Oremos

A Prefeitura de Macapá iniciou nesta segunda-feira, 5, o cronograma de pavimentação que será realizado em 50 km de vias da capital, somando um total de R$ 21 milhões de investimentos. O prefeito Clécio Luís acompanhou o início dos trabalhos na Rua Hildemar Maia, primeira via a receber os serviços com a nova tecnologia de pavimentação.

PMM

Cerca de 30 homens trabalham na Hildemar Maia, que terá 4.600 metros pavimentados. Os trabalhos deverão ser concluídos em até 30 dias. Neste período, apenas um lado da via estará liberado. Os agentes de trânsito estarão no local fazendo o controle do tráfego.

O diagnóstico das ruas

Macapá possui 800 km de vias. Desses, 400 km nunca receberam nenhum tipo de pavimento. Dos outros 400 km restantes, 300 km estão totalmente comprometidos, alguns com pavimentação de mais de 30 anos.

Nova Tecnologia

A PMM usa um método de pavimentação, que é considerado uma solução inovadora, mais barata que o tradicional e eficiente para a revitalização de vias.

Esse tipo de tecnologia já é utilizado em capitais como São Paulo (SP), São Luís (MA) e Curitiba (PR). O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) também utiliza este novo conceito em pavimento na recuperação das rodovias federais e elaborou, inclusive, normas específicas de aplicação. A tecnologia possui um aspecto diferente após a conclusão da aplicação e pode causar estranheza, por ter uma textura mais rugosa e dar a impressão de estar se desfazendo devido aos rejeitos que sobram sobre a pista, que não apresentam problema algum, pois o próprio trânsito de veículos se encarrega de retirar os sedimentos, segundo informa a PMM.

  • Caro prefeito, não esqueça que nenhum tecnologia resolverá o problema de asfalto de Macapá sem que a base seja feita com qualidade, ex: 30 cm de pedra, 15 cm de concreto armado e depois 10 cm de asfalto, é assim que se faz em São Paulo, São luís e Curitiba.

  • Essa notícia merece aplausos, Alcilene! Sempre considerei a Hildemar Maia uma prioridade urbanística em qualquer gestão. Era inadmissível ver uma avenida importante de nossa cidade, que vai dar diretamente no aeroporto,estar no estado de precariedade em que se encontra. A título, de sugestão, apenas, e sem querer demais, acho que a PMM deveria fazer uma ciclovia decente nessa recuperação. Parabéns à PMM!!!

  • Ai eu pergunto: – É pavimentação mesmo ou apenas um paliativo tapa-buraco?
    Estamos esperando o asfalto prometido em sua campanha à prefeito.

  • avante governo do povo! vamos somar todos com criticas fundamentadas e com sugestoes pertinentes, juntos vamos reconstruir macapa.

  • Isso é mais que uma obrigação do poder público municipal, em consonância onde é possível também, de forma positiva, com os poderes estadual e federal. Ou não?

    Amém!

  • Nao há asfalto que dure sem drenagem das águas da chuva. É necessário fazer galerias de águas pluviais, senão é dinheiro jogado fora.

  • Sr. Prefeito, esperamos que consiga implementar este planejamento, pois e nosso anseio, mas enquanto não chega ai pelos os lados do Zerão. Mande pelo menos um serviço de tapa buraco, pois já não aguentamos com tantas crateras. Ruas Amadeu Gama, Dr. Braulino e Zeca Serra; Avenidas Mario Fortunato Barriga, Dom José Maritano, Raimundo Peres e Maria Geovanete, esta última, eu sei se é por que homenageia uma irmã dos Borges, mas desde o inicio da sua gestão, nenhum buraco foi tapado.

    • Prefeito apresse o tapa buraco no Zerão, pois fecharam o transito na Dom José Maritno, devido uma cratera que toma a rua de lado para o outro.

      • Socorro Prefeito, cadê o tapa crateras? O povo do zerão pede socorro e exige o direito de ir e vir, pois já interditaram mais duas ruas: A Tenente Amaral e a Dr. Braúlino.

  • O Kleber e o Messias têm razão. Drenagem e concreto. Gente, temos tanta brita aí no Ap. Aqui na Europa, é o que usam no asfalto. E as ruas e rodovias são impecáveis. Mais próximo de nós aí, está Caiena. É só seguir o exemplo. Em Caiena, a drenagem é feita e dirigida para valas cavadas ao longo das ruas e rodovias e dirigidas p o esgoto. Isso não é novidade. Tem-se que parar de fechar toda a orla das ruas: drenagem e concreto. Bom trabalho e bom clima para a equipe da PMM.

  • Parabéns ao prefeito pelo esforço. Ë importante que esse esforço e esse dinheiro não seja em vão. Não podemos no próximo ano estar fazendo a mesma coisa no mesmo lugar. O Serviço tem que ser de qualidade e muito bem feito. Não estamos mais em tempo de estar fazendo paliativos e nem serviços meia boca, a coisa tem que ser séria. E vamos que vamos que o SOL nasce para Macapá e no futuro vai nascer para todo o Estado do Amapá.

  • A imagem do prefeito Clécio e algumas pessoas observando (suponho que sejam técnicos) as caixas de drenagem pluviais é bastante positiva, pois é preciso primeiramente recuperar todo o sistema de drenagem existente, se é que existe, pois ao que parece nossos gestores nunca se preocuparam com esse importantíssimo trabalho sem o qual não há asfalto que dure, a quantidade de galerias obstruídas, com tampas quebradas ou sem elas é muito grande Além disso é preciso construir meio fio, ciclovias e calçadas para que haja trafegabilidade de modo geral. Feito isto é preciso que o prefeito coloque equipes de manutenção permanente das galerias, varrição eficiente das ruas, fiscalização das construções irregulares que obstruem o passeio público tirando o espaço das futuras ciclovias e calçadas largas. O serviço de tapa buraco que vem sendo feito desde gestões anteriores até a atual é uma porcaria, eles não cortam as ondulações que se formam no asfalto que de tão grande que é mais parecem uma montanha, em alguns casos quando fazem o corte, não removem o material resultante,sem contar que não preparam adequadamente o buraco para receber o asfalto, conclusão é dinheiro jogado fora.
    Para resolver o caos urbano que se instalou em Macapá, é preciso que se replaneje e reprojete toda a cidade, ou seja, é preciso muita determinação, coragem, iniciativa, responsabilidade, e acima de tudo tem que gostar da cidade, pois é preciso reinventar Macapá.

    • O pessoal da PMM lê o blog. Tomara que sim. Na última sexta fui em casa para um evento familiar. Apesar dos carros dos irmãos, do pai e da mãe, resolvi chegar sem avisar e caminhei até a FAB para tomar um ônibus, e passear pela cidade na rápida viagem que terminaria domingo, até para matar as saudades do que eu fazia bastante durante a fase escolar (96,97). QUE SACRIFÍCIO!!! Quem não for de Macapá tem as condições mínimas para tomar um ônibus na cidade? NÃO! Determinadas empresas são capazes de mencionar todos os salmos bíblicos no letreiro, mas e quanto ao itinerário das linhas? E quanto à tarifa? Incrível como o serviço está ruim. No mais, lotadíssimos, sujos, sem iluminação. Uma lástima. Três pontos a destacar: 1- O coletivo (velho) segue pela Feliciano Coelho para convergir à esquerda, fazendo um esforço mecânico danado para se segurar no aclive. Aguarda a fileira de carros que descem a Santos Dumont e, quando milagrosamente consegue, tem de parar na esquina oposta para receber passageiros. QUE LOUCURA! 2 – Que maravilha saber que a Remo Amoras será recuperada! Rua destruída, enlameada, esburacada: Parecia que o carro ia se desmanchar na via. E pelo que percebi, desceu a grandíssima parte dos usuários daquele triste coletivo. Logo, aquela via merece urgente atenção pois é grande a quantidade de trabalhadores que sofre. 3 – Chamou minha atenção outra cena: jovens tendo de caminhar pela JK, pois a calçada e a margem da pista da praça que margeia o canal das pedrinhas estava bem alagada. Se logo ao lado do canal a água não drena, bem se dimensiona o desafio da administração frente ao estrago, os anos de abandono, destruição e saque a que foi submetida Macapá!
      Acho impostante esse breve relato, pois quem pôde, comprou seu carrinho e fugiu do serviço. Mas há quem ainda não pode, e que já nem apela mais… Vida de gado!
      Mas as coisas começam a mudar. Hei de ver “aquela turma” na cadeia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *