Repiquete no Meio do Mundo

Um blog feito na esquina do Rio Amazonas com a Linha do Equador, no Amapá.

Dilma quando viu o vídeo

Alcilene Cavalcante em 30 de outubro de 2014

Dilma-vídeo

A anta de Tartarugalzinho

Alcilene Cavalcante em 30 de outubro de 2014

Juiz Heraldo Costa, amigo e colaborador bissexto deste blog, mandando coisas bacanas que ele encontra pelo interior do Amapá, enviou ontem o crânio de uma anta enorme que ele encontrou no interior do município de Tartarugalzinho.

Vejam o que ele diz:

Anta, o maior mamífero brasileiro.

Achei no interior de Tartarugalzinho um crânio de uma anta rosilha ou rusilha, que, segundo especialistas que consultei, teria em vida em torno de 200 quilos (tamanho de um boi pequeno).

Já está na minha estante.

Mando a foto pra verem

anta

ANTA-1

Congresso do MP-AP terá a presença da psiquiatra Ana Beatriz Barbosa que aborda o tema psicopatia

Alcilene Cavalcante em 30 de outubro de 2014

O III Congresso do Ministério Público do Amapá traz ao Amapá grandes nomes da justiça e da psiquiatria nacional para debater com o público, como a médica e escritora Ana Beatriz Barbosa Silva, que faz palestra “Mentes Perigosas”, no dia 14, às 16h, que discute a psicopatia. Confirmado para acontecer de 12 a 14 de novembro, com o tema “Construindo um Ministério Público Mais Forte”, o Congresso é voltado para o meio jurídico e da psicologia, mas é aberto para membros, servidores, profissionais e acadêmicos de todas as áreas.

A médica psiquiatra Ana Beatriz Barbosa é referência no tratamento de transtornos mentais e realiza palestras, além de prestar consultoria em todo o país sobre comportamento humano. Membro da Academia de Ciência de New York, ela é presença constante em programas de televisão para discorrer sobre o tema. Também fez consultoria para a escritora Glória Perez, para a construção da personagem Yvone, psicopata interpretada por Letícia Sabatella em novela televisiva, e para Edu, do seriado Dupla Identidade, vivido pelo ator Bruno Gagliasso.

A palestra é baseada no livro “Mentes Perigosas, o Psicopata Mora ao Lado”, de sua autoria, Best-seller que analisa casos de grande repercussão, como o Nardoni e Eloá. Lançado em 2008, o livro aborda a presença de psicopatas em nosso cotidiano. De acordo com a autora, 4% da população mundial sofre do transtorno, os tornando frios, calculistas e insensíveis às dores alheias. Ela chama a atenção para estas pessoas que convivem na sociedade e alerta para as armadilhas e truques. Ana Beatriz é autora de outras publicações sobre comportamento humano.

O Congresso contará, ainda, com as presenças ilustres: do procurador de Justiça do Ministério Público de São Paulo, Edilson Mougenot; do promotor de Justiça de São Paulo, Luiz Henrique Dal Poz, do escritor Leônidas Correia das Neves; do procurador de Justiça de São Paulo, Gianpaolo Paggio Smanio, do promotor de Justiça do MP de Minas Gerais, Fábio Galindo Silvestre; dos conselheiros do Conselho Nacional de Ministério Público (CNMP), Esdras Dantas de Souza e Alexandre Berzosa Saliba; e do promotor de Justiça de São Paulo, Everton Luiz Zanella.

O III Congresso é uma realização do MP-AP e da Associação do Ministério Público do Amapá (AMPAP), que irá acontecer no auditório da Faculdade CEAP. O investimento é de R$ 100,00 para profissionais, e R$ 50,00 para acadêmicos, com inscrições somente pelo site: www.mpap.mp.br, no período de 27 de outubro a 10 de novembro.

O novo Macapá Shopping

Alcilene Cavalcante em 29 de outubro de 2014

Grupo Fortaleza faz coquetel de inauguração para apresentar o novo Macapá Shopping, que será aberto à população a partir de amanhã.

Shopping

Os afoitos

Alcilene Cavalcante em 29 de outubro de 2014

Alguns afoitos já lançaram a deputada Marília Góes como candidata a prefeita de Macapá em 2016. Mas acho que não pode. Parente em primeiro grau de executivo, só pode concorrer à reeleição. Mas os advogados que espiam por aqui podem informar melhor na caixinha de comentários.

Base do Jorge Amanajás, que concorreu ao governo e apoiou Waldez no segundo turno, chiou logo com os posts sobre Marília, dizendo que em 2016 o candidato a prefeito é Jorge. Deve ter sido acordo eleitoral, penso eu.

As ameaças à Prefeitura de Macapá

Alcilene Cavalcante em 29 de outubro de 2014

Waldez se elegeu prometendo governar apoiando todos os munícipios e disse em entrevistas que uma de suas primeiras atividades será reunir com os prefeitos. Mas militantes de sua campanha, que suponho, farão parte de seu governo, ainda nem começaram a governar e já ameaçam a prefeitura de Macapá e a gestão do prefeito Clécio, com mensagens bem odientas.

Ei, militonto! Sai do palanque e olha que os moradores de Macapá também votaram em sua maioria em Waldez!

 

I Simpósio de Línguas da UEAP

Alcilene Cavalcante em 29 de outubro de 2014

cartaz_simposio

Reforma Política..Matéria de O Globo

Alcilene Cavalcante em 29 de outubro de 2014

RIO — A presidente reeleita Dilma Rousseff admitiu nesta terça-feira a possibilidade de dialogar com o Congresso Nacional e fazer um referendo para a reforma política. Logo após a apuração das urnas, Dilma havia discursado sobre a necessidade da elaboração de um plebiscito. No referendo, a população responderia “sim” ou “não” a um projeto elaborado pelo Congresso. Já no outro tipo de consulta popular, os brasileiros escolheriam entre diferentes opções de sistema político e financiamento de campanha.Dilma deu entrevista ao SBT e à Band nesta terça-feira.

Nos últimos dois dias, parlamentares e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), reagiram à proposta de plebiscito. Dilma disse, agora, que não está “preocupada” com o formato da consulta popular, mas destacou que será difícil o debate do tema sem que tenha a participação popular.

— Acho que não interessa muito se é referendo ou plebiscito. Pode ser uma coisa ou outra — afirmou.

— Eu participei nessa eleição de discussões em todo o Brasil. Aliás, isso talvez seja o grande mérito de uma eleição, a capacidade de você discutir e dialogar com os mais diferentes setores. O que que eu vi? Eu vi uma ânsia imensa pela reforma política. Além disso, eu vi um movimento muito forte de vários segmentos, nem todos pensam igual, mas todos eles irmanados nessa questão da reforma política, que me apresentaram entre 7 milhões a 8 milhões de assinaturas — disse Dilma sobre as propostas da OAB, do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral e da CNBB.

Dilma garantiu que chamará a oposição para o diálogo com a nação, como prometido no domingo passado, em seu pronunciamento na festa da vitória da campanha. Ela incluiu os presidenciáveis derrotados Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) na lista de representantes a serem procurados.

— Eu não acredito que alguém queira um futuro pior para o país. Então, já tem aí um ponto de unidade, de possível união. Eu acredito que a disposição para o diálogo são essenciais pós-eleições. Obviamente, esse diálogo tem que abranger a maior parte ou todos os setores organizados que se dispuserem. Isso inclui aqueles que foram oposição e adversários meus durante o processo eleitoral.

Dilma descartou negociar com a oposição sobre projetos pontuais em tramitação no Congresso. Ela disse que a conversa com essas lideranças tem que ser sobre questões maiores.

— Não é negociação toma lá da cá. Tem que ser sobre as questões importante para o futuro do país. É obvio que eu posso perder uma votação no Congresso, mas também posso ganhar. Agora, o que acho que vamos ter que discutir não são questões pontuais. Temos que discutir como encarar daqui para frente as reformas fundamentais, como a política, tributária — afirmou.

Com o principal governador do PSDB, Geraldo Alckmin (São Paulo), a presidente disse que a oferta de ajuda para enfrentar a crise de abastecimento em São Paulo já foi feita pelo governo federal e que, agora, é o tucano quem deve procurá-la se quiser parceria.

Ao ser questionada sobre a regulação da mídia, a presidente afirmou que não pretende interferir na liberdade de expressão:

— Eu sou de uma época. Eu vivi sobre a ditadura, e ao viver sobre a ditadura eu sei o valor da liberdade de imprensa. Agora, como qualquer setor econômico, porque a mídia não é somente ou cultural ou jornalístico, tem de ter regulações econômicas. Vamos discutir bastante antes de fazê-lo.

Sobre mudanças no direito de resposta, Dilma acredita que o tema deve ser regulamentado:

— As pessoas não podem se dar ao luxo de querer bloquear informações porque se sentem ameaçadas ou feridas. Por isso que tem de regulamentar para colocar limites claros.

 

Dia do Servidor Público

Alcilene Cavalcante em 28 de outubro de 2014

Viva a gente que escolheu servir ao serviço público e contribuir todos os dias com a sociedade através da administração pública.

Meu abraço e carinho a todos os servidores que visitam o blog

cafe-da-manha-com-espumante

Chapa quente

Alcilene Cavalcante em 28 de outubro de 2014

Elton-

Registrando e parabenizando pelo trabalho o jornalista Elton Tavares, assessor de Comunicação do TRE-AP.

Trabalho de primeira. Manteve a imprensa informada de tudo. Dinamismo na produção, informação clara e precisa, com textos sem linguiça. E ainda usando as redes sociais pra deixar todo mundo bem informado sobre as eleições 2014.

Além da disponibilidade para atender bem a imprensa, mesmo na correria que é trabalhar em uma eleição.

Irretocável o trabalho de comunicação do TRE-AP.

Parabéns Elton!

Parabéns ao presidente Raimundo Vales!

E parabéns a toda equipe do TRE-AP. Trabalho muito bem feito nas eleições.

Randolfe já ligou para Dilma e Waldez

Alcilene Cavalcante em 28 de outubro de 2014

Senador Randolfe Rodrigues ligou ontem mesmo para o governador eleito, Waldez Góes, para colocar seu mandato à disposição das causas do Amapá e parabenizar pela vitória. Mas ainda não conseguiu falar com Waldez. Segundo fontes do blog, Waldez segurou um pouco a agenda, por estar com problemas na garganta.

Com a presidente Dilma, Randolfe conversou ontem por telefone. E parabenizou pela vitória. Randolfe apoiou Dilma no segundo turno das eleições.

com 60.58% dos votos, Waldez Góes é eleito governador do Estado

Alcilene Cavalcante em 27 de outubro de 2014
Foto: Site SelesNafes.com

Foto: Site SelesNafes.com

Waldez Góes (PDT) foi eleito novo governador do Estado. Ele obteve 220.256 votos (60,58%)

Camilo Capiberibe (PSB), que concorria à reeleição, recebeu 143.311 votos (39,42%).

Após o resultado, Waldez Góes disse em entrevista, que não vai ficar falando em arrumar a casa. Vai começar a trabalhar no primeiro dia de governo e elencou como prioridades saúde, segurança e o apoio aos municípios.

O governador Camilo Capiberibe recebeu o resultado com serenidade. Reconhecendo que priorizou fazer uma boa gestão, mas se afastou do contato mais direto com o povo, com teve dificuldades de se comunicar.

Pelo twitter, rede social que Camilo usou como candidato em 2010, e onde interagiu diretamente com a população durante todo o governo, Camilo escreveu:

” Agradeço do fundo do meu coração cada voto depositado nas urnas e também o carinho e a generosidade do povo do Amapá.

Agradeço a militância guerreira que em cada momento me impulsionou a enfrentar a mais dura campanha que já participei na minha vida.

Parabenizo o adversário e desejo sorte a ele e ao povo q fez sua escolha a qual recebo com humildade. Continuarei com meu papel de militante”.

 

Colando do blog da irmã

Alcilene Cavalcante em 26 de outubro de 2014

http://www.alcinea.com/

hoje1No Amapá 445.514 eleitores estão aptos a escolher entre o ex-governador Waldez Góes (PDT) e o atual governador Camilo Capiberibe (PSB) quem vai governar o estado nos próximos quatro anos.
Waldez, de acordo com o Ibope, tem 62% das intenções de voto. Camilo tem 38%.
No primeiro turno o candidato pedetista teve 161.550 votos, o que equivale a 42,18% dos votos válidos. O pessebista teve 105.445%, ou seja, 27,53%.
No maior colégio eleitoral do estado, a capital Macapá, Waldez abocanhou os votos de 37,99% do eleitorado contra 30,22% de Camilo. No segundo maior colégio eleitoral, Santana, a diferença foi maior: Waldez teve 51,03% e Camilo 20,35%.
No primeiro turno, com sete candidatos disputando o governo, 4.808 eleitores (1,18%) votaram em branco; 20.023 (4,91%) anularam o voto e 47.522  eleitores (10,44%) deixaram de votar.

Camilo Capiberibe, 42 anos, é filho do ex-governador e senador João Capiberibe e da deputada federal Janete Capiberibe. Todos do PSB. Estreou na política em 2006 elegendo-se deputado estadual; em 2008 tentou a prefeitura da capital, mas foi derrotado por Roberto Góes (PDT). Em 2010 elegeu-se governador derrotando no segundo turno Lucas Barreto (PTB).
Camilo tem o apoio dos senadores Randolfe Rodrigues (PSOL) e João Capiberibe (PSB), do senador eleito Davi Alcolumbre (DEM), do prefeito da capital, Macapá, Clécio Vieira (PSOL), do vice-prefeito Allan Sales (PPS) .

Waldez Góes, 53 anos de idade,  iniciou a carreira política em 1990 elegendo-se deputado estadual. Foi reeleito em 1994. Em 1998 disputou o governo e perdeu para João Capiberibe (PSB). Em 2002 elegeu-se governador e em 2006 reelegeu-se em primeiro turno. Em abril de 2010 renunciou ao mandato para disputar o Senado. Em plena campanha, liderando as pesquisas de intenção de votos, foi preso pela Polícia Federal na Operação Mãos Limpas. Passou 10 dias preso em Brasília e perdeu a eleição.
Waldez tem o apoio do senador José Sarney e da maioria dos deputados estaduais e federais.

Ibope: Waldez tem 62% e Camilo 38%

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 25/10/14 as 7:15 pm

O ex-governador Waldez Góes (PDT) deverá ser eleito amanhã para governar mais uma vez o Amapá. É o que mostra pesquisa do Ibope divulgada na noite deste sábado, pela TV Amapá.

Góes aparece com 62% das intenções de voto contra 38% de Camilo Capiberibe (PSB), que concorre à reeleição. Estes percentuais levam em conta apenas os votos válidos.
Quando se trata da totalidade de votos, Góes tem 55% e Capiberibe 34%. Os votos brancos e nulos somam 8%; não sabem/ não responderam totalizam 3%.
A pesquisa, encomendada pela Rede Amazônica de Televisão e registrada no TSE sob o número BR-01189/2014, foi feita entre os dias 22 e 24. O Ibope ouviu 812 eleitores. A margem de erro é de 3% para mais e para menos.

Em relação a pesquisa passada, divulgada em 17 de outubro, Góes caiu de 66% para 62% e Capiberibe  cresceu de  34% para 38%

Waldez Góes passou para o segundo turno com 42,18% dos votos  e Camilo Capiberibe com 27, 53%.

Deu na Veja: Vitória de Góes no Amapá deve ser ‘prêmio de consolação’ de Sarney

Alcilene Cavalcante em 26 de outubro de 2014

Mariana Zylberkan
Camilo Capiberibe (PSB) e Waldez Góes (PDT)

Camilo Capiberibe (PSB) e Waldez Góes (PDT) (Divulgação/VEJA.com)

Depois de assistir à derrocada do seu grupo de aliados no Maranhão, o senador José Sarney (PMDB) deve levar ao menos um prêmio de consolação nestas eleições: a vitória de Waldez Góes (PDT) na disputa pelo governo do Amapá. O ex-governador do Estado está trinta pontos à frente de Camilo Capiberibe (PSB), candidato à reeleição, nas disputas de intenção de voto e deve ser eleito neste domingo. Se confirmada, esta terá sido a única vitória do grupo político de Sarney nestas eleições. No primeiro turno, o candidato do peemedebista ao Senado pelo Amapá, Gilvam Borges, foi derrotado por Davi Alcolumbre (DEM). No Maranhão, até sua filha Roseana abriu mão de disputar cargos públicos tamanho o desgaste sofrido nos últimos anos. Apoiado pela família, Lobão Filho (PMDB) foi derrotado em primeiro turno por Flávio Dino (PCdoB). Também lá o candidato dos Sarney ao Senado, Gastão Vieira (PMDB), perdeu para Roberto Rocha (PSB).

Góes já governou o Amapá por duas vezes, entre 2003 e 2010 – ano em que foi um dos 17 presos na operação Mãos Limpas da Polícia Federal, que investigou desvio de dinheiro público no Estado. Na esteira do escândalo, foi derrotado na disputa pelo Senado nas eleições daquele ano. Seu primo, Roberto Góes (PDT), então prefeito de Macapá, também foi preso.

Para neutralizar a influência política de Sarney, senador pelo Estado por 24 anos consecutivos, lideranças políticas com ideologias opostas formaram uma aliança exótica em 2014, que se mostrou eficiente na disputa pelo Senado. O senador Randolfe Rodrigues, do PSOL, sigla fundado para abrigar o grupo conhecido como “os radicais do PT”, apoiou a candidatura ao Senado de Alcolumbre, integrante de agremiação com perfil conservador.

Uma improvável derrota de Góes representaria a total derrocada política de Sarney, que anunciou a aposentadoria em junho. Eleito, porém, Góes representará um respiro político do senador no Estado, criado em 1988, quando era presidente da República. O ex-governador chegará ao poder amparado por aliados e parentes. Sua mulher, Marília, foi eleita deputada estadual, assim como a tia do candidato, Maria. O aliado de Góes e de Sarney, Moises Souza (PSC), também conseguiu reeleger-se para a Assembleia. Os três estão entre os servidores da Câmara Estadual com as contas bloqueadas e são investigados em esquema de superfaturamento de diárias e desvios de 2,8 milhões de reais. Já Roberto Góes foi eleito deputado federal.

Góes se beneficia de uma ampla rede de meios de comunicação – 16 rádios e dois canais de TV – pertencente à família de Gilvan Borges, seu aliado, para propagar sua candidatura e atacar o adversário do PSB. A coligação formada por PSB, PT, PSOL e PCdoB acionou o Tribunal Regional Eleitoral para tentar suspender os sinais das rádios e TVs da família de Borges sob acusação de favorecimento político. O pedido de suspensão do sinal chegou a ser atendido, e as rádios ficaram fora do ar por 48 horas, nos dias 13 e 14 de setembro, mas posteriormente o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) liberou as transmissões.

Soco no Estômago

Alcilene Cavalcante em 23 de outubro de 2014

Senti como um soco no estômago, o artigo o do jornalista Bruno Paes Manso, de “O Estado de São Paulo”.

Leiam amigos. Mas alerto que ao acabar de ler, a vontade é procurar uma mesa e se meter embaixo.

 

Bruno Paes Manso

23 outubro 2014 | 09:16

 

O mundo dá voltas. Só que no Amapá os giros ocorrem em velocidade tão alta me deixam tonto. Parece que foi ontem que eu estive no Estado para testemunhar a prisão do político que atualmente é o candidato favorito na eleição para governador. Entre setembro de 2010 e outubro de 2011, fui algumas vezes à Macapá acompanhar a Operação Mãos Limpas e seus desdobramentos. A operação foi deflagrada na véspera das eleições estaduais de 2010. Malas de dinheiro e carros luxuosos como Ferrari e Maserati estavam entre os bens apreendidos com os suspeitos.  O inquérito era um show de horrores com casos de prostituição infantil e suspeitas de assassinatos.

Para fazer 18 prisões temporárias e oito preventivas, a Polícia Federal recrutou 700 homens que viajaram 22 horas pelo Rio Amazonas numa operação que custou R$ 1 milhão. O uso de um navio  buscava garantir o sigilo da ação que prendeu alguns peixes graúdos da elite local, como o então ex-governador Waldez Góes, que havia renunciado para concorrer ao senado, e seu sucessor, Pedro Paulo. Também foram para atrás das grades a ex-primeira dama Marília Góes e o presidente do Tribunal de Contas do Estado, José Júlio de Miranda. O inquérito analisou duas toneladas de materiais e documentos. Chegou a conclusão um ano depois que a suposta quadrilha havia desviado R$ 1 bilhão em recursos públicos ao longo de dez anos.  Você é capaz de imaginar, caro leitor, o que R$ 1 bilhão representa para um Estado como o Amapá?

Waldez, que havia governado entre 2003 e 2010, era apontado como peça chave no esquema. Fiz mais de dez matérias detalhando os absurdos administrativos a partir dos vídeos e provas colhidas pela PF. Falei com a população, fui a hospitais e escolas. Faltava pessoal, merendas e remédios. Quase não há esgoto no Estado, o que é temerário para o Rio Amazonas, que banha a capital, imenso como um oceano. Em períodos de maré seca, onde era rio só sobra lama e cidade organiza torneios de futlama.

O escândalo revelado pela Mãos Limpas fez parte da sociedade amapaense se mobilizar. Movimentos contra a corrupção foram criados. Randolfe Rodrigues, o jovem senador do PSOL, ganhou a eleição daquele ano e foi representar os amapaenses em Brasília. Parecia que finalmente as lideranças locais haviam se envergonhado depois de tamanha exposição. Mas não, eu acho que entendi tudo errado. Waldez é o favorito para ganhar as eleições de domingo, de acordo com as pesquisas. Sua mulher, Marília Góes, foi a deputada estadual mais votada. Na campanha, os dois disseram que eram inocentes.

Minha opinião é de um forasteiro, que enxerga tudo com enorme frustração. Também não sou de julgar 0u de achar que a corrupção é o único assunto a ser discutido na política. Só que esse caso é um soco no estômago. Ficam apenas perguntas e mais perguntas. A população amapaense é tolerante com a corrupção e com os desvios bilionários? As acusações da Polícia Federal foram injustas? O trabalho da imprensa e a publicidade do escândalo não adiantaram de nada? Waldez, Marília e a suposta quadrilha eram inocentes ou menos culpados do que pareciam? Mesmo com todos os desvios, eles foram políticos competentes? O que eles representam ou simbolizam para os eleitores que os escolhem? O governo de Camilo Capiberibe, que tenta a reeleição, foi desastroso a ponto de trazer Waldez de volta ao palco? O que Camilo fez (ou não fez) para ser preterido?

Gostaria muito de saber as respostas. Elas certamente me ajudariam a conhecer mais o Brasil e a compreender uma infinidade de coisas que eu nem sequer imagino.

Abaixo segue o vídeo que eu e o fotógrafo Thiago Queiroz fizemos a partir de imagens exclusivas da operação.

Pra ver o vídeo: http://blogs.estadao.com.br/sp-no-diva/acusado-de-integrar-esquema-que-desviou-um-r-1-bi-waldez-deve-ser-eleito-no-amapa/

Hoje tem debate na TV Amapá

Alcilene Cavalcante em 23 de outubro de 2014

Debate decisivo hoje entre os candidatos Waldez Góes e Camilo Capiberibe, que concorrem ao governo do estado.

Ontem os candidatos debateram na rádio Diário FM. O clima foi quente. Mas faz parte do acirramento da reta final da disputa eleitoral.

O importante é que os eleitores estão tendo várias oportunidades para ouvir os candidatos.

O debate na TV Amapá será logo após a novela “Império”.

Ontem na Diário FM

Ontem na Diário FM

Repiquete é Memória

Alcilene Cavalcante em 23 de outubro de 2014

1948 Macapá Rua Siqueira Mendes - depois Mário Cruz

Neste final de semana a orla de Macapá será palco para música instrumental

Alcilene Cavalcante em 23 de outubro de 2014

feminsap

A VI Edição do Festival de Música Instrumental do Amapá (Feminsap) acontece neste final de semana em frente ao rio Amazonas com a participação de instrumentistas de renome nacional e amapaenses com trabalho reconhecido. Serão três dias de mostra de música instrumental, 23, 24 e 25, complementados com os workshops que acontecem no contraturno e se estende até o dia 27 de outubro. O músico Finéias Nelluty é o organizador do Festival, que está inserido na agenda de eventos instrumentais do Brasil.

O objetivo do Feminsap é formar plateia para a música instrumental, divulgá-la e revelar novos musicistas. O intercâmbio com músicos de outros estados foi uma das iniciativas utilizadas para chamar público e deu certo. Nos dias de festival a orla do Araxá, que se tornou referência para quem aprecia instrumental, recebe um público considerável. No último Feminsap o respeitado Arthur Maia chamou atenção e valorizou mais o evento, garantindo horas de plateia cheia.

Nesta edição, a música instrumental será representada por grandes nomes de estilos variados, de chorinho à jazz. Os workshops serão ministrados na escola de Música Walkíria Lima, e qualquer interessado pode participar pagando uma taxa simbólica. Acompanhe a programação:

Programação do Festival de Música Instrumental do Amapá – Feminsap/2014

QUINTA-FEIRA – 23 de Outubro. Às 21h

LOCAL: Norte das Águas – Orla do Araxá

– Amazon Music  (AP)
– Charme no Chôro (PA)
– Carvô Jazz (AP)

 

SEXTA-FEIRA – 24 de Outubro

LOCAL: Escola de Música Walkíria Lima. Às 16h

Workshop com Nelson Faria (Guitarra) e Kiko Freitas (Bateria)
LOCAL: Norte das Águas – Orla do Araxá. Às 21h

– Lolito do Bandolim  (AP)
– Mini Paulo (PA)
– Manoblues Band (AP)
SÁBADO – 25 de Outubro

LOCAL: Escola de Música Walkíria Lima. Ás 14h.

Master Class com Nosso Trio

 

LOCAL: Norte das Águas – Orla do Araxá. Às 21h

– Denis Lapassion  (Guiana)
– Nosso Trio (RJ)

Da coluna From, de Luiz Melo

Alcilene Cavalcante em 23 de outubro de 2014

Alvo

Postado por Luiz Melo em em From

alvo

 

Sem querer destruir apreço, mas já tem pedetista aloprado apontando dedo em quem atirar, caso Waldez se eleja governador.

Que coisa!

TRE-AP alerta partidos e coligações para o final dos prazos da propaganda eleitoral

Alcilene Cavalcante em 23 de outubro de 2014

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) informa aos candidatos a governador, coligações partidárias e população em geral que, por conta do calendário eleitoral, a partir da próxima quinta-feira (23), estão proibidas reuniões públicas de candidatos com eleitores e realização de comícios.

Na sexta-feira (24), será o último dia permitido pela legislação para debates entre candidatos em veículos de comunicação, não podendo estender-se do horário de meia noite. No mesmo dia encerrará o prazo para a propaganda eleitoral gratuita do segundo turno, em veículos de comunicação como rádios e televisões.

Já no sábado (25), um dia antes da eleição, conforme a Lei n°9.504/97, será o ultimo dia para a propaganda eleitoral com alto-falantes ou amplificadores de som, entre os horários das 8h às 22h. No mesmo dia será encerrado o prazo para as distribuições de matérias gráficos, caminhadas, carreatas, passeatas ou carros de som que possam transitar divulgando mensagens de candidatos.

No dia das Eleições, o eleitor pode fazer a propaganda individual e silenciosa. Em todos os locais de votação, a Justiça Eleitoral terá equipes de fiscalização para coibir qualquer tipo de manifestação irregular.

A Justiça eleitoral ressalta que, em até 48 horas depois do encerramento da eleição nenhum eleitor ou candidato poderá ser preso ou detido, salvo em flagrante delito.

Serviço:

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá

Assessoria de Comunicação e Marketing

Rodriguez Nettho com informações de Elton Tavares