Sexta-feira movimentada na política. PSB retira candidatura de Piedade ao governo e partidos da Federação (PT, PV e PCdoB) afirmam apoio a Clécio

Tentativas de intervenção nacional e outras movimentações agitam os bastidores 

A sexta-feira pre-eleitoral foi movimentada no arraial politico do Amapá.

Os partidos que compõem a Federação nacional formados por PT, PV e PC do B,  reuniram as direções partidárias e anunciaram através de nota publica o apoio ao pré-candidato Clécio Luis (Solidariedade). PV e PC do B, já aprovaram o apoio a Clécio e a executiva do PT também. Mas a democracia interna do PT promove encontro de delegados no dia 11.06, que deve homologar esse apoio.

 

Segundo dirigentes do PT no Amapá, praticamente 100% dos delegados e candidatos do partido estão fechados com Clécio.

A reunião da federação e a nota pública dos partidos é resultado de pressões para intervenção nacional na decisão local, que estão sendo feitas pelo PSB e REDE, de Capi e Randolfe, em levar a Federação a apoiar a candidatura de Lucas Abraão no Amapá, por causa desses partidos estarem apoiando nacionalmente a candidatura de Lula. Apesar, é bom que se diga, que Clécio é do partido Solidariedade, que nacionalmente também está com Lula.

A pressão na direção nacional pegou mal com os dirigente locais, pela falta de respeito com militantes e candidatos, segundo eles.

A deputada federal, professora Marcivânia declarou que vai atuar junto a direção nacional da Federação para que seja respeitada a decisão das lideranças amapaenses de apoiar Clécio, e que é radicalmente contra qualquer mudança no posicionamento dos partidos do Amapá.

O certo é que esses os partidos querem apoiar Clécio, e não Lucas Abraão, e que a tentativa de buscar apoio na marra, não foi bem aceita no Amapá, que tem apenas 0,3% dos votos nacionais.

Esse filme a gente já viu em outras eleições, e não é um filme bonito. A construção de diálogos políticos locais, primeiramente, é necessária para a construção do futuro do Amapá.

PSB retira candidatura de Piedade ao governo

Na manhã de ontem, 03.06, o presidente do PSB, João Capiberibe, reuniu a imprensa para informar que o PSB pela primeira vez não terá candidatura ao governo do Amapá em 2022. O PSB tinha lançado o nome da professora Piedade Vieira ao governo, que passa agora a disputar uma vaga de deputada estadual.

Na coletiva, Capi ainda não anunciou quem o PSB irá apoiar ao governo. Mas deve compor chapa com REDE e PSOL, que tem como pré-candidato Lucas Abraão (REDE).

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.