Repiquete no Meio do Mundo

Um blog feito na esquina do Rio Amazonas com a Linha do Equador, no Amapá.

Papa Francisco reconhece virtudes heroicas de Marcello Candia

Alcilene Cavalcante em 10 de julho de 2014

France Presse

 

O papa Francisco assinou nesta quarta-feira (9/7) o decreto que reconhece as virtudes heroicas do italiano laico Marcello Candia (1916-1983), fundador do hospital de Macapá, no rio Amazonas.

Conhecido como o “Doutor Schweitzer do Amazonas”, Candia mudou-se nos anos 60 para uma das zonas mais remotas do Brasil, onde ajudou doentes, principalmente, os leprosos, e fundou escolas, seminários e associações de voluntariado.

Proveniente de uma família de ricos industriais do norte da Itália, formado em Química e Biologia, Candia fez parte da resistência contra o fascismo, ajudou judeus e refugiados italianos e, através do arcebispo de Milão, o futuro papa Paulo VI, conheceu o padre Aristide Pirovano, com quem iniciou sua experiência brasileira.

Em 1991, o cardeal Carlo Maria Martini abriu o processo para sua beatificação, o que permitiu ao papa Francisco decretar, 23 anos depois, suas virtudes heroicas, primeiro passo para chegar a ser santificado.

1971 - Dr. Marcelo Cândia com o Papa Paulo VI e Dom Aristides Piróvano - Cópia

Dedo no teclado

Alcilene Cavalcante em 10 de julho de 2014

O leitor, José, manda a seguinte reclamação:

Via Pública utilizada por Auto Escola coloca em risco a segurança de cidadãos

 

Há cerca de três anos a Avenida Antônio Gonçalves Tocantins, no Bairro do Trem, é utilizada como área de treinamento da Auto Escola São Cristóvão. Vários carros de aprendizes treinam diariamente no local, inclusive à noite, atrapalhando o trânsito e colocando em risco a segurança de moradores, transeuntes e motoristas que passam pela referida avenida. Resta saber se o uso do espaço público é autorizado pelos Órgãos competentes. Com a palavra o Poder Público.

Auto-escola-IMG_4552

Piquenique Coletivo sobre democratização da mídia

Alcilene Cavalcante em 10 de julho de 2014

O senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP) participa hoje, 10 de julho, do “Piquenique Coletivo” sobre democratização das mídias. O piquenique está sendo promovido pelo COLETIVO CONSTRUÇÃO em parceria com a CASA FORA DO EIXO.

É hoje, quinta-feira, às 17h, no gramado do R.U. (restaurante universitário) da Unifap.

Participe! A conversa será transmitida ao vivo pela Internet e pela Rádio Unifap, 96,9.

Pic-nique

Sebrae realiza mais um Empretec

Alcilene Cavalcante em 10 de julho de 2014

Estão abertas as inscrições para o seminário Empretec, promovido pelo Sebrae no Amapá. As entrevistas que são pré-requisito para ingressar ao seminário ocorrem no período de 21 a 25 de julho, das 9h às 12h e das 14 às 20h. O curso acontece no período de 28 de julho a 2 de agosto, das 8h às 12h e das 14h às 19h30, no Centro da Educação Empreendedora do Sebrae.

O Seminário Empretec promovido pelo Sebrae em todo país, tem o objetivo de despertar o espírito empreendedor nos participantes, para que possam elaborar estratégias e identificar oportunidades de negócios

 

Macapá terá Centro de Iniciação ao Esporte

Alcilene Cavalcante em 10 de julho de 2014

Na manhã dessa quarta-feira, 9, o prefeito Clécio Luís assinou o Termo de Compromisso enviado pela Caixa Econômica Federal para a construção do Centro de Iniciação ao Esporte (CIE) na capital. O CIE é um espaço multiuso para a prática de esportes voltados à iniciação esportiva e ao esporte de alto rendimento, que estimula a formação de atletas em áreas de vulnerabilidade social. O Ministério dos Esportes desenvolveu a concepção do Centro na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

Triste registro

Alcilene Cavalcante em 09 de julho de 2014

Faleceu o economista Edson Sarges. Ex-secretário de Fazenda, ex-presidente da Jucap, servidor federal, mas acima de tudo, um cara sensacional.

Edson vinha lutando há alguns anos contra um câncer e estava em tratamento em São Paulo, onde faleceu.

Seu corpo chega hoje, 09.07, a tarde, em Macapá e será velado na Capela Santa Rita, na avenida Mendonça Furtado.

 

No carnaval deste ano de 2014, Edson, mesmo debilitado pela doença, fez questão de desfilar na sua escola de samba do coração, Piratas da Batucada.

SONY DSC

 

 

Da coluna de Ivan Martins, em Época

Alcilene Cavalcante em 09 de julho de 2014

Enfim, um homem sensível

O zagueiro David Luiz não deu show de bola, mas mostrou como se comporta um novo homem de verdade

Se eu pudesse escolher uma imagem para representar a Copa de 2014, seria a de David Luiz deixando o estádio do Mineirão com lágrimas nos olhos, pedindo desculpas à multidão nas arquibancadas. Minha impressão é que esse rapaz veio a simbolizar, nos últimos dias, por seu comportamento e por suas atitudes, algumas novidades positivas a respeito dos homens brasileiros. Nos momentos de alegria e de tristeza, ele fez com que a gente se orgulhasse dele – e, por extensão, de nós mesmos. Não se pode pedir mais que isso de um herói.

Davi-tears_in_brazil-photo_r

Muitos dirão que ele teve culpa no gol sofrido pelo Brasil e na debacle que conduziu ao placar de 7 a1 a favor da Alemanha. A esses eu diria que não há nada pior do que ser o capitão de um general incompetente. David Luiz, como os demais jogadores, entrou em campo totalmente despreparado para enfrentar o que veio pela frente. O time estava mal escalado, mal orientado e mal treinado. Quando a partida começou, ficou evidente que jogávamos um futebol obsoleto e ultrapassado, enquanto os alemães se moviam pelo campo de forma eficiente e harmoniosa. Parecia haver no Mineirão equipes de duas épocas diferentes, ou praticantes de dois esportes distintos. Era cruel e doloroso ver como uns sobrepujavam os outros com tanta facilidade, a ponto de os alemães parecerem constrangidos. Eles tinham um time, nós éramos um bando que rapidamente se desfez, inclusive emocionalmente. Os jogadores, no entanto, tiveram de continuar em campo, desorientados, entregues à própria sorte e às vaias, construindo, ao longo de 90 minutos, memórias que irão persegui-los pelo resto de suas vidas, injustamente.

Ontem, ao final daquele jogo terrível com a Alemanha, que encheu de vergonha os que gostam de futebol, David Luiz não tentou inventar explicações que salvassem a sua pele ou a de seus colegas de time. Ele simplesmente chorou diante das câmeras, depois de ter lutado em campo, reiterando, de uma forma que parecia muito sincera, o quanto era importante para ele “dar alegria ao povo sofrido do Brasil” e como lhe doía haver falhado de forma tão miserável nessa missão. Numa profissão dominada por milionários consumistas, desconectados das pessoas que lhes garantem a fama e a fortuna, me comoveu ver um sujeito com os sentimentos tão próximos aos dos torcedores. David Luiz, como nós, estava triste e envergonhado, e teve a grandeza de expor isso em público, sem subterfúgios.

#Vai Brasil

Alcilene Cavalcante em 08 de julho de 2014

Só faltam duas.

Copa

Casa das Rosas

Alcilene Cavalcante em 08 de julho de 2014

CasadasRosas-foto-4

Jean Alex na comunicação da campanha de Bruno Mineiro

Alcilene Cavalcante em 08 de julho de 2014

O ex-presidente e ex-coordenador de eventos do governo de Camilo Capiberibe, Jean Alex Nunes, é quem irá coordenar a comunicação da campanha de Bruno Mineiro. Jean também está coordenando o plano de governo. E o publicitário Chico Cavalcante, da Vanguarda Comunicação, de Belém, mas que já fez várias campanhas em Macapá, é quem vai comandar o marketing.

SESC em boas mãos

Alcilene Cavalcante em 08 de julho de 2014

Competente Karina Alavarenga, servidora de carreira do Sebrae, onde desenvolveu irretocável trabalho na coordenação de grandes eventos, é a nova diretora Regional do SESC.  Karina soma na gestão de Viter Maranata, presidente da Fecomércio. A Federação administra os S do Comércio – SESC e SENAC.

Sucesso Karina!

S

Parabéns Seu Carlos

Alcilene Cavalcante em 08 de julho de 2014

A sorveteria QSabor! Foi eleita uma das 100 melhores sorveterias no Brasil. E recebeu premiação na Fispal Food Service, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Quando diretora do Sebrae, acompanhei e apoiei o reposicionamento da indústria e dos produtos da antiga Sorveteria Macapá, a as inciativas de seu Carlos pra modernizar sua empresa.

Diz o release do Sebrae

José Carlos Bastos Ferreira lembra que foi em 1999 que a sorveteria saiu da falência e ganhou a atual marca e nome fantasia. As mudanças ocorreram depois que ele participou do Empretec, curso promovido, exclusivamente, pelo Sebrae. “A inovação produtiva faz com que a empresa QSabor! chegue ao reconhecimento nacional, adotando práticas como a busca de recursos e provedores de solução, investimentos em novos equipamentos e máquinas, pesquisa de novas matérias-primas, treinamentos e cursos de capacitação com empresas e entidades parceiras”.

Sorveteria QSabor (0)

Agora sim

Alcilene Cavalcante em 08 de julho de 2014

20 dias de férias. Foi preciso mais uns pra colocar novamente a vida em ordem.

E nessas férias, também tirei férias do blog, que vai votando devagar. Mas já já estará bafônico com os bastidores da política, notas e buxixos sobre o que é notícia no território livre da internet.

E as férias foram mais ou menos assim:

Vi a seleção passar para o jogo de abertura da Copa das Copas. ( Quer dizer..o ônibus com os jogadores dentro)

blog-1

Me diverti na Vila Madalena, no clima da copa.

blog-2

Passeei no Bexiga (comunidade italiana em SP), no dia que a Itália foi eliminada.

Blog-3

Fui aos shows do Zeca Baleiro e do Diogo Nogueira.

Comi fondue na casa de amigos, nas noites frias.

Amiga Viviane

Amiga Viviane

Recebi os amigos do Amapá pra ver os jogos do Brasil. E amigos e familiares de São Paulo também.

Eu e a Tati Rezende

Eu e a Tati Rezende

Passeei muito na avenida Paulista, com meus filhos, turistando no clima da copa. Li bastante e assisti a muitos jogos da copa (na TV).

Um brinde às férias e à volta pra minha vidinha.

Margarita no mexicano Sir Senor

Margarita no mexicano Sir Senor

Ulha!

Alcilene Cavalcante em 08 de julho de 2014

Jornalista Bernadeth Farias, sambando na nossa cara com essa cuia de tacacá, da porruda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Prefeitura consegue mais de R$ 5 milhões para obras de pavimentação e ciclovias na Rodovia do Pacoval

Alcilene Cavalcante em 07 de julho de 2014

A Prefeitura de Macapá conseguiu a liberação de R$ 2,2 milhões para dar início aos trabalhos de pavimentação asfáltica na Rodovia do Pacoval. Serão mais de 3,7 quilômetros de vias recuperadas, com serviços de pavimentação, calçamento, meio fio, ciclovias, terraplenagem e drenagem. O recurso é referente à primeira parcela da emenda do deputado federal Davi Alcolumbre, inserido no Projeto Calha Norte, cujos valores estão divididos em dois convênios firmados com a prefeitura.

 

 

A melhor charge

Alcilene Cavalcante em 07 de julho de 2014

A charge de Dalcio Machado mostra a solidariedade do povo brasileiro com Neymar.

charge.jpg large

Eleições 2014: TRE-AP recebe mais de 500 registros de candidaturas

Alcilene Cavalcante em 07 de julho de 2014

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) encerrou, neste sábado (5), o prazo para Partidos Políticos, coligações e candidatos protocolarem seus requerimentos de Registros de Candidaturas para as Eleições Gerais de 2014. Ao todo, foram recebidos 504 pedidos de 30 agremiações.

Foram protocolados no TRE: sete registros ao Governo do Estado, 10 ao Senado, 107 a Deputado Federal e 353 para o cargo de Deputado Estadual, além dos cargos de Vice-Governador (sete) e Suplentes a Senadores (20).

O atendimento aos partidos foi realizado na Casa da Cidadania e encerrado às 19h. Mais de 20 servidores da Justiça Eleitoral trabalharam em regime de plantão para atender aos pedidos de registro.

As informações sobre os candidatos, partidos e coligações podem ser acessadas através do endereço: http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2014/sistema-de-divulgacao-de-candidaturas.

Serviço:

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá

Assessoria de Comunicação e Marketing

Elton Tavares

ALTV

 

Ilegal

Alcilene Cavalcante em 07 de julho de 2014

STJ anula decisão que determinava prisão do secretário de saúde, Jardel Nunes.

A prisão de Jardel Nunes foi decretada na última terça-feira, 1, pelo desembargador Constantino Brahuna, pela falta de um aspirador ultrassônico, que já havia sido pedido pela SESA.

A mim parece que querem igualar Jardel aos secretários de Saúde, do antigo governo que quer voltar, que foram todos presos por corrupção.

Não parece?

A decisão do ministro

STJ-up_ag_8360_gilson_dipp_1a

 

Nota 10

Alcilene Cavalcante em 07 de julho de 2014

Para as secretarias de Educação do estado e do município de Macapá que estão realizando colônias de férias para os alunos da rede pública.

A prefeitura de Macapá está promovendo pela segunda vez o projeto, e este ano está trazendo para a colônia de férias as crianças das escolas das zonas rurais.

Cultura, esportes, integração com alunos de outras escolas, circo, arte e lazer.

O fosso da desigualdade no capitalismo

Alcilene Cavalcante em 07 de julho de 2014

* Charles Chelala. Economista. Professor. Mestre em Desenvolvimento Regional

A obra do economista francês Thomas Piketty, “O Capital no Século 21”, que será lançado no Brasil em setembro, é um dos maiores sucessos literários de todos os tempos, vendendo cerca de 200 exemplares por hora. A razão do estrondoso êxito é a abordagem de um tema quase sempre escamoteado nos debates do “mainstream” da economia: entender o porquê de o capitalismo ser tão injusto, produzindo imensa desigualdade social e, por que sua evolução só faz aumentar cada vez mais o fosso, ao invés de reduzir as disparidades.

Piketty faz uma pesquisa de fôlego em fontes primárias dos fiscos de diversos países, todos disponíveis no site “The World Top Incomes Database”. Chegou à conclusão que, no longo prazo, o retorno obtido sobre o capital, ou seja, a remuneração aos investidores na forma de lucros e juros é sempre superior ao desempenho global da economia. Com isso ele demonstra que a riqueza das pessoas localizadas no topo da pirâmide social cresce três vezes mais rápido do que o conjunto da economia.

O autor apressa-se em afirmar que não bebe da fonte marxista, renova sua fé no livre-comércio e critica a teoria elaborada por Marx da “Lei da tendência à redução da taxa de lucros”, sobre a qual abordarei a seguir. A solução proposta por Thomas Piketty é a taxação brutal sobre o patrimônio (fortunas e propriedades) o que permitiria, por um lado, reduzir a carga de impostos para a classe média e assegurar receita para gastos sociais na base da pirâmide.

Pois bem, a origem política da economia de mercado é a Revolução Francesa com o lema “liberdade, igualdade e fraternidade”. O capitalismo falhou nas três promessas, especialmente na promoção da igualdade entre seres humanos. Economistas tradicionais acreditavam na teoria de Simon Kuznets, que criou uma curva em “U” invertido com o seu nome, segundo a qual, o crescimento econômico inicialmente aumenta a desigualdade, mas a partir de certo ponto, a evolução do capitalismo promove redução da desigualdade. Tirando algumas exceções escandinavas (Suécia, Dinamarca, Noruega), a pesquisa de Piketty derrubou a teoria de Kuznets e levou junto a ideia de que o capitalismo premia o mérito de quem mais se esforça. Nada disso, quem nasce rico fica cada vez mais rico, enquanto os pobres têm imensa dificuldade em ascender socialmente.

Assim, apesar de negar, a obra corroborou com a teoria geral da acumulação capitalista de Marx. Para o marxismo, a origem do lucro é mais-valia, que só pode ser extraída da força de trabalho, que é remunerada em valor inferior à sua produção (geração de valor a mais). Com a evolução do capitalismo a produção tem que evoluir tecnologicamente, aumentando a composição de máquinas e equipamentos em relação à proporção de mão de obra. Com isso, perde-se a fonte e a taxa de lucro tende a cair indefinidamente, até o estágio da estagnação. Importante não confundir taxa de lucro com volume global de lucro extraído, que pode crescer com os ganhos de escala. O lado nefasto é que esta lógica leva inexoravelmente à concentração, uma vez que as empresas menos tecnológicas são fechadas ou absorvidas, o que gera, por um lado, poucos conglomerados extremamente poderosos e ricos e, por outro lado, amplia a quantidade relativa de pessoas marginalizadas. Piketty traz a comprovação estatística da teoria de Marx.

Outra vítima do livro é o neoliberalismo. Fica claro que, nos marcos do capitalismo, somente o Estado pode minimizar a desigualdade seja pela taxação aos ricos, seja pelos programas sociais dirigidos aos mais pobres.