Tragédia dos Peixes

“Milagre dos Peixes” é o título de uma das mais belas canções de Milton Nascimento e Fernando Brant . Mas nos dias de hoje, no Amapá, temos que usar a expressão “tragédia dos peixes”.

peixe-1.1

A Promotora de Meio Ambiente, Ivana Cei, esteve logo no sábado, no município de Ferreira Gomes, para apoiar as ações da promotora daquele município, Fábia Regina.

O cenário é desolador. Com milhares de peixes de centenas de espécies, mortos.

É bom esclarecer que os Ministérios Públicos Federal e estadual, através do Procurador Antonio Carlos Cardoso e dos Promotores Haroldo Franco, Ivana Cei e Anderson Batista, entraram com Ação Civil Pública no ano de 2010 para suspender a licença prévia e e anular a licença de instalação de empreendimentos no rio Araguary, por não terem considerado suficientemente esclarecidos os impactos ambientais no curso do do rio e sobre a possibilidade de influencia no fenômeno da Pororoca.

O entendimento de um certo juiz federal foi de que as hidrelétricas não causariam danos ambientais ao rio e nem ao fenômeno da Pororoca.

Pauta boa para a imprensa local e nacional checar. Cadê essa ação, como foi julgada e tal?

peixe-1-2

peixe-1-3

  • É impressionante a capacidade dos órgãos do Amapá em serem relapsos. O IMAP e SEMA em seus relatórios registraram uma mortandade de apenas 150Kg de peixes. Eu só nessas fotos já vejo que, parcialmente, esses 150Kg estejam somente nestas fotos aqui. O que é isso? Vamos fiscalizar a riqueza natural do Amapá, com responsabilidade.

  • A diferença de pressão na água pode ser a causa desse estrago nos peixes. Tem que ir pra cima dos irresponsáveis assassinos!

  • O Juiz que deu a decisão para continuidade da construção das hidrelétricas, mesmo sem os estudos adequados, foi o JUIZ JOÃO BOSCO SOARES.

    O povo amapaense agradece ao ilustre juiz pela morte do rio Araguari e pelo fim da Pororoca.

  • A afirmação de técnicos do IMAP de que os peixes estariam batendo com a cabeça nas pedras, mostra o grau de conhecimento dos técnicos que aprovaram o EIA das empresas que se instalaram no Amapá, se peixe sobe cachoeira para desovar, como pode ter morrido se chocando com pedras?
    Não seria a grande movimentação de material rochoso para a construção das barragens que estariam liberando metais pesados e/ou a perda da função do Rio Araguari ocasionado pelas barragens e favorecendo o avanço da água salgada .
    Obs. qualquer pessoa que tenha como hobby aquário, sabe que peixe de água doce não sobrevive na água salgada, mas o peixe da água salgada , sobrevive na água doce.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *