Idealizado por Davi, 1º centro de robótica de Macapá é inaugurado e senador reforça importância do projeto para educação

Espaço faz parte do “Samaúma Tech” e prevê espaços tecnológicos em todo o estado atendendo 6 mil alunos


O senador Davi Alcolumbre (União-AP), coordenador da bancada federal, disse que a inauguração, nesta quinta-feira (23), do primeiro Centro Tecnológico em Robótica de Macapá representa um grande passo não só para a educação pública do estado como para mudar a realidade de milhares de estudantes amapaenses. O centro, que conta com equipamentos modernos e de ponta para a capacitação de professores e alunos da rede pública estadual e municipal, faz parte do “Samaúma Tech”, projeto educacional que visa inaugurar centros tecnológicos em robótica em todos os municípios amapaenses.

O projeto educacional e tecnológico é gerido pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) e governo do Amapá, implementado pela Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) e coordenado pelo Centro Internacional de Tecnologia de Software do Amazonas (CITS). “Foram anos de luta, dedicação e muito trabalho para conseguirmos, junto ao governo estadual, realizarmos este grande sonho para as escolas públicas de nosso estado: centros de robótica modernos para aprimorar a educação desses jovens e abrir o leque de futuras oportunidades profissionais para esses alunos. Hoje, foi inaugurado mais um de muitos outros espaços desse tipo em nosso estado”, disse o senador amapaense.

O principal objetivo do “Samaúma Tech” é fortalecer o sistema de educação pública por meio de conhecimentos da ciência e tecnologia. A expectativa é de que, em Macapá, 500 professores sejam capacitados e seis mil alunos sejam qualificados para integrar, como profissionais e cientistas, o mercado de trabalho. “Estamos falando de uma importante iniciativa que vai oferecer capacitação em robótica a professores e beneficiar mais de seis mil alunos em nosso estado. Ou seja, o ‘Samaúma Tech’ não só educa e capacita como amplia as possibilidades de emprego desses futuros jovens no mercado de trabalho”, frisou Alcolumbre.

Os centros em robótica no Amapá só estão se tornando realidade devido à atuação incansável, e na linha de frente de Alcolumbre na busca de recursos e parcerias para tornar o projeto em realidade para os amapaenses. “O objetivo do ‘Samaúma Tech’ é fomentar o ensino da ciência e tecnologia na educação básica, capacitando estudantes e professores e transformando a escola em um espaço de inovação”, afirmou Alcolumbre.

O plano de ação do projeto prevê que, em dois anos, sejam montados 18 laboratórios tecnológicos distribuídos em escolas dos 16 municípios do Amapá. Quatro deles estão nos mais populosos (Macapá e Santana) e um em cada uma das outras 14 cidades. “Estamos falando de vidas que serão transformadas pela educação, pela capacitação tecnológica e que, por isso, terão seu futuro transformado com mais oportunidades”, finalizou o senador Davi.

Pintura, poesia e espaços instagramáveis exaltam a beleza do Trapiche Santa Inês, em Macapá

Emoldurado pelo Rio Amazonas, na orla de Macapá, o Trapiche Santa Inês é o novo cartão postal da cidade. Quem visita o local, é recebido com pinturas e poesias feitas pelo jornalista Manoel do Vale e pelas artistas Moara Negreiros e Gabriela Campelo. São detalhes que celebram a natureza, os pontos turísticos e o jeito tucuju de ser.

Após 12 anos de obras, o Governo do Amapá concluiu, em apenas quatro meses, a estrutura do maior trapiche para contemplação do Rio Amazonas do estado. O espaço foi entregue pelo governador, Clécio Luís, nesta terça-feira, 22.As pinturas e poesias deixam o local a cara do Amapá, tornando o ambiente mais aconchegante e informativo para moradores, turistas e para a própria cidade de Macapá, que recebe mais um equipamento de lazer e contemplação.

O Trapiche Santa Inês também conta com espaços “instagramáveis”. Os visitantes podem tirar fotos em um letreiro da palavra Amapá com  acento que remete a um tambor de marabaixo, principal movimento da cultura afro-amapaense.

Outro local perfeito para fotos e arrasar nas redes sociais é um cenário que remete a uma tela de celular, onde se pode registar a “maior selfie do mundo”, tendo a beleza da Orla de Macapá ao fundo. Beleza em palavras

O jornalista Manoel do Vale, da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), foi quem produziu as poesias dos pórticos que trazem informações sobre outros pontos turísticos da capital, como a Casa do Artesão, a Praça Sabores do Amapá e a Fortaleza de São José.

Do Vale viveu mais de dez anos perto do local onde fica o trapiche e guarda memórias afetivas dessa fase. Para ele, o trapiche tem uma força poética muito grande, pois é símbolo da vida em movimento.

“No trapiche vive a tristeza abraçada à felicidade, a luz que brilha no rosto de quem espera a pessoa que desembarca, às lágrimas salgadas que caem nas águas doces do rio Amazonas. Eu me sinto como um profissional que fez um bom trabalho junto à minha equipe”, conta o jornalista.Arte ribeirinha

O trapiche recebeu uma pintura que remete à vida ribeirinha, com desenhos de barcos, pássaros e botos em cores vibrantes, como rosa e vermelho. Os cenário, tão comuns para quem vive o dia a dia amazônico, foram feitos pela dupla Moara e Gabriela, que contaram com auxílio de quatro assistentes.

Desde 2019, elas atuam como pintoras profissionais, levando o grafite de rua para dentro de casas e estabelecimentos comerciais. Cada artista possui uma trajetória marcante e independente em festivais e exposições.Juntas, elas assinaram grandes trabalhos, em destaque o mirante da orla do bairro Cidade Nova, entregue pela Prefeitura de Macapá em 2020, na gestão do então prefeito, Clécio Luís.

“O processo de produção foi muito gratificante. Dentro desse conceito, a gente traz os elementos que fazem parte da paisagem, como garças e outros animais que passavam. E trazemos muita cor, que é nossa marca registrada. Ficamos muito felizes com a oportunidade de mais um trabalho na orla do Rio Amazonas”, pontua Moara.

Trapiche Santa Inês

Com aproximadamente 8 mil metros quadrados, o novo Trapiche Santa Inês também ganhou deck com acessibilidade, área verde com paisagismo, chafariz, iluminação em LED.

O espaço conta, ainda, com faixas de alto e baixo fluxo para pedestres e ciclistas e pergolados. A obra foi executada pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf), que retomou o projeto em abril de 2023. O investimento é de R$ 1 milhão

Com incentivos do Governo do Amapá, Distrito Industrial ganha fábrica de painéis de energia solar

Governador Clécio Luís conheceu a nova fábrica da Minasol Energia Solar, no Distrito Industrial


Nesta quinta-feira, 20, o governador do Amapá, Clécio Luís, e o vice Teles Júnior participaram da inauguração da nova fábrica da Minasol Energia Solar, localizada no Distrito Industrial de Macapá e Santana. A novidade, que vai triplicar a capacidade de produção de painéis fotovoltáicos da empresa, recebeu incentivos e suporte do Estado, por meio da Agência de Desenvolvimento Econômico (Agência Amapá).

O empreendimento é parte da política estadual que garante incentivos fiscais e o benefício do regime especial na importação de bens do exterior com incentivos de imposto sobre circulação de serviços (ICMS), reduzidos a 1%, por meio do corredor de importação. O Porto de Santana e as estratégias econômicas são atrativos para empreendimentos apostarem no estado.

“Estamos orgulhosos dessa novidade da Minasol. O que vemos aqui é resultado de muito trabalho feito junto à Agência Amapá, até mesmo antes de eu assumir o Governo. Tendo a atividade econômica ativa, temos emprego, circulação de renda, e dignidade para o povo. A expansão de negócios como a Minasol é um exemplo disso. Continuem contando com o Governo”, destacou o governador.

Há 5 anos no mercado local, a Minasol foi pioneira na fabricação de painéis fotovoltaicos no estado, produzindo placas solares de 150 watts a 320 watts e inversores solares de 0,6 a 60 kwp, produtos estes que recebem do Governo do Estado, a certificação do Selo Amapá – produtos do meio do mundo.

“Temos muito trabalho pela frente. O grupo considera o Amapá a virada de chave da Minasol. Sem o esforço e o empenho do Governo e seus colaboradores, isso também não estaria acontecendo. Depois que a Minasol se instalou aqui, nós cultivamos um amor pelo estado e a nossa expansão é demonstração disso. Essa é a nossa casa”, disse o diretor-presidente do grupo Minasol, Abdias Eduardo Pontes.

O novo parque gera, na fase inicial, cerca de 50 postos de trabalho diretos e até 300 indiretos, fortalecendo o mercado, aumentando a geração de renda e, consequentemente, impulsionando o desenvolvimento econômico, beneficiando também o Município de Santana.

“Essa empresa gera muitos empregos e tem gerado mais com essa ampliação. Daqui sairão carretas levando o nome de Santana para o restante do Brasil, Canadá, Panamá e Japão. Este distrito é esperança de mais oportunidades. Santana cumpre sua vocação de ser motor da economia do Amapá e isso acontece graças ao investimento privado. Estamos confiantes, acreditando no sucesso desta empresa”, ressaltou o prefeito de Santana, Bala Rocha.