• Bons tempos Alcilene.Identifico ai o Odair,Ismael(o segundo da esquerda para direita) a Francimar e eu to ai também.

  • ACHEI INTERESSANTE, MAIS EU TENHO UMA ICONOGRAFIA ONDE ESTÁ O EX-PRESIDENTE LULA(entao metalurgico), PADRE DANTE BERTOLAZZI E SR. JOSÉ AMANAJAS, COM UM GRUPO DE ADOLESCENTES NA PARÓQUIA S. C. DE JESUS (BURITIZAL), OCASIÃO ONDE O LULA FUNDAVA O PARTIDO DOS TRABALHADORES NO AMAPÁ (década de 1980)
    UM ABRAÇO

  • Eu estava lá! É realmente o Odair Freitas no canto, Lourival no outro extremo da foto e a Francimar toda estilosa ao lado de Lula no centro. O Ronaldo Serra tinha um dos melhores discurso do Palanque do Gilson.. Nessa eleição batemos na trava, mas foi um divisor de águas para a esquerda amapaense na época… Daí se avançou para o chamado campo democrático e popular que elegeu Capi em 94… Tantas lembranças!! Valeu pela foto Alcilene!

  • Essa foto é do tempo que o PT era limpo…Antes do Lulinha se tornar milionário…Os políticos, além de acabarem com a cidadania das pessoas, acabam também com os sonhos e o romantismo…Me emocionavam as campanhas do PT dessa época…Artistas, intelectuais e outras personalidades voltados para resgatar a moral e ética na política.

    • Essa é somente a sua opinião (entre muitas!) meu caro! Só pra lembra-lo, opiniões (pacional e leviana!)como a sua hoje só é possível porque o PT foi fundamental para conquistarmos liberdade de expressão e democracia nesse país! Só por isso eu te perdôo (e como um bom Messias deve entender melhor do eu sobre perdão!)

  • Lembro bem. Embora residisse em Belém por conta do curso de História na UFPA, vim à MCP nos dois turnos de votação com uma turma de universitários petistas no Comte. Idalino Oliveira(que farra e quanta gente amiga), meu amigo Ronaldo Serra que discursa na foto(presidente da AUAP à época se não me falha a memória) estava entre eles. Lembro da frustração pela derrota do LULA no ano anteior e do Gilsin nesse pleito de 1990 no segundo turno. A sensação de estar de madrugada no aeroporto para o retorno à Belém e sentir e ver nos olhos da companheirada tristeza e lágrimas pela sensação de a nossa incipiente e enga(tinhosa) democracia ter perdido uma oportuna conjuntura para sua auto afirmação tanto no plano local quanto no nacional). Com Lourival deputado, recebia mensalmente correspondências em Belém dando conta de seu trabalho parlamentar – excelente por sinal. As denúncias feitas por ele fortam necessárias e faziam parte de seu trabalho. Trata-se de um injustiçado que acabou levando a culpa dos erros e desmandos cometidos contra a administração pública por um governo efetivamente comprometido com grupos caudatários do regime militar que temos que reiteradas vezes dar a extrem unção. Por sinal, o ex-governante partiu e os porra-loucas e puxa-sacos de plantão já se arvoram em abrir o processo de beatificação com vistas à canonização por aí afora, etc. e tal. Oh, meu Amapá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *