Repiquete é Amor – Namorados no Blog


Renivaldo-047

Para Carolina

Olha, moça bonita do sorriso angular: eu sei que você não sabe o quanto você é linda, o quanto você é linda, o quanto você é linda e o quanto o mundo ficou melhor depois que você surgiu debaixo do azul do  tempo mudou depois que seu olhar resolveu desembarcar neste planeta, e que nem percebe que aquele velho Senhor de barbas brancas, aquele, que regula os ponteiros dos dias, agora desacelera indevidamente o hoje quando, aqui e ali, habito o inevitável vácuo entre o seu adeus e o momento em que meus olhos repousam em sua voz.

Sim, você fala tão pouco comigo mas sua voz é sólida. Sua voz é de uma solidez fluida e com cheiro de nuvem fofa em dia de inverno.

Moça bonita, é que neste minifúndio achatado nos pólos que vaga pelo infinito os conceitos de sólido, líquido, gasoso e todos os demais pré e conceitos (tão vetustos e cientificamente imprecisos) que nos prendem à impermanência perderam seu caráter definitivo.

Não há mais nada, nada, neste ou em qualquer outro ponto de qualquer lugar, que seja tão real e tão preciso e tão sólido e tão firme quanto a realezidade da sua presença.

E, mesmo que digam o contrário em algum noticiário qualquer, mesmo que dê manchete no New York Times, mesmo que esteja colado em um poste de rua em Mazagão Velho, mesmo que seja dito por um ganhador do Nobel de Química ou de Física, não há nada, mais nada, que seja mais claro, mais óbvio e não-cientificamente comprovado que a  alegria que toma conta da Terra do Nunca que existe dentro de mim pelo simples e complexo fato de você, todas as manhãs, vestir sua fantasia de fada e sair espalhando, sobre os antes tão chuvosos dias de meus olhos, esse cabelo essa pele esse corpo esses dedos essa boca esses gestos esse tudo que me faz acreditar que a vida, sim, é o que existe de mais perfeito, só que depois, bem depois, muito e muito depois de você.

Deste poeta cheio de erros a quem tu fizeste um eterno perdido.

Renivaldo Costa

  • O Renivaldo Costa é uma grande jornalista e escritor. Li alguns textos dele no blog do Fernando Canto. É um dos caras que este estado precisa reconhecer. Lembro de uma entrevista brilhante que vc fez com ele há alguns meses mas que um monte de babacas criticou. O Cara é bom!

  • Só não gosto quando ele fala mal das mulheres! pensei até que ele jogasse em outro time. rsrsr!! fora isso tudo bem, ele escreve bem.

  • Fiz um mini-curso de redação jornalistica com o Renivaldo em 1999 e desde lá o cara já mostrava que era bom. Só estranhei o fato dele não citar o nome da pessoa para quem escreveu. E se uma fã, daquelas fããã…mesmo imaginar que é para ela?

    • O Renivaldo Costa foi um dos poucos jornalistas a quem tive imensurável prazer de dar entrevista. Faz perguntas consistentes, tem leitura e aprecia coisas boas. Vida longa a esta buarte do jornalismo amapaense.

  • eu tive uma namorada que falava que ele nao gostava de mulher p q nas piadinhas e frases do fim do jronal que ele apresentava ele sempre falava mal de mulher, ela ficava p da vida e dizia que ele nao gostava de mulher! ahahah

  • Ops!!!! Ato falho: sorriso angular; sua voz é sólida; vetustos; tão sólido e tão firme; Terra do Nunca; fantasia de fada; eterno perdido… é… Nem Freud explica, só Nelson Rodrigues… Admiro a poesia mas não perco a piada….

  • Pelos comentários sexistas, pensei q não passasse d um ogro, machista até a medula, mas ao q parece até os brutos amam!!! Milagre do dia dos namorados???

  • Renivaldo Costa é um plagiário, isso sim. Este dito jornalista tem vários textos publicados em seu blog pessoal e republicados no jornal Diário do Amapá que são, na verdade, de minha autoria. Um, inclusive, “Carolina Coleciona Sorrisos” (que pode ser lido neste link: http://pautaquepariu.zip.net/arch2007-11-04_2007-11-10.html) ele dedica a sua esposa, que pode ser vista nesta foto, mas eu fiz para minha irmã, e foi publicada anos antes no jornal A União, aqui da Paraíba, a que ele teve acesso através da web. Infelizmente não tenho como mostrar as imagens digitais aqui (guardo-os, os plágios deles e os originais meus, com datas que comprovam o crime). Quem se interessar pelo caso, favor enviar um e-mail para [email protected]. Gostaria de contar com a sensibilidade da autora do blog e dos leitores para dar repercussão ao caso. Esse sujeito tem feito fama à custa do trabalho alheio (não é de se surpreender que esse texto também não seja dele) e desrespeitado toda a classe jornalística. Grato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *