SESC Amapá realiza “Fórum de Cinema” com a presença de diretores renomados

Em continuidade ao Projeto Amazônia das Artes, o SESC Amapá realiza entre os dias 27 e 29 de agosto às 19h no Sesc Centro, o “Fórum de Cinema” com a presença dos diretores: Rose Panet (Filme Manuel Bernardino: O Lenin da Matta- MA); Sergio de Carvalho (Filme Sabá – AC); André dos Santos (Filme: Limiar – PA); Fernanda Martins – (Filme: Marajó das Letras – Os Abridores de Letras da Amazônia Marajoara PA); Severino Neto (Filme: Juba – MT).


O Fórum de Audiovisual tem como objetivo possibilitar reflexões acerca do cinema, suas dificuldades, particularidades e seus avanços. Além disso, busca debater as políticas públicas voltadas para o cinema, sua amplitude no cenário atual, bem como as iniciativas independentes, tanto no que se refere ao conteúdo quanto à exibição, à distribuição e à publicidade.
A mostra de cinema, com este evento, almeja aproximar os profissionais do audiovisual com o público, seja este estudioso, seja espectador. O evento contará com mesa redonda, compostas por profissionais do audiovisual: diretores, produtores, roteiristas, exibidores, estudiosos e gestores de instituições engajadas no incremento da cinematografia.

Programação:
27/08- EXIBIÇÃO E ANÁLISE SOBRE COMO FORAM REALIZADOS E RESPECTIVOS DESAFIOS.
DOCUMENTÁRIO: Manuel Bernardino: O Lenin Da Matta, Diretora Rose Panet; Duração: 52 min; Ano de Produção: 2017; Classificação: 10 anos.

SINOPSE: O documentário “Manuel Bernardino: o Lenin da Matta” refaz a trajetória do líder camponês, socialista, espírita e vegetariano Manuel Bernardino, que chegou ao Maranhão fugindo da seca no Ceará. A diretora dividiu o filme em três partes, a partir dos fluidos corporais suor, sangue e lágrimas, em diálogo com episódios de sua vida. Manuel Bernardino arregimentou cerca de 200 homens quando da passagem da Coluna Prestes pelo Maranhão, no início do século XX, provavelmente o maior contingente da história do movimento tenentista. O roteiro do filme, narrado pelo cantor Zeca Baleiro, foi elaborado a partir de depoimento do protagonista em delegacia de São Luís, na década de 1920, e a obra conta ainda com depoimentos de moradores de Dom Pedro, cidade surgida a partir da chegada de Manuel Bernardino à região, parentes e pesquisadores, entre os quais Anita Leocádia Prestes.

28/08- TEMAS ABORDADOS: PRÉ-PRODUÇÃO, PÓS- PRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO.

DOCUMENTÁRIO: Marajó das Letras – Os Abridores de Letras da Amazônia Marajoara; Diretora Fernanda Martins; Duração: 30 min; Ano de Produção: 2016 Classificações: Livre.
SINOPSE: Nossa proposta de intercâmbio propõe a realização de oficinas de “Mapeamento Iconográfico”, que permitam aos participantes perceber os elementos da comunicação visual popular do município onde será realizada a oficina. A amostragem coletada por meio de fotos e depoimentos audiovisuais será utilizada para refletirmos sobre os aspectos técnicos vinculados à manifestação (característica dos instrumentos utilizados, como são utilizados e por quê) como culturais (quem são os autores, se há o repasse da técnica aos mais jovens, quais características a manifestação atribui à cultura do município, etc.) e econômicos (verificar quais fatores econômicos influenciam a geração da manifestação iconográfica). Os resultados esperados relacionam-se com a percepção de aspectos da identidade cultural do lugar que são expressos pelas manifestações iconográficas.

DOCUMENTÁRIO: Sabá; Diretor Sergio de Carvalho; Duração: 13 min.
SINOPSE: A memória da luta contra fazendeiros e em defesa da floresta Amazônica, ao lado do companheiro Chico Mendes, ora se confundem, ora se fundem com o cotidiano simples do seringueiro e sindicalista Sabá Marinho e sua esposa Joana.

29/08- DEBATE SOBRE CONCEITOS EXPOSTOS.
FICÇÃO: Juba; Diretor Severino Neto; Duração: 19min.
SINOPSE:
Juba é uma jovem que ganha dinheiro fazendo malabares nas ruas de Cuiabá. Em uma dessas raras oportunidades que a vida oferece, Juba e seus companheiros recebem uma proposta irrecusável. Porém, mesmo com tudo combinado, alguns detalhes do seu complexo cotidiano tornam a decisão mais difícil do que parece. Um dilema de como os sonhos e a própria vida se misturam e se é possível que a arte sobreviva à realidade.
FICÇÃO: LIMIAR; Diretor: André dos Santos; Duração: 26minutos; Ano de Produção: 2017; Classificação: Livre.
SINOPSE: João (Benjamin Fortunato), um garoto de apenas sete anos, fica preso curiosamente dentro de um casarão, numa noite sombria. A partir de então ele se depara com acontecimentos inesperados com fortes ligações com seu passado e futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *