Seinf detecta irregularidades nas obras do Walkiria Lima

Outra irregularidade detectada no processo licitatório está no prazo de execução da obra

A Secretaria de Estado da Infra-Estrutura (Seinf), desde o início deste, vem fiscalizando as obras em andamento, em todo o Estado. Na maioria delas os técnicos da Seinf detectaram algum tipo de irregularidade.

No Centro de Educação Profissional de Música Walkíria Lima, a licitação foi para reforma e ampliação do prédio que ganharia um pavimento a mais e aumentaria em até 50% o número de vagas, detalhe questionado pelo secretário de Infra-Estrutura, Joel Banha.

“São mais de R$ 6,3 milhões para uma única obra. Valor que daria para construir mais duas escolas do porte da atual, uma na zona norte e outra na zona sul de Macapá”, observa Joel.

Outra irregularidade detectada no processo licitatório está no prazo de execução da obra. “Os alunos já estavam sem aula desde Março de 2009 por causa das condições físicas do prédio. Passou 2009 e 2010 sem nenhuma atividade. Só no final do ano passado que eles começaram a quebrar a escola para realizar o serviço, mesmo sabendo que a Secretaria estava sem dotação orçamentária”, acrescentou o secretário.

Como o processo de execução da obra não atende as exigências da Secretaria de Estado da Educação (Seed) a licitação será cancelada. “É uma determinação do governador, auditar todas as obras para verificar a legalidade. Se o procedimento for ilegal, a licitação é nula. Sem falar que a lei de responsabilidade fiscal é bem clara. As obras licitadas e executadas em 2010 nós não podemos pagar com o orçamento de 2011”, finaliza Joel Banha.

As atividades da Escola de Música Walkíria Lima estão funcionando em um prédio alugado na Avenida Feliciano Coelho, entre as ruas Hildemar Maia e Santos Dumont, no bairro do Trem.

José Menezes
Assessor de Comunicação

  • Sabe quanto foi o valor da construção do anexo da Assembléia ?

    8 milhões ?

    Deveriam fiscalizar isso também.

  • Absurdo!

    Eu tô cada vez mais perplexo com a grandiosidade dos atos governamentais do PDT e seus coligados no Amapá. Foram abusados, incompetentes e manipuladores. Hoje um amigo relatou que o Blog da Luciana Capiberibe está acessível nas repartições públicas. O que nunca aconteceu durante o governo PDT, agora foi possível. Pra termos base do quanto fomos enganados e sem direito a ter oposição, e o pior liberdade.

    A mais nova é que o TJAP entrou com mandado de segurança no STF argumentando que 170 milhões é pouco para o orçamento da Justiça. Sendo que, o aprovado na LDO foi de 125 milhões, o ex-governador Pedro Paulo enviou proposta de 146 milhoes e o Dep. Jorge Amanajás fez imenda de 170 milhões, enfim já não bastava os acordos anteriores.
    210 milhões é uma insensatez do TJAP mediante a situação do Estado.

    Existe perseguição de fato no Amapá.
    Quem persegue?

    E pra completar.

    Sarney diz a imprensa: “Não estou animado, será um sacrifício assumir o Senado , mas se é para colaborar com o País…”

    Ninguém merece!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *