Olha Essa

Uma das pouquíssimas coisas que prestava no horrível aeroporto Internacional de Macapá (O velho, que o novo ainda tá só no esqueleto por que roubaram o dinheiro), era o caixa 24 horas do Banco do Brasil.

Pois agora nem isso. Não-tem-mais-caixa-do-Banco-do-Brasil-no-aeroporto-de-Macapá.

É mole?

A Infraero, que administra o aeroporto, tirou o caixa eletrônico por que o funcionário do BB chegou minutos atrasados ao pregão que licitava os espaços.

O Banco do Brasil é do governo federal e a Infraero também.

Na Seca

Outro dia, no calor da tarde equatorial de Macapá, não tinha água pra vender na Casa do Pão de Queijo da sala de embarque do aeroporto. Todo mundo com sede, até entrar no avião.

Casa do pão de Queijo funciona bem em tudo que é “buraco” desse país. A do aeroporto daqui, não. Fica sem água mineral pra vender.

Como diz o Yasha: #Selva.

Alguém de fora lendo esse blog, vai jurar que esta que posta tá doida.

  • Pontualidade é tudo. É uma pena que retiraram o caixa eletrônico do aeroporto. Mas o compromisso e o primeiro passo para mudança, que é o respeito ao horário, achei que foi uma boa decisão.
    O Brasil tem a fama muito ruim na pontualidade, penso que podemos mudar esta realidade.

  • “Uma das pouquíssimas coisas que prestava no horrível aeroporto Internacional de Macapá” / Dúvida: que outras coisas prestavam lá além do caixa eletrônico do BB? Ah, lembrei! A geladeirinha de picolés da Kibom, né?

  • Lene, nesse caso a falha é do Banco do Brasil. Não se pode desrespeitar o edital de uma licitação. Todos tem que cumpri-lo independente do tamanho do concorrente. Nem tudo está perdido.Ponto para a Infraero

    • Verdade. Mas isso só é assim porque os aeroportos são controlados pelo Estado. Se fossem controlados pela iniciativa privada, ela se preocuparia com aquilo que traz retorno, não com burocracias de um edital licitatório. E o caixa do BB certamente estaria lá, afinal o interesse maior seria o do cliente, né?

    • Eu acho que o funcionário do BB pensava que a Infraero nao era tao rígida assim nas licitaçoes.. Afinal, a gautama ganhou a licitaçao do aeroporto, nao fez a obra, roubou o dinheiro..

  • A Casa do Pão de Queijo em Macapá é complicada. Um dia comprei na loja do shopping um shake de frutas vermelhas, tomei e gostei. Outro dia comprei o mesmo produto na loja do aeroporto e a surpresa: o tamanho do copo era menor. Uma vez pedi na loja do shopping um pão de queijo recheado com cheddar, e pra minha surpresa a funcionária cortou o pão de queijo com uma faca e espremeu um saco de queijo cheddar com um furo na ponta bem no meio do meu pão de queijo.
    Infelizmente é assim que funciona a Casa do Pão de Queijo em Macapá.

    • Mais ou menos como no Bob’s… Sabiam que Macapá é o único lugar onde o refrigerante tem sempre o mesmo tamanho?! Não importa se você pede o trio pequeno, médio ou grande. Sempre vem uma latinha junto. Aqueles copos de três tamanhos diferentes devem ser exclusividade da civilização, né?

        • Bem lembrado Yashá…que “exclusividade” né…
          Lamentável não termos os “refris direto dá máquina”.

          • Ah, já desencanei… Isso nunca vai existir aqui! O pior, aliás, não é nem isso. O pior é que o Bob’s, aqui, é restaurante “a la carte”, não “fast food”. Basta ver que você chega, faz o pedido, paga, ESPERA UNS 10-15 MINUTOS e, só então, recebe o produto. Um desastre! Em Sampa tem um McDonald que faz a seguinte promoção: “Se esperar mais de 30 segundos pelo seu pedido você não paga.” É a selva mesmo, não tem outra explicação.

          • Tem o Burguer King, uma outra rede de fast-food lá em SP, que é rapidíssima tbm, e olha que é td feito na hora.

  • Certa vez, uma sobrinha minha turismóloga, recepcionando um grupo de estrangeiros, levou-os à “Casa do Pão de Queijo”, no Aeroporto “Internacional” de Macapá…… detalhe, baby… meros detalhes … os turistas pediram, por óbvio, pães de queijo, ao que lhes foi respondido que não havia… pediram sucos de laranja… “não tem”… hummm… o suco de abacaxi com hortelã sairia “sem hortelã”… e, por fim, com o intuito de amenizar aquele calor terrível na hora de suportar a tormenta de aguardar o voo atrasado, pediram uma humilde aguinha mineral
    …………………………………..
    quanta falta de vergonha na cara dos tais “administradores” da franquia… argh… mundinho de macapá…

  • Puxa, infelizmente, as franquias daki não funcionam como as de outras cidades!! Fico me perguntando: por que será? Um exemplo é o Bob’s… Céus!!! O Bob’s ali do shopping Macapá é um horror! Conheço algumas capitais que têm essa rede de lanchonetes. Atendimento muito bom, rápido e um lanche gostoso. Aki é td muito lento, um pão horrível e nunca tem suco que preste (e olha que moramos numa região riquíssima em relação a frutas!!!). Quanto à Casa do Pão de Queijo, é um lugar que já fui umas duas vezes… Td muito caro, td muito pequeno, pães frios (os funcionários não esquentam de preguiça mesmo). Pena!!!

    • É um horror principalmente na qualidade e no preço. Enquanto no Bob’s de outras cidades a casquinha custa R$1,50 , aqui chega ao absurdo de custar R$ 3,00 reais. E ainda vem todo aguado. Eca!

  • uma perguntinha, o caixa do BB no aeroporto que eu me lembre, era o único que funcionava 24h. Alguém sabe me dizer qual o outro caixa do BB que funcione 24h na cidade, já que os outros inclusive os da agência funcionam até as 22h. No aeroporto tem o caixa do Banco 24h, mas nem sempre ele aceita cartão do BB.

    • Agora o único caixa 24 horas da cidade é aquele “drive-thru” que funciona lá ao lado do BB da Independência.
      Independente de ter ou não o caixa do Aeroporto, lamentável termos APENAS um Caixa do BB 24 horas aqui em Macapá. Ainda mais considerando o elevado número de correntistas que tem aqui.

      • Pior é que na maioria da vezes esse caixa “drive-thru” na maior parte do tempo apenas um funciona, ou tem um irritante problema, que é comum no BB, de Leitura no Cartão.

    • Quanto à Casa do Pão de Queijo e do Bob’s, total irresponsabilidade dos donos das franquias em Macapá. A matriz nacional de ambos vai gostar de saber muito como que funciona o estabelecimento deles aqui em Macapá.

  • Ponto neste quesito p/a Infraero,hs devem ser respeitados ainda mais em processos de licitações.Quanto a Casa do Pão de Queijo (só o nome) e Bob’s, é a mais pura realidade,atendimento péssimo nos dois locais.

  • Absurdo!!!!! O BB do aeroporto não só era o único que funcionava 24 hs como também era o que atendia os moradores das próximidades, sem falar que a segurança para a operação de saque era maior. E agora? Não terá mais cx do BB no aeroporto por causa do atraso de um funcionário. Vou ligar para a ouvidoria!!! Macapá NÃO É sucupira!!!

  • Quanto à Casa do Pão de Queijo e do Bob’s, total irresponsabilidade dos donos das franquias em Macapá. A matriz nacional de ambos vai gostar de saber muito como que funciona o estabelecimento deles aqui em Macapá.

      • A propósito, os donos das franquias aqui em Macapá são os mesmos do Supermercados Fortaleza? Alguém saberia informar?

          • Obrigado Alcilene e Fagner. Pena que não tenhamos a estrutura de outros estados.
            A Casa do PdeQ do Shopping é mto melhor mesmo, nem se compara com a porcaria do aeroporto, que monopoliza a venda.

        • Pelo que eu sei sao donos diferentes. E a que fica no Fortaleza é melhor. E Nao é dos donos do Fortaleza.

  • Por falar em Casa do Pão de Queijo…por falar em licitação…me fez lembrar de uma coisa.
    Verifica-se que a Casa do Pão de Queijo é a unica do ramo de alimentação lá no “grande” aeroporto de Macapá. Porque não abrem espaço para outro(s) estabelecimentos. O aeroporto pode ser pequeno, mas tem até espaço para outra lanchonete se instalar lá.
    E, além do mais, será que a Casa do Pão de Queijo, com seu ótimo atendimento, com seus preços baratíssimos e comida de ótimo gosto, está agradando a todos? Estaria correspondendo as expectativas dos frenquentadores do aeroporto?
    A Infraero é tão rigorosa em alguns pontos, e em outros ela é maleável? Que paradoxo estranho né.

    • Só para constar: na única vez que eu fui lá na Casa do Pão de Queijo do aeroporto, gastei oito reais (isso mesmo) em um lanche totalmente “light”. Um pão de queijo “gitinho”, que foi 4 reais e um suco de acerola da polpa, que tava horrível, servido em um copo descartável de 150 ml, também 4 reais.

  • Seria bom então colocar o email da ouvidoria do BB, do Procon, do MP e do escambau pra gente protestar seriamente.
    Não dá pra ficar sem Banco do Brasil 24 horas. Meu pai é obrigado a estar nesse banco e ele sofre.
    O problema da internete é esse. Todo mundo desabafa aqui no virtual e no mundo real não faz nada. Por isso que as vezes nada muda. Ou é muito difícil.
    Algém tem que receber esse protesto contra a gerência do BB aqui, contra esse funcionário e tomar as providências cabíveis.
    É isso.

  • Vem cá, e a quem devemos apelar? ao bispo, ao pastor, ou ao N.S.J.Cristo??? Não caberia, uma denúncia ao procon e aos M.P’s? Aeroporto sem Caixa eletronico? E quem vier em transito, e precisar de dinheiro??? Eita, que agora ” noís tá”….

  • Com todo respeito, penso que alguns criam falsas expectativas acerca das franquias famosas aqui instaladas, senão vejamos:
    Há pouco, numa madrugada, encontrava-me na sala de embarque de frente ao balcão de atendimento da Pão de Queijo, no Aeroporto da Gautama/Beter e demais políticos maranhenses.
    Logo após chegaram o Comandante e demais Comissários da TAM e pediram 5(cinco) cafezinhos. O Comandante saiu rápido para buscar algo que havia esquecido. Os demais ouviram da atendente que a máquina de fazer café estava estragada. Nem da garrafa voces têm…? indagou um deles. Ela respondeu-lhe um curto, seco e raivoso nãooooooooooooooo!. O grupo já estando de saída, eis que chega de volta o Comandante da aeronave. E o café…?, ele indagou aos demais colegas. Um deles com o semblante de decepção expressou-se: MAAAA-CAAAAA-PÁÁÁÁÁ, ao que indagou: ENTENDEU…?
    Logo, se para saborear um simples cafezinho no alvorescer do dia a coisa já tá difícil, imagine fazer um lanche naquele ou n’outro lugar qualquer.
    Não dá para encarar mano velho.

  • Nada mais funciona? Então o último que sair, apaga a luz do aeroporto. O pior é que vamos ficar sem saída. O último Zepelim já partiu, e a base aérea do Amapá tá que nem o nosso Aeroporto Internacional de Macapá, uma sucata. A gente contando assim ninguém acredita…

  • Dizem que o porto do Grego(em Santana)já está mais estruturado que o “Aeroporco” de Macapá. Vamu di barsa, sumano.

  • Psiu, tem BB mais pertinho do aero para quem precisar.. na Seama, é fora da área de catraca então qualquer um pode entrar. [Mas não fala que fui eu quem contei] 😉 e o Bob’s daqui de Macapá é o único em que não sabem o significado de FAST FOOD!.

  • Ei, não se esqueçam que o problema inicial é o Banco do Brasil. A UNIFAP também deixou de ter cx. eletônico e posto bancário pq o BB diz que não participa de licitação. Diz-se amparado no inc. VIII do art. 24
    da Lei nº 8.666, de 1993, dispensa de licitação. Mas a Orientação Normativa/AGU nº 13, de
    01.04.2009 (DOU de 07.04.2009, S. 1, p. 14) diz que este inciso não vale pra eles. Então, a falta de respeito é do Banco do Brasil para com os seus clientes, quase monopólio no AP. Qto ao verdadeiro lixo que são os serviços aqui, sejam no aeroporto ou onde for, só posso me assossiar (oh, desculpem-me, associar) ao Yasha; #SELVAAAAAAAAA

  • Esse Aeroporto de Macapá, realmente, é uma vergonha; e tem placa de Aeroporto Internacional. Pira paz …
    Não devemos esquecer que roubaram 50 milhões de reais (26 milhões de dólares), e nada mais foi divulgado. Quando isso acontece, tem tubarão, “gente graúda”, envolvida. Se fosse somente “matupiri”, já estavam acorretados nas grades daquela carcaça de telhado, do futuro (bem distante) Aeroporto de Macapá.

    Ps. Humor. Prá passar a raiva e relaxar.
    Ouvi dizer que o Bob´s que funciona em Macapá é a rede “Bob´s Massaranduba”, nas escolas municipais. É um verdadeiro “fest-fud” …

  • DEPOIS VÃO DIZER QUIE AQUI SÓ TEM INDIO ,O PONTO DEVE DE SER POR PESSOAS DE FORA DO ESTADO NAO É !? E AGENTE QUE É INDIO HAM…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *