Formado por músicos brasileiros, guianenses e franceses, o grupo Wakerê faz sua primeira turnê de shows e atividades musicais

Uma temporada de muita música e swing está marcada para acontecer de 18 a 30 de abril, na Guiana Francesa, com músicos brasileiros, guianeses e franceses que formam o grupo Wakerê, com shows, workshops e gravação de clipe. É a efetividade do trabalho de intercâmbio cultural e artístico entre as duas nações que se torna realidade neste projeto transfronteiriço de preservação e união das raízes afro-caribenhas e brasileiras. Além desta turnê, o grupo Wakerê está confirmado na plataforma Stage e festival Nômade, que acontecerá do dia 17 a 23 de julho na França.

O projeto Wakerê tem apoio do Ministério da Cultura Francesa e está representado pela Associação Nômade e Associação dos Músicos do Amapá (AMCAP).

O grupo é formado pelos franceses Marie Levaillant- teclados, Erwan Che Viento-sax, e Clement Beguet-trompete; pelos guianenses Georges Mac alis Ti-Jo-percussão afro caribenha e Nathalie Gallas-voz; e os brasileiros Paulinho Queiroga-bateria, Nelson Dutra-baixo, Deize Pinheiro-voz, Bone Jeová-trombone, Nena Silva-percussão afro, e Fineias Nelluty-guitarra e voz. Todos com grande experiência e no currículo musical passagens por território francês e parcerias nos palcos com os artistas estrangeiros em eventos internacionais como o Amapá Jazz Festival.

A base musical dos integrantes de Wakerê é basicamente a instrumental e Música Popular Brasileira (MPB), o que não foi obstáculo para essa guinada rumo a um estilo mais dançante e envolvente, que vasculham a memória sonora dos músicos e plateia. Todo o repertório do grupo é autoral, um intrínseco trabalho de entrega e sensibilidade. Fineias Nelluty, Pierre-Marie Levaillant, Deize Pinheiro e Nathalie Gallas são os autores das músicas e passaram por um processo de criação onde o envolvimento com o projeto e esforço para produzir com emoção e técnica esteve sempre presente, além do conhecimento das culturas tradicionais das nações envolvidas.

 

Fineias Nelluty, artista amapaense, um dos músicos que há anos atua na integração cultural entre as fronteiras, avalia que este momento é para ser celebrado como uma conquista e realização de sonhos, plantados desde os anos 80, quando iniciou o fortalecimento da ponte cultural entres os países. “A música tem esse poder encantador de unir pessoas e culturas através de acordes e sons, nem sempre precisa entender no sentido literal uma letra, porque a música se traduz em sentimentos, e nossa proposta é essa, unir pessoas e cultura através da música, da essência, do toque, da dança que ela induz, do encanto que são os sons das Antilhas e Caribe, que nossos ouvidos têm facilidade para aceitar”, afirma Fineias.

Agenda fechada para o mês de abril

– Dias 18, 19 e 20 – Master classes no IFDM
– Dia 21 – Show em Cayenne no Cafè de la gare
– Dia 22 – Show em Cayenne no Eldorado
– Dia 23 – show em Kourou no Le Bocal/ Autre
– Dia 24 – Gravação de imagens do clipe da musica Solei
– Dias 25, 26 e 27 – Ensaio e criação.
– Dia 28 – Show em Kourou no Cinema Urânia
– Dia 29 – Show em Saint Laurent – SLM – Camp transportation
– Dia 30 – Show em Apatou

Mariléia Maciel

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.