“MUDANÇA” OU “HARMONIA”? Eis a questão!

Brasília, 15 de junho de 2012

Lourival Freitas

Ex-Deputado Federal PT/AP

Quem acompanha a política no Amapá pode identificar facilmente a disputa entre duas principais forças políticas nas últimas quatro eleições para o governo do Estado. De um lado a força liderada pelo PSB comandada pelos Capiberibes, que governou o Estado por oito anos, e do outro lado a força que elegeu Waldez Góes para suceder o governo do PSB/PT e que também ficou no governo por oito anos. O PT que ficou junto com o PSB nos primeiros oito anos pós Barcelos, acabou migrando para o lado do Waldez, vestiu a camisa azul e participou do segundo governo da chamada “harmonia”. Na última eleição o PT decidiu retornar ao convívio do PSB e veste novamente a camisa amarela e participa do atual governo da “mudança”.

Qualquer que seja o partido ou coalizão haverá no seu governo aspectos positivos e negativos. É fácil perceber que do lado negativo, a “harmonia” é um agrupamento caracterizado por uma administração perdulária, populista e irresponsável na administração que teve um fim triste na operação “mãos limpas” da polícia federal. Mas eles se vangloriavam de promoveram a harmonia entre os poderes, uma boa relação com o funcionalismo público e a paz reinava entre os agentes políticos.

A turma da “mudança” é criticada por não cumprir acordos, arrogância e truculência na relação com o funcionalismo público e perseguição aos empresários. Mas o PSB e seus aliados tem mostrado maior seriedade na gestão dos recursos públicos, responsabilidade e transparência na administração pública e grande promoção dos valores culturais da nossa terra.

O clássico debate ideológico que acontece em todas as democracias do mundo está totalmente ausente da disputa política no Amapá. PT e PSDB aqui no Brasil travam este debate. Nas recentes eleições na França e nas próximas nos Estados Unidos, a disputa é entre partidos de centro-direita que defendem mais a eficiência econômica do que a igualdade social; e partidos de centro-esquerda que pregam a melhoria de vida dos mais pobres através de gastos com programas sociais e transferência de renda. Até a polêmica sobre o modelo de desenvolvimento (PDSA) presente no primeiro governo do PSB/PT foi totalmente esquecida.

A ausência deste debate ideológico reduziu a política no Amapá a uma disputa meramente eleitoral entre grupos, sem conteúdo programático ou ideológico. O debate moralista, puritano e maniqueísta não constrói nada e tem um efeito pedagógico negativo que resulta na deseducação política do nosso povo. O verdadeiro debate fica totalmente envolto em um festival de acusações, animosidades e intrigas que impedem o eleitorado de optar por um governo que aponte o verdadeiro caminho para o desenvolvimento do nosso Estado.

Pior do que a ausência do debate político qualificado é a transformação do exercício do governo em mera preparação para a próxima disputa eleitoral. O governo da “harmonia” ilustra bem o quanto foi danoso para o Amapá este tipo de comportamento. Devido ao descontrole das finanças públicas decorrente de gastos exagerados e improdutivos com a finalidade de criar felicidade artificial e faturar a próxima eleição, estamos pendurados em dívidas que comprometem seriamente o nosso crescimento econômico.

O meu temor é que a “mudança” não resista à tentação eleitoral e que continue transformando as decisões corretas do governo em batalhas com seus adversários ou possíveis desafiantes. Perde-se precioso tempo em pendengas políticas com setores ou atores que de certa forma demonstram independência política ou não aplaudem o governo.

Para ficar em apenas dois exemplos refiro-me à disputa com o senador Randolfe Rodrigues pela paternidade da banda larga. A disputa com o senador teve um custo considerável à nossa combalida receita estadual através da concessão de benefícios fiscais a uma solução diferente daquela encaminha pelo senador e o Ministério das Comunicações. Nas desastradas negociações com os médicos e professores parece que o objetivo maior era deslegitimar e desmoralizar o movimento e impor-lhes uma derrota e desgaste perante a opinião pública. O prejuízo para a população poderia ter sido evitado.

Com o foco na próxima eleição, “harmonia” e “mudança” por caminhos diversos produzem o mesmo resultado indesejado: perda de tempo e dinheiro imprescindíveis para a solução dos nossos problemas.

Espero que o PT, que ajudou a eleger este governo, vista sua camisa vermelha e possa contribuir para mostrar que o importante para a população é que exista uma determinação de construir uma arquitetura estatal que alie o investimento social, principalmente educação, saúde, segurança e transferência de renda, com equilíbrio de contas públicas, planejamento de longo prazo, rigorosa política de gestão administrativa alicerçada na eficiência do dispêndio público e investimentos em infraestrutura. A disputa tem que ficar para o período eleitoral.

 

  • Alguns líderes do PT estão fazendo confissões de culpa por ter feito parte da chamada HARMONIA, e todos sabemos no que deu. Ainda bem que tem gente coerente no PT, pra ajudar na reconstrução desse estado.

    • Acho que seguir essa linha de raciocinio que o Raimundo Audir envereda é dar tiro no pé, porque não devemos nos esquecer que tanto PT quanto o PSB foram responsaveis pela hegemonia da “HARMONIA” por isso DEVEMOS ESQUECER que sem o apoio do PSB a “HARMONIA” não teria derrotado a candidatura Dalva Figueiredo no segundo turno nas eleições de 2002, e sem o apoio do PT não teria vencido a candidatura Capiberibe em 2006: vamos olhar pra frente pelo amor de Deus!!!

  • Belissimo texto do amg lourival. Analise perfeita sobre a atual conjuntura. É importante salientar, tambem, que existe uma alternativa popular, com programa e planejamento, organizacao correndo por fora nesta disputa eleitoral que se aproxima. É hora de dar um basta a esta politica miuda vigente no amapa.

  • Concordo com boa parte do texto, porém a análise sobre a banda larga no Amapá merece um maior aprofundamento. Todos sabem que o Governador Camilo Capiberibe defendeu em seu programa de governo, tanto na disputa para a prefeitura de Macapá quanto ao Governo do Estado a efetivação da Banda Larga no Amapá. Os incentivos fiscais sempre foram uma estratégia para promover o desenvolvimento de uma região/estado/… Não vejo desperdício de dinheiro nessa concessão feita pelo GEA pois os seus benfícios serão bem maiores do que o investimento. Quanto a estratégia do Senador Randolfe em fazer lobby pra a empresa Voce Telecom é também uma forma de trazer a Banda Larga para o Amapá, porém para um Senador que se coloca na oposição tanto ao Governo do Estado quanto ao Governo Federal é um pouco mais complicado obter exito em suas investidas políticas/financeiras. Espero que tenhamos em breve Banda Larga no Amapá com a devida concorrência para a realização desse serviço.

  • Gostei desse artigo. Se esse povo nao se vendesse por um pacote de arroz. Fica dificil falar ideoligamente…com quem vive numa zona insalubre, numa…ponte!

  • Lourival Freitas, aquele que denunciou os 992 pra prejudicar o Barcelos e acabou prejudicando várias familias? Esse não ganha mais eleição aqui não.

      • Me acusam de ter denunciado uma ilegalidade e patifaria.Vocês deveriam se envergonhar de me criticar e não denunciar quem praticou a ilegalidade que os levou a esta situação.Tem um monte de políticos corruptos que adorariam um apoio de vocês.

        • É isso mesmo, Lourival. Eu que sou concursada pago até hoje pelos bonitinhos que entraram pela janela e por isso acham que vc nao devia ter denunciado.

              • Então não preciso mais argumentar mais nada a respeito do feito do Sr. Lourival, você e o Exemplo dos meus argumentos. Quando falo que a denuncia foi burra é por que ele querendo numeros expressivos de irregulares jogou todos na mesma vala e se quer viu quem era concursado ou apadrinhado (irregular). Obrigado por colocar a cereja no bolo indigesto deste Senhor.

                • Meu caro acadêmico,vc me acusa de ter denunciado esta improbidade como se isto pudesse mudar a autoria do ilícito.Quem cometeu esta ilegalidae não fui eu.O TCU comprovou a lambança,o MPF denunciou e a Justiça Federal tomou as providencias.Que culpa tenho eu?Simplesmente cumpri o meu dever e exigi a apuração e a punição dos culpaldos.Quer que eu desenhe?FIM.

                  • Perfeito, Você até aonde sei é pessoa honrada e eu não estou contestando a pessoa e sim um ato. Eu só argumentei porque à época você exigiu a punição de trabalhadores e agora nunca exigiu a punição dos MENSALEIROS. É por isso que eu disse que se fosse hoje você não denunciaria mais. TAMBÉM FINDEI! Nese caso!

        • Aqui é assim quando voce é correto é vc. quem não presta.Todo tipo de irregularidade tem que ser denunciado.

        • Quando me reporto a está covarde denúncia, não vejo o seu lado republicano, mas sim o lado mesquinho que deixou varias familias arrasadas e de pires na mão e que até hoje sofrem. Isto por uma oposição burra que objetivou só o lado politico e ignorou o social. Mas infelizmente não temos só pliticos como você, graças ao BALA A DALVA, O proprio Waldez, que tem seus defeitos, mas foram estes e outro que ajudaram aqueles amaenses que você deixou na rua da amargura. Sei que hojé, talvez você agisse diferente. Sou concursado e não faço parte dos prejudicados. Posso parecer incoveniênte para você, mas quando votamos para o legislativo, esperamos tudo, menos que vote contra o povo.

          • Alem de desinformado vc tem o cinismo de propor q eu defendesse a canalice e a patifaria.Inacreditavel alguem me condenar por nao ter compactuado com a ilegalidade.Eis a razao do anonimato.

            • Você afirma que os politicos que ajudaram e ajudam suas vítimas (992 e 1050)a se erguerem, compactuam com canalice e a ilegalidade? Pois DALVA E BALA vivem articulando PECs para consertar de vez sua maior obra politica. Reitero! você foi infeliz: “Atirou no então governador e acertou o povo”. Portanto oposição burra, já que a grande maioria assinava ponto e trabalhava de boa fé.

  • 992 abraços senhor lourival e 1050 felicitações, nós não esquecemos e não deixaremos o povo esquecer;

    • Não queira me responsabilizar pela patifaria,cafajestice e lambança de quer que seja.Quem praticou ou se envolveu com ilegalidade que assuma.

    • Meu caro Antonio Passos, não sou candidato a nada, mas se fosse, pode ter certeza que desprezaria qualquer eleitor que viesse munido de vileza. Aos que entre os 992/1050 foram levados de boa fé nesta maracutaia barcelista, minhas desculpas sinceras, mas aos que sabiam a sujeira em que estavam se submetendo, não tenho o menor receio de desejar que mais do que perder emprego, deviam devolver o que criminosamente receberam do erário público, meu caro é principio do estado democrático de direito que os cargos da burocracia estatal sejam preenchidos por aprovados em concurso público isonomico, ocupar cargo público por outros meios que não esse, é, no minimo, suspeito.

  • Em primeiro lugar, e apenas para marcar posição a respeito: são depreziveis os comentarios a respeito dos tanto malfadados, quanto cumplices de bandidagens 992/1050, a respostas dadas tanto pelo proprio Lourival, quanto pela Alice e a Alcilene são suficientes. Deviamos nos ater ao merito do artigo. Evidentemente que eventuais divergencias sobre o artigo são possiveis, como por exemplo a do meu imensamente querido Jean Fonseca, mas o que considero imensamente oportuno no texto e, que a pretexto de objetividade da análise da conjuntura, está apenas implicito, é a puxada de orelha em lideranças petistas e do PSB quanto ao perigo de deixarmos naufragar NOVAMENTE uma aliança que a história provou ser (na perspectiva da construção de uma sociedade sustentável, justa e libertária) infinitamente mais “saudável” para o povo amapaense e, o pior, corremos o risco de por a pique esse projeto por quinquilharias, egos inflados e – por que não? – uma boa dose de falta de inteligência.

    • Meu grande amigo DORIVAL SANTOS(NEI)!

      Os egos inflados eu imagino quem tenha…..rsrsrsrs…..Agora falta de inteligência se vc pudesse ser mais específico eu iria agradecer……grande abraço!

      • Dias seu Satanás: falo do ego e dos instantes de patetice que “todos” nós estamos passiveis rsrsrs

        • Meu querido amigo NEI! Depois de vc colocar todos entre aspas, eu entendi quem não tem a inteligência necessária….HAHAHAHAHAHA….grande abraço!

  • Muito bom o texto, ficou claro que o PT visa a permanência no poder, independentemente de cor partidária, porque ir do PSB para o PDT e depois voltar para a aba do PSB é ir de um extremo ao outro!!

  • SÓ PARA NOS SITUAR: SE NAO ESTOU ENGANADO, ESTE DORIVAL SANTOS “NEI” É “COMPANHEIRO” (PT) DO LOURIVAL FREITAS, PORTANTO PUXANDO A BRASA PARA SUA SARDINHA !
    UM FORTE ABRAÇO DOS TUCUJUS 992 e 1050 QUE ESTÃO AI, RALANDO E REBOLANDO PARA SOBREVIVEREM.
    BOA NOITE E FIQUEM COM DEUS.

    • Não tá engnado não, sou e não nego, tenho é muito orgulho dos meus companheiros e do meu partido e sempre que puder pode ter certeza que sairei em sua defesa e vc de que posição social e politica fala? Tem vergonha de dizer?

  • texto belissimo! relata a atual conjuntura politica em nosso estado, é lamentável que a maioria da população não consiga v além dos seus proprios interesses. Caro amigo Lourival Freitas infelizmente os beneficiados do 992 nunca irão entender o seu posicionamento, apenas se cumpre a herança deixada pelo cumpadrio que se estende neste estdao desde a epoca de Janary, povo sem historia, e povo sem memória.!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *