Economia Criativa é a aposta de jovem empreendedor no Oiapoque

Ascom-Clécio Luís 

Ao percorrer a Rua Barão do Rio Branco, na região central do Oiapoque, é comum avistar um jovem de roupa social, cabelo e barba bem feitos, atravessando a via com uma bandeja na mão, anunciando a plenos pulmões o seu “Mingau de Milho”.


O jovem é Dionatho Martins, de 27 anos. Paraense de nascimento, mora há 17 anos no Oiapoque com a mãe, a já conhecida Cleide do Tacacá. Ele conta que desde os 11 anos trabalha em casa, ajudando na produção e venda dos produtos.


“Eu aprendi a fazer as comidas quando minha mãe se acidentou. Fui pra cozinha e assim comecei a fazer pra me alimentar mesmo. Depois passei para os lanches e as comidas típicas. Hoje sei fazer tudo”, relata Dionatho.

Atendimento de excelência

Dionatho também trabalhou de garçom no Oiapoque. Foi aí que aprendeu que a boa apresentação e a excelência no atendimento faziam toda a diferença.

“Minha ex-patroa sempre me ensinou: ‘vista-se assim que é melhor’. Aí comprei a ideia e nunca mais tirei o uniforme”.


Além de vender no município, ele conta que junto com a mãe, já mandou maniçoba e tacacá para a Europa. “Tem gente que leva pra Paris e pra Caiena. Pessoal pede pra embalar pra viagem e a gente faz.”.

Durante sua imersão no Oiapoque, o ex-prefeito de Macapá, Clécio Luis, aproveitou e foi conferir de perto as delícias da Barraca da Cleide do Tacacá. E destacou: “Empreender requer doses de criatividade, qualidade e excelência naquilo que faz. E o Dionatho é um empreendedor que soube inovar e cativar seus clientes. Por isso precisamos apostar mais na economia criativa local”.

E qual a receita do Dionatho para tanto sucesso na cidade? Ele explica: “trabalhar na área da gastronomia é preciso ter boa aparência, estar sempre bem limpo e ter carisma”.

Ah, o tacacá da Cleide tá aprovadíssimo, hein!

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.