XVII Festival Imagem-Movimento em formato on-line começa nesta quarta-feira, 23, e segue até domingo, 27

 

A edição deste ano conta com rodas de conversa, oficinas formativas, mostras de filmes e premiação para produções audiovisuais amapaenses.

 

Durante cinco dias, de 23 a 27 de junho,  o Festival Imagem-Movimento (FIM) realizará uma vasta programação on-line, no canal do festival no YouTube. Sob o mote “A Cura está nas Margens”, o evento propõe ao público enxergar as “margens” e valorizar o que elas têm a ensinar e construir, como ponto de partida para uma mudança em meio ao caos que o Brasil está vivendo.

E, para gerar toda essa reflexão e, ao mesmo tempo, celebrar toda a potência e diversidade do audiovisual brasileiro,  a programação conta com mais de 50 filmes de 22 estados, divididos em cinco mostras.

 

O destaque absoluto desta edição é a mostra de filmes amapaenses, batizada pelo festival de Mostra Fôlego! que será a maior de toda a história do FIM e, por isso, precisou ser dividida em quatro sessões.

 

Dia 01: O início do FIM

 

No primeiro dia (23), às 19h30, o  festival inicia com a live “Abre Caminhos” com a participação especial do ator Arthur Cardoso, que junto da apresentadora Thaise Medeiros, vão contar um pouco sobre a edição, programação e convidados. Em seguida, o curta-metragem “Matinta”, do diretor Fernando Segtowick, abre a programação de filmes às 19h30 e, logo depois, tem início a Mostra Fôlego!, com exibição de quatro produções audiovisuais amapaenses, dentre elas “Açaí” do diretor André Cantuária e “Solitude” de Tami Martins. Pra encerrar o primeiro dia de festival, às 21h30 a Mostra Miscelânea traz curtas e médias-metragem com linguagem ficcional, contando histórias de diversos lugares do Brasil, com mistura de sotaques e realidades, a exemplo do curta natalense “Distorção”, dos diretores Davi Revoredo e Paula Pardillos e “Juízo, menino… juízo”, do diretor Diego dos Anjos, de Bonito, RJ.

 

Dia 02: Oficina, filmes amapaenses e de outras paragens

 

No segundo dia de programação, 24 de junho, tem início a primeira oficina do festival, das 16h às 18h. Ministrada pela diretora e roteirista, Letícia Simões (BA), a oficina de Escrita Documental consistirá no aprendizado de possibilidades de escrita para o documentário, através de exposição e debates, culminando em uma troca a partir de projetos dos alunxs”.

 

À noite, a programação reinicia às 18h30 com um bate papo com o diretor do curta-metragem “Matinta”, Fernando Segtowick, com o tema: “Ficção e Documentário: o desafio do audiovisual na Amazônia”.

 

A partir das 20h, tem mais Mostra Fôlego!, desta vez com oito produções audiovisuais, dentre elas o curta “Rasga” do diretor Elielson Júnior e os clipes musicais “Décimo primeiro mês” da banda Desiderare, sob direção de Rodrigo Aquiles Santos e “Amanhã” da banda VM Rock dirigido por Augusto Máximo e Sergiomar Junior. Às 21h30 chega a “Mostra Quintessência”, que traz produções experimentais como “Corppas Liqquiddas” de Mateus Rosa e “Corpus Animam Viventem” de Edemar Miqueta. Pra finalizar, “Mostra Apocalipse”,  onde são reunidos os filmes mais voltados ao terror, suspense e ação ou que apresentem  violências mais impactantes de forma geral. Três filmes serão exibidos nesta sessão: “AzulScuro”, produzido pelo Qu4rto Studio, “Estilhaços”, da diretora Julie de Oliveira e “Enterrado no Quintal” de Diego Bauer.

 

Dia 03:  Chegamos à metade da programação, siga firme

 

Já no dia 25 de junho, a programação segue à tarde com o segundo dia de oficina de Escrita Documental e, a partir das 18h30, acontece a roda de conversa “Cinema documental e questões identitárias” com as cineastas Jade Rainho (RJ) e Rayane Penha (AP).

 

Em seguida, às 20h a terceira noite da Mostra Fôlego!, que vai exibir sete produções, como o clipe “Plano do Século” do MC Rogerinho Absurdo, sob direção da produtora Saturação e “Utopia” de Rayane Penha. Em seguida, terá início a primeira sessão da Mostra Memorabilia, às 21h30 com cinco filmes, que apresenta um rico recorte da produção audiovisual documental brasileira, com trabalhos inscritos no XVII FIM. Integram esta mostra cinco documentários. “Banca Paraíso” dos diretores Giovanna Giovanini e Rodrigo Boecker, “Terra de Nazaré” de Shaynna Pidori estão na lista.

 

Dia 04: Educomunicação, audiovisual e os parentes indígenas

 

No sábado, 26, tem início a segunda oficina da programação. A partir das 16h, o professor Carlos Lima (SP) vai ministrar a oficina Educomunicação: produção audiovisual na escola, onde os participantes devem aprender noções de produção audiovisual voltada a estudantes.

 

A programação noturna já inicia com a roda de conversa Cinema e questões indígenas com os cineastas Luiz Bolognesi, Davi Marworno e Takumã Kuikuro , às 18h30. 20h, ao final da roda de conversa, chega a vez da última sessão da Mostra Fôlego!, “ Anut gidahankis minikwekviyenekis: conhecimentos dos antigos” de Davi Marworno, “Passar uma chuva” de Aron Miranda e o videoclipe “Eu Tô na Área!” de Judas Sacaca feat. Ariel Moura, sob a direção de Augusto Máximo e Kleber Nasper são algumas das seis produções que serão exibidas.

 

Às 21h45, tem a segunda sessão da Mostra Memorabilia com três filmes. São eles: “Endless Love” de Duda Gambogi, “Mulheres de Mandinga” de Danieli Andrade  Santos e “Cama de Espinho” de Denis Carlos. Finalizando, será exibido o filme convidado “Karioka”, de Takumã Kuikuro.

 

Dia 05: O fim do FIM (não resistimos ao trocadilho, perdoem-nos)

 

O último dia de festival abre a programação com a oficina “Educomunicação: produção audiovisual na escola” e segue no início da noite com a grande estreia da “Mostra Despintada”, às 18h que conta com seis produções de estudantes de escolas públicas do Amapá, dentre elas “O Biscoito” do estudante Júlio Davidson e “Azul” de Arthur Andrigues. Após a exibição, será realizada uma roda de conversa com os estudantes.

 

A partir das 19h entra a “Mostra Abre Caminhos”, a mostra de encerramento da XVII edição do festival. Uma mostra que reproduz a lógica dos ciclos, onde os finais são, na verdade, inícios nos quais encontramos uma nova parte do caminho. Ela traz um pouco daquilo que melhor representa o Brasil: desde a beleza de nossas potentes brasilidades ao descaso com a universidade pública e a tentativa de enfraquecimento de tantas lutas nossas. Abre caminhos nos faz pensar no amanhã como um novo dia, mas sem esquecer que precisamos de um hoje renovado, que se faz urgente, sem deixar de caminhar. Os filmes “A Barca” de Nilton Resende e “Sábado não é dia de ir embora” de Luísa Giesteira, estão entre os três filmes que integram a mostra.

 

Festa Auvaitssê

 

Finalizando a programação da XVII edição do FIM, acontece a entrega do Prêmio Gengibirra de Audiovisual e incentivo financeiro de R$ 2.500,00 e do Prêmio Despintado de Audiovisual (R$ 1.500,00) aos vencedores da Mostra Fôlego! e da Mostra Despintada respectivamente e um bate papo com os premiados da noite.

 

A atração musical da festa será a banda Pinducos.

 

A XVII edição do FIM será realizada em parceria com a OCA Produções, está sendo viabilizada com recursos da Lei Aldir Blanc, através da Secretaria de Estado da Cultura do Amapá (Secult).

 

Veja abaixo o período de cada uma das oficinas do festival:

 

Oficina de Escrita Documental

Prazo de inscrições: 15 a 21 de junho

Resultado de selecionados: 22 de junho

Público-alvo: interessados em roteiros para linguagem documental

Período da oficina: 24 e 25 de junho (16h às 18h)

Plataforma: será divulgada em breve
Inscrições: https://docs.google.com/forms/d/1WkTdHbdHV-QR4S36FIT1SNcU6VmH6UM0NigTy90DD7I/edit

 

Oficina Educomunicação: produção audiovisual na escola

Prazo de inscrições: 15 a 21 de junho

Resultado de selecionados: 22 de junho

Público-alvo: estudantes do ensino médio, professores e animadores culturais

Período da oficina: 26 e 27 de junho (16h às 18h)

Plataforma: será divulgada em breve

Inscrições: https://docs.google.com/forms/d/1R-fy2ysgSew_7KYMaFAUsA8aG-iAYQT9NN1m7XrXyjA/edit

O FIM está próximo!

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA XVII FESTIVAL IMAGEM-MOVIMENTO

 

DIA 01 – 23/06 (QUARTA-FEIRA)          

18h30 às 19h30     

Live Abre Caminhos – Abertura do festival

+ Participação ator Arthur Cardoso ( @arthurcrds )

19h30 às 21h30     

Filme Convidado: Matinta, de Fernando Segtowick

+ Mostra Fôlego

21h30 às 23h         

Mostra Miscelânea

 

DIA 02 – 24/06 (QUINTA-FEIRA)

16h às 18h

Oficina 01: Escrita documental com Letícia Simões (BA)

18h30 às 20h         

O desafio do audiovisual na Amazônia:

Conversa com o diretor Fernando Segtowick (PA)

 

20h às 21h30         

Mostra Fôlego

21h30 às 23h15

Mostra Quintessência

+ Mostra Apocalipse

 

DIA 03 – 25/06 (SEXTA-FEIRA)

16h às 18h

Oficina 01: Roteiro documental Letícia Simões (BA)

18h30 às 20h         

Roda de conversa com as cineastas:

Rayane Penha (AP) e Jade Rainho (MT)

Tema: Cinema e questões identitárias

20h 21h30

Mostra Fôlego

21h30 a 23h15

Mostra Memorabilia

 

DIA 04 – 26/06 (SÁBADO)

16h às 18h

Oficina 02: Educomunicação: produção audiovisual na escola

18h30 às 20h         

 

Roda de conversa com os cineastas:

Luiz Bolognesi (SP), Takumã Kuikuro (MT) e Davi Maworno (AP)

Tema: Cinema e questões indígenas

20h às 21h45

Mostra Fôlego

21h45  à 23h45

Memorabilia

+ Filme convidado: Karioka, de Takumã Kuikuro

DIA 05 – 27/06 (DOMINGO)                     

16h às 18h

Oficina 02 : Educomunicação: produção audiovisual na escola

18h às 19h  

Mostra Despintada

+ Roda de Conversa Despintada

19h às 21h30         

Mostra Abre Caminhos

21h30 – 23h30        

Festa Auvaitssê

Banda Pinducos

+Prêmio Despintado de Audiovisual

+Prêmio Gengibirra de Audiovisual

 

 

SERVIÇO
Coordenação de Comunicação Festival Imagem-Movimento
Período:
23 a 27 de junho
Hora: 18h às 23h
Plataforma:
YouTube
Redes Sociais
Blog Festival FIM
Contatos: Lívia Almeida (96) 9 9168-2464

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *