos e conseguimos vender tudo o que levamos”, pontuou Kátia.

Produção artesanal

Tanto a Chocolates Cassiporé quanto a Cunani Cacau realizam todos os processos de produção no estado, desde o cultivo do cacau até o beneficiamento, gerando empregos e promovendo o desenvolvimento sustentável da região.

‘É uma honra estar aqui’, celebra empreendedora amapaense no Salon du Chocolat, em Paris

Kátia Barbosa produz chocolates artesanais desde 2020. Pela primeira vez, estado tem representantes na maior feira internacional de chocolate do mundo.

A empreendedora Kátia Sarmento, proprietária da empresa Cunani Cacau, celebra a oportunidade de apresentar uma produção genuinamente amapaense na maior feira internacional de chocolates do mundo, o Salon du Chocolat, no Paris Expo Porte Versailles, na França. 

O evento segue até quinta-feira, 2, reunindo produtores de cacau, fabricantes de chocolates e apreciadores do produto de vários países.

“É fantástico. Isso aqui é um mundo, a gente encontra marcas renomadas, maravilhosas, super posicionadas no mercado. Para a gente, do Amapá, é uma honra e uma alegria imensa estar aqui”, conta Kátia, que produz chocolate artesanal desde 2020.

Além da Cunani Cacau, a empresa amapaense Chocolates Cassiporé está presente no evento europeu. Os empreendimentos contam com o apoio do Governo do Estado, a partir da iniciativa “Selo Amapá”, uma certificação que atesta que o produto foi elaborado com matéria-prima local, respeitando os padrões de controle de qualidade, leis ambientais e trabalhistas

Durante sete dias, os empreendedores têm acesso a exposições, degustações e podem compartilhar experiências com especialistas do mundo todo. A partir da participação, a expectativa é aumentar as oportunidades de exportação para as empresas amapaenses.

A Secretaria de Estado de Relações Internacionais e Comércio Exterior selecionou as empresas em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) e a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicap), com o apoio do senador Randolfe Rodrigues, que articulou a destinação de emendas para custeio das passagens e hospedagens.

O secretário de Relações Internacionais, Lucas Abrahao, comentou sobre a oportunidade de apresentar os chocolates amapaenses para o mercado externo.

São duas empresas amapaenses mostrando para o mundo aquilo que os povos da floresta podem produzir. Essa é uma, dentre várias ações de promoção internacional do estado, com foco na atração de investimentos, geração de emprego e renda, gerando riqueza para o nosso estado”, avaliou o secretário.

O chocolatier Danrlei Nogueira, da Chocolates Cassiporé, relatou que essa expansão da visibilidade do produto local amplia as oportunidades de oferta de empregos para quem vive na região.

“A gente emprega e vai empregar muita gente, principalmente na comunidade onde a gente faz o processo de colheita, fermentação e secagem. Assim a gente ajuda várias pessoas que trabalham com a gente, aproximadamente 70 famílias ribeirinhas e aqui estamos vivendo dias cheios de emoção”, pontuou Nogueira.

Produção artesanal

Tanto a Chocolates Cassiporé quanto a Cunani Cacau realizam todos os processos de produção no estado, desde o cultivo do cacau até o beneficiamento, gerando empregos e promovendo o desenvolvimento sustentável da região. Esta conquista no Salon du Chocolat em Paris promete abrir portas para mais empresas amapaenses exporem seus produtos para o mundo, fortalecendo a economia local e dando destaque ao Amapá no cenário internacional.

Parcerias

A Apex Brasil, que atua em diversas formas para promover a competitividade das empresas brasileiras em seus processos de internacionalização, em colaboração com a Abicap, vai fornecer o suporte financeiro necessário para a participação das empresas no evento, incluindo os custos de feira e exposição.

Com parceria do Governo do Amapá e Sebrae, Luau da Samaúma volta a reunir música, artesanato e gastronomia em Macapá

Programação gratuita foi marcada por empreendedorismo e apresentações musicais que evidenciam o estado.


Evento que reúne música boa, artesanato e gastronomia, o Luau da Samaúma voltou a ser realizado em Macapá, na noite desta sexta-feira, 27, em mais uma edição de sucesso. A retomada só foi possível por meio de uma parceria entre o Governo do Amapá, o Ministério Público do Amapá e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae).

Uma das principais atrações foi o show da formação original do Movimento Costa Norte, composto pelos músicos Amadeu Cavalcante, Zé Miguel, Osmar Júnior e Val Milhomem. Completaram o line-up o mestre Nonato Leal, a Associação Literária do Estado do Amapá (Alieap), Movimento Poesia da Boca da Noite e As Juremas, a banda musical do Corpo de Bombeiros Militar e o grupo de batuque Raízes do Bolão.

A programação foi suspensa em função da pandemia de Covid-19 e voltou a ser realizada após 3 anos, quando o Governo do Amapá passou a integrar o time da parceria, firmando a cooperação entre as entidades.

O Luau fez parte nesta sexta-feira da Folia Literária Internacional do Amapá, que integra as celebrações do aniversário de 80 anos do Amapá, comemorado com intervenções artísticas, culturais e diversas totalmente gratuitas para a população.

“Tivemos a felicidade e a honra de termos sido chamados pelo Ministério Público para, mais uma vez, fazer essa parceria e trazer o Luau da Samaúma de volta. Esse é luau do retorno e que agrega a nossa Folia Literária, reunindo a música, a poesia, o empreendedorismo, a lua e a samaumeira. Essa é a ocupação dos espaços urbanos que trazem geração de emprego, renda, aguçando a nossa sensibilidade, fazendo a gente amar ainda mais o nosso lugar”, celebrou o governador Clécio Luís.

Esta já é a quarta temporada do evento. A próxima edição será no dia 1º de dezembro, em homenagem aos 80 anos da samaumeira que é o símbolo do evento e que é imponente na praça em frente à Procuradoria-Geral do MP-AP.

“Nós estamos super felizes com a presença de todos vocês. Esse evento foi pensado com todo amor e carinho. Para nós é um momento de muito orgulho e satisfação poder trazer de volta este evento neste momento. Estamos ansiosos para celebrar os 80 anos desta samaúma em mais um grande evento”, comentou o procurador-geral do MP-AP, Paulo Celso Ramos.

Oportunidade de alcançar novos públicos e movimentar economicamente os negócios, o luau também contou com uma praça de alimentação e artesanato que demonstrou a variedade de empreendimentos amapaenses.

“Aqui os nossos empreendedores estão gerando renda estimulando a economia criativa. A gente, como amapaense, merece eventos lindos como este”, completou a diretora-superintendente do Sebrae Amapá, Alcilene Cavalcante.

Iniciado em 2017 como parte do projeto de ocupação de espaços públicos da Prefeitura da capital, ‘Macapá eu cuido de você’, o Luau na Samaúma passou a integrar o calendário cultural do estado com destaque para apresentações culturais, oficinas e empreendedorismo.

Confira como foi o “Luau na Samaúma – Amapá 80 anos”:

Luau na Samaúma está de volta com duas edições especiais em 2023

O Sebrae realiza no Luau a Exposição de Economia Criativa com 20 empreendedores, instalados ao redor da Samaúma; a Exposição Gastronômica com oito estandes personalizados e três oficinas diárias de mini chefe com 20 participantes por turma


O Luau na Samaúma está de volta após três anos em razão da pandemia de 2020 a 2022. A tradicional festividade que reúne diferentes linguagens artísticas e culturais, terá duas edições neste ano – dia 27 de outubro e 1º de dezembro, das 17h às 23h. O Ministério Público do Amapá (MP-AP), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Governo do Estado do Amapá (GEA), realizadores do evento, preparam uma programação diversificada para todas as idades.

O endereço é conhecido, ao redor da majestosa árvore Samaúma que dá nome à praça da Procuradoria Geral de Justiça. O Luau, idealizado pelo MP-AP, é um evento que busca a aproximação e conexão do órgão ministerial com a população, que é recebida para fazer do local um espaço de convivência e de alegria, sempre em noite de lua cheia.

Entretenimento acessível, aberto a quem quiser participar e além disso, movimenta a economia criativa com oportunidades para empreendedores da área de alimentação, segmentos de manualidades, vendas diversas e artistas amapaenses.

Tema

A primeira Edição de 2023 terá como tema ‘Luau na Samaúma – Amapá 80 anos’, dando continuidade às celebrações pela criação do Território Federal do Amapá.

A segunda edição, abre a temporada natalina na cidade e comemora os mais de 80 Anos da samaumeira, localizada na praça em frente ao prédio da Procuradoria Geral de Justiça do MP-AP. A árvore tem valor imensurável para o Amapá e sobretudo para a comunidade do entorno.

Luau

O Luau na Samaúma – Amapá 80 Anos, será na próxima sexta (27). O Sebrae vai instalar e coordenar a praça de alimentação com opções que vão de hamburguerias a comidas típicas, além de doces e bebidas.

Ao redor da Samaúma ficarão os expositores de economia criativa e artesanato. Serão 20 artesãos e empreendedores amapaenses comercializando peças e coleções produzidas com diferentes técnicas e matérias-primas.

Para o público infantil haverá as Oficinas de Mini Chefs que vai ensinar a fazer bolo de pote. As inscrições serão feitas antecipadamente e também na hora (se houver vaga). Serão três turmas e cada uma com 20 vagas, e podem participar crianças entre 3 e 12 anos.

O Luau está sendo organizado para mais uma vez ser um sucesso, garantindo empreendedorismo cultural, lazer e geração de negócios aos empreendedores do nosso Estado.

Sebrae no Amapá/Unidade de Marketing e Comunicação

Casa do Artesão terá novo horário de funcionamento aos domingos

A partir de 22 de outubro, local funcionará das 11h às 17h. Medida busca incentivar o comercio turístico no estado.


A Casa do Artesão, maior centro de exposição e comercialização de artesanato no Amapá, passa a funcionar mais cedo aos domingos, das 11h às 17h. A medida, que começa a valer a partir deste domingo, 22, busca atender a demanda de turistas e moradores do estado que transitam durante o fim de semana no centro comercial de Macapá.
 

Antes da medida, o espaço abria as portas das 15h às 20h aos domingos. A mudança no horário foi adotada pela Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo (Sete) e atende uma sugestão do Sindicato dos Guias de Turismo do Estado do Amapá que justificou a alteração por considerar o ponto turístico uma referência que quem deseja adquirir produtos para lembrança de visitas ao estado. 

“Decidimos acatar a sugestão do sindicato. Creio que a medida atenderá tanto os turistas que visitam o Amapá em excursões ou mesmo em passeios individuais, como também a população local que prestigia o espaço”, informou Junielson Pessôa, coordenador estadual do Artesanato. 

A Casa do Artesão possui mais de 28 mil peças em exposição, entre madeira, cerâmica, sementes, fibras, manualidades e ainda produtos do Selo Amapá. Em todo o Estado há 989 profissionais cadastrados, a maioria artesãos. De segunda a sábado, a Casa do Artesão funciona das 8h às 19h. 

Cerimônia do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios acontece na próxima quarta (18)

O Sebrae anuncia as vencedoras nas categorias Pequenos Negócios, Produtora Rural e Microempreendedora Individual

O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae) apresenta a Cerimônia da etapa estadual do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios 2023. O objetivo é estimular o empreendedorismo feminino e premiar histórias inspiradoras de empresas lideradas por mulheres. A cerimônia acontece na sede do Sebrae, no Salão de Eventos Macapá, na quarta (18), às 19h.

Segundo a gestora do Projeto Sebrae Delas, Rejane Reis, com 42 inscrições na etapa estadual, o Amapá contemplou a participação de empreendedoras dos municípios de Macapá, Santana, Porto Grande, Oiapoque, Pedra Branca e Mazagão.

“O Prêmio Sebrae Mulher de Negócios é uma iniciativa que valoriza e incentiva o empreendedorismo feminino no Brasil, reconhecendo o trabalho e a dedicação de mulheres empreendedoras que contribuem para o desenvolvimento do país. Além de reconhecer o trabalho das empreendedoras, a iniciativa também tem como objetivo inspirar outras mulheres a investir em seus sonhos e acreditar em seu potencial empreendedor”, explica a gestora do Projeto Sebrae Delas, Rejane Reis.

Premiação

As três vencedoras com a primeira colocação, sendo uma (1) de cada categoria, irão concorrer na etapa regional em que serão definidas as finalistas da etapa nacional a ser realizada em Brasília, quando serão anunciadas as nove (9) vencedoras ouro, prata e bronze, nas três categorias do prêmio.

As vencedoras da etapa estadual serão premiadas de acordo com a sua classificação: 3º lugar – troféu bronze – 3 (três) candidatas, 1 (uma) de cada categoria (Pequenos Negócios, Produtora Rural e Microempreendedora Individual); 2º lugar – troféu prata – 3 (três) candidatas, 1 (uma) de cada categoria (Pequenos Negócios, Produtora Rural e Microempreendedora Individual); 1º lugar – troféu ouro 3 (três) candidatas, 1 (uma) de cada categoria (Pequenos Negócios, Produtora Rural e Microempreendedora Individual).

Categorias

Na Categoria Pequenos Negócios, são proprietárias de micro e pequenas empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões.

Na Categoria Produtora Rural, são mulheres que exploram atividades agrícolas, pecuárias e/ou pesqueiras permitindo uma primeira transformação desde que sejam mantidas as características do produto in natura, como a produção de geleias, doces em compotas, produtos em conserva, goma de tapioca, leite, café etc., e que estejam estabelecidas formalmente há, no mínimo 1 ano; com data de abertura igual ou anterior a 1/1/2022.

Na Categoria Microempreendedora Individual (MEI), são mulheres que trabalham por conta própria, tenham seu empreendimento legalizado, com faturamento máximo anual de até R$ 81 mil por ano ou que exerçam as ocupações previstas na Lei Complementar 188/2021 (MEI), com faturamento até R$ 251,6 mil de faturamento anual, sendo este valor proporcional no ano de abertura; data de abertura igual ou anterior a 1/1/2022.

Etapas

A primeira etapa ocorre em nível estadual, com a seleção de até três (3) candidatas em cada categoria, por unidade federativa.

A etapa regional é eliminatória e não prevê premiação. Em seguida, ocorre a etapa nacional, na qual participam as 15 vencedoras regionais, que representam as três (3) vencedoras por categoria em cada uma das cinco (5) regiões do país. Essas participantes estarão automaticamente classificadas para a grande final do prêmio.

Nacional

Além dos troféus, as vencedoras da etapa nacional, tanto em primeiro quanto em segundo lugar de cada categoria, receberão um smartphone de última geração. As terceiras colocadas de cada categoria serão premiadas com um tablet de modelo atualizado. Além disso, todas as nove vencedoras nacionais terão a oportunidade de participar de uma missão técnica nacional de capacitação, com todas as despesas de passagens e diárias custeadas pelo Sebrae.

Coordenação

O Prêmio Sebrae Mulher de Negócios no Amapá, é coordenado pela gerente da Unidade de Educação Empreendedora (UEE), Lindeti Ferreira, e pela gestora do Projeto Sebrae Delas, Rejane Reis.

Grupo ‘Amazônia Brasil’ apresenta madeira plástica como inovação sustentável na 52ª Expofeira

Ao compartilhar a experiência com o público, o objetivo é incentivar a reciclagem de produtos descartados.


No sétimo dia da 52ª Expofeira do Amapá, o grupo ‘Amazônia Brasil’, que comercializa itens como água mineral e produtos de limpeza, apresentou uma inovação sustentável: a madeira plástica, produzida através da reciclagem de produtos descartados. A apresentação aconteceu na quinta-feira, 5, no Parque de Exposições da Fazendinha, em Macapá.

As embalagens de limpeza para os produtos de uma das marcas do grupo já são produzidas através da reciclagem de plástico descartado. Além disso, sua confecção é 100% realizada em solo amapaense.Para o presidente da Amazônia Brasil, Raimundo Capiberibe, a madeira plástica possibilita uma alternativa sustentável, além da geração de emprego e renda.

“Plásticos descartados deixam de ser lixo e passam a valer dinheiro para serem transformados em madeira. Desde passarelas em áreas de ressaca até peças em postes elétricos, tudo pode ser transformado com a inovação”, afirma Capiberibe.

A estudante de Engenharia Civil Solange Botelho, de 45 anos, conta que “Madeira Plástica em Residência Unifamiliar” é o tema de seu Trabalho de Conclusão de Curso. Para a universitária, o ineditismo da peça reciclada no Amapá deve ser expandido.

“Este produto é uma janela de possibilidades. Estar exposto aqui, na Expofeira, faz com que as pessoas possam ver que até mesmo o lixo pode virar peças de uma casa, de uma residência, e ainda ajudar o meio ambiente”, pontua a estudante.A Expofeira voltou!

Após 8 anos, a 52º Expofeira do Amapá está de volta para fortalecer o empreendedorismo, a inovação, a economia, o turismo e a cultura do estado. A programação segue até domingo, 8, com oportunidades de negócios, apresentações gastronômicas, atrações culturais e muito mais.

Sebrae Amapá lança Catálogo Digital para impulsionar Micro e Pequenas Empresas

O lançamento acontece na quinta-feira, 5, no Estande do Sebrae, localizado no Pavilhão de Oportunidades e Negócios na Expofeira

O Sebrae irá lançar o Catálogo Digital para micro e pequenas empresas nessa quinta-feira, dia 5, às 20h, no Estande do Sebrae, localizado no Pavilhão de Oportunidades e Negócios na 52ª Expofeira do Amapá. A data marca o Dia da Micro e Pequena Empresa, comemorado em 5 de outubro. Um projeto inovador que tem como objetivo reunir e promover a visibilidade de empresas amapaenses para milhões de potenciais clientes que navegam pelo portal da instituição.

Para participar desse projeto pioneiro, as empresas devem seguir alguns critérios simples, entre os quais está o preenchimento do formulário detalhado com informações sobre os produtos ou serviços que oferecem.

Além disso, as empresas devem estar localizadas no Estado do Amapá, garantindo que a iniciativa promova negócios locais. É necessário que os empreendimentos participantes estejam cadastrados no Sebrae para participar do Catálogo Digital.

Atendendo a esses critérios, o Sebrae realizará uma seleção cuidadosa das empresas que farão parte do Catálogo Digital.

As empresas que estiverem presentes no lançamento terão o privilégio de serem as primeiras a fazer parte deste catálogo inovador.

Benefícios para as Empresas

O Catálogo Digital de Empresas do Amapá é mais uma iniciativa do Sebrae para apoiar as Micro e Pequenas Empresas, permitindo que elas acessem novos mercados e promovam seus produtos e serviços no mercado digital.

“Este lançamento representa uma oportunidade única para as empresas locais ampliarem sua visibilidade e alcançarem um público mais amplo gerando visibilidade e mais oportunidades de vendas”, assegura o gestor do Portal Sebrae, Maikon Richardson.

“O Sebrae é uma instituição que apoia o desenvolvimento das micro e pequenas empresas em todo o Brasil, promovendo o crescimento econômico e a geração de empregos e a instituição está prestes a revolucionar esse mercado no estado com o lançamento do Catálogo Digital de Empresas do Amapá”, disse a gerente da Unidade de Atendimento e Relacionamento do Sebrae, Denise Nunes.

Dia da Micro e Pequena Empresa

No dia 5 de outubro de 1999 foi criado o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, com a aprovação da Lei nº 9.841. A partir dessa data, comemora-se então o Dia da Micro e Pequena Empresa em todos país.

O objetivo da legislação vigente é fomentar o desenvolvimento e a competitividade da micro e pequena empresa e do microempreendedor individual, como estratégia de geração de emprego, distribuição de renda, inclusão social, redução da informalidade e fortalecimento da economia.

Para mais informações sobre o Catálogo Digital de Empresas do Amapá, entre em contato com o Sebrae Amapá através do 0800 570 0800.

Sebrae no Amapá/Unidade de Marketing e Comunicação

Startups e empresas de bioeconomia movimentam o espaço Aquário da Inovação na Expofeira

O objetivo é contribuir para fortalecer o ecossistema de inovação do Amapá, fomentar a geração de negócios para empresas inovadoras e de bioeconomia e promover a inovação.

Trinta negócios altamente inovadores estão expondo no Aquário da Inovação na 52ª Expofeira do Amapá. O objetivo do espaço é promover um conjunto de ações com vistas ao futuro dos negócios digitais e de bioeconomia, servindo de inspiração e estímulo aos expositores e visitantes. O espaço é uma grande vitrine com exposição de produtos e serviços focados em inovação e bioeconomia.

“A transformação digital não apenas modernizou muito o que as empresas já faziam, mas trouxe uma série de recentes modelos de atividades e empreendimentos, sendo que um desses modelos de negócios altamente inovadores, são as startups. Elas atendem aos requisitos de ser escaláveis e repetíveis em um ambiente de extrema incerteza”, explica o gerente da Unidade de Soluções Inovadoras e Competitivas do Sebrae no Amapá, Bruno Castro.

A bioeconomia surge como uma nova revolução aplicada ao desenvolvimento e ao uso de produtos a partir dos recursos do bioma. Engloba as indústrias de processamento e serviços, está relacionada ao desenvolvimento e à produção de fármacos, vacinas, novas variedades de vegetais e animais, bioplásticos, biocombustíveis, cosméticos, alimentos e fibra.

“Isso se deve justamente ao aumento da presença da tecnologia na vida das pessoas, que mais acostumadas com aquilo que é digital, passaram a ter a tecnologia como parte de suas vidas e isso vale para todas as classes sociais, idades e objetivos, bem como a utilização dos recursos naturais, de modo sustentável e racional, gerando novos empreendimentos e modelos de atividades econômicas prezando pela manutenção da floresta em pé”, explica Bruno.

Na exposição estão 20 Startups de Bioeconomia e 11 Startups de tecnologia e negócios digitais.

O Aquário da Inovação é coordenado Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia –Setec, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá – Sebrae Amapá, Associação Amapaense de Tecnologia – Amapatec e Comunidade de Inovação Tucujú Valley.

Empresas participantes

Bactolac – BacFish – Probiótico Concentrado Líquido para a Piscicultura; TRIBUTEI – Software de automação fiscal do ICMS; Engenho Café de açaí – Bebida aromática de açaí em embalagens de 250g, e capsulas de café de açaí de 5g; Mazodan – Argamassa polimérica não cimentícia e massa texturizada de decoração; Arrazo Couro – Sapatos e bolsas em couro, produzido no Amapá; 7g7 Market – Serviços de marketing, design, programação, produção de conteúdo, música e áudio, vídeo e animação; AmapáTec – plataforma online; Fogo & Brasa – Carvão ecológico, produzido através de resíduos, como o caroço de açaí e finos de carvão; Flor de Açaizeiro – biocosméticos da Amazônia; Assinadoc – Software de gestão de documentos com inteligência artificial e assinatura por WhatsApp; Amaztrace – Rastreabilidade de Produtos Amazônicos; Vitrum – Areia de vidro, mistura pronta, peças cimentícias feitas com areia de vidro e serviço de coleta de vidro; AmazWood – Mini casa (18m2) e mini escritório; Proesc – Soluções para gestão escolar; SouRev – Serviço de tecnologia de credito; AçaíMaps – Software de gestão agrícola para cadeia do açaí; DruGet – Plataforma que reduz custo e tempo na descoberta de novos compostos; Amazoom Coworking – Espaço compartilhado; Amazon Reuse – Serviços de gestão de resíduos e ações formativas, tendo como principal missão preparar espaços e pessoas para o exercício da cidadania ambiental, a preservação de recursos naturais e financeiros e a instauração de uma nova cultura organizacional, pautada na Sustentabilidade ESG e nos objetivos de Desenvolvimento Sustentável; Oikos DNA – Potencial de serviços através da biologia molecular, especialmente para o setor agropecuário; Agromais Cloud – Tecnologia para a automação e sensoriamento de cultivos líquidos(Hidropônico). Plataforma (Meu Cultivo) de gerenciamento dos sinais captados via IoT, para a tomada de decisões da produção; Sumano Ingredientes – Exposição de farinhas funcionais; AMAZON BIOFERT – Biofertilizante; Água Colaborativa – Startup focada na Geração de Renda diária imediata para as Classes C e D, com base no Empreendedorismo sustentável, no segmento de Revendedores de Agua mineral nas ruas; Yara Couro da Amazônia – Couro de peixe e produtos confeccionados com couro de peixe; Compliance.ME – consultoria em compliance de governança empresarial, ESG, sustentabilidade e LGPD. Rem Tijoloeco – Fábrica de tijolo ecológico; Péd’Açai Marketplace – Marketplace de Açaí, conectando vendedores e compradores na cadeia de valor do açaí; Ecológica Soluções Sustentáveis – gestão inteligente de resíduos; Gift Loves – plataforma de conexão.

 

Sebrae no Amapá/Unidade de Marketing e Comunicação

52ª Expofeira do Amapá: veja a programação cultural deste sábado, 30 de setembro

Programação diversificada toma conta de 10 espaços culturais espalhados pelo Parque de Exposições da Fazendinha, em Macapá.

A programação cultural da 52ª Expofeira do Amapá continua neste sábado, 30, trazendo diversão e valorização dos artistas amapaenses na maior feira do estado. Os visitantes vão poder aproveitar o melhor dos 10 espaços culturais diversos espalhados pelo Parque de Exposições da Fazendinha, em Macapá, a partir das 18h. São programações para todas as idades e estilos.

Programação cultural da 52ª Expofeira do Amapá deste sábado, 30:

  • Arena Rio Amazonas
    19h – DJ Luis Carlos
    21h – DJ Insane
    0h – NX Zero
  • Palco Tucupi
    Apresentador: Adriano Rodrigues
    18h Dj Deevd
    19h – Anthony dos Teclados
    19h45 – Marcelo Abreu
    20h30 – Helinho Santos e seus teclados
    21h15 – Klicia Chaves
    22h – Batan
    22h45 – Jorginho do Cavaco
  • Barracão Expressões Afro-Amapaenses
    Apresentador: Yuri Soledade
    18h – DJ Delson Moreno
    19h – Heranças Ancestrais
    19h30 – Herdeiros do Marabaixo
    20h – Marabaixo do Laguinho (Marabaixo)
    20h30 – Associação Berço do Marabaixo
    21h – Capoeira Verga do Norte (Capoeira)
    21h30 – Capoeira Bimbinha (Capoeira)
    22h – Ilê Asê Dará Awó Ojoridan (Expressões Afro-Brasileiras)
    22h30 – Reverenciado Orisá Exú – Kayo Santos (Expressões Afro-Brasileiras)
    23h – Terreiro Oyá Ogun Ilê – Daiana Santos (Expressões Afro-Brasileiras)
    23h30 – Batalha Amapá Hip Hop (Hip-Hop)
    0h – Evolução Breaking Dance – Master Máxima Crew (Hip-Hop)
  • Povos Originários do Amapá e Norte do Pará
    19h às 22h – Ocupação cultural indígena
  • Mini-Teatro Caboco
    Apresentador: Alerrandro Monteiro
    19h – Intervenção Poesia Profunda – Ani Braga
    19h30 – Vozes Pletas – Andreia Lopes
    20h – Marrecos Land (música)
    20h30 – Alan Gomes (música)
    21h – Deize Pinheiro (música)
    21h30 – Val Milhomem (música)
    22h – Joãozinho Gomes (música)
    22h30 – Ariel Moura – Mundiar (música)
    23h – Brenda Melo (música)
    23h30 – Rambolde Campos (música)
  • Circo do Meio do Mundo
    Apresentador: Elson Summer
    18h – DJ Lucas Santana
    19h – Um mergulho na experiência – O outro lado do rio – Nilson Silva (Contação de Histórias)
    20h – Turma do Tio Mingau – Flávio Furtado
    20h30 – Palhaçada e Dança
    21h – De maluca não tenho nada – Valter Mourão
    21h30 – Pet Jackson – Moisés Oliveira
  • Palco dos Agricultores
    20h – Anthony dos Teclados
    21h – Felipe Pantoja
  • Palco da Rainha e Diversidade
    Tema: Toca Tudo
    Apresentador: Armstrong
    18h – DJ Jhon Silva Revolucion
    19h – 19h40 – Neivaldo e seus teclados
    19h50 às 20h30 – Albe Matos & banda
    21h às 22h30 – Concurso Rainha da Expofeira
    22h30 às 23h10 – Adenor Monteiro
    23h10 às 23h50 – Resultado do Concurso
    0h – Os Moreiras
    0h30 – Banda Moara
    1h – Dani Li
  • Pavilhão Amapá 80 Anos
    Apresentador: Miquéias Mendes
    18h – DJ Arizinho
    20h – Amanda Galvão
    20h30 – Márcia Fonsec
    21h – Adriana Raque
    21h30 – Ton Quadros – Instrumental de Percussão
    22h – Beto Oscar e Helder Brandão
  • Salão de Artes R. Peixe
    Exposição coletiva contínua com artistas/exposições

‘52ª Expofeira do Amapá vai movimentar cerca de R$ 100 milhões na economia local’, diz governador, Clécio Luís

Realizado pela última vez em 2015, o evento volta acontecer como uma grande vitrine de produção e inovação do setor primário do Amapá


O governador, Clécio Luís, e o vice-governador, Teles Júnior, apresentaram nesta quinta-feira, 28, a estrutura montada para a 52ª Expofeira do Amapá. De acordo com as projeções, os dez dias de evento vão movimentar cerca de R$ 100 milhões na economia amapaense a partir desta sexta-feira, 29.

De volta após quase dez anos, a Expofeira do Amapá segue até 8 de outubro. Realizado pela última vez em 2015, o evento volta acontecer como uma grande vitrine de produção e inovação do setor primário do Amapá, com serviços voltados para o empreendedorismo, esporte e lazer.

“Nós estamos estimando que, para cada R$ 1 investido na Expofeira, vamos gerar mais de R$ 5, em forma de impostos que retornam para a sociedade em serviços públicos. E vamos chegar a algo em torno de R$ 100 milhões durante esses dez dias. Fora os negócios que serão fechados durante a Expofeira, mas que terão resultados após o evento”, destacou o governador.

Para a realização da feira, foram investidos R$ 34 milhões. Sendo R$ 15 milhões para realização do evento e R$ 17 milhões em investimentos em mobilidade urbana, dentro e no entorno do Parque de Exposições, além de obras na Rodovia Josmar Pinto (antiga JK). São esperados 1 milhão de visitantes ao longo de todo o evento.

Geração de emprego

Desde o anúncio do retorno da Expofeira, em junho de 2023, o Governo do Estado oportunizou a geração de mais de 600 empregos diretos, a partir da mão de obra necessária para a montagem da estrutura, no Parque de Exposições da Fazendinha, e por empresas participantes da feira. Foi priorizada a contratação de moradores do entorno para a limpeza do espaço. O serviço será mantido durante e após o evento.

“É uma Expofeira que vem com um diferencial muito grande porque contempla inúmeros setores da economia, desde o setor imobiliário, passando pela agricultura, energia renovável até a agropecuária. A Expofeira vai mostrar um estado que muitos não conhecem, um Amapá que empreende, um Amapá que gera renda”, reforçou Teles Júnior.Inovação

A 52ª Expofeira traz algumas novidades, entre elas está a área de acessibilidade para pessoas com deficiência na arena de shows e o Aquário da Inovação, que reúne produtos e serviços voltados para a ciência, educação e tecnologia.

O Parque de Exposições também vai apresentar ao público 30 startups, que são empresas recém-criadas, com propostas inovadores. Haverá, ainda, o Planetário Digital Móvel; empresa de gestão de resíduos sólidos gerados na Expofeira; projetos de pesquisa e desenvolvimento de ciência e tecnologia; e esportes eletrônicos.

Outra novidade é o ‘Açaiódromo’, um espaço onde o público vai encontrar açaí batido na hora, com acompanhamentos tradicionais na mesa do amapaense, como farinha d’água, farinha de tapioca, camarão no bafo, charque, peixe frito e outros.

Cultura

Cerca de 600 atrações amapaenses e 12 artistas nacionais passarão pelos palcos da 52ª Expofeira do Amapá. O público vai prestigiar as apresentações em 10 áreas, valorizando profissionais de diversos segmentos da cultura, como música, teatro e capoeira.

Este ano também haverá espaço para o Festival Esportivo Sedel, com competições em 12 modalidades, como basquete, MMA e breaking.

“É uma programação genuinamente amapaense, envolvendo segmentos como música, teatro, audiovisual e literatura. São várias linguagens artísticas ocupando esses espaços. Tem programação infantil, tem programação no Palco da Rainha e noites temáticas. É uma programação realmente diversificada para todos os públicos”, explicou a secretária de Cultura, Clicia Vieira Di Miceli.

O evento de apresentação da estrutura da feira, no Parque de Exposições da Fazendinha, reuniu veículos de comunicação e representantes de órgãos, como o Ministério Público.

“Acredito na Expofeira e no que ela pode gerar para a economia para o Amapá”, pontuou o subprocurador Geral de Justiça, Nicolau Crispino.

Governo do Amapá fortalece agricultura familiar com Feira do Produtor Rural na 52ª Expofeira

Os produtos serão comercializados a preços acessíveis para o público e empreendedores que atuam na Expofeira


Para evidenciar e fortalecer a agricultura familiar, o Governo do Estado organiza a Feira do Produtor Rural da 52ª Expofeira do Amapá, no Parque de Exposições da Fazendinha. O espaço vai reunir 30 famílias produtoras dos municípios de Macapá, Santana, Mazagão e Porto Grande em um pavilhão exclusivo, onde os trabalhadores vão comercializar itens como queijo, mel, leite e hortaliças.

Os produtos serão comercializados a preços acessíveis para o público e para os empreendedores que atuam na Expofeira. A ação é coordenada pela Secretaria de Estado Desenvolvimento Rural (SDR) e busca garantir maior visibilidade para a produção agrícola no evento que vai impulsionar a economia, a cultura e o turismo amapaense, a partir da sexta-feira, 29.

De acordo com o coordenador do Núcleo de Abastecimento de Feiras (Nuaf) da SDR, Rafael Figueira, haverá toda uma estrutura para que os agricultores possam chegar até a Expofeira.

“Vamos fomentar todo o aparato de transporte, alimentação, ambiente e divulgação para que os agricultores possam ter redução nos custos e consigam vender sua produção a um preço mais acessível nestes dias”, informou Figueira.Entre os produtores que estarão presentes na feira, há trabalhadores do distrito de Pacuí e Polo da Fazendinha, em Macapá. O funcionamento da Feira do Produtor será das 17hs às 21h.

“O objetivo do Governo do Estado é que esses produtores possam comercializar tanto para o público quanto para os próprios empreendedores que estarão trabalhando, ou seja, o planejamento é que os agricultores possam abastecer a própria estrutura da Expofeira”, destacou o gestor da SDR, Kelson Vaz.

Ela voltou!

Após quase dez anos, o Governo do Amapá traz de volta a Expofeira para impulsionar a economia, a cultura e o turismo no estado. Todos os dias, uma atração nacional se apresenta no Parque de Exposições da Fazendinha, entre eles, Gusttavo Lima, NX Zero, Dennis DJ, Xand Avião, Manu Bahtidão, Carabao, Anderson Freire, Padre Antônio Maria e Léo Santana.

Governo do Amapá garante participação de empresas do Selo Amapá em feira de alimentos naturais nos Estados Unidos

Os empreendedores do estado puderam ampliar suas redes de contatos e fortalecer a presença no cenário internacional.


Empreendedores do Selo Amapá estiveram presentes, nesta terça-feira, 19, na abertura da Expo East, uma das mais importantes feiras de alimentos naturais dos Estados Unidos, que acontece na Filadélfia. A participação de seis empresas representantes do estado foi garantida pelo Governo do Amapá em parceria com o senador Randolfe Rodrigues.

A missão prospectiva brasileira tem a coordenação da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil). Durante os eventos iniciais da feira internacional, as empresas amapaenses tiveram a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos sobre o mercado americano, estabelecer conexões estratégicas e fortalecer suas redes de contatos com vários outros empreendedores do setor.A Secretaria de Estado de Relações Internacionais e Comércio Exterior, liderou a representação do Amapá, por meio da coordenadora de Comércio Exterior, Larissa Diniz, que palestrou sobre as perspectivas para a inserção de produtos e serviços no mercado internacional.

“Esta missão prospectiva representa um passo significativo na expansão das oportunidades comerciais do Amapá a nível internacional, prospectando um futuro brilhante para o estado e suas empresas”, ressalta o secretário de Relações Internacionais, Lucas Abrahao.

Compartilhando experiências, estiveram presentes os representantes das empresas, Cunani Cacau, Cacau Cassiporé, Amazon Bai, Amazonly, Empório Shekinah e Engenho Café de Açaí. Essas empresas foram escolhidas com base em critérios específicos de qualificação e demonstraram excelência em seus respectivos setores.

Feira Expo East

É a maior e mais importante feira do setor de produtos naturais e orgânicos da Costa Leste dos Estados Unidos. No ano de 2023, a feira acontece na Filadélfia, de 19 a 22 de setembro. Durante a programação, expositores americanos e internacionais apresentam produtos relacionados a alimentos orgânicos, alimentação natural e produtos naturais.