Polícia Federal prende suspeito de aliciar, transmitir e armazenar imagens pornográficas de criança em Portugal Macapá/AP

A Polícia Federal no Amapá deflagrou na manhã desta sexta-feira (22), a Operação Sem Fronteiras, que investiga o cometimento dos crimes de aliciamento de menor para prática de atos libidinosos, armazenamento e transmissão de conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes. Policiais federais cumpriram um mandado de busca e apreensão e um de prisão preventiva no município do Amapá, contra um indivíduo de 31 anos, que ainda é suspeito de ter assassinado a tiros um policial militar no bairro novo buritizal no ano de 2018 e na época ficou preso temporariamente 30 dias no IAPEN.
A investigação iniciou a partir de informações da Secretaria de Cooperação Internacional, proveniente da Polícia Judiciária Portuguesa, que recebeu denúncia da mãe de um menor com 13 anos daquele país, de que este participaria de um grupo da rede social Facebook, na qual verificou conversas e trocas de mensagens, fotos e vídeos de cunho sexual entre ele e o investigado.

 

A Polícia e o Ministério Público Português realizaram diligências junto à rede social e identificaram o autor dos fatos como sendo um brasileiro residente no Amapá. De posse das informações, a Polícia Federal verificou que o investigado não utilizava seu nome verdadeiro na rede social e aprofundou a investigação.
O investigado poderá responder pelos crimes de aliciamento de menor para prática de atos libidinosos, armazenamento e transmissão de conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes, e se condenado poderá cumprir pena de até 7 anos de reclusão.
Operação Sem Fronteira* – em referência à atuação da PF, com a parceria das autoridades portuguesas, no combate aos crimes de pornografia praticados contra crianças e adolescentes, inclusive com vítimas em outros países.
Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá Instagram: @policiafederalamapa [email protected] www.pf.gov.br (96) 3213-7500

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.