Turismo Religioso. *Por Helenilson Fonseca

Helenilson Fonseca * viajante, professor de francês e colunista de viagem do blog

Você já ouviu falar ?
Igrejas de Lalibela – Etiópia – Onze igrejas e um mosteiro , formam uma cidade labiríntica escavada no subsolo . Cada um destes templos foi talhado na rocha da montanha , como se fossem esculturas. O templo de São Jorge, um monolito em forma de cruz grega é o principal.
No Mosteiro dos Jerónimos (sim, ó ), as paredes são de pedra esculpida . Um detalhe em formato de mão, carrega a lenda de que quem o tocar voltará em Portugal.
Em uma cidade medieval no sul da França ( Bézier ), a cripta embaixo da basílica abriga um dos mais famosos restos humanos – crânios e ossos que dizem pertencer a Maria Madalena, personagem recorrente nas histórias de Jesus.
Em Diamantina – MG , o jardim da casa de Chica Da Silva, onde ela viveu com seus quatorze filhos , é até hoje muito visitado e dali saem várias histórias envoltas de mistérios.
A Bocca della verità em Roma , é uma figura esculpida em pedra que segundo a crença popular local, servia de teste para detectar mentiras .Acreditava-se que se alguém contasse uma mentira com a mão na boca da escultura, ela se fecharia “mordendo” a mão do mentiroso.
Em Istambul , a Torre da Donzela foi mandada construir no meio do mar , para uma princesa, como se pode depreender do seu nome. Os adivinhos do imperador bizantino disseram que a sua filha iria morrer por causa de uma mordedura de serpente. O imperador decidiu então construir uma torre, para nela encerrar a sua filha com o objetivo de a proteger da profecia. A luta do imperador acabou por não servir de nada, já que depois de encerrada na torre a princesa recebeu uma cesta de uvas, da qual saiu uma serpente que a matou com o seu veneno . Também na Turquia ,em Éfeso , a casa onde a Virgem Maria terminou seus dias é um dos locais mais visitados do país. Lugares carregados de mistérios, lendas e simbolismos são sempre muito atrativos para quem faz questão de devorar os lugares que vai conhecendo . O mundo está cheio de fronteiras culturais esperando para serem exploradas.
Viajar é um laboratório que nos permite um encontro com as tradições e raizes profundas que explicam o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *