Programa ‘Mais Visão’ retoma atendimentos e cirurgias

 

Foram retomados nesta quinta-feira, 8, os atendimentos do ‘Mais Visão’, programa do Governo do Amapá que desde o ano passado já realizou mais de 7 mil cirurgias oftalmológicas, como de catarata e pterígio, devolvendo a visão para centenas de pacientes da rede estadual de saúde. As atividades do programa estavam suspensas desde o dia 18 de março, como medida preventiva em razão do aumento dos números de novos casos confirmados de covid-19.

Os atendimentos foram retomados de forma reduzida, para diminuir a circulação de pacientes e acompanhantes no local. Para isso, a equipe do ‘Mais Visão’ está entrando em contato com os pacientes para que fiquem cientes das novas datas das suas consultas. Inicialmente, a prioridade é para pacientes que já estão cadastrados no Mais Visão e tinham consultas agendadas, mas que foram suspensas devido à pandemia.

Só passarão pela triagem pacientes que possuem nome na lista e estejam devidamente cadastrados na Central de Regulação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Continuam a ser aplicadas todas as medidas e protocolos de distanciamento entre os pacientes, que junto ao acompanhante, passam por uma triagem clínica em que é verificado se ele está com covid-19. Caso seja considerado um caso suspeito, ele seguirá para realização do teste rápido. Nos casos positivos o atendimento é reagendado após o desaparecimento dos sintomas para uma nova avaliação, garantindo que o paciente receba o atendimento.

Para a 2ª fase do ‘Mais Visão’, que foi iniciada em janeiro, o Governo do Amapá investiu recursos do Tesouro Estadual para ampliar os procedimentos ofertados no programa

Além da continuidade das cirurgias de catarata e pterígio, o Mais Visão também irá atender casos de catarata congênita, correção cirúrgica do estrabismo e de entrópio e ectrópio, explante, implantes secundários e reposicionamento de lente intraocular, tratamento cirúrgico de truquíase, ptose, blefarocalase e simblefaroplastia, sutura de pálpebra, cirurgia de iridectomia, vitrectomia anterior e posterior, facoemusificação com implante de lente intraocular dobrável, retinopexia com introflexão escleral, vitrectomia posterior com infusão de perfluocarbono e endolaser e de óleo de silicone e tratamento medicamentoso da doença da retina.

O programa é fruto de uma parceria com o Centro de Promoção Humana Frei Daniel de Samarate (Capuchinhos). A primeira etapa foi realizada com recursos de emenda parlamentar do senador Davi Alcolumbre, em setembro de 2020.

Ao todo serão realizadas mais de 15 mil cirurgias e mais de 150 mil procedimentos entre triagem, consultas, exames e retornos pós-operatórios.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *