Sessão Pipoca: “Marighella”, premiado fora do Brasil, estreia como filme brasileiro que mais vendeu ingressos em 2021

 

O filme narra a história de Carlos Marighella, guerrilheiro comunista que combateu a ditadura militar. Baseado no livro-biografia do jornalista Mário Magalhães, tem interpretação magistral de Seu Jorge, no personagem título. Marighella é considerado um simples bandido pela “tigrada” da ditadura.

Em Macapá, o filme está disponível no Cinépolis ( Amapá Garden) na sessão de 17h30 e 20h45, com duração de 2h39 duas horas de trinta e nove minutos.

Rodado em 2017, o longa teve pré-estreia no Festival de Berlim de 2019 e, inclusive, até já foi exibido nos EUA, onde atingiu 88% de aprovação da crítica, na média apurada pelo site Rotten Tomatoes. No Brasil, no entanto, enfrentou entraves burocráticos da Ancine, que represaram a liberação de sua verba e impediram o lançamento planejado há dois anos, atrasando a estreia para 2021.

O filme Marighella, do diretor Wagner Moura, já teve 36,7 mil espectadores em seus quatro primeiros dias de exibição, segundo o site Filme B. Isto faz da cinebiografia do guerrilheiro comunista assassinado pela ditadura militar o filme brasileiro que mais vendeu ingressos em 2021.

A expectativa dos produtores é que “Marighella” possa vender 100 mil ingressos, o que seria um feito diante das dificuldades enfrentadas pelo cinema nacional – e a Cultura em geral – desde a posse do fã de Jim Carrey, o “Debi e Loide” e “O Mentiroso”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.