O Chicola e a finitude da vida

O Chicola partiu. O CHICOLA.

“Moleque” do Formigueiro (o beco atrás da Igreja de São José, que a turma do Formigueiro transformou em ícone). Engraçado, legal, responsável. Bom irmão, pai, marido, vizinho e amigo. 

A partida do Chicola vem entregar no sábado a realidade da finitude da vida de todos que habitam a terra de Deus.

Nem sei de quando conheço o Chicola. Parece que a vida toda.  Bem antes de trabalhar no mesmo governo que ele  no Palácio do Setentrião. Ele foi por muitos e muitos anos, fiel escudeiro de Capi. 

Amigo e cuidadoso comigo.Parceiro dos que gostava. Blindado com quem não simpatizava. Um cara do bem.

Quis o destino que esse amigo do Formigueiro viesse morar na minha rua, depois de casar com a vizinha de infância , Josi Façanha. (Um parêntese para registrar esse grande amor) .

Hoje o Chicola se foi. Depois de dias, meses e anos, tratando da doença que lhe tirava a graça e a alegria da zoaçao, das organizações de festas e eventos do Formigueiro e do bom papo.

Vai em paz, Chicola! Deus há de confortar todos os que te amam. E não sou poucos. Esposa, filhos, irmãos, sobrinhos e 1 milhão de amigos.

As dores acabaram!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *