Novo decreto mantém medidas restritivas e determina intensificar fiscalização em portos e aeroporto

 

Em novo decreto, publicado nesta terça-feira, 2, o governador do Amapá, Waldez Góes, manteve as medidas restritivas de enfrentamento ao novo coronavírus e orientou que os prefeitos sigam as medidas de suspensão do carnaval e proibição do consumo de bebida alcoólica em vias públicas. As ações visam reduzir o índice de aglomeração de pessoas, um dos maiores fatores para a multiplicação do vírus no Amapá.

Estão suspensas de 03 a 10 de fevereiro atividades em clubes de recreação, bares, boates, teatros, casas de espetáculos, casas de shows e centros culturais. Também devem permanecer fechados balneários públicos e privados com acesso ao público, clubes sociais e outros empreendimentos similares, incluindo eventos realizados em embarcações.

Competições de esportes coletivos e eventos em estádios de futebol, ginásios, quadras poliesportivas, praças e/ou outras atividades que provoquem aglomeração de pessoas, seguem suspensos. O horário limite máximo de funcionamento dos estabelecimentos comerciais permanece até às 22h, mesmo horário limite para a circulação em praças, calçadas e logradouros públicos – com exceção das que buscam por atendimento médico ou serviço essencial.

No serviço público, permanecem as medidas do decreto anterior, regime de teletrabalho e sobreaviso, com exceção dos órgãos de serviços essenciais e que atuam na linha de frente de prevenção e enfrentamento à covid-19.

O governador também orientou que os prefeitos isolem os balneários, inclusive com barreiras, e determinou à Secretaria de Justiça e Segurança Pública que os comandos locais das Polícias e Corpo de Bombeiros reúnam com as prefeituras para definirem ações de intensificação das fiscalizações.

Durante videoconferência, os prefeitos relataram enfrentar dificuldades para conscientizar a população que insistem em ir aos balneários, mesmo com a proibição do decreto.

“Estamos seguindo o decreto estadual, mantendo a proibição dos balneários e pedimos a colaboração da população e o apoio da segurança para nos auxiliar nas fiscalizações”, disse o prefeito de Amapá e presidente da Associação do Estado do Amapá, Carlos Sampaio.

Outro fator apresentado pelos gestores municipais é o descumprimento das medidas sanitárias em algumas igrejas, que mesmo sendo consideradas atividades essenciais, devem seguir as precauções estabelecidas em decretos, como a disponibilização de álcool, distanciamento entre fiéis, número reduzido de pessoas por celebração e o uso de máscara.

O cumprimento de todas essas medidas são necessárias, pois o estado está em alerta por conta de casos, sob investigação, suspeitos da nova variante do vírus, que já circula no Amazonas e Pará. O comitê orienta intensificar medidas, tornando-as mais rígidas, como vigilância e restrições de portos, ancoradouros de embarcações interestaduais e aeroporto. Além de reforçar fiscalização e implementação de medidas de controle sanitário no desembarque de passageiros com origem interestadual, por via fluvial e aérea.

“A capacidade de multiplicação da nova variante do vírus é maior e já temos casos em investigação, o que requer, além das precauções que já adotamos, como a vacinação e ampliação da rede de saúde, que a população reforce o cuidado individual para o bem coletivo. Não podemos abrir mão da prevenção, higienização, distanciamento social e uso de máscara. Quanto maior o relaxamento em relação aos cuidados pessoais, maior o risco de infecção”, disse o governador.

Na última segunda-feira, 1º, o Chefe do Executivo determinou a suspensão do ponto facultativo de carnaval, de eventos carnavalescos e a proibição do consumo de bebida alcóolica nos fins de semana, com a Lei Seca.

Relatório

De acordo com o último boletim emitido pelo Centro De Operações De Emergência Em Saúde Pública (Coesp), nesta terça-feira, 2, são 325 novos casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus no estado. Atualmente, a rede hospitalar estadual conta com 230 leitos ativos para covid-19.

A taxa de ocupação de leitos de UTI adulto na rede pública é de 66.67% e 42.31% de leitos clínicos adulto. Mesmo com a ampliação de leitos, o Coesp alerta que se a população continuar aglomerando, a taxa de transmissão pode aumentar, e caso a variante encontrada em Manaus esteja em circulação, a taxa de retransmissão (RT) pode chegar a 1,28%, o que causaria uma grande demanda hospitalar.

O Amapá ocupa a classificação laranja, que indica risco moderado da doença, já os municípios de Tartarugalzinho e Porto Grande ocupam a classificação vermelham, que indica alto risco de infecção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *