O prefeito de Macapá, Roberto Góes, embarcou na madrugada de ontem (31) para Jacarta, Capital da Indonésia, compondo uma delegação amapaense que vai visitar o quarto país mais populoso do mundo e o primeiro entre os países islâmicos. O grupo tem a coordenação do vice-governador do Amapá, Pedro Paulo Dias de Carvalho, e conta ainda com o deputado federal Davi Alcolumbre (DEM), o secretário especial do Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Farias, assessores e técnicos do Governo do Estado.

A viagem foi uma oferta do Governo da Indonésia, que já enviou seu embaixador ao Amapá no começo deste ano, com a missão de levantar informações sobre a possibilidade de trocas comerciais com o Amapá. A partir dessa visita, o Amapá ficou de retribuir a viagem, daí o envio de uma missão incluindo representantes do Governo do Estado e da Prefeitura de Macapá.

Segundo o deputado Antônio Feijão (PTC/AP) que participou ativamente das reuniões preparatórias da viagem, o Amapá tem muito a ganhar com esse intercâmbio. “A Indonésia é a maior produtora mundial de dendê, movimentando mais dinheiro com isso do que toda a produção de eletro-eletrônicos da Zona Franca de Manaus”, enumera Feijão, que citou ainda as soluções de mobilização fluvial como outra experiência a ser observada pelas autoridades amapaenses na viagem.

A chegada da delegação brasileira a Jacarta acontece às 21 horas de segunda-feira e o roteiro da viagem inclui visitas a fábricas de cimento, de “noodles” (macarrão instantâneo) e a um moinho de farinha em Bogosari (o maior da Índia).

Na quarta-feira o grupo vai a Pakambaru, onde conhece uma plantação de palma, produção de sementes e os laboratórios de pesquisa e desenvolvimento. Na quinta, em avião fretado, visitam Batam, onde irão ao Parque Industrial de Batamindo. Na sexta-feira, o roteiro inclui visita ao Bintam Resolt e depois a Bali. No dia 10, o grupo se reúne com representantes do Governo da Indonésia e em seguida embarca para o Dubai, nos Emirados Árabes, para uma visita de dois dias. O Dubai é um dos maiores compradores de minério de ferro produzido no Amapá pela mineradora Anglo Ferrous Brazil.

Nota do Blog – Que as autoridades desse “trem bão” não esqueçam de contar para o simpáticos indonésios que aqui não tem energia para fazer fábrica de coisa nenhuma. Nem de macarrãozinho.