Governo do Amapá já ativou 62 novos leitos no Hcal para ampliar atendimento à população

Espaço conta com leitos semi-intensivos com monitores multiparâmetros e bomba de infusão

O governador Clécio Luís entregou nesta quinta-feira, 16, cerca de 30 novos leitos para cinco enfermarias do Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (Hcal). A estrutura é destinada a pacientes cirúrgicas que serão acompanhados no pré e pós-operatório e irá reforçar o atendimento à população, uma das prioridades inegociáveis da atual gestão. Com esta entrega, já são 62 novos leitos habilitados na unidade hospitalar.

Esta é mais uma etapa da reestruturação da unidade hospitalar que, em 2023, recebeu uma nova clínica médica com 32 leitos e três enfermarias, sendo uma exclusiva para pacientes oncológicos e duas psiquiátricas, ampliando a capacidade de atendimento.

A ampliação garante a realização de um número maior de cirurgias e vazão de pacientes em espera.

“Esses leitos vão nos ajudar com a nossa demanda reprimida de cirurgias gerais, ortopédicas e neurológicas, evitando o grande número de remarcações que tínhamos, já que para realizar uma cirurgia o hospital tem que garantir um leito para o paciente. Essa entrega mostra mais uma vez a responsabilidade e compromisso do governo com a população”, explica a diretora adjunta do Hcal, Rosilete Dias. Além das enfermarias, o local é estruturado com um posto de enfermagem, leito de isolamento, expurgo e três leitos semi-intensivos com monitores multiparâmetros, bombas de infusão e ventiladores mecânicos. O Governo do Estado investiu R$ 1,9 milhão para a construção dos espaços, com recursos do tesouro estadual.

Quem lida diretamente com as demandas da unidade de saúde, vê hoje o avanço na estrutura que atende as demandas cirúrgicas da população. Segundo a enfermeira Daniella Nogueira, que atende no setor, as novidades significam mais esperança e dignidade.

“É muito bom presenciar tudo o que tem sido feito para melhorar a qualidade da assistência que os nossos pacientes recebem e a mobilização realizada para dar vazão às cirurgias. Para nós, que somos profissionais, é uma esperança de dias melhores”, declarou a enfermeira. Mais cirurgias 

Também está previsto no Hcal a entrega de cinco novas salas cirúrgicas que irão ampliar a capacidade do centro cirúrgico, que hoje conta com três salas.

“Esperamos, no máximo, em 30 dias entregar cinco novas salas para ampliar o Centro Cirúrgico e a capacidade de operações realizadas. Vamos passar de três para oito salas cirúrgicas, onde serão feitos procedimentos ortopédicos, oftalmológicos e eletivos, para então conseguir atender a demanda reprimida e acelerar os atendimentos”, explicou a secretária de Saúde, Silvana Vedovelli.

Com mais de 80 ambientes revitalizados, Governo do Amapá apresenta novo fluxo de atendimento do HE

Em apenas 9 meses, o prédio foi totalmente reformado para proporcionar acolhimento aos pacientes e profissionais.


O Governo do Amapá apresentou nesta terça-feira, 17, o novo fluxo de atendimento do Hospital de Emergências (HE) de Macapá. Após obras de reforma, a recepção e o acolhimento dos pacientes, que estava sendo feito pela lateral do prédio, retorna para a entrada principal, na Rua Hamilton Silva, com um atendimento mais humanizado e informatizado.

Com a saúde como prioridade absoluta, em 10 meses de gestão foram revitalizados mais de 80 espaços dentro da unidade, um investimento de pouco mais de R$ 5 milhões do Tesouro Estadual. Desde o dia 2 de janeiro o HE vem passando por intervenções que ajudam a tornar o ambiente melhor para quem trabalha e, especialmente, para quem busca por atendimento.

“Ainda está muito longe do que queremos para a saúde pública do nosso estado. Lamentavelmente, ainda temos e teremos pessoas no corredor porque hoje a nossa demanda é muito maior que a capacidade atual do Hospital de Emergência. Apesar de todos os reforços, nesse momento, por exemplo, estamos com 12 pacientes no corredor do HE aguardando um leito. E isso só vai melhorar de fato, com a construção do novo HE e toda a retaguarda da saúde, com a abertura de novos leitos nos hospitais em obras em municípios como Santana, Oiapoque, e Porto Grande”, pontuou o governador Clécio Luís.

Com o novo fluxo, os pacientes serão acolhidos e cadastrados em um sistema informatizado, através de senhas e classificação de risco. Com isso, será possível unificar as informações dos usuários em um só prontuário, que poderá ser acessado pelos profissionais em diferentes setores do HE.

“Não é uma inauguração, é o início de um novo momento do HE, porque retorna a entrada pela Hamilton Silva, mas não muda só o lugar, tem também um novo modelo de atendimento. As pessoas vão dar entrada, será feito um cadastro digital, e elas vão receber uma pulseira com a sua classificação de risco. Vão entrar num hospital que durante 9 meses foi totalmente reformado, do telhado aos banheiros. É um hospital que foi todo requalificado para trazer de volta a dignidade das pessoas, até que a gente possa entregar o novo HE, que está na fase final de licitação”, destacou Clécio Luís.

Com muito esforço, o HE também ganhou uma nova Unidade de Terapia Intensiva (UTI 2), aumentando a capacidade em 150%, com 10 leitos intensivos com equipamentos que vão desde máquina de hemodiálise a desfibrilador. Foram reformadas ainda, 19 enfermarias, além de banheiros, laboratório, corredores, salas de repouso e consultórios.

“A humanização nos serviços da saúde é parte do processo que nos acompanha desde janeiro e vamos seguindo dessa forma, superando os problemas, os desafios, a demanda intensa do hospital, priorizando o bem-estar dos nossos usuários”, reforçou a secretária de Saúde do Amapá, Silvana Vedovelli.

Os trabalhadores que atuam no entorno do HE também foram contemplados com novas estruturas em alvenaria. Desde as lanchonetes, passando pela tradicional banca de revista, até o ponto de táxi e mototáxi.

Mudança no dia a dia

O médico Eduardo Monteiro trabalha no Hospital de Emergências de Macapá há 13 anos. Ele conta que as mudanças que tem presenciado diariamente dentro do hospital, fazem a diferença mesmo com a unidade superlotada pela alta demanda.

“Essa é a primeira vez que vejo uma grande reforma dentro do HE, melhoraram muito as condições prediais. Tínhamos uma dificuldade muito grande com infiltrações, mofo e fungos nas paredes, que hoje não vemos mais. Sabemos que ainda tem muito para ser realizado, mas também precisamos reconhecer que já avançamos bastante”, ressaltou Monteiro.

A requalificação dos ambientes trouxeram, de imediato, um impacto positivo da unidade hospitalar, trazendo uma identidade mais leve à estrutura antiga do hospital que não passava por reformas há mais de 40 anos.

“Há anos este hospital não era visto como uma instituição onde tem pessoas que precisam também, além de trabalhar, se sentir confortável, bem e acolhidas. Hoje você chega na frente do HE e já vê jardinagem, uma nova identidade, pinturas nas paredes, mudança de tubulação de canos, ou seja, isso traz uma questão de salubridade tanto para o paciente como para nós, profissionais”, detalhou o enfermeiro Marcone de Melo, que atua há 7 anos no HE.

A psicóloga Keila Góes, que já soma 23 anos de serviço no hospital, descreve a reforma e ampliação como um momento histórico para a saúde do Amapá.

“É a primeira vez, efetivamente, que a gente está vendo uma transformação no Hospital de Emergência. Com a reforma e ampliação, a nova direção proporcionou espaços onde o servidor consegue oferecer uma qualidade efetiva no atendimento aos pacientes”, relatou a psicóloga.

Atendimento mais digno

Os serviços realizados na estrutura do HE trouxeram mais conforto para quem está nas enfermarias. Entre as primeiras mudanças significativas realizadas em janeiro, estão a instalação de 45 centrais de ar, de janelas que estavam sem a proteção contra sol e chuva e bebedouros. O prédio também teve todo o telhado trocado por um novo.

Aos poucos, o hospital foi ganhando banheiros revitalizados, corredores, ambientes mais confortáveis para os profissionais, além da chegada de equipamentos como um novo aparelho de raio X, mais 60 camas para os leitos, e de ter a farmácia totalmente reabastecida com medicamentos e insumos.

As obras não param. A Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf) segue executando serviços dentro no HE, nos blocos de farmácia, nutrição e Centro de Cirurgia.

Novo HE

Em julho, o governador Clécio Luís anunciou a publicação da licitação para as obras do novo Hospital de Emergências de Macapá. O investimento de mais de R$ 110 milhões vai ampliar a capacidade de atendimentos de urgência e emergência na rede pública do estado. Os recursos são de emendas articuladas pelo senador Davi Alcolumbre.

A obra será iniciada em uma área de mais de 15 mil m² para expandir os serviços prestados à população do Amapá. Inicialmente, 212 leitos entre clínicos, intensivos, de cuidados intermediários e leitos específicos da Unidade de Tratamento de Queimados serão inaugurados para a população.

Reestruturação da saúde

O Governo do Estado contabiliza avanços na rede de saúde estadual. O Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (Hcal), por exemplo, teve a ampliação de 32 leitos com a abertura da enfermaria da Clínica Médica e reforma em três enfermarias com cinco leitos cada.

Outras unidades também recebem frentes de trabalho a exemplo do novo prédio do Hospital Estadual de Santana, que está com 85% dos serviços concluídos, e o Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML), que está em fase de conclusão da UTI Neonatal.

Tem ainda o Hospital Regional de Porto Grande, que vai atender, além do próprio município, as cidades de Ferreira Gomes, Serra do Navio e Pedra Branca do Amapari, desafogando as unidades de saúde de Macapá, em casos de média complexidade.

Há trabalho ainda no Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap), na Policlínica da Polícia Militar, nas unidades mistas de Tartarugalzinho e Ferreira Gomes.

O Estado avança na construção do primeiro Centro de Tratamento Interativo (CTI) do Hospital Estadual de Oiapoque (HEO), que passará a contar com 30 leitos especializados, sendo 10 para adultos, 10 neonatais e 10 infantis. A previsão de conclusão da obra é para o primeiro semestre de 2024.

Governo do Amapá reforça leitos de alta complexidade no Hospital de Emergências de Macapá

Sala Vermelha conta com cinco leitos de estabilização e equipe multiprofissional 24h para acompanhamento dos pacientes


Como parte das ações prioritárias do Governo do Amapá, as intervenções na saúde já resultam em melhorias para os pacientes do Hospital de Emergências (HE) de Macapá. Dois espaços para tratamento de alta complexidade foram totalmente reestruturados, sendo a Sala Vermelha e a Unidade de Terapia Intensiva (UTI 2), ambas localizadas no térreo da unidade.

A UTI 2 do HE recebeu serviços de ampliação da estrutura física e hidrossanitária, além de novo piso, teto, forro, iluminação, fiação elétrica e construção de espaços inexistentes como a sala de repouso e isolamento. Após a ampliação, a capacidade de leitos intensivos saltou de 4 para 10.

O espaço garante aos pacientes um atendimento especializado, formado por uma equipe multiprofissional composta por médico, enfermeiros, dentista, fisioterapeuta, técnico em enfermagem, além do suporte de nutricionistas, farmacêuticos e demais especialistas, como cardiologistas, pneumologistas e outros.

A unidade conta ainda com uma máquina de hemodiálise e desfibrilador. Cada leito tem cama elétrica, monitor multiparamétrico, bomba de fusão, ventilador mecânico e aspirador a vácuo. Os equipamentos acompanham as funções vitais e auxiliam no controle da frequência cardíaca, administração de medicações e hidratação dos pacientes internados.

“Nós tivemos grandes avanços quanto à estrutura do HE. Sabemos que ainda não é o ideal, mas vamos melhorando cada dia mais para proporcionar aos nossos pacientes um ambiente adequado e proporcionando os melhores atendimentos, desde o acolhimento social ao clínico. Isso faz parte de um compromisso da gestão com a população”, afirma a secretária de Estado da Saúde, Silvana Vedovelli.

A Sala Vermelha é o local para atendimento emergencial ao paciente grave, que aguarda a definição de um diagnóstico ou transferência para UTI. No espaço, pacientes realizam procedimentos invasivos, como ressuscitação cardiopulmonar, intervenção em caso de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e de Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), ventilação mecânica e monitorização cardíaca.

O local tem capacidade para atender até cinco pacientes simultaneamente e está equipado com monitores cardíacos, desfibriladores, ventiladores mecânicos, bombas de infusão, instrumental para procedimento de emergência como intubações, dentre outros equipamentos.

“Esses espaços que foram reformados viabilizam que o paciente seja melhor assistido pela equipe multiprofissional, proporcionando uma assistência clínica mais efetiva. É fundamental não apenas para os pacientes, mas para a nossa equipe técnica também, proporcionando um ambiente de trabalho digno e estruturado”, ressalta o diretor do HE, Emanoel Martins.

Novo HE

Em julho, o governador Clécio Luís anunciou a publicação da licitação para as obras do novo Hospital de Emergências de Macapá. O investimento de mais de R$ 110 milhões vai ampliar a capacidade de atendimentos de urgência e emergência na rede pública do estado. Os recursos são de emendas articuladas pelo senador Davi Alcolumbre. 

A obra será iniciada em uma área de mais de 15 mil m² para expandir os serviços prestados à população do Amapá. Inicialmente, 212 leitos entre clínicos, intensivos, de cuidados intermediários e leitos específicos da Unidade de Tratamento de Queimados serão inaugurados para a população.

HU-Unifap abrirá mais 10 leitos de UTI adulto

Rede Ebserh mantém esforços para ampliação da rede de saúde do Amapá

Após cumprir uma importante missão de ajuda voluntária no setor de pediatria para o enfrentamento da crise sanitária no estado, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) se prepara, agora, para seguir ampliando os cuidados em saúde à população do estado a partir do Hospital Universitário da Unifap.

Já se encontra em fase final o processo de entrega de 10 novos leitos de UTI adulto para o Hospital Universitário da Universidade Federal do Amapá (HU-Unifap). Isto deve acontecer nos próximos 45 dias. Também está em andamento a contratação de médicos intensivistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, técnicos de radiologia, fisioterapeutas, nutricionistas e assistentes sociais.

“Profissionais de saúde da rede Ebserh, de diferentes regiões do país, deslocaram-se de forma voluntária para atuar em uma força-tarefa que salvou a vida de muitas crianças. Foram 53 atendimentos e nenhum óbito desde 31 de maio, mostrando a capacidade de intervenção qualificada da Ebserh também em situações de emergência”, destacou o presidente da empresa pública, Arthur Chioro.

No apoio da Ebserh para combater a emergência sanitária provocada pela Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), a empresa investiu mais de R$ 6 milhões no provimento de infraestrutura para garantia do abastecimento de oxigênio, medicamentos, materiais e outros insumos.

“O impacto do trabalho da Ebserh foi fantástico no sentido da qualidade do serviço, o que diminuiu as filas e garantiu a vida das crianças que estavam acometidas por essa grave doença respiratória”, afirmou o superintendente do HU-Unifap, Aljerry Rêgo.

Sobre a Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Ebserh foi criada em 2011 e, atualmente, administra 41 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência. Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) ao mesmo tempo que apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas e inovação.

Coordenadoria de Comunicação Social da Rede Ebserh