Tá bom, então

Sobre Contratação da Fundação Universa

Nota à Imprensa

 Sobre a contratação pelo Governo do Estado do Amapá (GEA) da Fundação Universa para realização de concursos públicos, tem-se a informar que a sua escolha se deu após processo de consulta a três organizadoras, indicadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), a partir de critérios de competência e credibilidade atestados por currículos de certames realizados com sucesso.

Das fundações consultadas, somente a Universa apresentava a disponibilidade necessária para cumprir os prazos exigidos determinados pela necessidade de substituição de servidores temporários por efetivos no quadro funcional do Estado, que se encerra no final do mês de dezembro deste ano.

É importante ressaltar que o GEA não terá custo com a realização do concurso. A remuneração da Fundação será realizada por meio da cobrança da taxa de inscrição dos participantes.

 

Governo do Estado do Amapá

Nota do Blog: Remuneração de empresa de concurso ser a taxa de inscrição, sem custos para o cliente (Governo), é uma prática comum desse mercado. Isso por si só não é motivo de dispensa de licitação. A instituição pública deve sim, licitar, pra ver a proposta mais vantajosa para o estado.

 

NOTA PÚBLICA

 

A FUNDAÇÃO UNIVERSA foi contratada pelo Governo do Estado do Amapá para realizar concursos públicos para as Secretarias de Estado da Saúde e da Educação e para o Corpo de Bombeiro Militar. A contratação, aprovada pela Procuradoria do Estado do Amapá, foi baseada em dispensa de licitação prevista legalmente, como tem sido usual nas contratações das maiores organizadoras nacionais de concursos públicos. Neste campo, aliás, a FUNDAÇÃO UNIVERSA tem notoriedade e expertise reconhecidas por dezenas de clientes e milhares de candidatos, nunca tendo sido alvo de acusações que toldem a sua imagem de competência e lisura. Por sua natureza, a contratação nada tem de “nebulosa”, uma vez que os certames ocorrerão por total conta e risco da FUNDAÇÃO, em nada onerando o Estado. Pelo contrário, trará recolhimento ao Erário estadual caso o número de inscritos ultrapasse as previsões.

A FUNDAÇÃO UNIVERSA é uma instituição extremamente comprometida com a transparência e ética em suas atividades e jamais foi acusada de qualquer ilícito. Nunca foi citada por qualquer investigação da Polícia Federal, no Estado do Amapá ou em qualquer parte do Território Nacional. Não teve “alguns membros presos na Operação Voucher”. Apenas o funcionário citado em notícia de 21/03/12 – que à época era funcionário e hoje não mais pertence aos quadros da entidade – foi detido por seu envolvimento com empresas que nunca tiveram relação com a FUNDAÇÃO UNIVERSA.

A FUNDAÇÃO UNIVERSA assegura a todos os candidatos inscritos no concurso do Corpo de Bombeiro Militar – com provas a serem realizadas no próximo domingo –, bem assim aos que se inscreverem nos próximos certames, toda a segurança na sua execução e nos seus resultados, garantindo a cada um o constitucional direito à justa equidade da seleção.

Brasília, 21 de março de 2012.

Para relembrar a Operação Voucher

Correio Brasiliense

Publicação: 23/08/2011 17:58 Atu

Contratos de prestação de serviços assinados por uma entidade de Brasília conveniada ao Ministério do Turismo e empresas investigadas pela Operação Voucher sugerem que, conforme já apontou o ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU), o mesmo esquema de desvio de recursos públicos identificado pela Polícia Federal no Amapá “alcança outras unidades da Federação”.

Em dezembro de 2009, a Fundação Universa, com sede em Brasília, contratou por R$ 975 mil a Barbalho Reis Comunicação e Consultoria. Com o aval do então coordenador de projetos da fundação, Dalmo Antônio Tavares de Queiroz, o contrato estabelecia que a Barbalho Reis realizaria “estudos, pesquisa, qualificação e atualização profissional para a melhoria da qualidade dos serviços turísticos”.

O serviço prestado pela Barbalho Reis era necessário para que a Fundação Universa desse conta das ações previstas em um dos convênios que ela havia assinado com o Ministério do Turismo.

  • Essa é a tal “transparência”…
    Contrato com uma empresa com passado de envolvimento em escandalos e prisão de diretores?
    Ainda mais pra realizar um concurso público?
    Por que não se valeu de outras, acima de qualquer suspeita, como a Fundação Carlos Chagas, CESPE-UNB ou até mesmo prestigiar a própria UNIFAP?
    Estranho, não?

  • Acho que quando a instituição é reconhecida nacionalmente por sua competência e tradição em realizar concurso pode ser dispensada. Pela minha experiência de concurseira aponto SOMENTE 3 que são dignas de dispensa: CESPE, ESAF E FCC – nem a FGV entra pq tem muita suspeita de fraudes em seus concursos e desorganização (cito concursos do RJ e SENADO FEDERAL) – essa FUNDAÇÃO UNIVERSA não tem nada de especial que justifique a dispensa da licitação – achei péssima a escolha.

    • Perfeito Janaina!
      Será que o motivo da escolha pela Universa é o fato de que a listagem dos aprovados já esteja pronta antes do certame?????

  • Governozinho da Mudança, qual é a transparencia que tem um concurso destes, contratando empresa envolvida em corrupção, quantos poderão “entrar pela janela”, para atender anseios de grupos de políticos oportunistas, é ano de eleição. Mas, o povo está esperto.

    • Putz, olha o exemplo que foram usar…
      Em qual governo?
      Do Arruda? Do Roriz? ou do Agnelo?
      Todos sem nenhum escândalo…

  • Enquanto vcs perdem tempo discutindo a prestadora do concurso o cara lá do outro estado tá estudando para tirar a tua vaga.

  • Como o Governo é o da transparência, sugiro que após a divulgação da lista dos aprovados, seja divulgado também os nomes de aprovados que sejam filiados a partido político, e a qual partido pertencem. O que vcs acham?

  • Dizer que FCC, CESPE ou ESAF estão acima de qualquer suspeita é ingenuidade. Pior ainda seria a UNIFAP. O problema não está na empresa que vai ficar e sim emquem está estudando pra ela. Tem muita gente que só de ouvir falar nesse ‘problema’ já parou de estudar e vai colocar a culpa depois na instituição. Não farei esses concursos, mas estou torcendo e motivando vários amigos que farão. Pra quem já é concurseiro, sabe que ficar se batendo com essas notícias é furada. É necessária motivação e confiança nos órgão fiscalizadores. A Universa pode ter em seu passado desvios de conduta, mas a própria deputada que levantou suspeitas estivera presa e conseguiu se eleger. O site da Universa aponta muitos outros concursos que ela está fazendo pelo Brasil todo. É estudar, apenas isso. Deixem os fatos políticos pra quem gosta e vive disso.

  • Esse governo da mudança,o que mais sabe fazer é mudar de cor tudo que pode,exemplos:a camisa de quem trabalha nas firmas que prestam serviço p caesa AMARELA, uniformes dos servideres do Super Fácil AMARELA, as cadeiras da escola inaugurada AMARELA…. o meu medo é que a UNIVERSA já comece AMARELANDO!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *