Pedido de exoneração do agora ex-secretário de Meio Ambiente, Paulo Figueira

Exmo. Sr. Governador do Estado do Amapá,

 

Por meio desta, solicito, em caráter irrevogável, a minha exoneração do cargo de Secretário de Estado de Meio Ambiente.

Agradeço profundamente o convite, porque acredito na atual gestão e tenho uma visão de esperança nas questões referentes ao crescimento das questões ambientais no Estado do Amapá. Confio na capacidade do senhor, governador, um homem ético e comprometido com as pessoas, e que saberá fazer muito pela área ambiental no nosso estado, apesar das dificuldades históricas que esse setor sempre enfrentou.

Agradeço também a minha família, aos servidores e à população que acreditaram em mim e me incentivaram bastante para aceitar esta missão.

Mas o fato de não poder permanecer no cargo não me impede de continuar contribuindo, dentro do meu campo de atuação, com o desenvolvimento do meio ambiente no Amapá. Serei sempre um colaborador desta gestão.

Nestes termos,

Pede deferimento.

 

Macapá-AP, 10 de junho de 2011.

 

____________________________________

PAULO SÉRGIO SAMPAIO FIGUEIRA

Secretário da SEMA

 

  • Carta de Repúdio

    A realidade realmente é dura e crua, não é novidade que o mundo se popularizou com grandes guerras e conflitos de interesses, seja na economia e na política, mas quem nunca chegou com honra, competência, idoneidade e mérito fazendo a máquina acontecer, conforme a verdade e transparência?; Fazer o que é certo, tornando-se maleável com interesses de terceiros?. Hoje o tempo são outros, os valores também são outros, é o tempo das incertezas e inseguranças, para não rechaçar as idéias, é o tempo de se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.
    É… Talvez o mundo não esteja tão preparado para ser politicamente correto, talvez ninguém esteja ou está acostumado conviver e viver num ambiente onde haja competência e tolerância zero.
    A carreira e o nome têm um peso importante em nossa sociedade, tem peso de caráter, tem peso de glória e ouros, tem peso de segurança, tem peso de certezas e certezas essas que encurtem esperanças, mas penso e tenho cada vez mais certeza de que quanto mais temos valores corretos e competência mais incomoda o inimigo, incomodam os poderosos, isso os incomoda pela fraqueza de não estarem sendo correspondidos pelos seus próprios interesses e pela ambição do poder econômico e político.
    Cabe-me dizer que o nosso Estado e a população têm retardo mentais gravíssimos, somos acomodados pela falta de escrúpulos, somos acovardados pelas elites que superam as brechas que a nossa Constituição os permite, somos covardes de dar a oportunidade e a chance de provar a inocência até que se prove o contrário ao grande ícone e profissional que tem interesse de levar a sério a política do meio ambiente e a sustentabilidade. Um grande ser estudioso das nossas riquezas naturais e das lutas e fraquezas que o Amapá possuir e criar a sua própria patente e história cultural, social e principalmente a ambiental.
    Para o senhor e mestre Paulo Figueira se adaptar com os erros dos outros é o mesmo que se adaptar a ignorância de ter tido estudo e oportunidade de melhorar os interesses do órgão e ficar apenas limitado a obedecer ao seu partido, que embora a sigla seja partido verde, mais demonstra ser um partido oco, duro, ultrapassado e velho, que desde a sua criação, jamais sequer houve amadurecimento político voltado para o meio ambiente, pois, sempre houveram e há conflitos dentro da sede do partido, desde as indicações de cunho político à vida profissional em questão. O Doutor Paulo Figueira, o referencio a doutor porque demonstrou em não ceder às pressões políticas do seu partido do qual anos e anos e afiliado, mas para não interromper com as investigações que o nosso Estado do Amapá enfrenta, mas por um governo que não sabe separar as ideologias do partido em questão, tomando as dores e queixas para não sujar a sua administração, coube ao governo abrir uma sindicância interna para esclarecer os fatos. Será que a população esta ciente dos acontecimentos deste órgão, desde a gestões anteriores? Será que a população realmente se importa com os conflitos internos do partido que o indicou? Ou será que a Lei prevalece aos mais poderosos e que se dane a natureza e os pobres?
    A sindicância esta aberta, mas deixou uma grande lacuna de elevada competência e lealdade de seus conhecimentos e compromissos do nosso estado amapaense.
    O Estado sofre com as conseqüências pelas incompetências de gestões anteriores que perduraram na política interna da Sema. Lembro como se fosse hoje, o servidor público Paulo Figueira que na época era chefe do setor da biblioteca da Sema abdicando seu tempo para receber estudantes estagiários para demonstrar as enciclopédias que o órgão possuía, e eu era um desses estagiários, no decorrer da semana encontrei-me em conflito com os interesses acadêmicos por não ter idéia de construir um relatório para a faculdade, entrei na biblioteca e comecei a pegar livro por livro, sendo que nenhum me agradavam, eis que o senhor Paulo Figueira percebendo a minha angústia perguntou o que estava procurando, respondi com cuidado, pois eu já tinha conhecimentos nos corredores da Sema que ele é grande conhecedor de temas da literatura ambiental, ele se levanta da cadeira e seleciona livros com temas interessantes para criação de relatórios e coloca sobre a minha frente, confesso que já frequentei todos os órgãos deste Estado e jamais encontrei um servidor que se importasse e prestasses serviços para ajudar uma acadêmica e a população como ele. Levo-o na memória este senhor que apenas em duas semanas de estágio demonstrou ser um exímio cidadão do bem e de competência extrema em tirar as dúvidas e ajudar aqueles que querem ser ajudados, haja vista que o nosso Estado necessita de pessoas deste porte.
    Perdemos um grande secretário-administrador, mas a sua integridade permanece na cabeça dos poucos que conviveram e o conhece de verdade. Finalizando, deixo uma passagem de Marquês de Maricá: Os acontecimentos políticos humilham e desabonam mais a sabedoria humana que quaisquer outros eventos deste mundo.

  • No governo de Waldez Góes a SEMA nunca foi indicação de partido político e por isso nunca aconteceu essa parafernália que está ocorrendo hoje, e muitas realizações foram feitas, pois tinha equipe que arregaçava as mangas e trabalhava,não ficava nessa de perseguir ninguém, assim como tratava Maria tratava o João só para ter ideia tinham pessoas do PSB que tinham cargos e permaneceram até o final do governo, porque tinham competência, não vejo nenhum problema nisso, o importante é você trabalhar com seriedade, infelizmente nesse governo a SEMA está sendo tratada como experimento, o pessoal que entrou lá tá perdido, o governador tem que indicar técnico com experiência técnica e administrativa para assumir o cargo de secretário e saber conduzir a politica estadual de meio ambiente e não deixar que indique pessoas sem experiência, a SEMA não pode mostrar fragilidade diante de tantos danos ambientais apresentados através de estudos já realizados, as seixeiras estão formando cada vez mais crateras que dá até medo, o que fazer diante de tantos problemas? As mineradoras e esses grandes empreendimentos instalados que poderiam ser monitorados com frequência e autuar de verdade os infratores,muitas vezes é passado a mão porque os proprietários são geralmente políticos e ai já viu como é. No IMAP tem uma pessoa séria que é o Mauricio e quer corrigir muitas mazelas que por lá foram deixadas, e sente muita dificuldade, lá é um exemplo de fatiar governo entregando as instituições para partido, pois o IMAP era de responsabilidade do Sr. Jorge Amanajás, feijão e companhia e deixaram daquele jeito que só o gestor sabe o que está enfrentando por lá, só pra se ter uma idéia o gestor no governo passado não atendia o secretário da SEMA a qual tinha vinculo direto parecia que tinham vários governos, só escutava e executava o que o depultado dele mandava fazer, é mole ou quer mais, chupa essa cana… Governador tá na hora de mudar esse jeito de governar, não deu certo no governo passado e não é agora que vai dá, os políticos continuam os mesmos..Boa sorte! O meio ambiente pede socorroooooooooooooooooooooooooooooooooooooo.

  • Esse pedido de exoneração está mais parecendo um pedido de CDS 3, 2 ou até 1!
    Dá um tempo Paulo, vá se resolver lá com o Deputado Zezé ou com com PV, partido que inclusive nuncas militastes de verdade. Chega de carreirismo, caia na real, avalie seus erros, seu hegoismo e sua prepotência.

  • Vai acontecer compras emegenciais na Sema, pois muito bem, vamos ver se a licitação vai ser realmente honesta. Fique de olho Alcineia, se é só fachada, que seja aberta aos empresários do Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *