PF apura possível desvio de medicamentos do kit intubação enviados pelo Ministério da Saúde ao Amapá

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira, 07/05, a Operação Anestesia*, com apoio do Ministério Público Federal (MPF).
Cerca de 20 policiais federais cumpriram quatro mandados de busca e apreensão em órgãos públicos e nas residências dos investigados, todos eles em Macapá/AP.Os policiais foram às ruas para buscar dados e documentos relativos à entrada e saída de tais medicamentos da
A investigação iniciou-se a partir de denúncias, apontando possível desvio de medicamentos sedativos e
bloqueadores neuromusculares, enviados pelo Ministério da Saúde ao Estado do Amapá.

Tais medicamentos são usados na intubação e tratamento emergencial do COVID-19 – o chamado “kit intubação”- cuja demanda cresceu com o aumento dos casos da doença, chegando à escassez em diversos lugares, notadamente no Estado do Amapá, como dão conta as notícias na imprensa.
Central de Abastecimento Farmacêutico do Amapá (CAF), vinculada à Secretaria de Saúde do Estadual (SESA) para
o Hospital Universitário (HU).

A investigação apontou indícios de que medicamentos sob a responsabilidade da (CAF) – que atua no recebimento, armazenamento, controle e envio de medicamentos no âmbito do sistema público de saúde estadual – estariam
sendo enviados sem as formalidades legais, em possível desvio.


Chegou ao conhecimento dos investigadores que apesar do órgão (CAF) ter registrado o envio dos medicamentos disponibilizados pelo Ministério da Saúde para atendimento da população amapaense, tais como: Fentanila; Morfina; Dextrocetamina; Propofol; Atracúrio e Rocurônio, os fármacos estavam em falta no Hospital Universitário.

Identificou-se também que particulares, possivelmente atendendo a indicações de pessoas do HU, estariam procurando farmácias especializadas na capital para comprar os medicamentos sedativos, para tratamento de
familiares/pacientes internados em UTIs. Se confirmadas as denúncias, os envolvidos poderão responder por peculato e organização criminosa, com penas
que alcançam 20 anos de reclusão.

Durante a Operação Anestesia, policiais federais encontraram, guardados indevidamente na residência de uma servidora da Central de Abastecimento Farmacêutico – CAF, diversos insumos hospitalares tais como luvas, máscaras, álcool, bem como medicamentos destinados exclusivamente para utilização na rede pública, sendo proibida a venda no comércio em geral. Além disso, também foi apreendida a quantia de aproximadamente 5 mil reais.

*Em razão de possível desvio de medicamentos sedativos para utilização em pacientes com COVID-19.
Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *