Superintendência de Vigilância em Saúde do Estado orienta a suspensão do consumo do peixe Pacu, após quatro casos suspeitos da doença “Urina Preta”

 

A Superintendência de Vigilância em Saúde do Estado (SVS) anunciou em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 6, que foi criada uma Sala de Situação para monitorar casos suspeitos da Síndrome de Haff conhecida como doença da “urina preta”.

Foto: Jamile Moreira

O Núcleo de Vigilância Epidemiológica de Santana teve acesso a informações sobre casos suspeitos da Síndrome de Haff no município de Santana e desde então vem monitorando, assim como a prefeitura do município também faz busca ativa de identificação.

Peixe da espécie Pacu

Segundo o Superintendente de Vigilância em Saúde do Estado, Dorinaldo Malafaia, até agora são quatro casos suspeitos. “Os casos suspeitos informados ao nosso Centro Monitoramento de Informações Epidemiológicas são quatro. Então, diante desses alertas, nós tomamos a atitude de orientar a população a suspender o consumo do peixe Pacu, devido um dos casos suspeitos terem consumido essa espécie de pescado, proveniente da região do município de Santarém (PA). É importante ressaltar que não existem casos confirmados e que todos os suspeitos são do município de Santana”, explicou Malafaia.

A recomendação do governo do Amapá sobre a suspensão do consumo do Pacu é preventiva e temporária.

Síndrome de Haff

A doença que deixa a urina com coloração escura, provoca dores musculares, falta de e insuficiência renal, entre duas a 24 horas após consumir peixes ou crustáceos teve diagnósticos no Amazonas, na Bahia, no Ceará e no Pará.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.