Sopro de esperança: usina de oxigênio de Macapá começa a funcionar no Centro de Covid do Santa Inês

Entrou em funcionamento no comecinho da noite deste sábado (10), no Centro de Covid Santa Inês, a usina produtora de oxigênio hospitalar de Macapá.

O equipamento foi doação de uma empresa privada, que atendeu a um pedido do senador Davi Alcolumbre.

Doada ao governo do estado, um termo de cessão de uso à prefeitura de Macapá foi assinado na oportunidade, com o acompanhamento da procuradora-geral do Ministério Público, Dra. Ivana Cei.

Instalada no Centro de Covid do Santa Inês, a usina também possibilitará o abastecimento de outras unidades de saúde, porque tem capacidade para encher os 582 cilindros de oxigênio que já estão em Macapá.

O equipamento, orçado em R$ 1,2 milhão, permite o abastecimento de 32 cilindros de 7 metros cúbicos a cada 24 horas.

Em 26 de março, a usina foi transportada de Curitiba para Macapá em avião da Força Aérea Brasileira (FAB), a pedido do senador Davi.

*MOBILIZAÇÃO*

O senador explica que toda a mobilização se deu no comecinho de março, quando o Amazonas viveu a segunda onda, mais severa e mortal, da Covid-19. O próprio governador Waldez Góes solicitou a intervenção do senador.

No caso da usina de Macapá, todo o trâmite burocrático da doação, inclusive o termo de cessão de uso do equipamento, do governo do estado para a prefeitura municipal de Macapá, foi acompanhado pelo MP-AP junto à empresa doadora, bem como pelo governo do estado e o mandato do senador Alcolumbre.

“É um sopro de esperança para a grande batalha contra a manifestação da Covid-19. Doada por uma empresa privada, que se sensibilizou com o pedido que fiz, em nome dos amapaenses, essa usina tem um equipamento extra com capacidade de abastecer 32 cilindros de 7 metros cúbicos a cada 24 horas. Por isso, além de servir como aporte para o abastecimento de oxigênio da Unidade Covid Santa Inês, a usina também vai abastecer os equipamentos de ventilação menos invasiva e a rede para nebulização do sistema de saúde de Macapá”, disse Davi.

O senador também fez questão de destacar a parceria que se estabeleceu entre o governo do Amapá, com o governador Waldez Góes; o governo federal, através do ministério da Saúde; o Ministério Público do Estado, com a procuradora-geral, Dra. Ivana Cei, e o prefeito de Macapá, Dr. Furlan.

“Todos tiveram a dimensão da importância de se unir para salvar vidas”, sintetiza Davi.

*OIAPOQUE E LARANJAL*

Ainda no comecinho de março, Alcolumbre foi o responsável pela articulação com o governo federal, que resultou no envio de outras duas usinas de oxigênio para o Amapá.

“Ainda em março, garantimos, junto ao governo federal, o envio de outras duas usinas para o Amapá, que foram estrategicamente instaladas nos municípios de Laranjal do Jari e Oiapoque, respectivamente nos extremos Sul e Norte do estado, e que já estão funcionando”, lembrou o senador.

*UNIÃO E TRABALHO*

Por fim, Davi reforçou a importância da união de todos e parabenizou a maturidade política e o espírito de colaboração dos atores políticos do Amapá para lidar com a pandemia, sempre priorizando salvar vidas.

“Todo o nosso esforço, que envolveu o governo do estado, o Ministério Público do Estado e as prefeituras dos respectivos municípios, foi pensado como retaguarda para situações de colapso e falta de oxigênio em casos graves da Covid. As vacinas estão chegando. Mas ainda é necessário respeitar o distanciamento social, o uso de máscaras e álcool em gel, por amor à
sua vida e à do próximo”, pediu o ex-presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre.

*Assessoria de Imprensa*
_Davi Alcolumbre_

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *