Projeto atende pacientes com sequelas respiratórias provocadas pela Covid-19

 

Os atendimentos ocorrem no ambulatório da Unifap

A dificuldade respiratória é um dos principais e mais evidentes efeitos provocadas pela infecção de Covid-19. A afirmação é do coordenador do projeto de extensão “Reabilitação Cardiorrespiratória Ambulatorial de Indivíduos com Sequelas respiratórias Pós-infecção da Covid-10”, Profº Dr. Elinaldo Santos. O projeto extensionista oferece as terças e quintas-feiras, desde outubro, atendimento fisioterapêutico gratuito para servidores da UNIFAP e pacientes da comunidade externa com sequelas respiratórias pós-infecção, com carga viral indetectável, que necessitem de reabilitação.

Os atendimentos ocorrem no ambulatório da Universidade. Os pacientes devem, obrigatoriamente, ser encaminhados para atendimento por um profissional de saúde. “Nós tratamos de pessoas com sequelas limitantes que não tem condições de arcar com tratamento particular. A reabilitação terapêutica depende da nossa avaliação. Será assumido determinado protocolo de atendimento, voltados para disfunções observadas, baseadas com o nível de comprometimento dos pulmões que percebemos pela tomografia”, explicou o coordenador.

Os envolvidos no projeto irão monitorar os índices de recuperação dos pacientes que passarem por atendimento. “Os indicadores de recuperação cardiorrespiratória relacionados a Covid-19 ainda são uma incógnita. Os pesquisadores ainda têm trabalhado nessa investigação. Os relatos que nos foram passados por quem atendemos são otimistas, até então”, informou Elinaldo Santos.

Ajude.

O projeto aceita doações de insumos (álcool 70% gel ou líquido, sabão líquido, papel toalha) e equipamentos de proteção individual (máscara cirúrgica descartável, máscara de proteção respiratória (N95/PFF2), touca cirúrgica, propé e avental descartáveis, luvas de procedimentos) para desenvolvimento de suas atividades.

Informações entre em contato: (96) 98141-4356 (Charly Aguiar); (96) 99967-0728 (Ft.Raisa Balieiro). E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *