Depois de quase 6 horas ininterruptas de chuva, a Defesa Civil do Estado registrou 18 pontos de alagamentos na capital, a maioria nos bairros Buritizal, Muca, Beirol, Centro e Santa Rita, mas também há registros no município de Santana. Durante a madrugada, ruas do centro comercial foram inundadas, mas as lojas não foram atingidas graças ao controle correto das comportas do Canal da Mendonça Júnior.

Canal do Beirol transbordou

A chuva forte começou por volta das 21 horas e parou por volta das 3 horas desta sexta-feira, 20. Durante a madrugada o centro comercial ficou alagado em trechos das avenidas Padre Júlio Maria Lombaerd e Independência. Por sorte, a maré alta do Amazonas não coincidiu com a grande precipitação de chuva. “Com a maré baixa do Rio Amazonas estamos abrindo as comportas para a água da cidade escoar até o rio”, explicou o secretário da Defesa Civil, coronel Janary Picanço.

Mas nos lugares mais baixos, próximos de canais e de áreas de ressaca, houve muitos transtornos. Pelo menos 6 cruzamentos da Rua Jovino Dinoá ficaram alagados. O Canal do Beirol transbordou atingindo casas e carros no cruzamento com a Avenida Feliciano Coelho.

Mesmo com as obras de drenagem. Santa Catarina não resistiu

No Bairro Santa Rita, as obras de drenagem realizadas pela prefeitura não conseguiram escoar toda a água da chuva e várias casas ficaram ilhadas. Mesmo assim, numa dimensão bem menor do que no ano passado. Na área de invasão atrás do Conjunto Laurindo Banha, as avenidas 25 e 26 de Julho tiveram casas alagadas.

No Hospital de Emergência pacientes e funcionários passaram a noite na companhia das goteiras

Na Avenida Tamoios, no Bairro do Muca, a Defesa Civil recebeu dois pedidos de remoção de famílias que tiveram as casas invadidas. No Hospital de Emergência, funcionários e pacientes da enfermaria do Centro Cirúrgico tiveram problemas com as goteiras escorrendo pelas paredes. No município de Santana o Bairro Hospitalidade ficou debaixo d’água.

Lojas só não foram alagadas porque a chuva deu uma trégua antes da maré alta do Rio Amazonas

 

Durante toda a madrugada 10 equipes da Defesa Civil estadual percorreram a capital e Santana. Na capital, a prefeitura colocou todo o efetivo da Defesa Civil municipal para atender as ocorrências. O Instituto de Hidrometeorologia do Iepa informou que há previsão de mais chuvas.