Trotes representam 23% das ligações recebidas pelo Samu estadual em 2021

As chamadas desnecessárias atrapalham o andamento do trabalho realizado pela unidade e podem prejudicar no atendimento a quem realmente precisa

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) registrou 43.922 mil chamadas de janeiro a dezembro de 2021. Desse número, 10.094 ligações foram feitas com o intuito de ludibriar os socorristas.

Em 2020, o percentual de trotes também foi de 23% das 44.136 ligações atendidas durante o ano. O prejuízo gerado pelos trotes reflete nos recursos gastos pelo serviço quando uma viatura é acionada para atender uma ocorrência falsa, mas podem ocasionar maiores danos à população.

As ligações falsas ocupam as linhas enquanto os atendentes tentam identificar a veracidade da ocorrência e também podem resultar no envio desnecessário de uma equipe.

A prática preocupa pela possibilidade de uma viatura ser enviada para prestar socorro a uma falsa urgência enquanto alguém que realmente precisa pode morrer sem o atendimento adequado”, alertou a diretora do Samu, Eberenice Ferreira.

Através de perguntas pontuais, a triagem realizada pelos atendentes do Samu estudal ajuda a identificar, em grande parte dos casos, quando a ocorrência é falsa. Em trotes que relatam casos clínicos, por exemplo, as pessoas se contradizem ao responder as perguntas lançados pelos telefonistas.

Nossa triagem dificulta a persistência das pessoas com o trote, o que é um fator importante para impedir que ambulâncias sejam enviadas para ocorrências falsas “, relatou a diretora.

A enfermeira do Samu, Berta Rocha, ressalta que a conscientização é determinante para barrar a prática de trotes.

Pais e responsáveis devem orientar crianças e adolescentes sobre o trabalho executado pelo Samu e, principalmente, sobre quando acionar o serviço”, completou.

Como e quando acionar o Samu

O serviço do Samu pode ser acionado através do número 192. As ligações são atendidas por telefonistas que anotam as informações do local, detalhes da emergência médica ou acidente.

Após o atendimento, o caso é repassado a um médico que faz a regulação da ocorrência, presta orientações de primeiros socorros e decide o tipo de ambulância a ser enviada para a assistência. As ambulâncias possuem uma equipe composta por: um condutor, um técnico em enfermagem, um enfermeiro e um médico.

Os socorristas atendem emergências clínicas e acidentes, tais como: dores repentinas no peito, envenenamento, perda de consciência, desmaio, hemorragia, crises convulsivas, acidentes de trânsito, acidentes por arma de fogo ou arma branca, quedas com ferimentos e fraturas, ataques de animais, afogamento, queimaduras, entre outros.

https://www.portal.ap.gov.br/noticia/0902/trotes-representam-23-das-ligacoes-recebidas-pelo-samu-estadual-em-2021

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.