Sessão Pipoca: “Orgulho e Preconceito”

 

Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice) é um filme de 2005, dirigido pelo cineasta britânico Joe Wright e que pode ser visto na Netflix.

O longa-metragem é umas das diversas adaptações do famoso romance literário de mesmo nome da escritora inglesa Jane Austen, publicado em 1813.

A trama se passa na Inglaterra no final do século XVIII e apresenta a família Bennet, formada por um casal e suas cinco filhas.

A mãe das moças é uma senhora bastante ansiosa para que as filhas façam bons casamentos. Entretanto, Elizabeth, umas das mais velhas, só aceitará se casar por amor.
Ela conhece Sr. Darcy, um rapaz rico e bonito, mas aparentemente esnobe, com quem desenvolve uma contraditória relação.

A história criada por Jane Austen foi escrita há mais de 200 anos e retrata a burguesia inglesa de maneira crítica e irônica, trazendo pitadas de humor.

O filme conseguiu transportar para a tela a atmosfera inquieta e ansiosa que rondava parte das mulheres naquele contexto. Algumas demonstravam verdadeiro desespero para se casar com homens que pudessem lhes dar estabilidade.

Isso porque na época, a única aspiração e realização de uma mulher era, teoricamente, o casamento e a maternidade.

As histórias de Jane Austen costumam ter finais felizes, mas nem por isso deixam de provocar questionamentos e reflexões sobre os valores da sociedade da época.

No caso de Orgulho e Preconceito, a mensagem que fica é a da importância da honestidade com os próprios sentimentos e o amor-próprio.

Mas, além disso, a necessidade em reconhecer quando se faz um mau julgamento do outro e a coragem de mudar de ideia e de se entregar ao amor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.