Unacon: Governo inaugura nova estrutura de atendimento à pacientes oncológicos

Neste domingo, 29, pacientes oncológicos ganham novo espaço para tratamento
Neste domingo, 29, o Governo Amapá entregou à população amapaense a estrutura da nova Unidade de Alta Complexidade em Oncologia Luzair Costa (Unacon), do Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal). O ambiente humanizado foi pensado para levar maior conforto aos pacientes oncológicos em tratamento na unidade.

Ambiente foi construído para oferecer mais conforto no atendimento humanizado realizado pelos profissionais de saúde. Investimento do governo foi de R$ 400 mil.

A obra recebeu investimento de R$ 400 mil do Tesouro Estadual, e os recursos foram aplicados em melhorias nas instalações hidrossanitárias, elétricas e demais readequações estruturais. Foram adquiridos novos mobiliários administrativo e hospitalar, como refrigeradores de ar, leitos, foco auxiliar, mesas para exames e poltronas para quimioterapia, além de redes de internet e de gases medicinais para abastecer os leitos da unidade. Também foram instaladas câmeras de monitoramento destinadas a segurança do espaço.

A nova Unacon conta com 15 leitos de observação, 17 poltronas e quatro leitos para quimioterapias de longa duração, o que garante maior conforto para os pacientes durante as sessões. O ambiente também conta com três leitos de estabilização para atendimento de pacientes em estado grave.
De acordo com o secretário de saúde Juan Mendes, a adequação da estrutura da Unacon se fez necessária devido ao aumento da demanda.
“Saímos de uma ala do hospital e trouxemos a Unacon para um anexo. Essa mudança vai trazer, sobretudo, melhor assistência à saúde dos pacientes. Uma assistência pautada no acolhimento e na humanização. Além, é claro, de um melhor ambiente de trabalho para os profissionais”, afirmou o secretário.

Para um atendimento mais humanizado aos pacientes e familiares, uma área de convívio e acolhimento foi inclusa no projeto, além de uma sala para atendimento psicológico. A nova unidade também dispõe de cinco consultórios médicos, entre eles um consultório odontológico destinado ao atendimento dos pacientes oncológicos, especialmente os que fazem acompanhamento de câncer de boca.

Para o governador Waldez Góes, a entrega da estrutura representa um grande passo para os pacientes oncológicos em tratamento no Estado.
“É um ambiente que conta com uma equipe de alta qualidade e que oferta diversos serviços. Toda a estrutura foi pensada para assegurar o melhor atendimento aos pacientes oncológicos. Só tenho a agradecer a toda a equipe envolvida no projeto e reforçar que o estado está investindo para cuidar da melhor maneira da população amapaense”, afirmou Góes.

Atualmente a unidade atende mais de três mil pacientes, incluindo os que fazem parte do Programa de Tratamento Fora de Domicílio (PTFD) e que estão no estado durante pausa no tratamento e tenham alguma intercorrência médica.
A nova Unacon continuará a funcionar 24 horas, garantindo atendimento de urgência e emergência para os pacientes oncológicos que realizam tratamento na unidade.

O secretário de Estado da Infraestrutura, Alcir Matos, diz que a nova Unacon estava entre as metas do governo como parte do pacote de medidas para melhorar a assistência à saúde no Amapá.
“A entrega da Unacon é um grande compromisso do Governo do Estado, que agora passa a ser uma unidade estruturada, deixando de ser apenas um apêndice dentro do Hospital de Clínicas Alberto Lima. Então, ganham os pacientes, os servidores que atuam na unidade e toda a população”, concluiu Matos.

Quem foi Luzair Costa?

A nova Unacon homenageia Luzair Maria Nascimento da Costa, paraense nascida na cidade de Afuá, em 11 de janeiro de 1942. Luzair desde muito jovem ajudava os pais nas atividades extrativistas e no cuidado dos irmãos menores.
Após casar e ser mãe, Luzair veio para o Amapá, nos anos 60, com o marido e os filhos. A vida ribeirinha, mesmo cativante, era difícil, e os pais buscavam a oportunidade de dar formação e mais qualidade de vida aos filhos. Em Macapá, a família fortaleceu por muitos anos o comércio de madeiras e de lá garantiu o sustento e a formação dos 10 filhos.

Luzair Maria Nascimento da Costa faleceu em 2016, após lutar bravamente contra um câncer no pâncreas. Deixou 10 filhos, dezenas de netos e bisnetos e uma infinidade de histórias que todos aqueles que com ela conviveram terão para contar durante muito tempo. Ela optou em fazer o tratamento na Unacon, perto da família, pois acreditava na saúde pública. Nos deixou em 1º de setembro de 2016, após 74 anos de amor à família e ao Amapá.

  • Que bom essa reformulação! Espero que tenho sido reformulada também o atendimento.
    Sou portador de câncer de próstata e reto. E no desespero do disgnóstico, fui procurar a UNACOM na tentativa de um encaminhamento ao OFIR LOYOLA. Sequer cheguei a uma consulta. Fui despachado por uma assistente social para uma data distante noventa dias, mesmo alegando que já tinha todo o diagnóstico, biopsia e laudo de meu médico, e que precisava apenas encaminhamento para o tratamento de radioterapia. Não adiantou argumentar. Santo de casa não faz milagre.
    Graças à Deus, um amigo meu, juiz federal, se prontificou a me encaminhar ao HOSPITAL DO AMOR, de Barretos, UNIDADE DE PORTO VELHO. Uma semana depois eu estava com consulta marcada e tratamento garantido de radioterapia e quimioterapia.
    Lá, sim fui recebido como um rei, como todos que lá chegam, com amor, como é o nome do Hospital.
    Conheci centenas e centenas de amapaenses que lá estavam em busca de saúde e todos muito bem tratados.
    Á época publiquei um comentário neste blog, p. da vida: A UNACOM não é garantia de vida. É garantia de morte.
    Quase dois anos depois, graças à Deus, aos amigos e ao HOSPITAL DO AMOR, estou apenas no controle da doença, voltando lá a cada noventa dias.
    Hoje, analisando a situação, mais que nunca acredito que tenho razão.
    Dia 17.08.2021 um primo meu se submeteu a uma cirurgia oncológica. Câncer no reto.
    De repente passou mal. Infecção, provavelmente hospitalar. Teria que ser aberta a cirurgia, mas precisa de uma UTI.
    Para tentar a UTI precisava fazer uma TOMOGRAFIA, isso no domingo. Tinha ambulância, uma clinica para fazer o exame e uma vaga em UTI, mas tinha motorista para levá-lo.
    Resultado: perdeu a vaga na UTI e agora continua na enfermaria, lá no leito 22, com a infecção avançando e esperando o atestado de óbito, apenas. Se eu não tiver razão, que me matem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.