Prefeitura incia hoje operação emergencial de melhorias nas vias

A Secretaria Municipal de Obras (Semob) inicia nesta quinta-feira, 21, o serviço emergencial de tapa-buracos com três frentes de trabalhos. As equipes estarão a partir das 8h nas vias pré-definidas para a operação, que deve usar cerca de 800 toneladas de asfalto, iniciando o fim de uma situação que há anos é um entrave para a população.  As equipes vão trabalhar, inicialmente, nos trechos que exigem urgência e com maior fluxo de veículos.

 

A primeira equipe de trabalho vai se concentrar na Rua Cândido Mendes, no trecho entre as avenidas FAB e Mendonça Junior, no sentido norte/sul. Em seguida, esta mesma equipe atuará na Rua São José, entre as Avenidas Beira Rio e Presidente Vargas e também na Avenida Padre Julio, entre Cândido Mendes e Santa Catarina.

 

A segunda turma executará a operação na Rua Mato Grosso, no trecho entre a Ponte Sergio Arruda e Avenida FAB. O terceiro grupo vai atuar na Avenida General Rondon, entre a Avenida FAB e a Ponte Sergio Arruda. Essas duas equipes serão formadas por servidores da própria Secretaria de Obras, e a terceira é da empresa Manari, que fornecerá 400 toneladas de asfalto, como parte do pagamento de débito junto a Prefeitura.

 

O produto usado para tapar os buracos, na primeira e segunda etapas, será o asfalto produzido e aplicado a frio. Cem toneladas serão usadas na primeira fase e 300 toneladas na segunda etapa, que iniciará na próxima segunda-feira, 25. Vale ressaltar que esse asfalto é fruto do acerto de contas entre a PMM e a empresa Manari.

 

Em dez dias começa a ser utilizado o asfalto da empresa Vale do Aço, de Brasília, cuja tecnologia de aditivos permite a sua aplicação mesmo em dias de chuva, o chamado CBUQ-ITA-F. Desse novo produto serão usadas 200 toneladas durante a terceira fase da operação tapa-buracos.

 

Na quarta etapa dos serviços serão usadas 180 toneladas de asfalto frio, produzidos pela própria Secretaria de Obras. Ressalta-se, ainda, que 20 toneladas de asfalto usinado a quente e com aplicação também a quente, serão usadas nos trechos que exigem um asfalto de maior resistência.

 

Cada uma das equipes será composta por seis trabalhadores, sendo um encarregado, um motorista e quatro auxiliares. Eles utilizarão ferramentas como vassourão, pás, picaretas, carros de mão, cones, rolos compactadores, rastelos, serras mecânicas.

 

Fernando França – Asscom/Semob

  • Que seja um serviço de qualidade e não apenas uma caçamba jogando asfalto e os carros fazendo a compactação. Vivemos em uma cidade tão mal cuidada, que quando se faz o mínimo, já é motivo de alegria.

  • Que pena esta informação.
    Isto mostra a pobreza generalizada de nossan terra.
    Será que um dia ainda teremos um prefeito de verdade em nossa Macapá.
    Tapa buraco não existe mais nas capitais dos Estados do Brasil.

  • Que pena esta notícia.
    Será que um dia nossa Macapá ainda vai ter
    um Prefeito de verdade.
    Tapar buracos não existe mais nas capitais dos Estados no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *