Um dia na Liberdade, o bairro oriental de São Paulo

Av. Liberdade com as torres da catedral da Sé ao fundo

A Liberdade é aquele pedaço de São Paulo, oriental total. Digo oriental, porque não é só japonês. É koreano, chinês e de outros povos do oriente.

Na decoração, nos costumes, no comércio e na gastronomia. E o que é melhor, na região central. O que significa ser acessível. Pode descer no metrô da estação São Joaquim ou na estação Liberdade, que cai direto na praça onde tem feirinha aos domingos e onde acontecem os festivais orientais. Vários durante o ano.


Pra quem vem a São Paulo, vale a pena tirar um dia ou um meio dia para flanar no “bairro japonês”.

Pode começar pelas inúmeras igrejas e templos. Eu sou católica e vou à missa . Dessa vez fui na igreja “Das das Santas Almas dos enforcados”.  Ela fica na Praça da Liberdade, a missa é linda e o sincretismo religioso de São Paulo se faz presente: você sai da missa e na porta da igreja estão as mesas dos jogadores de búzios.

Altar

Na Liberdade também tem vários templos budistas, inclusive o maior templo da América Latina, que é o “Templo Zu Lai”.

Gastronomia

Na Liberdade, obviamente, tem os restaurantes de comida oriental tradicionais. Eu adoro. Você senta no balcão e os “japas” ficam executando a arte gastronômica na sua frente: sashimis, sushis, chapas e bentos. Com maestria.

Os mais tradicionais ficam na rua Thomas Gonzaga. Perto do furdunço do comércio.

Meu almoço no Kazu

Se optar em ir ao bairro a tarde, pode emendar a noite ou happy hour nos izakayas, que são os boteco japoneses.

Compras

A Liberdade tem uma diversidade para compras.

As maiores lojas de comesticos, produtos de cabelo e maquiagem, estão lá.

Tem empórios ótimos. Tem galerias. Quinquilharias chinesas e produtos de qualidade japonesas, principalmente louças e utensílios de cozinha.

E os hippies convivem harmoniosamente com os Cosplay de animês.

Good vibes

Tem meditação. Escolas de bonsai, de mangai, jardim japonês para contemplar. E muitos karaokês, porque japonês adora.

Tem também prédios históricos, museus e vista bonita como a do viaduto Osaka, que é cena de cinema e novelas brasileiros e onde as pessoas adoram fazer fotos.

Viva a Liberdade!

Casa de Portugal, à esquerda. Prédio lindo e tombado, cheio da cultura portuguesa e com espaço pra cultura de todas as regiões do Brasil
Festival oriental

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.