Vacina e isolamento: população e Prefeitura se unem e Santana chega à faixa amarela, mais flexível

O índice de cobertura vacinal contra a covid-19 em Santana é o melhor do
Amapá nas últimas 24 horas. De acordo com o Painel de Monitoramento do
Governo do Estado, com 14.999 doses aplicadas, o município atingiu
77,74% de cobertura vacinal, proporcionalmente ao grupo prioritário que
vem sendo imunizado nesta primeira etapa de campanha. A adesão da
população à campanha de vacinação e apoio às medidas restritivas
direcionam o município para a faixa amarela, onde existe maior controle
sobre o vírus e uma flexibilização maior para a abertura das atividades
econômicas.


Com autonomia para definir as estratégias de divulgação e ampliação do
acesso de grupos prioritários à vacinação, a Prefeitura de Santana
avançou na imunização do público-alvo prioritário. Já são 14.999 pessoas
vacinadas com a primeira dose, sendo 10.433 idosos, a maioria, 3.921 com
idade entre 60 e 64 anos, além de 2.354 trabalhadores da saúde e 5.940
pessoas vacinadas com a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

Diante deste cenário, nesta terça-feira, 27 de abril, o prefeito Bala
Rocha atualizou o decreto com medidas para continuar contendo o avanço
do coronavírus, mas também garantir a abertura para mais segmentos
econômicos. O novo decreto estabelece a reabertura gradativa dos
estabelecimentos comerciais com novos horários. Todos os setores devem
adotar os protocolos padrões e setoriais específicos.

“Agora passa a ter 15 dias de validade, com mudanças importantes para o
funcionamento do comércio, restaurantes, lanchonetes, academias, arenas,
igrejas e no toque de recolher. A adesão e apoio da população para
conter a transmissão do coronavírus continua sendo fundamental”, reitera
o prefeito de Santana, Bala Rocha.

Os registros da Covid-19 no município acumulam 22.523 mil infectados
desde o início da pandemia. Um cenário ainda desafiador e que requer
cautela, pois embora o poder público implemente diversas ações, a
participação da população praticando o distanciamento social, o uso de
máscaras e a higiene das mãos está diretamente relacionado à redução ou
aumento da curva de contágio da doença, que já aponta 125 óbitos no
boletim oficial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *