• puxa fiquei com aperto no meu coraçao,eu fazia parte dessa turma de eletrotecnica no colégio amapaense. lamento pelo Riba que já não pertence mais a este mundo. que saudades!

  • Olá Lene!
    Além do Ribamar, identifico o Douglas Lopes (esq. do Riba), o Ricardo Sampaio (dir do Riba), o Cosme (dir. agachado), o Maciel (inspetor do CA a esq em pé). Os demais, apesar do rosto conhecido, não lembro o nome. A memória não me ajuda hehehehehe.
    Bjs

  • Não sei se essa foto é do meu tempo, estudei no C.A. de 1986 a 1990, mas algumas caras ai não me são estranhas

  • Ao lado do inspetor Maciel, o Serjão (filho do prof. Mário Quirino)-o maior beatlemaníaco que conheço.

    • Lembro dele. Sua mãe era amiga da minha mãe. Márcio Façanha, irmão dele, esteve aqui ano passado.

  • Esses dois agachados da esquerda, parece o Bosco (mestre-sala do Piratão), e o outro creio que seja o poeta e escritor Ricardo Pontes.

  • Essa turma era do curso de eletrotécnica do Colégio Amapaense. Eu estou na foto. Só aparece o meu “paiol” lá atrás entre o Serjão e o Douglas. Infelizmente não me lembro do nome de todos, mas estão aí: SERJÃO, ZÉ MARQUES, RIBAMAR, ESPIRIDIÃO, DOUGLAS, HELDER FEITAS…

  • Foi no ano de 1981 em Belém do Pará que José Ribamar (RIBA) deixou assinalada na parede do apartamento de um amigo nosso chamado Abnenor Amanajás uma mensagem que começava com o seguinte texto: “Amigos! Eu não conheço a palavra Adeus..”. Guardarei para sempre estas palavras relembrando um antigo tema escoteiro cantado nas noites de fogueira do fogo de conselho. NÃO É MAIS QUE UM ATÉ LOGO, NÃO É MAIS QUE UM BREVE ADEUS…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *