‘Estamos agindo preventivamente’, garante governador Clécio Luís sobre monitoramento do Rio Araguari

Governo do Amapá monitora volume de água do Rio Araguari, que esta em alerta

O governador do Amapá, Clécio Luís, está monitorando junto com as equipes do Estado a cheia do Rio Araguari, em Porto Grande e Ferreira Gomes. Em reunião com a Defesa Civil, prefeituras e o Comitê de Respostas Rápidas, o governador determinou uma atuação preventiva, em caso de necessidade, atender às famílias da região.

“Estamos utilizando todos os recursos de monitoramento e agindo com antecedência, preparando tudo o que for necessário, caso haja necessidade de atuar para atender as famílias, em possíveis alagamentos. Nós não queremos que isso aconteça, mas estamos alinhando ações conjuntas para agir prontamente, já que estamos em situação de alerta pela Defesa Civil”, ressalta o governador.Na quinta-feira, 25, e sexta-feira, 26, o governador Clécio Luís esteve em tratativas com os prefeitos dos municípios e dirigentes das três hidrelétricas que ficam no Rio Araguari e informou a situação ao ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes.

Até o momento, cerca de 20 famílias ribeirinhas, que residem no Alto Araguari, no município de Porto Grande, atingidas pela cheia do rio, receberam assistência do Estado. O monitoramento também segue sendo feito pelas hidrelétricas, que acompanham a vazão do rio a cada 2 horas.

“Seguiremos atuando de forma preventiva, porque há uma estimativa das enchentes, se ocorrerem, atingirem até 500 casas segundo a previsão. As prefeituras de Porto Grande, Tartarugalzinho e Amapá, que também possuem caminhões pipa, vão se juntar aos nossos para que, caso haja necessidade, possam fazer um abastecimento complementar de água para os afetados”, finaliza o governador.Os reforços no trabalho para atender os moradores envolvem equipes da Defesa Civil Estadual, Vigilância em Saúde e Assistência Social, mobilizando entrega de água potável, kits de alimentos e dormitório, além de medicações. Também serão disponibilizados equipamentos para guardar o patrimônio de famílias.

Alerta sobre os rios

Os trabalhos fazem parte das medidas de proteção, envolvendo equipes de sobreaviso para atuar nos casos de alagamento com fortes chuvas ou aumento do nível dos rios. O Comitê de Respostas Rápidas atua para garantir ações imediatas para população que sofre com as crises naturais, sanitárias e de saúde.

O Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa) divulgou a previsão do tempo para o fim de semana e reforça as projeções de acumulados diários significativos de chuva nos municípios de Porto Grande, Ferreira Gomes, Macapá, Santana, Mazagão e arquipélago do Bailique.

Acompanhamento e segurança: MP-AP participa de testes sonoros da Usina Hidrelétrica de Ferreira Gomes


Na última quinta-feira (12), o Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio da Promotoria de Justiça de Ferreira Gomes, participou de experimentos sonoros de sirene do Sistema de Segurança de Barragem da Usina Hidrelétrica (UHE), naquele município. O uso do equipamento deve ocorrer somente em caso de sinistro da barragem e não será usado em caso de inundação natural do rio, em razão de fenômenos naturais no período de inverno amazônico.


A medida de segurança, em caso de acidentes na barragem da Usina, tem o propósito de avisar a população que reside nas Zonas de Autossalvamento (ZAS), áreas que seriam inundadas em caso de rompimento da represa, para que o cidadão se dirija às rotas de fuga.

Os testes, realizados no horário da manhã, foram feitos simultaneamente em seis torres de sirenes, em diferentes níveis: 70% do som do sistema sonoro; 85% do som do sistema sonoro e 100% do som do sistema sonoro. Na ocasião, os técnicos utilizaram aparelhos decibelímetros calibrados para o uso durante o teste com vistas a aferir a eficácia do sistema de som.


De acordo com a titular do MP-AP em Ferreira Gomes, promotora de Justiça Samile Simões Alcolumbre, que esteve na inspeção e testes, a exigência de instalação do sistema de segurança de sirenes é fruto do trabalho ministerial, surgido após o sinistro que ocorreu na construção da hidrelétrica, em 2015, que causou o alagamento de parte da cidade, causando inúmeros prejuízos.

“O teste foi muito bom e atendeu bem as expectativas. Houve problema apenas na primeira e na última torre de transmissão, nas quais serão realizados os ajustes para a melhoria do sistema. Seguiremos acompanhando os procedimentos de segurança para a salvaguarda da população de Ferreira Gomes”, explicou Samile Alcolumbre.

Durante os testes, estiveram presentes: o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Amapá (CBM/AP), coronel Wagner Pereira, representando a Defesa Civil do Estado do Amapá; os agentes de Polícia Civil do Amapá, Marco Preste e Alice Façanha; o membro da da Associação dos Pescadores de Ferreira Gomes, Wladilson Brito, além de representantes da Defesa Civil do Município, Girlane Reis e as equipes da Usina Hidrelétrica, sob o comando do engenheiro especializado na segurança de barragens, Rafael Roselli.

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá