Notícias das Escolas

COSTURANDO A LIBERDADE

O projeto de Maracatu da Favela completa 5 anos

Maracatu da Favela comemora 5 anos de criação do projeto Costurando a Liberdade realizado em parceria com o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá. Para a execução do projeto será assinado um convênio entre as duas instituições, nesta quinta-feira (21), às 9h, na penitenciária feminina.

Costurando a Liberdade foi criado, em 2006, por Maracatu da Favela, na gestão do presidente Claudionor Soares que é delegado de polícia e conselheiro da escola. O nome do projeto está associado à sua finalidade que é de contratar as detentas para confeccionar fantasias para a verde e rosa, em contrapartida, além da remuneração pelo serviço, elas recebem o benefício da remissão, ou seja, redução da pena. Cada 3 dias trabalhados correspondem a menos um dia de reclusão.

Para o carnaval deste ano serão contratadas 12 internas que irão confeccionar as fantasias completas de 4 alas de Maracatu. O material a ser utilizado é de responsabilidade da escola que fará a entrega no ato da assinatura do convênio.

As beneficiárias do projeto solicitaram que este ano o contrato inclua uma nova cláusula, de 2h de apresentação da escola, com bateria e casal de mestre sala e porta bandeira, para todas as internas. Nos anos anteriores, Maracatu da Favela faz essa exibição no dia do recebimento das fantasias e as detentas querem garantir a continuidade da festa que encerra os trabalhos.

O convênio será assinado pelo presidente da verde rosa, Egídio Gonçalves e pelo cel. Walcyr Santos, diretor do Iapen/AP.

Gilvana Santos

Assessoria de Imprensa

Bateria Pororoca: novidades e apresentação da primeira maestrina do carnaval amapaense

A Bateria Pororoca de Boêmios do Laguinho está preparada para o Festival de Samba de Enredo e o desfile no sambódromo. Algumas novidades serão apresentadas pelos ritmistas que estão novamente sob o comando de Mestre Carlinhos Bababá, como o estrondo da pororoca e outras marcações nunca antes apresentadas. A bateria é formada por aproximadamente 200 ritmistas entre adultos, jovens e crianças que ensaiam de segunda a sexta-feira. A banda base, que irá participar do Festival ensaia separado.

Acompanhando a bateria uma equipe de intérpretes  liderados pelo diretor musical Jorginho do Cavaco também afina as vozes todas as noites. Macunaíma, o intérprete oficial, está acompanhado de nomes já conhecidos como Carlos Peru e Tiago e de novatos no carnaval, a exemplo de Clóvis,  Luiz Eduardo, Emanoel Rodrigues e Leila Andrade. Os iniciantes já têm experiência cantando na noite amapaense e puxando samba de empolgação nos blocos.

Além das novidades na bateria e na equipe de intérpretes, Boêmios do Laguinho inova também nos mestres que acompanham Carlinhos Bababá. Mestres Nena Silva, Vank e Pelé terão oficialmente a companhia de Loizlene Picanço, a primeira maestrina do carnaval amapaense. Com apenas 13  anos, a filha de Carlinhos Bababá segue o tradição familiar e também dá o comando na frente da Pororoca.

Completam a bateria os experientes Beto Sete Cordas, no violão nos cavaquinhos Divino, Tiago Simões e Marcelo. Toda sexta-feira acontece o grande ensaio com a participação da rainha da bateria Nega Vânia, o primeiro e segunda casal de mestre-sala e porta-bandeira e os casais mirins. Ainda neste dia, após o ensaio, tem o Samba Laguinho com  a participação de Jorginho do Cavaco e grupo Sensação do Samba, com muito pagode e samba de raiz.

Mariléia Maciel

Assessora de Comunicação-AUSBL

  • Informação incorreta quanto a maestrina!
    A primeira maestrina do carnaval amapaense é a Cleide Queiroz. Que há anos, juntamente com Mestre Riba vem dando show de competência na Bateria da Maracatu da Favela. Portanto, corrijam a informação, afinal, o blog tem que dar notícias corretas. Bjos Alcilene!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.