Longa sobre escravidão contemporânea na Amazônia é premiado no Festival Internacional de Cinema de Washington DC

Longa estrelado por Dira Paes e filmado no Pará foi laureado no “Washington DC International Film Festival”.

Mais um prêmio para “Pureza”. Desta vez, foi no “Washington, DC International Film Festival”, onde recebeu a Menção Honrosa Justice Matters de longa-metragem “pela perspicaz, comovente e reveladora representação feita pelo diretor Renato Barbieri das práticas escravistas modernas, o tratamento brutal dispensado aos trabalhadores na Amazônia brasileira e a busca corajosa e determinada de uma mulher para salvar seu filho das garras da escravidão”, como foi posto pelo júri.

A obra já havia recebido outros três prêmios internacionais neste segunde, semestre a Menção Honrosa de Longa-metragem e o Grande Prêmio de Público, no festival “22èmes Reencontres du Cinéma Sud-A-méricain”, em Marseille, na França e o prêmio de Melhor Filme, pelo júri popular do “Florianópolis Audiovisual Mercosul – FAM 2020”. O diretor destaca a capacidade que o filme tem tido em falar sobre o drama social brasileiro secular da escravidão, que continua sendo uma prática no país.

“O fato de estar passando em grandes festivais e receber esses prêmios é um feita Estamos em vários países em exibição, Sérvia, Romênia, Rússia, Itália… E a gente está conseguindo tocar, sensibilizar, diferentes povos e culturas. Isso é muito importante para a trajetória do filme”, diz Renato Barbieri. Baseado em fatos reais, o filme conta a história de Pureza Lopes Loyola, que saiu em busca do filho desaparecido no coração da Amazônia, cativo pelo sistema brasileiro de escravidão contemporânea. Além das filmagens no Pará, com vários profissionais locais, a obra tem Dira Paes como protagonista.

O cineasta diz que foi um orgulho ter contado com essa equipe em uma produção que nasceu de uma produtora em Brasília. “A gente coloca na sinopse que ela é uma produção do DF e do PA. O engajamento das pessoas foi incrível, elas perceberam que estavam fazendo algo relevante, um filme abolicionista, e deram uma dedicação incrível. ‘Pureza’ está servindo para que a gente perceba que consegue comunicar algo importante pela emoção, pela construção cinematográfica, pelo elenco. Os rostos paraenses do filme têm muita brasilidade, e tem a Dira, essa pessoa gigante. Tenho muita gratidão pelo quanto o Pará oferece ao Turezam.

 

EXIBIÇÕES

Depois de passar por salas de quatro festivais internacionais este mês, “Pureza” ainda será exibido na programação do “Workers Unite! Film Festival”, de Nova York, que ocorre virtualmente até este domingo. Antes, a produção ainda passou pelo “21 The Newport Beach Film Festival”, encerrado dia 11; na abertura do “22èmes Reencontres du Cinema Sud-A-méricain”, em Marseille, no dia 6; e no “Film Festival DC (Washington, DC Inter-national Film Festival)”, com exibição nos dias 2 e 8 de outubro, e ainda levando para casa sua Menção Honrosa.

O filme deveria ter sido lançado no primeiro semestre, mas com a pandemia teve todo o seu calendário adiado. O diretor conta que a saída foi dedicar-se ao circuito de festivais. “Até o momento, essa trajetória já soma 20 festivais nacionais e internacionais, alguns ainda por vir. Para nós, para a Dira, esse é um fato muito relevante, pois estamos sensibilizando mais pessoas para a história dessa mulher, com atitude notável, que gerou um movimento importante contra o trabalho escravo, premiado em Londres. Acredito que esses prêmios mostram que a vida dessa mulher está muito bem representada no filme. É uma jornada do herói o que ela vive, mas um herói verdadeiro”.

Texto: Lais Azevedo (Jornal Diário do Pará)

Ainda em no mês de Outubro, o diretor Renato Barbieri conversou com o Repiquete no Meio do Mundo sobre a produção dos filmes e participações nos festivais, confira a entrevista em: https://www.alcilenecavalcante.com.br/alcilene/escravidao-contemporanea-cineasta-renato-barbieri-fala-sobre-pureza-e-servidao-seus-premiados-filmes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *